Sillustani e o cemitério pré-inca: a luta pela memória dos povos de Puno

2

Atualizado em 20 de junho de 2022

Sillustani e o cemitério pré-inca

Nas encostas do imenso Lago Titicaca, Puno tem um tom avermelhado, resultado conferido por causa das construções que não recebem reboco nem pintura. É nesta região que fica o cemitério pré-inca de Sillustani, um povoado que luta para preservar sua memória.

Era janeiro, fazia frio e eu tinha acabado de chegar a Puno compartilhando o mesmo pequeno espaço na van com quase duas dezenas de viajantes.

Esse é o símbolo de como o Peru precisa melhorar – e muito – o seu sistema de transporte público. Isso fica ainda mais evidente nas cidades menores, como é o caso de Puno.

De Arequipa a Juliaca, que está a menos de 50 quilômetros de Puno, foram somente vinte e cinco minutos de voo – sem dúvidas, a melhor escolha para quem não tem muito tempo de viagem.

Cumprida a primeira parte de minha jornada, era hora de colocar em prática os planos de visitar o pequeno povoado que ainda intriga pesquisadores do mundo inteiro.

Mas, antes de prosseguir com esta história, eu acho importante que você saiba um pouco mais sobre o Lago Titicaca

O sagrado Lago Titicaca

Estrategicamente localizado na fronteira entre o Peru e a Bolívia, o Lago Titicaca tem mais de 8.000 quilômetros quadrados.

Ele está a 3.821 metros acima do nível do mar, o que faz dele o lago navegável mais alto do mundo.  Além disso, O Titicaca é o segundo maior da América Latina, perdendo apenas para o Lago de Maracaibo, na Venezuela.

Para muitas culturas latino-americanas, o Lago Titicaca é sagrado.

Também por isso, ele é cercado de histórias e mistérios: conta a lenda que foi das águas do lago que emergiu Manco Capac, o primeiro inca e quem deu início à construção de todo o poderoso Império Inca.

Dizem que o nome do lago pode ser traduzido como Pedra do Puma, animal também sagrado para os povos desta região dos Andes. Além disso, há quem diga que o Titicaca tem a forma de um puma correndo.

Quem vive perto do Lago depende quase totalmente dos recursos naturais e nutricionais que ele oferece. São mais de 2.000 espécies de peixes e aves que habitam as águas desse lago que mais parece um imenso mar.

Se, por esse lado ele é uma fonte de sobrevivência, para turistas do mundo inteiro o Lago Titicaca é um atrativo imperdível quando se trata de Peru e Bolívia.

Embora a cidade de Copacabana, na Bolívia, também seja um importante centro turístico, a melhor visão do Lago Titicaca é de Puno.

O povoado de Sillustani

Apesar da maioria dos turistas que chegam a Puno terem como prioridade visitar as ilhas flutuantes do Lago Titicaca, Puno tem, sim, outro lado atrativo.

Sillustani é um sítio arqueológico pré-inca que fica a 45 minutos do Centro da cidade, nas margens do Lago Umayo, e um fato muito curioso sobre o povo que habitava Sillustani, antes da invasão inca, é que ele não enterrava seus mortos.

Sillustani e o cemitério pré-inca

Em um ritual que durava dias, os corpos eram preparados e colocados dentro de chullpas –  torres funerárias feitas de pedra construídas no alto das colinas –  sempre em posição fetal.

Sillustani e o cemitério pré-inca

Isso acontecia porque os colla, o povo original de Sillustani, acreditava que os mortos seriam chamados pelo deus sol para renascer para uma nova vida.

Alguns historiadores dizem que as chullpas foram usadas apenas para sepultar pessoas importantes e autoridades, que levavam consigo joias e outros bens de valor, mas tudo ainda é um grande mistério sem respostas definitivas.

INVASÃO INCA

Quando o Império Inca avançou sobre as terras dos pacíficos colla, o povo decidiu não lutar e acabou sendo escravizado pelos incas. Assim, perderam quase todos os laços com sua cultura original.

Apesar disso, os colla não foram impedidos de realizar seu ritual de sepultamento. É, talvez, por isso que o cemitério tenha resistido a tanto tempo, diferentemente do restante do povoado.

É importante lembrar que os incas eram um exército muito poderoso, formado um povo numeroso e aguerrido, que já havia conquistado grande parte do território que cercava o Lago Titicaca.

Mesmo que tentassem, os colla não teriam muitas chances de sobreviver a um possível embate.

Sillustani e o cemitério pré-inca

Como resultado de um esforço comunitário para a manutenção do pequeno povoado, a história dos colla tem sido recuperada lentamente nas últimas décadas.

Mas, ainda que todo o processo de resgate histórico tenha avançado, os vestígios da invasão inca jamais poderão ser apagados.

A gente vê isso nitidamente no que restou da arquitetura de Sillustani: a maior e mais imponente torre funerária se diferencia das demais por seu estilo mais elaborado. Assim, fica fácil perceber que os invasores tinham técnicas mais avançadas e arrojadas de construção.

Depois dos incas, Sillustani foi invadida pelos espanhóis que, mais uma vez, impuseram restrições à cultura dos colla – por isso a gente vê cruzes nos telhados das moradias. Porém, toda esta história de invasões não conseguiu fazer com que o cemitério do povoado desaparecesse do mapa.

Hoje, ele é o maior sinal de que Sillustani ainda resiste.

Como visitar o povoado de Sillustani

O povoado de Sillustani fica bem perto do Centro de Puno, a cerca de 45 minutos de carro. Você encontra passeio – com transporte e guia – em uma das agências que funcionam na Calle Lima.

QUANDO IR

Puno está em uma altitude superior a 3.800 metros e o clima quase sempre é frio, especialmente à noite.

Durante o dia, o sol é quente e, mesmo que você pense que não precisa, deve-se usar chapéu, óculos de sol e protetor solar para se proteger. Durante a alta estação, nos meses de que vão de julho e agosto, quase todos os dias um turista é hospitalizado com queimaduras.

A temperatura média é de oito graus, com máxima de 15, no verão, enquanto a mínima é de um grau no inverno.

Independentemente da época do ano, o clima em Puno sempre será frio e seco. Mesmo assim, fevereiro é o mês ideal para visitar a cidade.

No dia dois de fevereiro, a Festa da Virgen de la Candelaria enche todos os cantos da cidade de fé e de manifestações religiosas. Durante as celebrações podem ser observadas uma grande variedade de danças e outras manifestações culturais de Puno e das cidades ao redor.

COMO CHEGAR

Ônibus diários partem de Cusco e de Arequipa com destino a Puno.

A viagem de Cusco a Puno leva entre cinco e oito horas, dependendo da empresa de ônibus. Isso porque algumas param no caminho pegando passageiros, o que atrasa muito a viagem.

Há também os ônibus turísticos, como os da Inka Express. Neles, a viagem começa às 7h30 e tem várias paradas em pontos turísticos. Com isso, o percurso até Cusco é concluído em oito horas.

→ Principais empresas de ônibus no Peru

Se você estiver na Bolívia, há ônibus de Copacabana duas vezes ao dia. De La Paz, a viagem pode ser feita em duas rotas ligeiramente diferentes: a primeira é mais direta, passa por Desaguadero e dura cerca de cinco horas; a segunda é via ferry boat, através do Lago Titicaca e de Copacabana.

 Sillustani e o cemitério pré-inca

O aeroporto mais próximo está a pouco mais de uma hora de Puno, na cidade de Juliaca, e recebe voos de Lima, Cusco e Arequipa.

Definitivamente, essa é a forma mais prática para chegar a Puno. Uma viagem de Lima a Juliaca dura aproximadamente 1h45.

→ Principais companhias aéreas do Peru

De Cusco, há partidas de trem para Puno com a Peru Rail. A viagem de trem corta as montanhas andinas e o vale do rio Huatanay, proporcionando um cenário maravilhoso.

O trem para em La Raya, o ponto mais alto da viagem. Em seguida, ele fica por cerca de dez minutos para permitir que os passageiros saiam para comprar artesanato, água e comida.

Onde ficar em Puno

A área mais interessante é os arredores da Plaza de Armas. É nesta região que estão os hotéis mais legais, os  hostels mais bacanas e todos os serviços, como bares e restaurantes.

Se quiser ficar coladinho com o Lago Titicaca, há excelente opções de hotéis nesta parte da cidade.

CASONA PLAZA HOTEL PUNO

O grande ponto positivo do Casona Plaza Hotel Puno é a localização, perto de ótimos bares e restaurantes e de várias lojas. O café da manhã é muito bom, com muitas comidinhas deliciosas.

Onde ficar em Puno

Os quartos são sempre limpos com critérios rígidos, as camas são ótimas e o espaço dos quartos também. No fim das contas, a gente percebe que o custo-benefício fica bastante interessante.

Onde ficar em Puno

HOTEL HACIENDA PLAZA DE ARMAS

O Hotel Hacienda Plaza de Armas também tem uma localização ótima, nos arredores da Plaza de Armas. Os quartos são acolhedores e muito confortáveis. O banheiro é bastante espaçoso e perfeito para aquele banho relaxante de hidromassagem depois de um dia cansativo.

