O que fazer em Santa Cruz de La Sierra, essa cidade boliviana tão importante

Atualizado em 10 de outubro de 2022 – 4 min de leitura

Ao contrário do que você, talvez, pense, há muito o que ver e fazer em Santa Cruz de La Sierra, a segunda cidade mais importante da Bolívia.

Santa Cruz é, também, a principal porta de entrada de muitos brasileiros que chegam aqui para estudar ou para turistar: com uma economia pujante e em vigoroso crescimento, Santa Cruz de La Sierra é o ponto de partida para conhecer o resto do país sem gastar muito.

Além disso, fácil encontrar opções baratas de hospedagem, alimentação e transporte. Isso porque suas rodovias e seus aeroportos nos ligam facilmente a cidades como Potosí, Uyuni, Sucre e La Paz.

Entenda Santa Cruz de la Sierra

A lógica de Santa Cruz de la Sierra é muito simples e encontrar-se em suas ruas não será complicado.

São doze bairros conectados por quatro principais vias que são chamadas de anéis. No centro está a Plaza 24 de Septiembre.

Aliás, tudo acontece ao redor da praça e, aqui, no Centro Histórico, estão os principais prédios públicos, alguns museus, a Catedral Basílica e ainda alguns bares e restaurantes.

O que fazer em Santa Cruz de La Sierra

Praça Principal: seu ponto de partida

Com isso claro, siga avante na doce tarefa de descobrir o que fazer em Santa Cruz de la Sierra que, embora seja percebida por muitos como uma cidade de negócios e de passagem, tem um roteiro que inclui opções culturais, de visitação do patrimônio histórico, de contato com a natureza e para saciar a fome com pratos tipicamente reconhecidos.

Sem falar, é claro, no povo receptivo e simpático que vive aqui.

Se tiver tempo e um pouco mais de dinheiro, planeje conhecer os arredores da cidade. Descansar nos balneários e parques aquáticos, como o Biocentro Güembé, ou visitar povoados e ruínas ancestrais, como Samaipata, pode ser uma opção interessante.

O que fazer em Santa Cruz de La Sierra

O que fazer em Santa Cruz de La Sierra

Basílica de San Lorenzo

Com uma arquitetura que se destaca facilmente em meio a outros prédios, a catedral é a construção mais emblemática da cidade. Aqui, visite o museu com peças sacras e suba até uma das torres da igreja para ver Santa Cruz de la Sierra do alto.

O que fazer em Santa Cruz de La Sierra

A Basílica fica na Plaza 24 de Septiembre, e as visitas acontecem diariamente das 8h às 21h. A torre fica aberta das 8h às 12 e das 15h às 18h30, e a entrada custa BOB 3. O museu abre das 15h às 18h.

O que fazer em Santa Cruz de La Sierra width=

Manzana UNO

Esse espaço cultural interativo é muito interessante, especialmente se você estiver com crianças ou sentir-se uma. Quando estive aqui, havia uma mostra sobre histórias infantis, e os visitantes podiam fazer parte dos cenários.

O que fazer em Santa Cruz de La Sierra

O Manzana UNO fica na Calle Independencia e abre de segunda a domingo, das 10h às 12h30 e das 16h às 21h. A entrada é gratuita.

Casa de la Cultura

Esse lugar é imperdível para quem gosta de arte. Funcionando há quase 50 anos, ele abriga exposições de artistas bolivianos e estrangeiros. Durante minha visita à cidade, eu vi uma fantástica mostra com esculturas sensacionais.

O que fazer em Santa Cruz de La Sierra

A Casa de la Cultura fica na Calle Libertad, 65, e funciona de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 16h às 21h. Nos sábados e domingos, das 16h às 21h, e a entrada é gratuita.

Zoológico

Antes de torcer o nariz para essa atração, vá conhecê-la. Com o objetivo de ser um centro de educação ambiental e conscientização da população sobre a importância de preservar o ambiente, o zoológico abriga e cuida de animais que foram vítimas de maus-tratos, sendo que alguns correm sério risco de extinção.

