Aventura em La Paz: como é descer a Estrada da Morte de bicicleta

4

Atualizado em 5 de setembro de 2021

Como é descer a Estrada da Morte

Se você está procurando um pouco de adrenalina em sua viagem pela Bolívia, descer a Estrada da Morte de bicicleta é tudo o que você precisa. Considerado um dos passeios mais incríveis da região de La Paz, essa estrada pitoresca tem paisagens, curvas e abismos impressionantes, e o grande barato aqui é fazer o downhill, descendo de 4.200 a 1.200 metros, percorrendo um total de 75 quilômetros.

A estrada, que tem o título de mais perigosa do mundo, já foi concorrida por carros, ônibus e motos que se espremiam na estreita rota. Atualmente, a Estrada da Morte não é mais tão utilizada por veículos, já que outra rota foi construída como alternativa mais segura.

Entretanto, mesmo de bicicleta, a estrada é perigosa e já registrou acidentes graves. Mas basta que você siga as instruções e não abuse da velocidade para que seu passeio termine sem imprevistos, pois ele é planejado para garantir sua segurança.

A Aline Cristina Firmino, de São Paulo, e o João  Bittencourt, de Roraima, fizeram a descida na Estrada da Morte. Leitores do blog, eles toparam contar como foi essa aventura e, claro, deixaram suas dicas para quem quer viver essa experiência.

O João conta que foi de van até La Cumbre del Cristo, onde começa a descida de bicicleta pela Estrada da Morte, e que a primeira parte é feita no trecho asfaltado e, por isso, tem trânsito moderado de carros e caminhões.

Essa é a parte em que alcançamos maior velocidade. Em alguns trechos, chegamos a 60 km/h. Depois, a rodovia começa a subir e, então, voltamos para a van que segue a gente o tempo todo como carro de apoio”, lembra.

Como é descer a Estrada da Morte

Na subida, todos entram na van, como conta João, até a parte onde a rodovia não é asfaltada. É aqui que a adrenalina vai lá no alto. A Aline lembra como foi divertido passar por esse trecho da Estrada da Morte.

Toda parada era momento de escutar o guia falando das mortes que ocorreram naquele trecho, justamente para salientar a importância do cuidado. Tínhamos que ser muito cautelosos com cada pedregulho na estrada, pois um erro poderia ser fatal”, conta.

A descida termina no povoado de Coroico, a 1.700 metros de altitude, onde os nossos amigos aventureiros puderam presenciar o dia a dia de uma comunidade tradicional boliviana.

Cuidados essenciais

Para ser divertido e seguro, você precisa tomar alguns cuidados na hora de descer a Estrada da Morte. A primeira delas é contratar uma empresa que tenha experiência e equipamentos em bom estado. As empresas que os nossos amigos viajantes indicam é a X Treme Down Hill e a Gravity Bolivia. No preço do passeio, estão inclusos os equipamentos, fotos e vídeos, lanche no meio do passeio e almoço no final.

Outro ponto importante é se vestir apropriadamente. Geralmente, as empresas oferecem macacões, luvas e capacete, itens essenciais para sua segurança. Mas um fator que pode lhe perturbar é o frio.

Como é descer a Estrada da Morte

No inicio, a 4.700 metros de atitude, o frio é muito grande, e as paisagens com neve predominam, mas, à medida que vamos descendo, a temperatura vai aumentando e a floresta amazônica vai mostrando a sua cara”, lembra João.

Como a variação de temperatura é grande e como o seu corpo se aquecerá por causa da atividade física, o ideal é que você use três camadas de roupa. Assim, você pode tirá-las de acordo com o clima.

Como é descer a Estrada da Morte

Descer a Estrada da Morte

Aline conta que não é uma viajante aventureira e que está acostumada com atividades mais tranquilas, porém, motivada pela amiga, ela topou descer a Estrada da Morte e não se arrependeu.

A paisagem é incrível! Fomos em julho, portanto o frio estava um pouco intenso pela manhã. E por causa da altitude, o corpo estranhou um pouco. Mas a sensação é única: um misto de liberdade, medo, felicidade. Um momento de bastante temor foi retornar de ônibus pela estrada, pois estava chovendo e com muita neblina. Só o ônibus cabia na estrada, e ver da janelinha o penhasco foi tenso”, conta.

João, por outro lado, encoraja os mais medrosos. “O guia sempre anda de acordo com o ritmo do mais lento. Então, não precisa ser veloz, pois não estamos disputando uma corrida. O passeio deve ser apreciado nos seus mínimos detalhes, já que a paisagem é belíssima”, sugere.

Como é descer a Estrada da Morte

INFORMAÇÕES BÁSICAS
Visto | Brasileiros não precisam de visto para entrar no país e o prazo de permanência é de 90 dias, podendo ser estendido por, no máximo, mais 90 dias.
Documentos | Você pode usar o passaporte, com validade mínima de seis meses, ou a carteira de identidade, emitida há menos de dez anos.
Dinheiro | A moeda oficial é o boliviano, representado pela sigla BOB. Para sua viagem, você pode levar reais ou dólares. Veja como usar seu dinheiro na Bolívia.
Vacinas | A vacina contra covid-19 não é obrigatória, mas é preciso apresentar teste RT-PCR (veja abaixo). A vacinação contra febre amarela é obrigatória: veja como solicitar o certificado.

INFORMAÇÕES SOBRE COVID-19

As regras para viajantes vacinados e não vacinados são um pouco diferentes. Por isso, é preciso ter atenção na documentação exigida pela imigração boliviana.

Além de todos os documentos básicos de uma viagem internacional, como passaporte ou carteira de identidade, passagem de ida e volta e comprovante de hospedagem, por exemplo, é preciso ter em mãos os seguintes comprovantes:

  1. Seguro viagem com cobertura para covid-19, obrigatório para todos os viajantes – faça uma cotação do seguro viagem;
  2. Certificado de vacinação contra covid-19 com, pelo menos, duas doses, sendo que a última deve ter sido aplicada, no mínimo, 14 dias antes da viagem – exigido apenas de viajantes vacinados;
  3.  Resultado negativo de teste RT-PCR, feito até 72 horas antes da viagem, ou antígeno (teste rápido), feito até 48 horas antes da partida para a Bolívia – exigido apenas de viajantes não vacinados maiores de cinco anos;
  4. Formulário de Localização de Passageiros, disponível no site da Direção-geral de Aviação Civil – apenas um por família.

De forma geral, viajantes brasileiros não precisam fazer quarentena na chegada ao país, mas é importante estar preparado para que restrições que afetem viagens internacionais entrem em vigor com pouco ou nenhum aviso prévio por parte das autoridades bolivianas.

Você pode acompanhar atualizações no site da Embaixada do Brasil em La Paz.

Apesar de não haver restrições nacionais para covid-19, os departamentos e municípios têm a autonomia para impor restrições em nível local.

Acesse o site oficial para acompanhar os números de casos de covid-19 na Bolívia.

SEGURO VIAGEM

Desde que reabriu suas fronteiras,  o seguro viagem com cobertura para covid-19 passou a ser obrigatório  para a Bolívia. Sem ele, você pode ser impedido de entrar no país.

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você também terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

Veja mais dicas da Bolívia

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida é só deixar sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas da Bolívia.