Ilhas flutuantes do Titicaca: conheça os uros e as comunidades onde vivem

Atualizado em 5 de outubro de 2022 – 5 min de leitura

Ilhas flutuantes do Titicaca

Os uros habitaram o altiplano de Puno até a chegada dos incas. Perseguidos, fugiram para o Lago Titicaca, onde construíram o seu lugar de habitação: as ilhas flutuantes do Titicaca, feitas de totora, planta abundante nos arredores do imenso lago.

Ela é a matéria-prima para tudo o que os uros necessitam: as ilhas, as casas, as embarcações, a alimentação e até o artesanato das ilhas flutuantes do Titicaca são baseados na planta.

Do pequeno píer de Puno partem embarcações que nos levam para conhecer as comunidades do Titicaca. Cada uma é formada por cerca de 60 ilhas, que são governadas por um presidente voluntário com mandato anual.

Ilhas flutuantes do Titicaca

Em Capi Nativo, a ilha que visitei, assisti a uma breve explicação sobre os hábitos desse povo e, assim, entendi melhor sua forma de organização social e um pouco de sua História.

Sentado sobre bancos de totora, experimentei um pouco da vida dos uros com direito a provar da planta que dá vida ao povoado: o gosto da totora é semelhante ao do pepino.

Mas, antes de continuar com essa história, eu acho muito importante que você entenda um pouco mais sobre o Lago Titicaca.

Sobre o Lago Titicaca

Estrategicamente localizado na fronteira entre o Peru e a Bolívia, o Lago Titicaca tem mais de 8.000 quilômetros quadrados.

Ele está a 3.821 metros acima do nível do mar, o que faz dele o lago navegável mais alto do mundo.  Além disso, O Titicaca é o segundo maior da América Latina, perdendo apenas para o Lago de Maracaibo, na Venezuela.

Para muitas culturas latino-americanas, o Lago Titicaca é sagrado.

Também por isso, ele é cercado de histórias e mistérios: conta a lenda que foi das águas do lago que emergiu Manco Capac, o primeiro inca e quem deu início à construção de todo o poderoso Império Inca.

Ilhas flutuantes do Titicaca

Dizem que o nome do lago pode ser traduzido como Pedra do Puma, animal também sagrado para os povos desta região dos Andes. Além disso, há quem diga que o Titicaca tem a forma de um puma correndo.

Quem vive perto do Lago depende quase totalmente dos recursos naturais e nutricionais que ele oferece. São mais de 2.000 espécies de peixes e aves que habitam as águas desse lago que mais parece um imenso mar.

Se, por esse lado ele é uma fonte de sobrevivência, para turistas do mundo inteiro o Lago Titicaca é um atrativo imperdível quando se trata de Peru e Bolívia.

Embora a cidade de Copacabana, na Bolívia, também seja um importante centro turístico, a melhor visão do Lago Titicaca é de Puno.

Como vivem os uros

A vida dos uros é absurdamente diferente.

Eles vivem em casas minúsculas – de no máximo três metros quadrados –, sem qualquer mobília ou tecnologia, e as mulheres, aparentemente, trabalham muito mais que os homens.

Nas poucas horas que estive na ilha, elas cozinharam, cuidaram das crianças, transportaram alimentos, venderam artesanato e foram elas, também, quem movimentaram a embarcação rústica que me levou para um passeio por cerca de meia hora pelo Titicaca.

Mais tarde, descobri que aos homens cabe a tarefa de trazer o alimento, pela pesca ou pela caça.

Ilhas flutuantes do Titicaca

Cada ilha é o lar de uma unidade familiar.

As crianças sempre estudam os primeiros anos em uma escola que funciona em uma ilha vizinha. Mais crescidas, são enviadas para concluir os estudos no continente.

Esse é um dos motivos que fazem com que a maioria dos descendentes uros decida não voltar para as ilhas flutuantes do Titicaca.

Ilhas flutuantes do Titicaca

E o que dizer das crianças das Ilhas de uros? Elas, sim, comoveram o meu coração. Com o olhar distante, o sorriso simples, as bochechas rosadas pelo frio e com as roupas caindo – provavelmente aproveitadas de um irmão ou parente mais velho –, elas me tiraram o foco.