O que fazer em Santa Cruz de La Sierra

Em seus corredores arborizados estão antas, onças, ursos, lontras, jacarés e muitas aves, como araras, flamingos e gaviões. O zoo fica na Tercer Anillo Interno Radial, 27, e funciona diariamente, de 9h às 18h. A entrada custa BOB 15.

O que fazer em Santa Cruz de La Sierra

Parque el Arenal

No agitado centro de Santa Cruz de la Sierra, esse parque é, na verdade, o resultado da urbanização de um antigo lago que existia aqui. Apesar de pouco arborizado, ele é um ponto de encontro e de descanso dos moradores e trabalhadores da região.

O que fazer em Santa Cruz de La Sierra

Evite ostentar objetos de valor e caminhar por aqui durante a noite.

Balada

Se quiser curtir a noite boliviana, vá à mais famosa balada da cidade: a Pink. A casa é legal, mas não estranhe se ninguém dançar. Diferentemente do que acontece no Brasil, as pessoas vão à boate para ficar em grupinhos conversando e movimentando levemente o corpo. É meio sem graça, para falar a verdade.

Outra coisa estranha é que a boate tem garçons. Você faz o pedido a eles e só paga na hora em que for embora. O pagamento da entrada é feito exclusivamente em dinheiro, mas as bebidas podem ser pagas com cartão.

Como visitar Santa Cruz de la Sierra

Quando ir

Santa Cruz de la Sierra tem o céu ensolarado o ano inteiro, exceto em dois períodos: as duas primeiras semanas de janeiro são regadas com muita chuva e, em julho, o frio dura cerca de 15 dias. A temperatura média é de 24 graus e os meses mais quentes estão entre outubro e março.

Como chegar

Há voos direto do Brasil para Santa Cruz de La Sierra. As principais companhias aéreas são a Gol e a BOA. A Latan também chega ao aeroporto de Viru Viru, mas geralmente faz escalas em Lima ou em Assunção.

Muitos brasileiros escolhem, ainda, o temido trem da morte para chegar até aqui. O trem parte da fronteira com Corumbá, no Mato Grosso do Sul.

Foto: Russland345

Onde ficar

Eu me hospedei no Residencial Ikandire e o considero um achado daqueles que a gente fica sempre muito feliz quando acontece. O hostel é muito seguro, tranquilo, fica a uns 30 metros da Catedral, tem um café da manhã agradável e internet na recepção.

O preço também é muito camarada. Veja outras opções de hospedagem em Santa Cruz de la Sierra.

Onde comer

Eu tenho duas dicas para você comer bem e gastar pouco em Santa Cruz de la Sierra. Em uma de suas noites na cidade, vá jantar na Casa del Camba para comer os melhores pratos típicos.

O que fazer em Santa Cruz de La Sierra

Nos outros dias, se não quiser gastar muito, vá ao restaurante G77+China. O nome é estranho, mas a comida é boa e barata: a refeição custa BOB 28 e acompanha uma sopa de entrada, um prato principal e uma sobremesa.

Se quiser saber mais sobre a comida boliviana, leia Comidas da Bolívia: o que comer e beber no país.

Informações Básicas

Visto

Brasileiros não precisam de visto para entrar e permanecer no país por até 90 dias. Esse prazo pode ser estendido por mais 90 dias.

Documentos

Você pode usar o passaporte, com validade de seis meses, ou a carteira de identidade, emitida há menos de dez anos.

Dinheiro

A moeda oficial é o boliviano, representado pela sigla BOB. Veja como usar seu dinheiro na Bolívia.

Vacinas

A vacinação contra febre amarela é obrigatória. Veja como emitir o Certificado Internacional de Vacinação.

Informações sobre covid-19

As regras para viajantes vacinados e não vacinados são um pouco diferentes. Por isso, é preciso ter atenção na documentação exigida pela imigração boliviana.