Onde ficar em Puno

afé da manhã é excelente, com horário bom para quem fará passeios, e tem várias opções de frutas, mudando todos os dias. Pães frescos, ovos, panquecas e tufo mais. É um dos melhores hotéis para ficar em Puno.

Onde ficar em Puno

COLONIAL PLAZA HOTEL

O Colonial Plaza Hotel tem um bom custo-benefício. O café da manhã é o melhor da cidade, os quartos têm camas confortáveis, chuveiro bom e aquecedor para os dias mais frios. A localização é perfeita, de frente para a Catedral.

Onde ficar em Puno

O atendimento do pessoal da recepção é sempre muito elogiado e elas ajudam em tudo: dão dicas do que fazer na cidade, guardam nossa bagagem antes ou depois do check-in e estão sempre com um sorriso no rosto. Isso faz muito diferença.

HOTEL TERRA MISTICA CIUDAD DEL LAGO

O Hotel Terra Mistica Ciudad del Lago tem sido o queridinho graças a três fatores: café da manhã ótimo, localização muito boa, perto de tudo, e ótimo custo beneficio. Então, você já pode imaginar que é um dos melhores hotéis para ficar em Puno.

Onde ficar em Puno

Ele está novinho, lindíssimo e com instalações muito amplas. Os quartos são excelente, bem arejados e com tudo funcionando perfeitamente. Vale a pena dar uma olhada com calma neste hotel.

TIERRA VIVA PUNO PLAZA

O Tierra Viva Puno Plaza tem quartos muito bem equipados e aconchegantes. Camas muito confortáveis, roupas de cama sempre limpas e cheirosas e o sistema de aquecimento funciona de verdade. O café da manhã é som, sempre com muitas variedades e produtos de qualidade.

Onde ficar em Puno

O serviço da recepção impressiona e eles ajudam a organizar tudo o que precisamos para conhecer o melhor de Puno. É uma excelente opção para ficar em Puno.

Onde ficar em Puno

CONDE DE LEMOS HOTEL

O Conde de Lemos Hotel é muito bem localizado, no Centro, e dá para fazer tudo a pé. Além do ambiente para tomar café, que é excelente, muito bonito mesmo, há muitos restaurantes ao lado do hotel.

Onde ficar em Puno

Os quartos são amplo, confortáveis e têm varanda enormes com vista linda para a cidade. O equipe da recepção é muito atenciosa e isso deixa tudo muito mais garadável. Vale a pena dar uma olhada com calma neste hotel.

Onde ficar em Puno

HOTEL HACIENDA PUNO

O Hotel Hacienda Puno é uma ótima opção para ficar na cidade. Todos os quartos têm televisão, internet sem fio, mesa de trabalho e banheiro com produtos de banho. O café da manhã lhe dará energias para aproveitar o melhor da cidade. No balcão de turismo você pode organizar passeios para as ilhas flutuantes e se informar sobre outros passeios.

Quando a fome bater, conheça o restaurante na cobertura do hotel, onde você encontra opções à la carte de pratos regionais e internacionais, além de uma vista panorâmica para o famoso lago. O bar local é um ótimo lugar para se divertir e conhecer novas pessoas.

SONESTA POSADAS DEL INCA PUNO

O Sonesta Posadas del Inca Puno é para quem quer ficar mais próximo do Lago Titicaca e ele é espetacular, com vários pontos positivos: quartos muito limpos e confortáveis, vista maravilhosa do lago, banheira perfeita depois de um dia de trilha na altitude e café da manhã muito variado e delicioso.

Onde ficar em Puno

Par completar, a lista o atendimento dos funcionários é sempre muito elogiado. É um hotel indicado para quem quer viver a experiência do Lago Titicaca, ficando mais perto das Ilhas de Uros.

Onde ficar em Puno

GHL HOTEL LAGO TITICACA PUNO

O GHL Hotel Lago Titicaca Puno fica em uma olhota dentro do Lago Titicaca, a poucos metros da margem. É por isso que ele tem uma vista maravilhosa do Lago Titicaca, especialmente ao nascer do sol, e, também, uma vista da cidade que é lindíssima.

Onde ficar em Puno

Além da localização, ele coleciona outros pontos positivos: funcionários atenciosos e educados, conforto dos quartos, excelentes duchas quente, camas super confortáveis, café da manhã formidável, restaurante com excelente cardápio e pratos muito saborosos e, ainda, jacuzzi e sauna que ajudam a relaxar depois de tanto caminhar pela cidade. Tá bom para você?

Onde ficar em Puno

MARLON’S HOUSE

O Marlon’s House é um hotelzinho bom, bonitinho e barato, desses que sempre nos salvam na hora de economizar. Mas, o melhor mesmo é a localizaçãodo hotel: a apenas cem metros da Avenida Flora, uma das principais da cidade.

