Como é viajar de ônibus na Bolívia: as melhores empresas e serviços

Atualizado em 10 de outubro de 2022 – 2 min de leitura

Como é viajar de ônibus na Bolívia

Viajar de ônibus na Bolívia hoje é muito mais confortável e seguro do que há poucos anos. Eu já ouvi história de pessoas que passaram horas em um veículo sem ar-condicionado e banheiro. Isso e outros relatos de viajantes que tiveram a bagagem molhada ou roubada.

Com serviços mais profissionais e rodovias mais bem cuidadas, ônibus se tornou ainda mais procurado por turistas do mundo todo. Principalmente porque nos ajuda tanto na hora de salvar o orçamento.

Mesmo assim, uma coisa que você perceberá rapidamente é que não é nada fácil comprar passagens de ônibus com antecedência, já que nem todas as empresas estão na internet, e as que estão, nem sempre aceitam cartão de crédito.

Como é viajar de ônibus na Bolívia

Se isso tem seu lado ruim, a gente tenta observar o que pode ser bom: na Bolívia, nem sempre ter uma passagem significa que você vai viajar, já que as interrupções no tráfego são comuns. Por questões naturais, como deslizamentos de rochas, ou por protestos, como greves e manifestações políticas, estradas são fechadas e isso pode cancelar ou, pelo menos, atrasar sua partida.

Para lhe acalmar, saiba que nas duas vezes em que eu estive na Bolívia, não houve imprevistos desse tipo. Percorrendo o país em todas as direções, não vi protestos nem passei por situações de calamidade natural.

Empresas de ônibus na Bolívia

Para ter uma viagem mais confortável e, principalmente, segura, eu aconselho que você procure as empresas listadas abaixo, e sugiro evitar as empresas Panamericana, Urus, Expresso Santa Cruz e Emperador, porque há muitos relatos de acidentes e outros problemas envolvendo essas companhias.

 EMPRESASSITE 
Transcopacabanatranscopacabanasa.com.bo
Todo Turismotodoturismosrl.com
Panasuruyunipanasur.com
Tour Perutourperu.com.pe
Trans Omartransomar.com

Para quem quer fazer um roteiro entre o Peru e a Bolívia, uma novidade é o Bolivia Hop. Voltado para turistas estrangeiros, o ônibus tem uma ótima qualidade e um serviço igualmente elogiável. O esquema é semelhante ao de uma excursão e pode ser interessante para quem ainda não se sente a vontade para viajar sozinho de ônibus na Bolívia.

Estradas e segurança

O maior problema que afeta turistas em viagem à Bolívia é o furto, crime cometido pelos batedores de carteira e saqueadores de malas. Por isso, é muito importante não deixar sua bagagem desacompanhada.

Nos ônibus, tente ficar de olho em sua mala. Se ela não estiver ao seu alcance, esteja certo de que está trancada com um cadeado e, mesmo assim, evite viajar levando itens mais caros no porão do ônibus.

Como é viajar de ônibus na Bolívia

Há poucos anos, trafegar pelas rodovias bolivianas era praticamente impossível. Mesmo aquelas que ligavam destinos turísticos – como La Paz a Uyuni – eram completamente cheias de buracos, mal sinalizadas e com iluminação precária. Como havia uma grande chance do ônibus quebrar durante o trajeto, assaltantes ficavam à espreita aguardando o melhor momento para agir.

Hoje, muito se avançou na qualidade das rodovias bolivianas. Eu estive no país pela primeira vez em 2012, retornando em 2015, e percebi uma diferença muito grande. Asfaltadas e bem sinalizadas, as estradas deixaram de ser tão perigosas e não mais atrasam nossa viagem em horas.

Como é viajar de ônibus na Bolívia

Informações Básicas

Visto

Brasileiros não precisam de visto para entrar e permanecer no país por até 90 dias. Esse prazo pode ser estendido por mais 90 dias.

Documentos

Você pode usar o passaporte, com validade de seis meses, ou a carteira de identidade, emitida há menos de dez anos.

Dinheiro

A moeda oficial é o boliviano, representado pela sigla BOB. Veja como usar seu dinheiro na Bolívia.