Além de todos os documentos básicos de uma viagem internacional, como passaporte ou carteira de identidade, passagem de ida e volta e comprovante de hospedagem, por exemplo, é preciso ter em mãos os seguintes comprovantes:

  1. Certificado de vacinação contra covid-19 com, pelo menos, duas doses, sendo que a última deve ter sido aplicada, no mínimo, 14 dias antes da viagem – exigido apenas de viajantes vacinados;
  2.  Resultado negativo de teste RT-PCR, feito até 72 horas antes da viagem, ou antígeno (teste rápido), feito até 48 horas antes da partida para a Bolívia – exigido apenas de viajantes não vacinados maiores de cinco anos;
  3. Formulário de Localização de Passageiros, disponível no site da Direção-geral de Aviação Civil – apenas um por família.

De forma geral, viajantes brasileiros não precisam fazer quarentena na chegada ao país, mas é importante estar preparado para que restrições que afetem viagens internacionais entrem em vigor com pouco ou nenhum aviso prévio por parte das autoridades bolivianas.

Você os detalhes das regras Resolución Multi-Ministerial 001, de 27 de abril de 2022.

Apesar de não haver restrições nacionais para covid-19, os departamentos e municípios têm a autonomia para impor restrições em nível local.

Acesse o site oficial para acompanhar os números de casos de covid-19 na Bolívia.

RETORNO AO BRASIL

Viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

Seguro viagem

Apesar de não ser obrigatório,  viajar sem um seguro viagem com cobertura para covid-19 não é uma boa ideia. 

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você também terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

Se você for fazer qualquer atividade de risco – como trekking em vulcões, cruzar o Salar de Uyuni de carro ou conhecer a Amazônia boliviana, por exemplo – o seguro passa a ser essencial para sua viagem. Pode confiar em mim!

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

MAL DE ALTITUDE

Se você vai viajar para a Bolívia, já sabe que é importante se prevenir do mal de altitude. Também conhecido como soroche, ele é muito comum em viajantes que se aventuram por regiões próximas a 3.000 metros de altitude.

Os sintomas mais comuns são dor de cabeça, enjoo, vômito, tontura, cansaço excessivo e mal-estar. Esses são os principais reflexos da dificuldade do nosso organismo em absorver o oxigênio, e, embora seja raro, em condições extremas, o mal de altitude pode levar à morte.

Isso acontece porque, à medida que a altitude aumenta e a pressão atmosférica cai, o ar fica mais rarefeito. Assim, a concentração de oxigênio diminui e o nosso corpo sente isso. Para prevenir ou diminuir seus efeitos, é bom evitar fazer movimentos rápidos e esforço físico nos primeiros dias.

Mascar folhas de coca é uma forma bastante eficaz de prevenir o mal de altitude. A forma correta de usar a folha é deixar a erva no canto da boca e sugar o sumo que ela libera quando em contato com a saliva. O uso do chá pode ser mais saboroso e nas farmácias é fácil encontrar pílula para soroche.

Veja mais dicas da Bolívia

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida é só deixar sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas da Bolívia.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

62 Comentários

  1. Conceição

    Olá! Amei o seu blog.
    Vc tem alguma dica p FAZER el Fuerte Inca de samaipata?

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Conceição.

      Infelizmente, não tenho mais dicas além dessas.

      Um abraço.

      Responder
  2. josé marcos antunes

    Olá.tudo bem
    Tenho um filho que quer estudar medicina em.Santa Cruz. Como é a questão de segurança? É uma boa opção?

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, José.

      Santa Cruz não tem uma criminalidade como no Rio de Janeiro, por exemplo.
      O que acontece são pequenos furtos, mas assaltos a mão armada são raríssimos.
      Claro que o país é pobre e tem muita gente necessitada, mas tendo os cuidados básicos dá pra se virar legal.

      Um abraço.

      Responder
  3. Bruno Ribeiro

    Show de bola seu blog amigo parabéns. Estou de mudança para corumbá e estava querendo iradio de trem mais você disse aí o temido trem da morte, tem algum perigo ou é só história RS.

