Viagem de carro para o Peru: dicas de roteiro e do que ver pelo caminho

92

Atualizado em 21 de junho de 2022

Viagem de carro para o Peru

O jornalista e fotógrafo, Diego Gurgel, embarcou com sua esposa e dois amigos em uma fantástica viagem de carro para o Peru. Eles partiram de Rio Branco, a capital do Acre, em direção ao país.

Durante o percurso, encontraram vulcões entrando em atividade, campos habitados por alpacas, lhamas e vicunhas, praias de água geladas, uma culinária rica e um povo hospitaleiro. Nesse post, Diego conta como é a viagem de carro para o Peru.

Foram doze dias dirigindo pelas belas estradas peruanas e chegando às cidades de Puno, Cusco, Arequipa. Isso sem contar nos tantos outros vilarejos que deixaram pelo caminho.

Viagem de carro para o Peru

Vamos, nos próximos parágrafos, embarcar com Diego nessa viagem fotográfica. São indescritíveis paisagens do nosso país-irmão.

Viagem de carro para o Peru

O que seria apenas uma viagem de carro para o Peru se tornou, na verdade, uma grande expedição. Nela, minha esposa, Juliene Ferreira, os amigos, o gerente de tecnologia, Celso Rocha, e o administrador, Dalvânio Garcia, e eu saímos em busca de merecidas férias no país vizinho.

Deixamos Rio Branco na manhã do dia 5 de setembro, às 5h. Dirigimos até Puerto Maldonado, no Peru, depois de ter feito todos os trâmites com os dois veículos e com a imigração peruana na cidade de Iñapari.

Viagem de carro para o Peru

É essa cidade que faz divisa com o município acreano de Assis Brasil. A cidade é o lugar ideal para fazer a troca do Real para o Nuevo Sol, a moeda peruana.

Chegamos a Puerto Maldonado durante a tarde e nos hospedamos no Cabaña Quinta. O hotel é muito bom em todos os aspectos e está em constante ampliação.

→ Onde ficar em Puerto Maldonado

No dia seguinte, partimos muito cedo rumo à cidade de Puno. O caminho foi às margens do Lago Titicaca, o maior e mais alto lago navegável do planeta. É ele que guarda os segredos das Ilhas de Uros, comunidades que vivem em habitações flutuantes.

Entre Puerto Maldonado e Puno, vimos nitidamente a transição da Floresta Amazônica para a vegetação de alta montanha dos chamados altiplanos peruanos.

Do Lago Titicaca às praias do Pacífico

Já era noite quando chegamos a Puno, depois de passar por Juliaca. Aqui, nos instalamos no Qelqatani Hotel – que também possui ótima estrutura – e logo fomos jantar no Jiron Lima. Esse não é um restaurante, e sim um calçadão onde se encontram os melhores restaurantes da cidade e também vários barzinhos.

→ Onde ficar em Puno

No dia seguinte, depois de visitar as ilhas flutuantes, nos preparamos para partir em direção à cidade litorânea de Mollendo. A viagem duraria sete horas se voltássemos por Juliaca, mas mudamos o trajeto para a Carretera Trancostaneira. Assim, passamos por Moquegua aonde vimos o vulcão Ubinas ainda fumegando, pois entrara em atividade naquela semana.

Viagem de carro para o Peru

Chegamos à cidade portuária e Ilo e de lá seguimos para Mollendo. No caminho, passamos pelas lindas praias de Mejía e Punta de Bonbom.

Finalmente, desfrutamos de uma tarde ensolarada e o dia seguinte em Mollendo, onde fomos à praia vizinha, a aconchegante Catarindo. Mesmo com a água gelada, não nos acanhamos e aproveitamos a manhã inteira. Almoçamos e, em seguida, partimos para Arequipa.

Viagem de carro para o Peru

Chegamos já no fim da tarde na Cidade Branca, como é conhecida a cidade que é Patrimônio Mundial da Humanidade. Aqui, aproveitamos dois dias, depois de deixar os carros nas playas, que são estacionamentos pagos.

→ Onde ficar em Arequipa

A hospedagem foi no Hostal Solar, um casarão histórico como tantos outros em Arequipa. Tinha ótimos quartos e com o refeitório voltado para os vulcões Misty, Chachani e Picchu Pichu.

O Vale do Rio Colca e o voo condores

Depois de conhecer Arequipa, seus charmosos restaurantes e fazer o city tour, seguimos para o Vale do Colca, na cidade de Chivay.

Aproveitamos tudo o que o cânion mais profundo da Terra tem pra oferecer: tirolesa, piscinas termais e, a bordo dos nossos próprios carros, visitamos o Mirador Cruz Del Condor, que além de ter uma paisagem literalmente asfixiante, é a casa dos condores que alçam voo apenas pela manhã num intervalo de tempo muito exclusivo.

Nós tivemos a sorte de vê-los bem de perto.

Depois do Colca, seguimos para Cusco, nosso último destino no Peru. A cidade é bastante conhecida por ser a base para quem pretende visitar Machu Picchu, mas ela também possui muitos outros passeios interessantes pra quem quer um roteiro alternativo à Cidade Sagrada dos incas.

→ Onde ficar em Cusco

Em Cusco, passamos três dias antes de regressar para o Brasil. Nesse tempo, conhecemos os bares e boates do Umbigo do Mundo e encerramos com um almoço no restaurante Tunupa Valle na cidade de Urubamba, que é banhada pelo rio de mesmo nome.