Vacinas

A vacinação contra febre amarela é obrigatória. Veja como emitir o Certificado Internacional de Vacinação.

Informações sobre covid-19

As regras para viajantes vacinados e não vacinados são um pouco diferentes. Por isso, é preciso ter atenção na documentação exigida pela imigração boliviana.

Além de todos os documentos básicos de uma viagem internacional, como passaporte ou carteira de identidade, passagem de ida e volta e comprovante de hospedagem, por exemplo, é preciso ter em mãos os seguintes comprovantes:

  1. Certificado de vacinação contra covid-19 com, pelo menos, duas doses, sendo que a última deve ter sido aplicada, no mínimo, 14 dias antes da viagem – exigido apenas de viajantes vacinados;
  2.  Resultado negativo de teste RT-PCR, feito até 72 horas antes da viagem, ou antígeno (teste rápido), feito até 48 horas antes da partida para a Bolívia – exigido apenas de viajantes não vacinados maiores de cinco anos;
  3. Formulário de Localização de Passageiros, disponível no site da Direção-geral de Aviação Civil – apenas um por família.

De forma geral, viajantes brasileiros não precisam fazer quarentena na chegada ao país, mas é importante estar preparado para que restrições que afetem viagens internacionais entrem em vigor com pouco ou nenhum aviso prévio por parte das autoridades bolivianas.

Você os detalhes das regras Resolución Multi-Ministerial 001, de 27 de abril de 2022.

Apesar de não haver restrições nacionais para covid-19, os departamentos e municípios têm a autonomia para impor restrições em nível local.

Acesse o site oficial para acompanhar os números de casos de covid-19 na Bolívia.

RETORNO AO BRASIL

Viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

Seguro viagem

Apesar de não ser obrigatório,  viajar sem um seguro viagem com cobertura para covid-19 não é uma boa ideia. 

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você também terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

Se você for fazer qualquer atividade de risco – como trekking em vulcões, cruzar o Salar de Uyuni de carro ou conhecer a Amazônia boliviana, por exemplo – o seguro passa a ser essencial para sua viagem. Pode confiar em mim!

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

MAL DE ALTITUDE

Se você vai viajar para a Bolívia, já sabe que é importante se prevenir do mal de altitude. Também conhecido como soroche, ele é muito comum em viajantes que se aventuram por regiões próximas a 3.000 metros de altitude.

Os sintomas mais comuns são dor de cabeça, enjoo, vômito, tontura, cansaço excessivo e mal-estar. Esses são os principais reflexos da dificuldade do nosso organismo em absorver o oxigênio, e, embora seja raro, em condições extremas, o mal de altitude pode levar à morte.

Isso acontece porque, à medida que a altitude aumenta e a pressão atmosférica cai, o ar fica mais rarefeito. Assim, a concentração de oxigênio diminui e o nosso corpo sente isso. Para prevenir ou diminuir seus efeitos, é bom evitar fazer movimentos rápidos e esforço físico nos primeiros dias.

Mascar folhas de coca é uma forma bastante eficaz de prevenir o mal de altitude. A forma correta de usar a folha é deixar a erva no canto da boca e sugar o sumo que ela libera quando em contato com a saliva. O uso do chá pode ser mais saboroso e nas farmácias é fácil encontrar pílula para soroche.

Veja mais dicas da Bolívia

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida é só deixar sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas da Bolívia.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

27 Comentários

  1. Alarc

    Oi Altier, tudo bem?

    Pensei em fazer os passeios de alguns dias em São Pedro do Atacama primeiro, para poder me ambientar com a altitude e, no final, ir até Uyuni fazer o passeio de um dia pelo Salar. Sendo assim, pensei em pegar um ônibus de Sâo Pedro de Atacama até Uyuni, dormir lá por uma noite e no dia seguinte fazer o passeio pelo Salar e depois voltar novamente para São Pedro de Atacama.
    Não quero passar pelas chatices de ter que comer mal e me hospedar em lugares indesejáveis durante três dias como a maioria faz, já que vou ver paisagens muito similares em São Pedro do Atacama.
    Por favor, poderia me dizer se existe um ônibus partindo de São Pedro de Atacama até Uyuni e vice-versa? Qual o seu ponto de vista? Se quero escolher apenas um dia de passeio, essa seria a melhor opção?
    Muito obrigada,

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Alarc.