    Responder
  4. Arilthon Romulo

    Olá boa tarde, estou planejando ir até Cusco pegando o trem da morte. Gostaria de alguns dicas sobre a trocar de moeda, pois nunca saí do país. Minha intenção é fazer a percurso completo em 08 dias. Saindo de Corumbá até o Peru. Obrigado

    Responder
  5. Eder Sena

    Oi tudo bem. Galera alguém sabe dizer se em Santa Cruz de La Sierra tem algum trem que vai até Buenos Aires e depois até a província de Santa Cruz na Patagonia? Já agradeço…

    Responder
    • Altier Moulin

      Não tenho informações sobre esse trem, Eder.

      Um abraço.

      Responder
  6. Roberto Carlos

    Gostei muito de saber sua experiência nessa viagem.

    Responder
  7. Nazira

    Olá!! Gostaria de saber como está a estrada de Corumbá(MS) à Sucre. Pois pretendo sair da minha cidade (Ponta Porã (MS), no dia 11/10/2017. Pretendo ir até Sucre, Potosi y Uyuni.

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Nazira.

      Não fiz esse trajeto de carro e, portanto, não tenho esta informação.

      Um abraço.

      Responder
  8. André Lourenço

    Legal estive lá a duas semanas e em relação a dançar nas casas de show eles dançam sim,lá também tem um sambódromo que eles chamam de cambodromo como são conhecidos como cambas eis o nome diferente do nosso.
    Sobre a violência se você vive no Rio qualquer cidade da America do Sul você tira de letra.
    Como gosto de aventuras na próxima me arrisco no trem da morte se tivesse lido antes ,talves iria nele kkk
    Valeu e esse artigo ajudará muito quem quiser conhecer a cidade

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, André.

      Obrigado, mas que eu achei eles muito parados na balada, isso é verdade. 😉

      Um abraço.

      Responder
  9. Douglas

    Bom dia!! Estou programando uma expedição para o mês de novembro de 2017 que cortará a Bolívia, saindo de Corumba até Santa Cruz de La Sierra depois para Sucre em seguida Uyuni finalizando em Iquique no Chile, nos vamos em dois carros, você acha arriscado levar meus filhos um de 17 anos e uma menina de 5 anos nesta expedição?

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Douglas.

      Não acho perigoso, já que esta é uma rota bastante turística. Fiz um trajeto semelhante em janeiro de 2015, só acho que você deve observar alguns pontos:
      1. A altitude em alguns trechos pode causar enjoo, vômito e dor de cabeça;
      2. É preciso se hidratar bastante por causa da baixa umidade do Atacama;
      3. Não faça jornadas longas demais, pois pode ser cansativo para os menores;
      4. Fique atento quanto a documentação exigida para o carro e para os passageiros. veja isso: Bolívia de carro: tudo o que você precisa saber.
      5. Esteja preparado para o frio e sempre use protetor solar.
      6. Se quiser saber mais, veja este guia: Guia Bolívia: lugares incríveis.

      Um abraço e boa viagem.

      Responder
  10. Fabio Florencio

    Muito Boa Reportagem.
    Uma dica a todos, vão para as regiões do terceiro e quarto anillos, muitos mercados gigantescos a céus abertos, comida tipicas a preços viáveis, e muita coisa diferente para conhecer.
    fiquei um ano lá e posso afirmar, o lugar é incrivel e muito acolhedor.

    Responder
    • Altier Moulin

      Obrigado, Fabio.

      Responder
  11. Bruno Miguel

    Estive em Santa Cruz em 2013 e gostei bastante da cidade, pequena e acolhedora… Infelizmente não visitamos todas as atrações pois era o começo do nosso mochilão pela América do Sul e usamos a cidade como início somente… Belo post cara! 🙂

    Responder
    • Altier Moulin

      Obrigado, Bruno!

      Responder
  12. Jean

    Boa noite gostaria de saber quais lugares que encontro roupas muito baratas relógios etc..

    Responder
    • Altier Moulin

      Jean, a Bolívia não é o melhor destino para comprar, portanto não saberia lhe ajudar.

