Viajar para o Peru é seguro? Veja como é a segurança no país e os cuidados que deve ter

Atualizado em 1 de dezembro de 2022 – 4 min de leitura
Viajar para o Peru é seguro?

Foto: Jeison Higuita

O Peru é um dos países mais visitados da América do Sul, mesmo assim muitas pessoas se questionam se viajar para o Peru é seguro.

Segundo o Índice Global da Paz (GPI), o Peru está na quarta posição do ranking de países mais seguros do continente, atrás de Chile, Uruguai e Equador. O Brasil aparece na nona posição.

No entanto, existem algumas áreas do país onde você deve ser mais cauteloso.

Neste artigo, eu vou explicar sobre:

Viajar para o Peru é seguro?

De acordo com o Travel Safe Abroad, índice que mede e compara os níveis de segurança de mais de cem países, o Peru tem nota 50 na avaliação dos países mais seguros para viajar.

O Brasil tem nota 52, muito abaixo de países sul-americanos como Chile, que tem 79, e Argentina, que alcança 70 pontos.

Para construir este índice comparativo, são analisados dados de fontes públicas, como relatórios policiais e pesquisas internacionais sobre crimes contra o patrimônio e contra a vida, tráfico de drogas, corrupção, tolerância racial, liberdade religiosa e outros indicadores de segurança.

Países com nota de 0 a 33 são mais perigosos, de 33 a 66 são um pouco mais seguros e de 66 a 100 são os mais seguros.

Lugares mais perigosos

Embora muitas áreas do Peru sejam seguras, existem alguns lugares que representam risco para viajantes.

Lima e a Amazônia são duas áreas onde você deve ter mais cuidado.

Esta última, é uma área muito remota com poucos falantes de outras línguas – além do castelhano – por isso é melhor obter informações de alguém que já esteve lá antes.

Foto: Nathalia Segato

Como você pode imaginar, o acesso à internet pode ser prejudicado, então é preciso ter informações certas para evitar vulnerabilidades.

Ir para a Amazônia peruana é mais seguro com uma agência  do que por conta própria.

Em Lima, você deve ter os cuidados básicos de viajar em uma grande cidade: não dar bobeira com seus pertences, evitar ostentar objetos caros e não andar sozinho à noite em algumas áreas, como o Centro Histórico.

TERRORISMO

Nos anos 1970, grupos terroristas iniciam uma série de ataques contra civis que durou 20 anos. O Sendero Luminoso e o MRT assustaram o mundo com suas práticas e afastaram indústrias e muitos moradores dos arredores de Lima.

A taxa de homicídios da cidade foi às alturas e o medo estava instalado. Só para ter uma ideia, em 1991 a cidade teve mais de 900 ataques, com um saldo de 400 mortos.

Nos anos seguintes, enquanto o país vivia forte recessão, os peruanos presenciaram um Golpe de Estado e a tomada do poder pelo Exército. A pobreza aumentou e a economia foi para o ralo – e só voltou a suspirar em 2001, com o fim do regime militar.

Nas últimas décadas, não houve casos de terrorismo e um novo modelo de gestão tem trazido o alívio para peruanos e viajantes. Mesmo assim, Lima exige cuidados como qualquer grande cidade latino-americana.

Viajar para o Peru é seguro?

Foto: Lee Scarratt

Transporte público

Tenha cuidado ao usar o transporte público, pois batedores de carteira aproveitam para agir.

Nos táxis, fique esperto porque alguns motoristas podem tentar cobrar preços além do normal por seus serviços – combine o preço antes para que não haja problemas mais tarde!

Embora o Peru tenha a reputação de ser seguro, ainda é possível que passageiros sejam roubados por taxistas.

Comunicação

Se você estiver viajando pelos destinos mais populares do país, incluindo Machu Picchu, não terá problemas para se comunicar em hotéis e restaurantes, mas sempre é bom aprender algumas frases básicas em castelhano antes de viajar.

Se você não fala nada de espanhol, não se preocupe: a maioria dos peruanos adora viajantes estrangeiros – especialmente brasileiros – e fará de tudo para ajudar caso você fique perdido ou confuso com alguma coisa.

Foto: Juan Manuel

Seguro viagem

O seguro viagem é, de forma bem simples, um plano de saúde que você contrata para usar no exterior em casos de urgência e emergência.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Ele é a garantia de que você terá a assistência médica e hospitalar no caso de acidentes, que podem ser simples, como um pé torcido durante uma caminhada, ou até mesmo mais graves, como um ataque cardíaco, que pode exigir cuidados maiores, como internação e até mesmo intervenção cirúrgica.

Claro que a gente não viaja pensando que algo de ruim vá acontecer, mas, infelizmente, imprevistos acontecem.

Viajar para o Peru é seguro

A segurança no Peru não é algo para se preocupar, desde que você viaje de forma inteligente e use o bom senso. Então. podemos dizer que viajar para o Peru é seguro.