Viagem de carro para o Peru

Nessa versão camping do restaurante localizado na Plaza de Armas, em Cusco, por S/. 50 você aproveita um almoço com comida criolla, incluindo entrada, pratos principais e sobremesas.

Tudo isso com o visual tremendo do Rio Urubamba, de lhamas, alpacas e vicunhas passeando por um jardim que é a descrição perfeita do que seria o paraíso.

Tantas cores, picos nevados, comida típica, personagens folclóricos e uma estrada com cenário perfeito só nos deixaram com um nó na garganta ao ter que partir do Peru – nossa viagem de carro para o Peru estava mesmo acabando.

Viagem de carro para o Peru

Na volta pra casa, começamos a identificar as árvores conhecidas na Amazônia, os rios que deixavam de ser rochosos e de água limpa para se transformarem em águas escuras e barrentas, comuns em nossa região.

Foram doze dias de viagem que mais pareceram um mês de experiências em uma nova cultura.

O custo da viagem

Na ponta do lápis, incluindo combustível, pedágios – que variavam de S/. 2,90 a S/. 8 –, hospedagem, comida, passeios e pequenos presentes, minha esposa eu gastamos cerca de S/. 4.500, um valor absurdamente baixo considerando todas as experiências e regalias que tivemos nessa viagem.

Visitamos picos nevados, lagos de degelo, zonas áridas, pampas, montanhas e praias ensolaradas.

Vale mencionar que a Polícia Rodoviária Federal do Peru é extremamente educada e receptiva.

As polícias das principais cidades como Cusco e Arequipa, por exemplo, têm uma divisão especializada para lidar com os turistas e sempre lhe oferecem informações precisas e mapas para que você encontre qualquer local de visitação turística.

Quanto aos meus amigos que nunca tinha viajado ao Peru, eles próprios me disseram estar “mordidos pelo bichinho da expedição” e já se preparam para nossa próxima viagem, ano que vem, quando iremos para as praias quentes do litoral norte peruano: Trujillo, Piura e Mâncora.

INFORMAÇÕES BÁSICAS
Visto | Brasileiros não precisam de visto para entrar no país e o prazo máximo de permanência é de 90 dias, podendo ser prorrogado por mais 90 dias.
Documentos | Você deve apresentar o passaporte, com seis meses de validade, ou a carteira de identidade, emitida há menos de dez anos.
Dinheiro| A moeda peruana é o nuevo sol, identificado pela sigla PEN e pelo símbolo S/. Para sua viagem, leve dólares e troque nas casas de câmbio.
Vacinas | A vacina contra covid-19 não é obrigatória, mas é necessário apresentar um teste RT-PCR. A vacina contra febre amarela é recomendada para quem for viajar para a região amazônica.

INFORMAÇÕES SOBRE COVID-19

Desde que reabriu suas fronteiras, o Peru adotou várias regras de prevenção e controle dos casos de covid-19. Isso significa que é preciso cumprir alguns requisitos sanitários e legais para entrar no país.

De forma geral, os documentos exigidos para a entrada de brasileiros – além dos já citados acima – são os seguintes:

  1. Comprovante de vacinação contra covid-19 com esquema vacinal completo – a terceira dose é exigida para maiores de 40 anos –, esta regra vale para viajantes maiores de 12 anos;
  2. Resultado negativo de teste RT-PCR feito há, no máximo, 48 horas antes do embarque, exigido apenas de viajantes não vacinados;
  3. Formulário Declaração de Autorização de Saúde e Geolocalização preenchido e enviado eletronicamente até 72 horas antes da partida, exigido de todos os viajante.
  4. Comprovante de hospedagem, que pode ser solicitado para que as autoridades peruanas monitorem seu estado de saúde.

É importante saber que, para viajantes vacinados, a dose final deve ter sido administrada pelo menos 14 dias antes da viagem.

Todos os viajantes – vacinados ou não – podem ser submetidos a verificação de temperatura e a testes aleatórios para detecção de covid-19 na chegada ao Peru. Se o resultado der positivo, será necessário seguir as instruções das autoridades de saúde e pode ser necessário cumprir quarentena de até 14 dias.

No caso de crianças menores de 12 anos, basta que estejam assintomáticas para embarcar, não sendo exigido comprovante de vacinação ou teste RT-PCR.

É obrigatório o uso de máscara dupla – uma máscara cirúrgica e uma máscara de pano ou apenas uma do modelo KN95 – durante os voos e nos aeroportos peruanos.

Em todo o Peru, o estado de emergência continua em vigor. Por isso, o comprovante de vacinação contra covid-19 pode ser exigido para entrar em museus, sítios arqueológicos, shoppings, supermercados, restaurantes e em outros ambientes fechados.

Você pode acompanhar os números oficiais da covid-19 no site do Governo do Peru.

SEGURO VIAGEM

Apesar de não ser obrigatório,  viajar sem o seguro viagem durante a pandemia não é uma boa ideia.  Ainda que você esteja com o esquema vacinal completo, é bom saber que terá atendimento médico e hospitalar na hora que precisar.

Além disso, o preço do seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele também garante que você estará amparado em situações como cancelamento da viagem, extravio de bagagem e muitas outras.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

Veja mais dicas do Peru

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver mais dicas do Peru.