      Um abraço.

      Responder
  13. JK@rlo

    Oi, Altier! Antes que nada, muito, muito legais e úteis tuas postagens! MUITO OBRIGADO!!!
    Cara, minha esposa e eu vamos pegar um voo daqueles cheios de conexões partindo de Natal/RN (BRA) com destino a Cartagena de Indias (COL); uma delas será justamente no aeroporto de Santa Cruz de la Sierra – ficaremos do meio-dia até a meia-noite na cidade.
    Como serão muitas horas sem fazer nada, você acha que dá pra deixar o aeroporto e ir dar uma volta pelo centro da cidade? É seguro? É perto do aeroporto? O que recomenda fazermos nesse tempo?
    Desculpe o excesso de perguntas – ansiedade pré-viagem! 🙂

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, JK@arlo.

      O aeroporto não fica tão perto do centro, mas dá tempo suficiente para você conhecer um pouco do centro. E, como o táxi é realmente muito barato, dá pra fazer um bate-volta nessas doze horas.
      Se você ficar na área histórica – nos arredores da Plaza 24 de Septiembre -, não terá problema com segurança. Os índices de criminalidade contra turistas na Bolívia são baixos. O que tem por aqui é gente querendo nos passar a perna. Fique esperto.

      Um abraço.

      Responder
      • JK@rlo

        Muito obrigado!!

        Responder
  14. Shirley

    Muito bom poder conhecer esse roteiro e tirar dúvidas. Ótimo artigo. Parabéns!

    Responder
    • Altier Moulin

      Muito obrigado, Shirley.

      Responder
  15. Luiz Antonio Garcês do Nascimento

    Olá, Altier, tudo bem?

    Sabe me informar sobre o trem que parte de Porto Quijarro até Santa Cruz, se é uma viagem tranquila e segura? Sou de Campo Grande e estou querendo ir de ônibus até Corumbá e de lá atravessar e seguir a viagem de trem. Apenas para aventura. A volta farei de Avião… rs.

    Abraços.

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Luiz.

      Eu ainda não fiz essa viagem de trem, mas tenho muita vontade.
      O que tenho ouvido é que é uma viagem cansativa, desconfortável e um pouco insegura – principalmente em relação a bagagem. Mas, tudo isso é compensado pela experiência e pela paisagem.
      Já está na minha lista.

      Um abraço.

      Responder
  16. Silvia Seixas

    Parabéns pelo blog. Estou planejando passar um mês na Bolivia , pretendo chegar de avião em Santa Cruz as 12.20 e pegar um vôo pra Sucre as 17.45.Nesse intervalo você acha que dá tempo de eu ir de taxi até a praça principal tirar umas fotos fazer um lanche e voltar ? Quanto tempo de taxi nesse percurso?

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi Silvia,

      Sim, dá tempo. Acredito que em, aproximadamente, 30 minutos você faça esse trajeto.

      Um abraço.

      Responder
  17. Carolina Liduario

    Olá Altier,

    Primeiramente gostaria de elogiar seu blog, os posts são ótimos. Informativos, sucintos e bem humorados.
    Farei um mochilão agora em Agosto. Destinos: Bolívia, Peru e Chile. Vi em outro post seu sobre dinheiro falsificado, o que me deixou bastante preocupada. Qual seria sua sugestão para evitar uma situação como esta?
    Podemos “cambiar” em casas de câmbio ou é mais fácil pelas ruas de Santa Cruz.
    Desculpe enche-lo de perguntas desta forma, mas será meu primeiro mochilão e a ansiedade está no máximo.
    Obrigada e continue nos ajudando com seus posts!

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi Carolina,

      Jamais troque dinheiro com cambistas de rua – isso vale para outros países também. Você tem duas opções mais seguras: trocar em lojas oficiais ou sacar direto nos caixas automáticos usando o cartão do seu banco. Mas lembre-se que é preciso desbloquear o cartão para uso no exterior. Assim o risco de receber notas falsas na hora do câmbio é zero. Já no dia a dia… aí são outros quinhentos. 😉

      Um abraço e vá com fé!

      Responder
      • Carolina Liduario

        Muito obrigada pela gentileza em responder tão prontamente!
        Seguirei assim suas dicas!
        Valeu! Abraço!

        Responder
        • Altier Moulin

          Conte comigo. 😉

          Responder
  18. Mauriti Campos

    Meus parabéns pelo seu post. Me esclareceu varias duvidas. Se Deus quiser, estarei indo a Santa Cruz no dia 13 de Junho.

    Responder
    • Altier Moulin

      Aproveite, Mauriti.

      Responder
  19. Suzana

    Muito legal seu post, estou planejando um roteiro que engloba Santa Cruz de La Sierra, as informações estão claras e objetivas.

    Responder
    • Altier Moulin

      Obrigado, Suzana!

      Responder
  20. Priscila

    Altier, bom dia!

    Adorei seu post, muito útil.
    Eu estou de mudança para Santa Cruz de la Sierra com meu marido e dois filhos (1 ano e 5 anos). Gostaria que pudesse me falar algo sobre a educação lá e os perigos da cidade. Não falo espanhol muito bem e estou insegura com relação à cidade.

    Obrigada.

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi Priscila,

      Como estive apenas nos lugares turísticos, não tive problemas com segurança. Geralmente essas áreas são mais vigiadas e isso inibe a ação de bandidos. Portanto, não posso lhe dar uma informação sobre a situação geral da cidade. Assim como sobre educação, já que meu foco é escrever para quem vai passear na cidade.

      Um abraço e sucesso na nova casa. 😉

      Responder
  21. Wander Camargo

    Oi Altier! Gosto muito de ler e com certeza esse será uns dos blog que lerei sempre. Parabéns. Fala muito bem do meu país, sou Boliviano e moro em Santa Cruz, assim que precisar qualquer coisa estarei sempre ligado no seu blog. Parabéns mais uma vez. Abrazão!

    Responder
    • Altier Moulin

      Obrigado, Wander.

      Responder
  22. Cristiano Lucas

    Olá meu amigo, adorei seu post. Voce saberia me informar quanto que custa mais ou menos o parque aquatico Biocentro Güembé? Agradeço desde já!

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi Cristiano,

      Infelizmente não tenho esta informação. Por favor, dê uma olhada no site deles: http://www.biocentroguembe.com/

      Um abraço!

      Responder
  23. Francivaldo Santos

    Bom dia Altier,

    Gostei muito de sua pagina de guia, estou com muito interesse em ir a Bolívia – Santa Cruz, porém não conheço a região, vou a procura de ingressar na faculdade de UNIFRANZ, processo seletivo 2016,
    Peço a você referência para esta viagem,

    Saída de Altamira-PA,

    Desde já agradeço,

    Responder
  24. Leozinho

    Olá, muito bom o site.
    Estarei partindo de São Paulo em janeiro com alguns amigos, chegaremos de pinga-pinga até Corumbá e de lá pegaremos o trem da vida até Santa Cruz, mas temos como destino final Cusco e Machu Picchu, gostaria de saber rotas alternativas de Santa Cruz para o Peru e que sejam abaixo do preço convencional kkkkk…

    Abraços e parabéns.

    Responder
    • Altier Moulin

      Opa Leozinho,

      Cara, você pode fazer a viagem de ônibus. A rota que passa por Cochabamba e La Paz te mais opções. Depois cruze a fronteira em Copacabana-Puno e, então, suma para MaPi. Os ônibus são ótimos e as tarifas não são caras (há várias opções, para quem quer pagar pouco ou mais caro um pouco). Veja esse post: https://www.penaestrada.blog.br/empresas-de-onibus-no-peru/

      Você pode também se informar lá por transporte clandestino, mas eu não me responsabilizo se ficar sem um rim (brincadeira)

      Um abraço.

      Responder
  25. Marcela Balbino

    Oi Altier, tudo bem?
    Estou indo para Bolívia agora no dia 9 de setembro e queria umas dicas suas. Já salveis seus posts no e-mail para me socorrerem na viagem, caso precise.
    Ficarei dois dias em Santa Cruz, em seguida passo mais um em Sucre e desço pro Salar.
    Queria duas ajudinhas.
    1. Reservei o hostal LoroLoco, porque vi indicações dele no mochileiros.com e muita gente falou de lá, mas fiquei pensando se lá não era vibe balada demais. Achei um charme este albergue que você indicou, embora um pouco mais caro que o LoroLoco, mas queria tua opinião se vale a pena pagar um pouco mais e ficar nele mesmo. (se achar chato responder isso, podes me mandar um e-mail?)
    2. Como só ficarei dois dias em Santa Cruz, pensei em conhecer Samaipata. Tu fostes? Vale a pena? Se fosse escolher um passeio para me indicar, qual seria?
    Obrigada.

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi Marcela,

      É difícil dar minha opinião sobre o LoroLoco porque não o conheço. 🙂 Não, eu não fui a Samaipata. 🙁

      Um abraço e boa viagem.

      Responder
    • Renata Guaranha

      Oi Marcela, adrenalina aumentando a cada dia. Tb desembarco em Santa Cruz dia 9/set pra ficar 2 dias e conhecer Samaipata, podemos ir juntas nessa descoberta, que tal? Sobre hostels, além do Loro Loco e do Residencial Ikandire, vi tb o Hostel Los Aventureros e La Jarra Backpackers Hostel, ambos próximos à praça. Se tiver afim manda msg no face, Renata Guaranha, ok!? Abraços e boa viagem.

      Responder
      • Altier Moulin

        Aproveitem.

        Responder
        • WAGNER DA SILVA DIAS

          Gente o tal “trem da morte” não existe mais, ele tô tinha esse nome porque transportava pessoas com febre amarela pra ter atendimento e muitas morriam ainda no caminho
          Hoje o trem é moderno com assentos leito e semi leito, procurem no YouTube.

          Responder
          • Altier Moulin

            Oi, Wagner.

            Acho que você nem se deu ao trabalho de ler o texto sobre o trem da morte, né?
            Eu explico exatamente isso.

            Um abraço.

    • Manoel Gomes

      Eu fui a Samaipata sim é achei um lugarejo muito pitoresco e interessante. O clima é bastante agradável e frio à noite e você pode se hospedar em alguns chalés charmosos que existem por lá. As cachoeiras de Samaipata também são imperdíveis para um bom banho e contato com a natureza. Samaipata fica próxima à Santa Cruz, é localizada em uma região de altitude e o melhor acesso a esse lugar é de táxi, com preço a negociar. Vale muito à pena. Recomendo.

      Responder
  26. Rômulo Fernandes

    Olá, parabéns pelo site.
    Estou indo em setembro a Santa Cruz (02 a 06/09) e gostaria de saber se da tempo ir conhecer o deserto de sal? e como faço pra chegar lá. Obrigado.

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi Rômulo,

      Você terá apenas quatro dias na região, certo? Acho muito corrido porque o Salar fica a 865 quilômetros de Santa Cruz. Assim, você corre o risco de não aproveitar nem um dos dois e passar a maior parte do tempo na estrada.

      Pense direito. Um abraço.

      Responder
  27. Fabricio Moura

    Gostei do seu post, mais uma cidade que talvez entre na minha lista. Mas me diz uma coisa, é uma cidade perigosa para andar sozinho a noite? Já ouvi falar algumas coisas não muito agradáveis.

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi Fabricio,

      Nos locais turísticos de Santa Cruz eu não vi perigo, mas é sempre bom ter os cuidados habituais que temos em qualquer parte do mundo. Eu não lhe aconselho a andar por ruas menos movimentadas, escuras e mais distantes do Centro Histórico. Sempre é bom, também, evitar ostentar objetos mais caros.

      Eu já fui a Santa Cruz duas vezes e não me senti inseguro.

      Um abraço.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

24