O que fazer em La Paz: o essencial da capital política da Bolívia

Atualizado em 10 de outubro de 2022 – 7 min de leitura

Um rápido passeio pelas ruas da cidade e já conhecemos o básico de La Paz. As praças, como a Murillo, onde estão os prédios do Congresso e do Governo Nacional, e a do Obelisco, que lembra os heróis da Guerra do Pacífico. Além de igrejas como a de São Francisco, uma das principais da cidade, estarão no seu roteiro.

Além disso, La Paz, bem como toda a região que a cerca, é cheia de opções para você estar em contato com a natureza. Aqui, você pode descobrir mais as origens arqueológicas e, até mesmo, esquiar na maior pista de neve do mundo.

O que fazer em La Paz

Plaza Murillo

A Plaza Murillo fica no centro de La Paz. Ao seu redor, estão os edifícios mais importantes do país, como o Palácio Presidencial – sede do Poder Executivo –, o Palácio Legislativo e a Catedral de Nossa Senhora de La Paz.

No meio da praça, estão o monumento que homenageia Pedro Domingo Murillo, herói da independência boliviana, e o marco zero da cidade, que conta as distâncias partindo de La Paz. A Plaza Murillo também é um lugar ideal para descobrir a vida cotidiana da cidade. Dá para aprender muito mais sobre a história do país aqui.

Igreja de San Francisco

A construção da igreja e do convento de San Francisco foi concluída em 1753. Ambos têm características arquitetônicas do estilo barroco. No altar há um retábulo feito de madeira e decorado com folhas de ouro. Mas, o grande barato aqui é visitar a coleção de pinturas e objetos sacros.

Catedral de La Paz

Construído em 1831, esse templo fica também na Plaza Murillo. Sua arquitetura é neoclássica e, no altar, se destaca a imagem da Virgem. Ali, também está o mausoléu contendo os restos mortais do Marechal Andrés de Santa Cruz, ex-presidente do país e fiel defensor dos princípios constitucionais.

Mirantes

Como La Paz está cercada por montanhas, há diferentes pontos de onde você pode ter uma vista espetacular da cidade. Eu estive no mirador Killi Killi, que é um parque municipal. A entrada é gratuita e ele está localizado no coração da cidade. Daqui, dá para admirar a beleza das montanhas e a invasão urbana que elas têm sofrido ao longo dos anos.

Os outros mirantes da cidade são: Centro Ceremonial Andino, Jach’a Kollo (Cerro Grande), Parque Metropolitano Laikacota, Alto Pampahasi, Parque Mirador Montículo e Sallahumani.

Vale de la Luna

O Vale de la Luna fica a 15 quilômetros da cidade. Essas formações rochosas foram esculpidas durante milhões de anos pelo vento. São elas que dão aos visitantes a sensação de terem descoberto uma verdadeira – e quase real – paisagem lunar. Para chegar aqui, você pode tomar um ônibus local com destino a Mallasa. A entrada do parque custa BOB 15. Carretera Principal Rio Abajo, Mallasa.

Monte Ilimani

Essa montanha é considerada sagrada. Uma visita aqui vai lhe fazer entender porque os bolivianos a tratam como um verdadeiro deus. Cartão-postal e plano de fundo da cidade de La Paz, ele é o ponto mais alto da Cordilheira Real. Vai do sudeste do Lago Titicaca até o leste da capital boliviana, e atinge 6.462 metros de altitude.

Chacaltaya

O Chacaltaya é outra montanha que fica nos arredores de La Paz. Ela tem, exatamente, 5.421 metros de altura. A forma mais fácil de chegar aqui é contratando uma agência de turismo. Isso porque os veículos chegam a 200 metros do pico, e você só vai precisar caminhar um pouco até alcançar o ponto mais alto da montanha.

No Chacaltaya, está a maior pista de esqui no mundo, com 36 quilômetros de comprimento. A partir desta montanha, você pode ter uma vista incrível dos picos nevados da Cordilheira dos Andes.

O que fazer em La Paz

Museu de Arte Contemporânea

Esse museu é um belo exemplo do período entre o fim do século 19 e início do século 20. Ele ocupa um grande casarão no estilo eclético, com varandas de ferro forjado e fachada em estilo art nouveau. Aqui, são recebidas exposições itinerantes e há um belo acervo de obras de arte bolivianas e mundiais. Avenida 16 de Julio, El Prado.

Tiahuanaco

A exatamente 72 quilômetros da capital, estão as ruínas da cidadela de Tiahuanaco. Esse sítio arqueológico, que hoje está protegido, é a herança de uma das mais importantes sociedades pré-colombianas já identificadas na Bolívia.