Naturalmente descontraídos, os pequenos se jogavam sobre a gente, cantavam em sua língua nativa e distribuíam beijos a quem os desejasse.

Um sinal de que os uros recebem muito bem aqueles que se interessam pelo peculiar mundo em que vivem.

Ilhas flutuantes do Titicaca

Como visitar as ilhas flutuantes do Titicaca

As ilhas flutuantes do Titicaca ficam bem perto da margem, a cerca de 30 minutos de barco partindo de Puno.

Muitas empresas de turismo oferecem passeios para as ilhas e, quase sempre, não é necessário fazer reserva com antecedência. Isso porque a oferta de barcos é sempre grande.

A viagem até as ilhas flutuantes do Titicaca custa cerca de S/. 60, por pessoa. O passeio na embarcação tradicional dos uros custa cerca de S/. 20, por pessoa.

QUANDO IR

Como Puno está em uma altitude superior a 3.800 metros, o clima quase sempre é frio, especialmente à noite.

Durante o dia, o sol é quente e, mesmo que você pense que não precisa, é bom usar chapéu, óculos de sol e protetor.

Durante a alta temporada, nos meses de julho e agosto, quase todos os dias um turista é hospitalizado com queimaduras.

Ilhas flutuantes do Titicaca

A temperatura média é de oito graus, com máxima de 15, no verão, e mínima de um grau no inverno.

Independentemente da época do ano, o clima em Puno sempre será frio e seco. Mesmo assim, fevereiro é o mês ideal para visitar a cidade.

No dia dois, a Festa da Virgen de la Candelaria enche todos os cantos da cidade de fé e de manifestações religiosas. Durante as celebrações podem ser observadas uma grande variedade de danças e outras manifestações culturais de Puno e das cidades ao redor.

COMO CHEGAR

Ônibus diários partem de Cusco e de Arequipa com destino a Puno. A viagem de Cusco a Puno leva entre cinco e oito horas, dependendo da empresa de ônibus. Algumas param no caminho pegando passageiros e isso atrasa muito a viagem.

Há também os ônibus turísticos, como os da Inka Express. Com eles a viagem começa às 7h30 e tem várias paradas em pontos turísticos. Devido a isso, o percurso até Cusco é concluído em oito horas.

→ Principais empresas de ônibus no Peru

Se você estiver na Bolívia, há ônibus de Copacabana duas vezes ao dia. De La Paz, a viagem pode ser feita em duas rotas ligeiramente diferentes. A primeira é mais direta, passa por Desaguadero e dura cerca de cinco horas, enquanto a segunda é via ferry boat, através do Lago Titicaca e de Copacabana.

O aeroporto mais próximo está a pouco mais de uma hora de Puno, na cidade de Juliaca, e recebe voos de Lima, Cusco e Arequipa. Definitivamente, essa é a forma mais prática para chegar a Puno. Uma viagem de Lima a Juliaca dura aproximadamente 1h45.

→ Principais companhias aéreas do Peru

De Cusco, há partidas de trem para Puno com a Peru Rail. A viagem de trem corta as montanhas andinas e o vale do rio Huatanay, proporcionando um cenário maravilhoso.

O trem para em La Raya, o ponto mais alto da viagem. Em seguida, ele fica por cerca de dez minutos para permitir que os passageiros saiam para comprar artesanato, água e comida.

Onde ficar em Puno

A área mais interessante é os arredores da Plaza de Armas. É nesta região que estão os hotéis mais legais, os  hostels mais bacanas e todos os serviços, como bares e restaurantes.

Se quiser ficar coladinho com o Lago Titicaca, há excelente opções de hotéis nesta parte da cidade.

Casona Plaza Hotel Puno

O grande ponto positivo do Casona Plaza Hotel Puno é a localização, perto de ótimos bares e restaurantes e de várias lojas. O café da manhã é muito bom, com muitas comidinhas deliciosas.

Onde ficar em Puno

Os quartos são sempre limpos com critérios rígidos, as camas são ótimas e o espaço dos quartos também. No fim das contas, a gente percebe que o custo-benefício fica bastante interessante.

Onde ficar em Puno

Hotel Hacienda Plaza de Armas

O Hotel Hacienda Plaza de Armas também tem uma localização ótima, nos arredores da Plaza de Armas. Os quartos são acolhedores e muito confortáveis. O banheiro é bastante espaçoso e perfeito para aquele banho relaxante de hidromassagem depois de um dia cansativo.

Onde ficar em Puno

afé da manhã é excelente, com horário bom para quem fará passeios, e tem várias opções de frutas, mudando todos os dias. Pães frescos, ovos, panquecas e tufo mais. É um dos melhores hotéis para ficar em Puno.

Onde ficar em Puno

Colonial Plaza Hotel

O Colonial Plaza Hotel tem um bom custo-benefício. O café da manhã é o melhor da cidade, os quartos têm camas confortáveis, chuveiro bom e aquecedor para os dias mais frios. A localização é perfeita, de frente para a Catedral.

Onde ficar em Puno

O atendimento do pessoal da recepção é sempre muito elogiado e elas ajudam em tudo: dão dicas do que fazer na cidade, guardam nossa bagagem antes ou depois do check-in e estão sempre com um sorriso no rosto. Isso faz muito diferença.

Hotel Terra Mistica Ciudad del Lago

O Hotel Terra Mistica Ciudad del Lago tem sido o queridinho graças a três fatores: café da manhã ótimo, localização muito boa, perto de tudo, e ótimo custo beneficio. Então, você já pode imaginar que é um dos melhores hotéis para ficar em Puno.

Onde ficar em Puno

Ele está novinho, lindíssimo e com instalações muito amplas. Os quartos são excelente, bem arejados e com tudo funcionando perfeitamente. Vale a pena dar uma olhada com calma neste hotel.

Tierra Viva Puno Plaza

O Tierra Viva Puno Plaza tem quartos muito bem equipados e aconchegantes. Camas muito confortáveis, roupas de cama sempre limpas e cheirosas e o sistema de aquecimento funciona de verdade. O café da manhã é som, sempre com muitas variedades e produtos de qualidade.

Onde ficar em Puno

O serviço da recepção impressiona e eles ajudam a organizar tudo o que precisamos para conhecer o melhor de Puno. É uma excelente opção para ficar em Puno.

Onde ficar em Puno

Conde de Lemos Hotel

O Conde de Lemos Hotel é muito bem localizado, no Centro, e dá para fazer tudo a pé. Além do ambiente para tomar café, que é excelente, muito bonito mesmo, há muitos restaurantes ao lado do hotel.

Onde ficar em Puno

Os quartos são amplo, confortáveis e têm varanda enormes com vista linda para a cidade. O equipe da recepção é muito atenciosa e isso deixa tudo muito mais garadável. Vale a pena dar uma olhada com calma neste hotel.

Onde ficar em Puno

Hotel Hacienda Puno

O Hotel Hacienda Puno é uma ótima opção para ficar na cidade. Todos os quartos têm televisão, internet sem fio, mesa de trabalho e banheiro com produtos de banho. O café da manhã lhe dará energias para aproveitar o melhor da cidade. No balcão de turismo você pode organizar passeios para as ilhas flutuantes e se informar sobre outros passeios.

Quando a fome bater, conheça o restaurante na cobertura do hotel, onde você encontra opções à la carte de pratos regionais e internacionais, além de uma vista panorâmica para o famoso lago. O bar local é um ótimo lugar para se divertir e conhecer novas pessoas.

Sonesta Posadas del Inca Puno

O Sonesta Posadas del Inca Puno é para quem quer ficar mais próximo do Lago Titicaca e ele é espetacular, com vários pontos positivos: quartos muito limpos e confortáveis, vista maravilhosa do lago, banheira perfeita depois de um dia de trilha na altitude e café da manhã muito variado e delicioso.

Onde ficar em Puno

Par completar, a lista o atendimento dos funcionários é sempre muito elogiado. É um hotel indicado para quem quer viver a experiência do Lago Titicaca, ficando mais perto das Ilhas de Uros.

Onde ficar em Puno

Ghl Hotel Lago Titicaca Puno

O GHL Hotel Lago Titicaca Puno fica em uma olhota dentro do Lago Titicaca, a poucos metros da margem. É por isso que ele tem uma vista maravilhosa do Lago Titicaca, especialmente ao nascer do sol, e, também, uma vista da cidade que é lindíssima.

Onde ficar em Puno

Além da localização, ele coleciona outros pontos positivos: funcionários atenciosos e educados, conforto dos quartos, excelentes duchas quente, camas super confortáveis, café da manhã formidável, restaurante com excelente cardápio e pratos muito saborosos e, ainda, jacuzzi e sauna que ajudam a relaxar depois de tanto caminhar pela cidade. Tá bom para você?

Onde ficar em Puno

Marlon’s House

O Marlon’s House é um hotelzinho bom, bonitinho e barato, desses que sempre nos salvam na hora de economizar. Mas, o melhor mesmo é a localizaçãodo hotel: a apenas cem metros da Avenida Flora, uma das principais da cidade.

Onde ficar em Puno

Em todos os ambientes do hotel você percebe traços da cultura peruana, que eles fazem questão de destacar. Os quartos têm televisão e internet sem fio, além do banheiro privativo. Você pode se divertir no salão de jogos, relaxar no terraço e também trazer seu animalzinho de estimação.

Inka’s Rest B&B

O Inka’s Rest B&B fica a dez minutos a pé do famoso Lago Titicaca, enquanto a Plaza das Armas está a 400 metros, sendo esta uma boa opção para ficar em Puno. Você encontra ambientes descolados e com decoração colorida, fazendo você se sentir em casa e mantando o astral lá no alto.

Onde ficar em Puno

O café da manhã lhe fornece energias para explorar a região e, para as outras refeições, fique a vontade na cozinha compartilhada. No balcão de turismo você se inscreve para passeios na área e recebe dicas do que fazer pela cidade.

Onde ficar em Puno

Faixas de preço em Puno

Agora que você já viu as minhas opções preferidas – não só as minhas, mas as de muita gente também – é hora de dar uma olhada nos preços antes de decidir onde ficar em Puno.



Booking.com

No mapa acima estão todas as opções de hospedagem da cidade, especialmente as do Centro.  Para saber mais, você só precisa clicar nos pins azuis e pronto. 

 

Informações Básicas

Visto

Brasileiros não precisam de visto para entrar no país e o prazo máximo de permanência é de 90 dias, podendo ser prorrogado por mais 90 dias.

Documentos

Você deve apresentar o passaporte, com seis meses de validade, ou a carteira de identidade, emitida há menos de dez anos e em bom estado de conservação.

Dinheiro

A moeda peruana é o nuevo sol, identificado pela sigla PEN e pelo símbolo S/. Para sua viagem, leve dólares e troque nas casas de câmbio.

Vacinas

A vacina contra febre amarela é recomendada para quem for viajar para a região amazônica. Veja como solicitar o certificado pela internet.

Informações sobre covid-19

Desde que reabriu suas fronteiras, o Peru adotou várias regras de prevenção e controle dos casos de covid-19. Isso significa que é preciso cumprir alguns requisitos sanitários e legais para entrar no país.

De forma geral, os documentos exigidos para a entrada de brasileiros – além dos já citados acima – são os seguintes:

  1. Comprovante de vacinação contra covid-19 com esquema vacinal completo – a terceira dose é exigida para maiores de 40 anos –, esta regra vale para viajantes maiores de 12 anos;
  2. Resultado negativo de teste RT-PCR feito há, no máximo, 48 horas antes do embarque, exigido apenas de viajantes não vacinados;
  3. Formulário Declaração de Autorização de Saúde e Geolocalização preenchido e enviado eletronicamente até 72 horas antes da partida, exigido de todos os viajante.
  4. Comprovante de hospedagem, que pode ser solicitado para que as autoridades peruanas monitorem seu estado de saúde.