      Desconheço essa viagem de ônibus.
      Geralmente, o que se vende são pacotes que fazer a rota turistica entre as duas cidades. Eu, de verdade, acho que vale demais.
      A melhor ideia é começar por Uyuni e terminar em San Pedro.

      Um abraço.

      Responder
    • Heloisa

      Olá, fiz a viagem de São Pedro até Uyuni há alguns anos atrás. Arranjei a viagem com uma agência em São Pedro que utilizava um 4×4. Na época não existia estradas e o jip ia por picadas no contraforte da cordilheira dos Andes. Dormimos uma noite numa pousada um uma vila (não me lembro do nome) e outra noite no hotel de gelo(bem conhecido). Foi uma viagem ótima, nosso motorista preparava lanches para o almoço e jantavamos nos lugares onde dormimos.

      Responder
  2. Sabrina

    Eu moro em Cochabamba e minhas 2 irmãs querem vir de ônibus do Rio de Janeiro pra cá. São duas meninas novas(19 e 24 anos), você acha perigoso?

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Sabrina.

      Acho que não. Elas devem saber se virar bem no Rio de Janeiro, né?

      Um abraço.

      Responder
  3. Andreia Braga

    Boa noite.
    Estou me planejando para viajar até a Bolívia no ano que vem e gostaria de viajar de onibus, saindo do Rio de Janeiro. Eu soube que não precisamos de passaporte para viajar aos países do Mercosul, mas estou na dúvida. Seria melhor ter um passaporte ou apenas a identidade é válida? Viajando de onibus também é necessário o carnê de vacinação contra a febre amarela como é exigido em viagens de avião?

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Andreia.

      Sim, você pode viajar apenas com sua carteira de identifade, desde que ela tenho sido emitida há menos de dez anos e que esteja em bom estado de conservação. Porém, eu sempre indico ter o passaporte. Ele é o documento do viajante e é aceito em todos os lugares.

      O Certificado de Vacinação contra febre amarela pode ser solicitado em qualquer viagem, tanto de ônibus quanto de avião. Ele é gratuito e deve ser aolicitado na Anvisa.

      Um abraço.

      Responder
    • Nilda

      Sou do Brasil, eu consigo ir de Bolívia a Lima?
      Tem ônibus que faz está linha
      Ou somente excursões
      Quantas vezes na semana , e se já está liberado devido covid
      Obrigada

      Responder
  4. Livia Marinho

    Ola Altier ! Como vai ? Ao entrar na Bolívia de ônibus , como foi o processo de documentação (documentos para imigração etc…)
    Eu pergunto pois fiz o trajeto Bolívia – Peru de carro e era necessário tirar um documento de imigração na Aduana. E a propósito, não recomendo esse percurso de carro nem um pouco. Em todos os postos policiais éramos parados , mesmo com os documentos do veículo e de imigração nos solicitavam dinheiro a mais (alem dos pedágios ) para prosseguir com a viagem . Foi um terror até conseguirmos sair do País. Na volta acabamos por voltar pela estrada do Acre , afim de fugir dessas questões . A estrada é bem perigosa até que possamos descer das montanhas , mas compensa mais do que pela Bolívia (caso a mesma seja feita de carro).

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Livia.

      De ônibus, você desce e faz o processo na imigração.
      Fica aquela fila de gente com passaporte na mão, mas é rápido.
      O ônibus atravessa a fronteira e espera do outro lado.

      Um abraço.

      Responder
  5. Gilce Almeida

    Bom dia
    Gostei muito do seu blog. Está me ajudando muito. Eu tenho um irmão que mora em La Paz e estou pensando visita-lo no próximo mês de setembro . Seremos 4 pessoas. 3 mulheres e 1 homem. Todos maiores de 60 anos. Somos velhinhos nas já viajamos muito. Rsrs. Queríamos fazer o seguinte roteiro : Goiania/Corumba/Santa Cruz de La Sierra/Sucre/La Paz. Tudo de ônibus. Me diga uma coisa- as estradas são muito perigosas? Tem muitos precipícios? Ouvi dizer que de Santa Cruz a Sucre a estrada é terrivel. É verdade? Obrigada por qualquer informação que puder me fornecer.

    Responder
  6. fabio alves

    Altier, bom dia!

    Estou indo para Bolívia agora em janeiro, e pretendo comprar as passagens na própria empresa. Você acha que é muito arriscado deixar para comprar na hora, ou não há problemas com tanto que chegue com antecedência?

    muito bom o blog.

    obrigado!

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Fabio.

      Eu comprei na hora, mas sempre há o risco de não ter passagem para o horário que desejar, né?
      Então, faça o seguinte: sempre que chegar a uma cidade, já compre a passagem para a próxima.
      Isso ajuda muito no planejamento.

      Um abraço.

      Responder
  7. Jacy Benicio de abreu

    Quero sair de Vitoria E,S de aviao para Porto Velho rondonia para seguir para Cusco Peru de ônibus e depois para Santa Cruz de lá sierra você tem outra sugestao

    Responder
  8. Rogério

    Uma dica para quem quer comprar passagens online é o site Tickets Bolivia. Eu comprei vários trechos por lá para a viagem que fiz esse ano em maio e deu tudo certo. O valor é mais caro do que o comprado na hora, diretamente com as empresas, mas acaba sendo vantajoso para quem quer se programar e evitar ficar correndo atrás de passagem na hora.

    Responder
  9. Thiago Duarte

    Olá,estive recentemente no mês de julho a La Paz,e eu não indico para ir de ônibus até a La Paz, eu sai de Corumbá e indico que vá de ônibus até Santa Cruz de La Sierra,ou Cochabamba e de lá tome um voo até La Paz,a estrada de Cochabamba em diante é péssima,não é pavimentada,muita poeira,muito sacolejo, e muito precipício,é um risco desnecessário,e quanto a empresas acrescente a Copacabana Men (sem ar condicionado na saída de Santa Cruz,ficamos horas expostos no calor de intenso até chegar ao altiplano)e a Trans Eldorado (Não tinha banheiro aberto na nossa volta,de tanto que eu enchi o saco do motorista que foram abrir-lo muitas horas depois para limpá-lo no meio do caminho,fora as bolivianas com crianças sentadas no chão,vendem passagens a mais,um pesadelo rsrsrs),quanto a TransCopacabana, me parece ser a melhor,contudo deve-se comprar a passagem com antecedência tendo em vista que é procuradíssima pela população local.

    Responder
  10. Isabela Santos

    oi Altier! Estou amando seu blog! quando vc foi se lembra quanto estava valendo o real e por quanto conseguiu trocar la? qual o melhor lugar pra cambio?

    obrigada!

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Isabela.

      Realmente não me lembro exatamente, mas era em torno de R$ 0,30 = BOB 1.
      Você deve preferir as casas de câmbio oficiais, nos aeroportos, pode exemplo.
      Evite trocar dinheiro na rua. É cilada! 😉

      Um abraço.

      Responder
      • Thiago Duarte

        Quanto ao cambio infelizmente não está muito favorável como tempos atrás, 1 Real= 2,05 Pesos ou até menos,na fronteira do Brasil(Puerto Quijarro) ou Santa Cruz de La Sierra são os melhores locais para troca,em La Paz está 1 Real=1,93 Pesos muito baixo!

        Responder
      • Eliane

        É possível trocar dinheiro com cambistas na rua porém é importante identificar as notas falsas. Eles pagam mais que as casas de câmbio e quase todo mundo desde bolivianos e estrangeiros que estão passeando e brasileiros que estudam lá, só trocam com estes cambistas. Estive lá do dia 10/11/17 à 17/11/17 pois tenho parentes que estuda lá e presenciei está troca. Foi tranquilo mas é importante pegar indicação de cambista e identificar as nossas falsas que mesmo aqueles que ficam em casa de câmbio podem correr o risco de pegar uma delas, afinal estamos falando de um país extremamente corrupto.
        Ah o câmbio é melhor no dólar, 1 dólar = 6,93 bolivianos.

        Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11