Uma boa ideia é pesquisar a área para onde você está indo antes de viajar. Isso pode ajudá-lo a se preparar melhor e a garantir que seu itinerário seja o mais seguro possível.

Embora explorar novos lugares possa parecer emocionante e aventureiro, também pode ser perigoso porque você estará longe de qualquer contato familiar.

Então, certifique-se de que alguém de confiança saiba onde você está hospedado e sempre se comunique com amigos e parentes. Também guarde seu dinheiro em um lugar seguro para não ser roubado quando estiver andando pela cidade.

Informações Básicas

Visto

Brasileiros não precisam de visto para entrar no país e o prazo máximo de permanência é de 90 dias, podendo ser prorrogado por mais 90 dias.

Documentos

Você deve apresentar o passaporte, com seis meses de validade, ou a carteira de identidade, emitida há menos de dez anos e em bom estado de conservação.

Dinheiro

A moeda peruana é o nuevo sol, identificado pela sigla PEN e pelo símbolo S/. Para sua viagem, leve dólares e troque nas casas de câmbio.

Vacinas

A vacina contra febre amarela é recomendada para quem for viajar para a região amazônica. Veja como solicitar o certificado pela internet.

Informações sobre covid-19

Desde que reabriu suas fronteiras, o Peru adotou várias regras de prevenção e controle dos casos de covid-19. Isso significa que é preciso cumprir alguns requisitos sanitários e legais para entrar no país.

De forma geral, os documentos exigidos para a entrada de brasileiros – além dos já citados acima – são os seguintes:

  1. Comprovante de vacinação contra covid-19 com esquema vacinal completo – a terceira dose é exigida para maiores de 40 anos –, esta regra vale para viajantes maiores de 12 anos;
  2. Resultado negativo de teste RT-PCR feito há, no máximo, 48 horas antes do embarque, exigido apenas de viajantes não vacinados;
  3. Formulário Declaração de Autorização de Saúde e Geolocalização preenchido e enviado eletronicamente até 72 horas antes da partida, exigido de todos os viajante.
  4. Comprovante de hospedagem, que pode ser solicitado para que as autoridades peruanas monitorem seu estado de saúde.

É importante saber que, para viajantes vacinados, a dose final deve ter sido administrada pelo menos 14 dias antes da viagem.

Todos os viajantes – vacinados ou não – podem ser submetidos a verificação de temperatura e a testes aleatórios para detecção de covid-19 na chegada ao Peru. Se o resultado der positivo, será necessário seguir as instruções das autoridades de saúde e pode ser necessário cumprir quarentena de até 14 dias.

No caso de crianças menores de 12 anos, basta que estejam assintomáticas para embarcar, não sendo exigido comprovante de vacinação ou teste RT-PCR.

É obrigatório o uso de máscara dupla – uma máscara cirúrgica e uma máscara de pano ou apenas uma do modelo KN95 – durante os voos e nos aeroportos peruanos.

Em todo o Peru, o estado de emergência continua em vigor. Por isso, o comprovante de vacinação contra covid-19 pode ser exigido para entrar em museus, sítios arqueológicos, shoppings, supermercados, restaurantes e em outros ambientes fechados.

Você pode acompanhar os números oficiais da covid-19 no site do Governo do Peru.

Retorno ao Brasil

Viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

Seguro viagem

Apesar de não ser obrigatório,  viajar sem o seguro viagem durante a pandemia não é uma boa ideia.  Ainda que você esteja com o esquema vacinal completo, é bom saber que terá atendimento médico e hospitalar na hora que precisar.

Além disso, o preço do seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele também garante que você estará amparado em situações como cancelamento da viagem, extravio de bagagem e muitas outras.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

MAL DE ALTITUDE

Se você vai viajar para o Peru, já sabe que é importante se prevenir do mal de altitude. Também conhecido como soroche, ele é muito comum em viajantes que se aventuram por regiões próximas a 3.000 metros de altitude.

Os sintomas mais comuns são dor de cabeça, enjoo, vômito, tontura, cansaço excessivo e mal-estar. Esses são os principais reflexos da dificuldade do nosso organismo em absorver o oxigênio, e, embora seja raro, em condições extremas, o mal de altitude pode levar à morte.

Isso acontece porque, à medida que a altitude aumenta e a pressão atmosférica cai, o ar fica mais rarefeito. Assim, a concentração de oxigênio diminui e o nosso corpo sente isso. Para prevenir ou diminuir seus efeitos, é bom evitar fazer movimentos rápidos e esforço físico nos primeiros dias.

Mascar folhas de coca é uma forma bastante eficaz de prevenir o mal de altitude. A forma correta de usar a folha é deixar a erva no canto da boca e sugar o sumo que ela libera quando em contato com a saliva. O uso do chá pode ser mais saboroso e nas farmácias é fácil encontrar pílula para soroche.

Veja mais dicas do Peru

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver mais dicas do Peru.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *