De carro na Bolívia? Fique esperto com a polícia

2

Atualizado em 27 de julho de 2018

O bancário Luiz Cláudio Mauro fez uma viagem de carro na Bolívia com a família. Ele saiu de Brasília, chegou a Corumbá, cidade do Mato Grosso do Sul que faz fronteira com o país, e passou por Santa Cruz de la Sierra, Sucre, Potosí, Uyuni, Oruro e Cochabamba, de onde retornou para Santa Cruz.

Um dos grandes problemas que ele relatou na viagem foi a atuação da polícia boliviana. “Fomos parados 14 vezes pela polícia. Ao contrário do Brasil, onde raramente você é parado, na Bolívia, é difícil passar por um posto policial sem que lhe peçam os documentos”.

De carro na Bolívia? Fique esperto com a polícia

Paisagem do interior do país.

Ele conta que, em muitas cidades, há uma corda, com um pedaço de pano amarrado, atravessando a estrada e você só passa depois de mostrar os documentos. “A maioria dos policiais me pediu somente a habilitação e a Declaração Jurada. Mas, em dois casos, tive que apresentar o documento do veículo também”.

De carro na Bolívia? Fique esperto com a polícia

A aventura começou em Brasília e chegou a Cochabamba.

Dois triângulos e primeiros socorros

Luiz Cláudio conta que, no posto policial chegando a Santa Cruz de La Sierra, as exigências foram maiores: era necessário, inclusive, ter dois triângulos no porta-malas e um kit de primeiro socorros.

Como eu tinha feito o dever de casa e estava com todos os documentos e equipamentos, eles disseram que minha ordem de circulação – que havia emitido na fronteira – era branca e que eu tinha que pagar R$ 50 pela ordem de circulação do formulário verde”, conta.

O bancário até tentou argumentar, mas, simplesmente, foi orientado pelo policial a trazer uma Brahma para eles da próxima vez e, assim, evitar problemas.

De carro na Bolívia? Fique esperto com a polícia

O visual incrível da regão da Laguna Negra.

De carro na Bolívia? Fique esperto com a polícia

O carro utilizado na expedição.

Gasolina com preço diferente

No posto policial de La Angostura, saindo de Santa Cruz, a família foi parada novamente. Desta vez, o policial exigiu os recibos dos postos de gasolina para provar que ele tinha comprado o combustível no valor de estrangeiro. “Isso me pegou de surpresa”, conta.

Eu expliquei ao policial que não tinha guardado os recibos e, no final, ele ficou com o galão de combustível extra, de 20 litros, que eu carregava no porta-malas, e me deixou passar”, lembra.

Não são todos os postos de gasolina que vendem combustível para estrangeiros, é necessário ter um sistema, no qual são inseridos os dados do carro e do motorista. Por lei, o posto deve cobrar um valor mais caro de estrangeiros.

De carro na Bolívia? Fique esperto com a polícia

Cruzando o Salar de Uyuni.

Em janeiro de 2018, o preço cobrado de estrangeiros era de BOB 8,80, cerca de R$ 4,40. Para os bolivianos, o preço era de, aproximadamente, R$ 1,10”, informa.

O viajante de Brasília conta que, mesmo nas cidades maiores, é preciso ficar circulando de posto em posto até achar um onde é possível encher o tanque do carro. Isso aconteceu com Luiz Cláudio em Santa Cruz de la Sierra. Então, uma dica muito importante é nunca deixar o tanque na reserva. “E guarde a porcaria do recibo emitido pelo posto”, alerta.

De carro na Bolívia? Fique esperto com a polícia

Almoço na maior planície de sal do mundo.

Vão parar seu carro na Bolívia

Depois disso, Luiz Cláudio e sua família passaram por outros onze postos policiais, que apenas pediram os documentos e os deixaram seguir sem custos adicionais. “A declaração jurada é o documento mais pedido de todos”, alerta.

CLIQUE PARA SABER MAIS SOBRE A DECLARAÇÃO JURADA

Para entrar e dirigir no território boliviano é preciso ter a Declaración Jurada de Ingreso y Salida de Vehículos de Uso Privado. Ela é emitida pela Aduana Nacional de Bolívia, geralmente, nos principais postos de fronteira.

O problema é que muitos brasileiros que viajam de carro na Bolívia ignoram essa obrigação. Eles entram no país livremente, sem o bendito documento, e seguem até serem parados pela fiscalização.

Como a lei boliviana garante ao Estado o direito de confiscar qualquer veículo com placa de outro país que trafegue por aqui sem a declaração, alguns policiais aproveitam para extorquir os motoristas.

De carro na Bolívia? Fique esperto com a polícia

Luiz Cláudio e sua família.

De carro na Bolívia? Fique esperto com a polícia

Borracharia em Sucre.

Na volta para casa, quando passou pelo posto La Angostura pela segunda vez, Luiz Cláudio conta que o policial disse que as duas ordens de circulação – a branca e a verde – tinham todas as cidades, mas não diziam que ele voltaria para Santa Cruz.

Ele me cobrou BOB 30 – cerca de R$ 15 – para emitir a terceira ordem de circulação. Enquanto eu estava discutindo com ele – inutilmente, só pelo prazer do debate –, o policial recebia propina de um boliviano, que, ameaçado de ter o veículo confiscado, pagou para seguir viagem”, desabafa o viajante.

De carro na Bolívia? Fique esperto com a polícia

Rodovia de Corumbá a Santa Cruz de la Sierra.

De carro na Bolívia? Fique esperto com a polícia

Estrada de Uyuni a Oruro: assim dá prazer em viajar de carro na Bolívia.

A polícia é corrupta mesmo?

Antes de viajar, Luiz Cláudio leu muitos relatos de corrupção por parte da polícia da Bolívia. Hoje, a impressão que tem é de que o problema está setorizado ao redor de Santa Cruz de la Sierra, pois, dos 13 postos policiais que os pararam, em dois, os policiais eram desonestos.

Carro com placa do Brasil é como uma galinha dos ovos de ouro: você será parado e achacado, principalmente, em Santa Cruz de la Sierra e La Angostura”, diz.

De carro na Bolívia? Fique esperto com a polícia

Alguns trechos das estradas estão em obras.

De carro na Bolívia? Fique esperto com a polícia

O grande problema são as pedras.

O viajante complementa seu relato dizendo que algumas estradas estão sendo asfaltadas – como a que liga La Palizada a Sucre. “São muitos trechos em obras e a estrada é cheia de pedras, isso é pior do que uma estrada de terra”, alerta o viajante.

Segundo ele, as melhores rodovias estão entre Corumbá e Santa Cruz de la Sierra, e entre Uyuni e Oruro. Mas, é importante atentar para que a maioria dos terrenos não tem cerca e os animais ficam livres para atravessar a estrada.

De carro na Bolívia? Fique esperto com a polícia

Animais na pista exigem mais atenção ao ao viajar de carro na Bolívia.

De carro na Bolívia? Fique esperto com a polícia

Algumas vias estão sendo feitas com apoio europeu.

No mais, tirando os trechos de estrada péssima e os postos policiais de Santa Cruz e La Angostura, viajar de carro na Bolívia foi ótimo, e os cenários são lindos, cheios de lhamas e vicunhas. Tenho vontade de repetir, mas daqui a alguns anos, quando as obras estiverem terminado”, conclui.

Veja todos os posts da Bolívia

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

2 Comentários

Escreva um comentário