Como chegar a Nazca: as rotas para um dos maiores mistérios arquológicos do Peru

Atualizado em 5 de outubro de 2022 – 5 min de leitura

Como chegar a Nazca

Antes de chegar a Nazca, no Peru, você precisa entender que a cidade é cercada por um imenso deserto.

Por isso, durante a viagem, você se depara com um cenário árido, empoeirado e bastante exótico: essa região parece ter parado no tempo e, talvez, por isso, seja tão interessante.

Famosa pelas misteriosas Linhas de Nazca – figuras e formas geométricas que aparecem no chão do deserto –, a cidade foi construída pelo povo nazca depois que um terremoto destruiu Cahuachi, a principal cidade a civilização, que ficava a cerca de 30 quilômetros da atual Nazca.

Aliás, por falar em terremoto, foi em Nazca que eu encarei um pela primeira vez. É que eles são bem comuns nesta região do globo, mas, ainda bem, são tremores pequenos e de pouco impacto.

Como chegar a Nazca

Uma vez dentro da cidade, se locomover é tarefa fácil: você pode chegar a qualquer lugar de táxi com um preço realmente muito barato.

Ainda assim, fique esperto e combine o valor da corrida antes de entrar no carro. Aproveite também para escolher sua hospedagem em Nazca.

Neste artigo, eu vou explicar sobre:

Como chegar a Nazca

De avião

Não há voos direto do Brasil para Nazca e a forma mais comum – e barata – de chegar à cidade é fazendo uma escala em Lima, capital e principal porta de entrada do Peru.

O Aeroporto Internacional Jorge Chávez (LIM) recebe voos de muitas companhias, incluindo Avianca e Latam.

Nazca tem um aeroporto, mas, na verdade, o Aeródromo Maria Reiche (NZC) só opera voos de empresas de táxi aéreo.

Então, na prática, para chegar à cidade de avião você vai precisar contratar um desses voos – que não são baratos.

Como chegar a Nazca

Eles partem de Lima, Ica, Chincha, Pisco ou Paracas e as empresas são as mesmas que fazem os voos sobre as famosas linhas, como eu mostro em como é sobrevoar as Linhas de Nazca.

As principais empresas para sobrevoar as Linhas de Nazca são:

COMPANHIAS AÉREASSITEWHATSAPP
Aerodianaaerodiana.com.pe+51999100825
Aeronascaaeronasca.com+51989046289
Alas Peruanasalasperuanas.com+51956640619

Se não quiser gastar uma pequena fortuna com um voo desses, você pode ir até o Aeroporto Capitão FAP Renán Elías Olivera (PIO), na cidade de Pisco, que fica a 320 quilômetros, e seguir viagem de carro ou de ônibus.

De carro

Saindo de Lima, você pode seguir pela Carretera Panamericana, que tem os primeiros 200 quilômetros duplicados e é, praticamente, todo reto e plano.

No trecho, o visual é bastante interessante: você estará cercado pelo deserto com dunas gigantescas. Existem quatro postos de pedágio nesta rota.

Depois deste percurso, você vai começar a subir os Andes, passando por Chincha Alta, uma cidade que fica no meio do deserto e que produz uvas de excelente qualidade.

No caminho está Ica, capital do departamento de mesmo nome. A região entre Ica e Nazca é muito rica em sítios arqueológicos.

De ônibus

várias empresas de ônibus que têm rotas partindo das principais cidades peruanas para Nazca. De Lima, por exemplo, partem veículos diários da Cruz del Sur e da Oltursa – a passagem custa entre S/. 29 e 105, dependendo do tipo de ônibus.

A viagem dura de sete a oito horas, podendo acontecer atrasos na temporada chuvosa. Como Nazca é uma cidade pequena, não há estação rodoviária.

Eu, sinceramente, acho que viajar de ônibus no Peru é uma ótima pedida. De forma geral, os veículos são novos, confortáveis e o atendimento é agradável.

Então, pode aproveitar, pois você se sentirá melhor viajando assim, por aqui, do que em algumas companhias aéreas brasileiras.

Onde ficar em Nazca

Nazca é a melhor base para quem quer sobrevoar as Linhas de Nazca – também é possível decolar da cidade de Pisco.

Não há exatamente uma região mais adequada para ficar hospedado em Nazca: como a cidade é pequena, se locomover de um canto para outro será fácil e barato.

Assim como em várias outras cidades do Peru, você pode contar com um hotel da rede peruana Casa Andina, mas, de forma geral, as opções de hospedagem são bem similares e com preços bem próximos. Ainda assim, sempre há uma melhor opção para cada tipo de viajante.

Casa Andina Standard Nasca

Sinônimo de qualidade e bom atendimento, o Casa Andina Standard Nasca fica bem perto da Plaza de Armas e do comércio de Nazca. Ele é um dos hotéis mais bem avaliados da cidade e, por isso, uma grande escolha.

Os quartos são ótimos, espaçosos, sempre bem limpos e as camas são excelentes, grandes e com roupas de cama de primeira linha. Os banheiros são muito bem cuidados e o café da manhã é bem farto. Os pratos servidos no restaurante também são muito elogiados.

Como é sobrevoar as Linhas de Nazca

Casa Hacienda Nasca Oasis

O Casa Hacienda Nasca Oasis é um hotel mais simples e também mais barato. Ele tem quartos com vista para os Andes e fica bem próximo ao Centro. Um táxi para qualquer bom restaurante da cidade custa PEN 20.

Como é sobrevoar as Linhas de Nazca

Os quartos são básicos, confortáveis e compatíveis com o preço da diária. Ele é indicado para quem vem a cidade com o objetivo de sobrevoas as linhas de Nazca e não faz questão de hotel caro.

Hotel Arequipa

O Hotel Arequipa fica a apenas quatro quadras da Plaza de Armas, onde fica o Centro de Nazca, e tem um atendimento agradável, muito comum entre os peruanos, que são sempre muito gentis.

Como é sobrevoar as Linhas de Nazca

Os quartos são bons, as camas são grandes e macias, com conforto na medida. Banheiros e áreas comuns estão sempre limpos e bem cuidados. O preço e justo e o café da manhã é bom. Vale a pena das uma olhada com mais calma.

Informações Básicas

Visto

Brasileiros não precisam de visto para entrar no país e o prazo máximo de permanência é de 90 dias, podendo ser prorrogado por mais 90 dias.

Documentos

Você deve apresentar o passaporte, com seis meses de validade, ou a carteira de identidade, emitida há menos de dez anos e em bom estado de conservação.

Dinheiro

A moeda peruana é o nuevo sol, identificado pela sigla PEN e pelo símbolo S/. Para sua viagem, leve dólares e troque nas casas de câmbio.

Vacinas

A vacina contra febre amarela é recomendada para quem for viajar para a região amazônica. Veja como solicitar o certificado pela internet.

Informações sobre covid-19

Desde que reabriu suas fronteiras, o Peru adotou várias regras de prevenção e controle dos casos de covid-19. Isso significa que é preciso cumprir alguns requisitos sanitários e legais para entrar no país.

De forma geral, os documentos exigidos para a entrada de brasileiros – além dos já citados acima – são os seguintes:

  1. Comprovante de vacinação contra covid-19 com esquema vacinal completo – a terceira dose é exigida para maiores de 40 anos –, esta regra vale para viajantes maiores de 12 anos;
  2. Resultado negativo de teste RT-PCR feito há, no máximo, 48 horas antes do embarque, exigido apenas de viajantes não vacinados;
  3. Formulário Declaração de Autorização de Saúde e Geolocalização preenchido e enviado eletronicamente até 72 horas antes da partida, exigido de todos os viajante.
  4. Comprovante de hospedagem, que pode ser solicitado para que as autoridades peruanas monitorem seu estado de saúde.

É importante saber que, para viajantes vacinados, a dose final deve ter sido administrada pelo menos 14 dias antes da viagem.

Todos os viajantes – vacinados ou não – podem ser submetidos a verificação de temperatura e a testes aleatórios para detecção de covid-19 na chegada ao Peru. Se o resultado der positivo, será necessário seguir as instruções das autoridades de saúde e pode ser necessário cumprir quarentena de até 14 dias.

No caso de crianças menores de 12 anos, basta que estejam assintomáticas para embarcar, não sendo exigido comprovante de vacinação ou teste RT-PCR.

É obrigatório o uso de máscara dupla – uma máscara cirúrgica e uma máscara de pano ou apenas uma do modelo KN95 – durante os voos e nos aeroportos peruanos.

Em todo o Peru, o estado de emergência continua em vigor. Por isso, o comprovante de vacinação contra covid-19 pode ser exigido para entrar em museus, sítios arqueológicos, shoppings, supermercados, restaurantes e em outros ambientes fechados.

Você pode acompanhar os números oficiais da covid-19 no site do Governo do Peru.

Retorno ao Brasil

Viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

Seguro viagem

Apesar de não ser obrigatório,  viajar sem o seguro viagem durante a pandemia não é uma boa ideia.  Ainda que você esteja com o esquema vacinal completo, é bom saber que terá atendimento médico e hospitalar na hora que precisar.

Além disso, o preço do seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele também garante que você estará amparado em situações como cancelamento da viagem, extravio de bagagem e muitas outras.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

MAL DE ALTITUDE

Se você vai viajar para o Peru, já sabe que é importante se prevenir do mal de altitude. Também conhecido como soroche, ele é muito comum em viajantes que se aventuram por regiões próximas a 3.000 metros de altitude.

Os sintomas mais comuns são dor de cabeça, enjoo, vômito, tontura, cansaço excessivo e mal-estar. Esses são os principais reflexos da dificuldade do nosso organismo em absorver o oxigênio, e, embora seja raro, em condições extremas, o mal de altitude pode levar à morte.

Isso acontece porque, à medida que a altitude aumenta e a pressão atmosférica cai, o ar fica mais rarefeito. Assim, a concentração de oxigênio diminui e o nosso corpo sente isso. Para prevenir ou diminuir seus efeitos, é bom evitar fazer movimentos rápidos e esforço físico nos primeiros dias.

Mascar folhas de coca é uma forma bastante eficaz de prevenir o mal de altitude. A forma correta de usar a folha é deixar a erva no canto da boca e sugar o sumo que ela libera quando em contato com a saliva. O uso do chá pode ser mais saboroso e nas farmácias é fácil encontrar pílula para soroche.

Veja mais dicas do Peru

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver mais dicas do Peru.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

2 Comentários

  1. Amilton Fortes

    Nossa, que vontade de conhecer esse lugar viu? Conta mais sobre como foi o passeio para sobrevoar a região. Fiquei curioso aqui….

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.