Em todos os ambientes do hotel você percebe traços da cultura peruana, que eles fazem questão de destacar. Os quartos têm televisão e internet sem fio, além do banheiro privativo. Você pode se divertir no salão de jogos, relaxar no terraço e também trazer seu animalzinho de estimação.

Onde ficar em Puno

INKA’S REST B&B

O Inka’s Rest B&B fica a dez minutos a pé do famoso Lago Titicaca, enquanto a Plaza das Armas está a 400 metros, sendo esta uma boa opção para ficar em Puno. Você encontra ambientes descolados e com decoração colorida, fazendo você se sentir em casa e mantando o astral lá no alto.

Onde ficar em Puno

O café da manhã lhe fornece energias para explorar a região e, para as outras refeições, fique a vontade na cozinha compartilhada. No balcão de turismo você se inscreve para passeios na área e recebe dicas do que fazer pela cidade.

Onde ficar em Puno

Faixas de preço em Puno

Agora que você já viu as minhas opções preferidas – não só as minhas, mas as de muita gente também – é hora de dar uma olhada nos preços antes de decidir onde ficar em Puno.



Booking.com

No mapa acima estão todas as opções de hospedagem da cidade, especialmente as do Centro.  Para saber mais, você só precisa clicar nos pins azuis e pronto. 

INFORMAÇÕES BÁSICAS
Visto | Brasileiros não precisam de visto para entrar no país e o prazo máximo de permanência é de 90 dias, podendo ser prorrogado por mais 90 dias.
Documentos | Você deve apresentar o passaporte, com seis meses de validade, ou a carteira de identidade, emitida há menos de dez anos.
Dinheiro| A moeda peruana é o nuevo sol, identificado pela sigla PEN e pelo símbolo S/. Para sua viagem, leve dólares e troque nas casas de câmbio.
Vacinas | A vacina contra covid-19 não é obrigatória, mas é necessário apresentar um teste RT-PCR. A vacina contra febre amarela é recomendada para quem for viajar para a região amazônica.

INFORMAÇÕES SOBRE COVID-19

Desde que reabriu suas fronteiras, o Peru adotou várias regras de prevenção e controle dos casos de covid-19. Isso significa que é preciso cumprir alguns requisitos sanitários e legais para entrar no país.

De forma geral, os documentos exigidos para a entrada de brasileiros – além dos já citados acima – são os seguintes:

  1. Comprovante de vacinação contra covid-19 com esquema vacinal completo – a terceira dose é exigida para maiores de 40 anos –, esta regra vale para viajantes maiores de 12 anos;
  2. Resultado negativo de teste RT-PCR feito há, no máximo, 48 horas antes do embarque, exigido apenas de viajantes não vacinados;
  3. Formulário Declaração de Autorização de Saúde e Geolocalização preenchido e enviado eletronicamente até 72 horas antes da partida, exigido de todos os viajante.
  4. Comprovante de hospedagem, que pode ser solicitado para que as autoridades peruanas monitorem seu estado de saúde.

É importante saber que, para viajantes vacinados, a dose final deve ter sido administrada pelo menos 14 dias antes da viagem.

Todos os viajantes – vacinados ou não – podem ser submetidos a verificação de temperatura e a testes aleatórios para detecção de covid-19 na chegada ao Peru. Se o resultado der positivo, será necessário seguir as instruções das autoridades de saúde e pode ser necessário cumprir quarentena de até 14 dias.

No caso de crianças menores de 12 anos, basta que estejam assintomáticas para embarcar, não sendo exigido comprovante de vacinação ou teste RT-PCR.

É obrigatório o uso de máscara dupla – uma máscara cirúrgica e uma máscara de pano ou apenas uma do modelo KN95 – durante os voos e nos aeroportos peruanos.

Em todo o Peru, o estado de emergência continua em vigor. Por isso, o comprovante de vacinação contra covid-19 pode ser exigido para entrar em museus, sítios arqueológicos, shoppings, supermercados, restaurantes e em outros ambientes fechados.

Você pode acompanhar os números oficiais da covid-19 no site do Governo do Peru.

SEGURO VIAGEM

Apesar de não ser obrigatório,  viajar sem o seguro viagem durante a pandemia não é uma boa ideia.  Ainda que você esteja com o esquema vacinal completo, é bom saber que terá atendimento médico e hospitalar na hora que precisar.

Além disso, o preço do seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele também garante que você estará amparado em situações como cancelamento da viagem, extravio de bagagem e muitas outras.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

Veja mais dicas do Peru

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver mais dicas do Peru.