Infelizmente, o estado de conservação da antiga cidade não é tão bom quanto deveria. Durante séculos, ela foi alvo de escavações amadoras que procuravam tesouros escondidos.

O que fazer em La Paz

Foto: Lemurian Grove

Cholitas luchadoras

Exótico, louco e divertido são apenas alguns adjetivos que posso usar para descrever uma das mais incomuns atrações de La Paz. Inspiradas nos shows de luta americanos e na famosa lucha libre do México, as cholitas luchadoras são o grande atrativo das apresentações da luta livre boliviana.

As cholitas são mulheres que usam aquele tradicional vestido, com saias de muitas camadas, e cultivam o cabelo compridos e trançado, sempre adornado com chapéus.

Nos últimos anos, o embate dessas mulheres se tornou muito popular entre os moradores de La Paz e, principalmente, entre turistas. Nas lutas, elas conquistam a atenção de multidões com seus trajes coloridos e com palhaçadas que beiram o ridículo. Não é segredo que os shows são encenados e têm como objetivo o entretenimento, já que nenhum prêmio está em jogo.

O que fazer em La Paz

Foto: Corey Spruit

O primeiro show começou como uma oportunidade para que as mulheres que sofriam de abuso doméstico pudessem expressar sua frustração. E, também, como uma forma de terapia.

Hoje, centenas de pessoas fazem fila para testemunhar a luta no Cholitas Wrestling aos domingos à noite. Dentro do estádio, o show geralmente começa com uma luta masculina. A empolgação aumenta depois que as cholitas entram no ringue.

Mercado das Bruxas

Este mercado único se estende por vários blocos das ruas Sagarnaga e Linares, no centro de La Paz. Ele tem esse nome porque, aqui, são vendidos amuletos, ervas e um monte de outros objetos necessários para os rituais ancestrais.

Nestas ruas, eu encontrei o que – para mim – é o símbolo máximo do misticismo boliviano. No meu imaginário isso era coisa dos antepassados. Aqui, eu descobri que a tradição de oferecer doces, bebidas e até fetos de lhama aos deuses ainda persiste.

Isso me fez entender um pouco melhor a cultura do país. Praticados livremente por pessoas que se consideram cristãs, esse rituais revelam o sincretismo religioso que também está presente no Brasil, especialmente quando falamos das religiões de matriz africana.

Atualmente, as barracas das bruxas vendem também artesanato e lembranças turísticas. Ruas Sagarnaga e Linares, Centro.

Estrada da Morte

Este é considerado por muita gente o passeio mais incrível da região de La Paz. A estrada pitoresca tem paisagens, curvas e abismos impressionantes. Mas, o grande barato aqui é fazer o trajeto de bicicleta, descendo de 4.200 a 1.200 metros. São um total de 75 quilômetros.

A estrada tem o título de mais perigosa do mundo. Já foi concorrida por carros, ônibus e motos que se espremiam na estreita rota. Atualmente, a Estrada da Morte não é mais utilizada por veículos. Isso porque outra rota foi construída como alternativa mais segura.

Entretanto, mesmo de bicicleta, a estrada é perigosa e já registrou acidentes graves. Basta que você siga as instruções e não abuse da velocidade para que seu passeio termine sem imprevistos. Ele é planejado para garantir sua segurança.

O que fazer em La Paz

A emblemática Estrada da Morte. Foto: Corey Spruit

Em La Paz, especialmente nas agências que funcionam nos arredores da Plaza Mayor, é fácil encontrar passeios pela Estrada da Morte. Mas, como sempre, os preços variam muito. Uma das empresas mais procuradas é a Gravity Bolivia. Nela, os equipamentos são novos, bem conservados e os guias bastante experientes.

Planeje sua viagem a La Paz

Quando ir

O clima de La Paz é o temperado de montanha, com verões úmidos e invernos secos. O período chuvoso vai de dezembro a março. A maior ocorrência de chuvas é em janeiro. Entre maio e agosto chove muito pouco, sendo que junho e julho são os meses mais secos. As temperaturas são amenas o ano todo, com uma média de 11 graus. O mês mais frio é julho, e o mais quente é novembro.

É possível visitar La Paz durante todo o ano. Mas, a melhor época para fazer uma viagem para cá é na estação seca, que vai de abril a outubro. Nessa época do ano, a cidade apresenta, muitas vezes, céu claro e dias ensolarados.

Como Chegar

O Aeroporto Internacional El Alto (LPB) fica em El Alto, a cerca de 10 quilômetros do Centro de La Paz. A 4.058 metros acima do nível do mar, ele é o aeroporto internacional em maior altitude do mundo. Devido ao ar rarefeito, para que os aviões decolem em segurança, é preciso uma pista mais longa.

Todas as passagens emitidas partindo desse aeroporto incluem uma taxa de embarque. O valor é aproximado de USD 25, para voos internacionais, e BOB 15, para os voos domésticos.

A maioria das companhias aéreas da América do Sul – Latam, Avianca e Sky Airline, por exemplo – operam nesse aeroporto, além das companhias aéreas locais Boliviana de Aviación (BoA), Transporte Aéreo Militar (TAM), Lloyd Aéreo Boliviano (LAB), Aerocon, Amaszonas e Northeast Bolivian Airways.

O principal terminal de ônibus de La Paz fica na Plaza Antofagasta, uma região bem movimentada e com várias opções de hospedagem. Desenhada pelo mesmo arquiteto que planejou a Torre Eiffel, em Paris, a estação é um bonito e chamativo prédio amarelo, de onde partem os veículos que ligam La Paz a cidades como Cochabamba, Santa Cruz de la Sierra, Oruro, Potosí, Sucre, Tarija e Uyuni, por exemplo.

As principais empresas de ônibus são Transcopacabana, Todo Turismo, Panasur,  Tour Peru, Mopar e Trans Omar. É possível que você tenha dificuldades ao tentar comprar passagens de ônibus com antecedência, já que nem todas as empresas estão na internet, e as que estão nem sempre aceitam cartão de crédito.

Quem leva

Se você quiser sair do Brasil com tudo garantido e agendado, uma boa opção é comprar logo o seus passeios. Veja todos os preços e faça suas reservas.

Onde ficar

O Centro Histórico, especialmente na região da Plaza Mayor, é uma área bastante turística e pode ser uma boa escolha, principalmente porque, daqui, é fácil chegar a todos os cantos da cidade usando o transporte público.

Nas ruas Linares e Sagarnaga, funcionam muitas agências de turismo que vendem pacotes para os principais destinos do país, mas tudo ainda de uma forma muito improvisada, até amadora, às vezes. Nessa mesma região, há opções de bares, restaurantes, casas de câmbio, lojas de artesanato, e muita oferta de hostels e hotéis.

Como o turismo ainda não é encarado como uma atividade importante para o país, muitos meios de hospedagem são deficientes nos quesitos atendimento e, principalmente, limpeza. Mas, claro, há ofertas para todos os gostos e bolsos na cidade.

As grandes redes de hotéis também estão aqui e são uma boa opção para quem quer evitar surpresas desagradáveis. Veja as melhores opções de hospedagem em La Paz.

Informações Básicas

Visto

Brasileiros não precisam de visto para entrar e permanecer no país por até 90 dias. Esse prazo pode ser estendido por mais 90 dias.

Documentos

Você pode usar o passaporte, com validade de seis meses, ou a carteira de identidade, emitida há menos de dez anos.

Dinheiro

A moeda oficial é o boliviano, representado pela sigla BOB. Veja como usar seu dinheiro na Bolívia.

Vacinas

A vacinação contra febre amarela é obrigatória. Veja como emitir o Certificado Internacional de Vacinação.

Informações sobre covid-19

As regras para viajantes vacinados e não vacinados são um pouco diferentes. Por isso, é preciso ter atenção na documentação exigida pela imigração boliviana.

Além de todos os documentos básicos de uma viagem internacional, como passaporte ou carteira de identidade, passagem de ida e volta e comprovante de hospedagem, por exemplo, é preciso ter em mãos os seguintes comprovantes:

  1. Certificado de vacinação contra covid-19 com, pelo menos, duas doses, sendo que a última deve ter sido aplicada, no mínimo, 14 dias antes da viagem – exigido apenas de viajantes vacinados;
  2.  Resultado negativo de teste RT-PCR, feito até 72 horas antes da viagem, ou antígeno (teste rápido), feito até 48 horas antes da partida para a Bolívia – exigido apenas de viajantes não vacinados maiores de cinco anos;
  3. Formulário de Localização de Passageiros, disponível no site da Direção-geral de Aviação Civil – apenas um por família.

De forma geral, viajantes brasileiros não precisam fazer quarentena na chegada ao país, mas é importante estar preparado para que restrições que afetem viagens internacionais entrem em vigor com pouco ou nenhum aviso prévio por parte das autoridades bolivianas.

Você os detalhes das regras Resolución Multi-Ministerial 001, de 27 de abril de 2022.

Apesar de não haver restrições nacionais para covid-19, os departamentos e municípios têm a autonomia para impor restrições em nível local.

Acesse o site oficial para acompanhar os números de casos de covid-19 na Bolívia.

RETORNO AO BRASIL

Viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

Seguro viagem

Apesar de não ser obrigatório,  viajar sem um seguro viagem com cobertura para covid-19 não é uma boa ideia. 

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você também terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

Se você for fazer qualquer atividade de risco – como trekking em vulcões, cruzar o Salar de Uyuni de carro ou conhecer a Amazônia boliviana, por exemplo – o seguro passa a ser essencial para sua viagem. Pode confiar em mim!

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

MAL DE ALTITUDE

Se você vai viajar para a Bolívia, já sabe que é importante se prevenir do mal de altitude. Também conhecido como soroche, ele é muito comum em viajantes que se aventuram por regiões próximas a 3.000 metros de altitude.

Os sintomas mais comuns são dor de cabeça, enjoo, vômito, tontura, cansaço excessivo e mal-estar. Esses são os principais reflexos da dificuldade do nosso organismo em absorver o oxigênio, e, embora seja raro, em condições extremas, o mal de altitude pode levar à morte.

Isso acontece porque, à medida que a altitude aumenta e a pressão atmosférica cai, o ar fica mais rarefeito. Assim, a concentração de oxigênio diminui e o nosso corpo sente isso. Para prevenir ou diminuir seus efeitos, é bom evitar fazer movimentos rápidos e esforço físico nos primeiros dias.

Mascar folhas de coca é uma forma bastante eficaz de prevenir o mal de altitude. A forma correta de usar a folha é deixar a erva no canto da boca e sugar o sumo que ela libera quando em contato com a saliva. O uso do chá pode ser mais saboroso e nas farmácias é fácil encontrar pílula para soroche.

Veja mais dicas da Bolívia

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida é só deixar sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas da Bolívia.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

12 Comentários

  1. Marcela

    Altier, parabéns pelo post!
    Ficou muito completo e informativo. Vai ajudar bastante a montar a minha viagem e já planejar tudo o que quero conhecer!

    Responder
  2. eiichi morimoto

    Há necessidade de carteira de vacinação contra febre amarela para viajar para Bolívia?

    Responder
    • Altier Moulin

      A vacinação é indicada apenas se você estiver indo para região da Amazônia boliviana.

      Responder
  3. JORDES SOUZA

    Boa Tarde! Altier, estou querendo ir em fevereiro à La Paz, li em outros sites mas há preços desatualizados. Vi que esteve recente por la, gostaria de informações sobre os valores dos passeios e da hospedagens, dos quais você detêm conhecimento.

    Responder
  4. Norma Teixeira

    Ótimas informações. Muito bom dividir suas experiencias de viagens com o público. Sentimento nobre é dividir. Estou querendo viajar entre 28.12.16 a 15.01.17 mas estou sem rumo. Pensei em La Paz mas tenho 73 anos e viajo sozinho e estou receosa pela altitude mas não tenho nenhuma limitação Sou viajante não sou turista. Gosto de ficar em hostel. Além de ser mais econômico vc tem oportunidade de conhecer e interagir com outros hospedes. Vc tem alguma sugestão? Agradeço antecipadamente a atenção

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi Norma,

      Você pode escolher La Paz, mas destine pelo menos os dois primeiros dias para se acostumar com o tempo, sem fazer muitas atividades. Depois, você pode ir a Uyuni, Copacabana, Sucre, Potosi…
      Eu explico tudo nesse guia: https://www.penaestrada.blog.br/guia-de-viagem-para-bolivia/

      Um abraço.

      Responder
  5. Sidney Theodoro

    Altier;Parabens pelo seu relato de viagem!
    La Paz e Asunción são cidades com menos relatos comparados à outros destinos na América do Sul.
    Muito úteis as suas dicas pois encorajam outros viajantes a colocarem os pés na estrada em direção a Bolívia.Serei um deles pois elaboro viagem a este país que desde criança me encanta.
    Ja fiz Montevideo e Buenos Aires e nada melhor do que conversar com moradores,observar seus hábitos e também vivenciar uns perrengues rs nos trazendo riqueza de vida.
    Cholitas luchadoras já havia visto matéria na televisão e achei o evento muito divertido.Sua descrição foi melhor.
    Saúde e sucesso nos próximos destinos!
    Abraço.
    Sidney.

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi Sidney,

      Obrigado por ler e comentar. Isso me incentiva a prosseguir.

      Um abraço.

      Responder
  6. Murilo Pagani

    Que saudaaaade dessa cidade!!!

    Foi o meu primeiro destino do meu primeiro mochilão!!
    Quero voltar assim que possível com um planejamento um pouco melhor…
    Já viu né, organização da primeiríssima trip não foi lá aquelas coisas… hahahaha

    Faltou conhecer muitos lugares, como por exemplo, o Vale de la Luna!

    Com certeza todas essas dicas serão mega úteis para quando eu voltar!

    Abraço,
    Murilo

    Responder
    • Altier Moulin

      Eu também me amarro na Bolívia, Murilo. Já fui duas vezes e voltaria outras tantas.

      Um abraço.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14