É importante saber que, para viajantes vacinados, a dose final deve ter sido administrada pelo menos 14 dias antes da viagem.

Todos os viajantes – vacinados ou não – podem ser submetidos a verificação de temperatura e a testes aleatórios para detecção de covid-19 na chegada ao Peru. Se o resultado der positivo, será necessário seguir as instruções das autoridades de saúde e pode ser necessário cumprir quarentena de até 14 dias.

No caso de crianças menores de 12 anos, basta que estejam assintomáticas para embarcar, não sendo exigido comprovante de vacinação ou teste RT-PCR.

É obrigatório o uso de máscara dupla – uma máscara cirúrgica e uma máscara de pano ou apenas uma do modelo KN95 – durante os voos e nos aeroportos peruanos.

Em todo o Peru, o estado de emergência continua em vigor. Por isso, o comprovante de vacinação contra covid-19 pode ser exigido para entrar em museus, sítios arqueológicos, shoppings, supermercados, restaurantes e em outros ambientes fechados.

Você pode acompanhar os números oficiais da covid-19 no site do Governo do Peru.

Retorno ao Brasil

Viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

Seguro viagem

Apesar de não ser obrigatório,  viajar sem o seguro viagem durante a pandemia não é uma boa ideia.  Ainda que você esteja com o esquema vacinal completo, é bom saber que terá atendimento médico e hospitalar na hora que precisar.

Além disso, o preço do seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele também garante que você estará amparado em situações como cancelamento da viagem, extravio de bagagem e muitas outras.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

MAL DE ALTITUDE

Se você vai viajar para o Peru, já sabe que é importante se prevenir do mal de altitude. Também conhecido como soroche, ele é muito comum em viajantes que se aventuram por regiões próximas a 3.000 metros de altitude.

Os sintomas mais comuns são dor de cabeça, enjoo, vômito, tontura, cansaço excessivo e mal-estar. Esses são os principais reflexos da dificuldade do nosso organismo em absorver o oxigênio, e, embora seja raro, em condições extremas, o mal de altitude pode levar à morte.

Isso acontece porque, à medida que a altitude aumenta e a pressão atmosférica cai, o ar fica mais rarefeito. Assim, a concentração de oxigênio diminui e o nosso corpo sente isso. Para prevenir ou diminuir seus efeitos, é bom evitar fazer movimentos rápidos e esforço físico nos primeiros dias.

Mascar folhas de coca é uma forma bastante eficaz de prevenir o mal de altitude. A forma correta de usar a folha é deixar a erva no canto da boca e sugar o sumo que ela libera quando em contato com a saliva. O uso do chá pode ser mais saboroso e nas farmácias é fácil encontrar pílula para soroche.

Veja mais dicas do Peru

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver mais dicas do Peru.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

2 Comentários

  1. Cinthia

    Oi Altier… estou partindo para um mochilão Bolivia-Peru em 2 dias e estou devorando seus posts e pegando mtas dicas. Parabéns pelo blog… é ótimo. Gosto muito do seu estilo de escrita.
    Em Puno terei pouco tempo. Pego um ônibus para Arequipa as 15hrs. É possivel fazer o passeio para as ilhas flutuantes apenas numa manhã certo? Qto tempo leva , vc lembra? Os barcos partem logo de manhazinha?
    Muito obrigada desde já… 🙂

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi Cinthia, obrigado por ler o blog.

      É possível sim fazer o passeio em uma manhã. O barco parte pela manhã e também a tarde.
      A viagem até às ilhas dura em torno de 30 minutos. O passeio todo não demora mais que três horas.

      Espero que consiga fazer porque é uma experiência muito interessante.

      Um abraço!

      Responder

Trackbacks/Pingbacks

  1. Roteiro de Mochilão: Peru e Bolívia em 18 dias - Escrevendo viagens - […] o passeio no próprio hostel. Há opções de visita à Ilha Taquile em conjunto com as Ilhas flutuantes de Uros ou apenas à…

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *