O que fazer em Lima: 35 atrações mais incríveis da capital peruana e arredores

14

Atualizado em 27 de junho de 2022

O que fazer em Lima

Foto: David Zhou

A capital peruana não é apenas a maior e mais importante cidade do Peru. Ela é o símbolo mais significante da riqueza cultural que o encontro das etnias que formam o país criou. Para ver isso com seus próprios olhos, é só seguir esta lista com o que fazer em Lima – e nos arredores também.

Os povos da floresta, mais ao norte, da Cordilheira dos Andes e do litoral, trouxeram para a capital peruana suas cores, suas histórias e seus sabores. É justamente essa mistura de tradições que faz a Cidade dos Reis ser tão especial.

É bom saber que a capital peruana oferece inúmeros espaços culturais, como museus e galerias de arte. Além disso, o governo tem trabalhado pesado para tornar a cidade líder sul-americana em oferta cultural.

Assim, cada vez mais, ela tem sido reconhecida mundialmente como um importante polo para o desenvolvimento das artes.

→ Onde ficar em Lima

O clima na cidade é quase sempre agradável, sem calor ou frio extremos. O que para nós, brasileiros, pode ser uma ameaça aparente são os frequentes terremotos que balançam a cidade.

Agora, vamos as dicas do que ver e fazer em Lima, mas antes de seguir, veja isso:

  • Experimente o tradicional ceviche e o delicioso lomo saltado;
  • O clima é sempre nublado, mas raramente chove;
  • Visite as catacumbas da Basílica de São Francisco;
  • Evite andar pelo Centro à noite se estiver sozinho;
  • Visite o sítio arqueológico de Huaca Pucllana.

Breve História de Lima

A história de Lima não começa com a chegada dos espanhóis.

Pelo menos, não, se considerarmos que a região onde hoje está a capital do Peru já era habitada por civilizações pré-inca séculos antes de sua fundação.

Desta época, encontramos uma grande variedade de sítios arqueológicos espalhados por toda a cidade, sendo que os mais importantes são os de Huallamarca, Pucllana, Mateo Salado e Pachacámac.

O que fazer em Lima

Foto: Glenn Gould

Mais tarde, durante longos anos a tropa espanhola teve que defender a Cidade dos Reis do ataque dos incas, que reivindicavam as terras tomadas pelo grupo de Francisco Pizarro. Todas as tentativas foram frustradas e, dez anos depois de sua fundação, a cidade já era avançada, principalmente no comércio, o que atraiu a atenção de piratas e corsários que alcançaram a cidade pelo

Lima parece sucumbir até que uma tropa formada por argentinos e chilenos comandados por José de San Martín chega à cidade e consegue que o vice-rei proclame a independência do país, em 1821.

Décadas depois, nos anos 1970, grupos terroristas iniciam uma série de ataques contra civis que durou 20 anos. O Sendero Luminoso e o MRT assustam o mundo com suas práticas e afastam indústrias e muitos moradores da cidade.

O que fazer em Lima

A taxa de homicídios em Lima vai às alturas e o medo é instalado. Só para ter uma ideia, em 1991 a cidade teve mais de 900 ataques, com um saldo de 400 mortos.

Nos anos seguintes, enquanto o país vive forte recessão, Lima presencia um Golpe de Estado e é tomada pelo exército. A pobreza aumenta e a economia vai para o ralo, até que volta a suspirar em 2001, com o fim do regime militar.

Nos últimos anos, novas leis foram criadas e um novo modelo de gestão tem trazido o alívio que peruanos e turistas desejam. Mesmo assim, Lima exige cuidados como qualquer grande cidade latino-americana.

BAIRROS DE LIMA

O Centro Histórico de Lima – que também é chamado de Cercado de Lima, em uma referência à fortificação que protegeu a cidade até o Século 19 – é um dos Patrimônios Mundiais da Humanidade reconhecidos pela Unesco.

O bairro é dividido em leste e oeste pela Jirón de la Unión – jirón é um termo arcaico para rua.

Barrios Altos é onde estão os edifícios mais antigos de Lima. O bairro Chino, como o nome sugere, é o lar da colônia chinesa. Uma das ruas mais importantes é a Calle Capão onde está o portal chinês. Em Santa Beatriz estão o Estádio Nacional e o Parque de la Reserva.

O que fazer em Lima

Situado na costa, Miraflores é considerada uma das áreas mais nobres de Lima e é muito popular entre os turistas. Também conhecido como Ciudad Heroica, tem muitos parques, jardins, prédios, hotéis, restaurantes e lojas.

Barranco, bairro que fica ao sul de Miraflores, tem muitos cafés, bares, boates e é bastante popular entre universitários. Aqui, onde o coração da cidade pulsa mais forte, você encontra casas de espetáculos que oferecem shows de música folclórica, em especial afro-peruana. Nos fins de semana, Barranco é o destino preferido para quem quer boa comida.

O que fazer em Lima

A capital do Peru é uma metrópole moderna. Seus cerca de oito milhões de habitantes têm a sorte de conviver com um Centro Histórico bem cuidado e o prazer de sentarem-se à mesa para saborear uma gastronomia que une os frutos do mar com a herança dos povos da Cordilheira em pratos fartos e saborosos.

Lima tem bairros modernos, grandes hotéis, bons restaurantes e atraentes centros comerciais, sem falar dos seus muitos parques e das incontáveis praças. Em seus arredores – e até em sua área urbana – os sítios arqueológicos contam um pouco de seu passado.

Um exemplo é a Pachacámac, um antigo oráculo e centro de peregrinação que ainda pode ser visitado.

Lima é uma cidade de contrastes e de reconhecimento, onde todos nós passamos a fazer parte de sua história e de suas glórias.

Ao caminhar por suas ruas você verá que a Cidade dos Reis parece mesmo ter um apelido justo. Afinal de contas, a sua majestade está em todos os cantos.

No mapa acima, você poderá ver a localização de todos os lugares que vou mostrar a partir de agora.

PLAZA SAN MARTIN

A Plaza San Martín é considerada a segunda praça mais importante da capital. Ela foi inaugurada no centenário da independência do Peru, em 1921.

O que fazer em Lima

Antes de sua construção, havia no local uma estação de trem que foi demolida em 1910. No centro da praça está o monumento ao líder da independência peruana, San Martín. Ao seu estão prédios de grande beleza, como o grande Hotel Bolívar e o Teatro Colón.

PLAZA DE ARMAS

A Plaza de Armas – ou Plaza Mayor – é o principal espaço público da cidade e fica no coração do Centro Histórico.

Desde a fundação da cidade, este espaço tem sido palco de várias atividades e eventos. O nome utilizado durante o período colonial era Plaza Mayor, mas durante a independência seu nome foi mudado para Plaza de Armas, já que era o ponto de encontro das tropas.

O que fazer em Lima

Hoje, a praça é cercada pelas mais importantes edificações da cidade, como o Palacio del Gobierno e a Catedral de Lima.

PALÁCIO DO GOVERNO

O prédio do Poder Legislativo peruano já teve muitos usos ao longo da história republicana.

Durante o governo do vice-rei, Andrés Hurtado de Mendoza, começou a construção da casa que seria uma penitênciária. Mais tarde, em 1577, o vice-rei Francisco de Toledo doou a propriedade para a Universidad de San Marcos. Em 1822, a convocação de eleições para o Congresso Constituinte, Don José de San Martín ordenou que as instalações da universidade fossem ocupadas pelo novo Congresso.

O que fazer em Lima

O edifício atual, iniciado em 1904, durante o governo de José Pardo, foi originalmente desenhado pelo francês Emilio Robert. Nele, está a estátua de Simón Bolívar, que repousa sobre um pedestal de mármore Carrara com relevos que descrevem as batalhas de Junín e Ayacucho.

IGREJA E CONVENTO DE SÃO FRANCISCO

O maior conjunto de arte colonial das Américas é uma das poucas construções que resistiu ao terremoto de 1746.

Uma visita ao o Igreja e Convento de São Francisco nos proporciona uma breve introdução à história limenha e peruana. Porém, a maior experiência que tive dentro deste prédio do Século 17 foi, sem dúvida, foi andar pelos estreitos e pouco iluminados corredores do antigo cemitério subterrâneo. Ele funcionou até o ano de 1821.

Estima-se que pelo menos 250 mil pessoas tenham sido sepultadas neste lugar.

Como o espaço é pequeno, os corpos foram colocados um sobre o outro, separados por uma fina camada de terra e cal para acelerar a decomposição. Depois de alguns anos, os ossos foram retirados e levados para o ossuário geral, onde foram organizados como se fossem peças de decoração.

O que fazer em Lima

Nas catacumbas subterrâneas, encontrei salas inteiras com restos mortais e tumbas gigantes cheias de ossos. A maior delas tinha dez metros de profundidade e quatro de largura.

É uma viagem pela história e pela crença de que, sendo sepultados debaixo da cúpula da igreja, os mortos teriam acesso direto a Deus.

O que fazer em Lima

A visita guiada ao convento e à igreja vale muito a pena. A construção, os quadros gigantescos e os enormes altares entalhados em madeira – alguns cobertos por ouro e prata – fascinam qualquer pessoa.

CATEDRAL DE LIMA

Mais uma vez, o costume de sepultar os mortos no subsolo da cúpula principal de igreja se repete. Porém, os privilegiados foram as autoridades eclesiásticas e los niños, crianças que pertenciam à elite da cidade.

O que fazer em Lima

A Catedral de Lima é um templo religioso construído no estilo barroco com interior simples.

O que fazer em Lima

Ao lado da Catedral está o Museu de Arte Sacra, antiga sede da Igreja que agora está disponível para visitação popular. Aos domingos a entrada é restrita às celebrações.

PALACIO ARZOBISPAL

Esta obra valiosa é um dos melhores exemplos do estilo neocolonial peruano. Seus ambientes possuem uma grande riqueza cultural de vários séculos, incluindo uma excelente coleção de pinturas, esculturas e ornamentos religiosos, Entre essas preciosidades está o crânio de  Toribio de Mogrovejo, um dos cinco santos peruanos.

O que fazer em Lima

foto: Dachalan

A fachada do Palacio Arzobispal é feita de pedra com duas imponentes sacadas entalhadas em cedro. No primeiro andar do prédio, está a exposição de pinturas dedicadas à Virgem Maria. No segundo andar, há uma coleção de retratos dos ex-arcebispos de Lima, mobiliário, pinturas e peças decorativas de diferentes épocas.

FORTALEZA DE PARAMONGA

Comumente chamado de Fortaleza, Paramonga tem esse nome devido a um dos seus principais e mais bem preservador edifícios: uma pirâmide de quatro níveis construída sobre uma colina da província de Barranca. Este sítio arqueológico data do último período do império chimu.

PALACIO DE PURUCHUCO

O Museo Arturo Jiménez Borja foi o primeiro museu arqueológico peruano. Ele foi inaugurado em dezembro de 1960, depois de mais de sete anos de reconstrução e restauração do monumento arqueológico conhecido como Palacio de Puruchuco.

O que fazer em Lima

Foto: Luis Fernando

Entre os objetos encontrados na área, e agora expostos no museu, se destaca a Puruchuco, uma coroa de penas e que hoje dá nome ao lugar. Esta coroa provavelmente pertencia ao chefe do império local e é feita com penas coloridas e pelo de lhama.

CASA DE ALIAGA

Apesar de seus cinco séculos de história, a mansão tem mantido seu valor histórico por ter sido o lar de um dos fundadores da cidade, Don Jerónimo de Aliaga, e ser habitada por seus descendentes de forma contínua desde 1535.

Seu valor artístico se concretiza na beleza dos seus dezoito espaços interiores. Dizem que Santa Rosa de Lima teria frequentado esse ambiente.

HUACA PUCLLANA

No movimentado bairro de Miraflores, uma das áreas mais nobres de Lima, fica o Huaca Pucllana. Esta é uma imensa pirâmide que data do período pré-colombiano. A construção, com cerca de 25 metros de altura, se estende por seis hectares e as pesquisas sobre sua origem, motivo e novos sítios arqueológicos não cessam.

O que fazer em Lima

Em 2011, foram descobertos novas tumbas com múmias que ficaram escondidas desde o ano 850 depois de Cristo.

Considerado um dos mais importantes centros cerimoniais da cultura de povos pré-hispânicos no país, atualmente abriga um museu que conserva peças encontradas durante as escavações.

O que fazer em Lima

HUAYCÁN PARIACHI

O sítio arqueológico Huaycán Pariachi é um dos maiores e mais importantes do médio e baixo vale do rio Rimac. Ele foi construído entre os anos 900 e 1450 e acredita-se que tenha sido ocupado pelas civilizações yshma e inca.

SANTUARIO DE PACHACÁMAC

O Santuario de Pachacámac é composto por um conjunto de pirâmides de barro, palácios, templos, praças e ruas que eram centros de peregrinação e devoção.

Na prática, Pachacámac era considerado um oráculo capaz de prever o futuro. Estima-se que o local tenha sido ocupado pelas civilizações lima, wari, yshma e inca.

O que fazer em Lima

Foto: H. Silenus

Hoje, Pachacámac é uma das principais atrações turísticas dos arredores de Lima e tem um museu com artefatos de diferentes épocas. Quando vier a Pachacámac use uma roupa confortável, sapatos para caminhada, óculos de sol e protetor solar.

COMPLEJO MATEO SALADO

O complexo arqueológico Mateo Salado está localizado em frente à Plaza de la Bandera, no Centro Histórico.

Este sítio arqueológico é considerado um dos centros cerimoniais e políticos mais importantes do vale do rio Rimac e uma das maiores expressões arquitetônicas da cultura yshma.

MUSEO LARCO

O Museo Larco, certamente um dos mais importantes do país, tem uma coleção de 45 mil peças arqueológicas devidamente classificadas e exibidas de uma forma muito didática para explicar a evolução das diferentes civilizações peruanas até o surgimento do império dos incas.

Foto: David Zhou

Ele está localizado em um casarão colonial que data do século 18 e que foi construído sobre uma pirâmide pré-colombiana do século 7.

O museu também é conhecido pela sala erótica, na qual estão objetos de cerâmica com formas bem curiosas. Há guias em espanhol e inglês. Para francês e português é necessário agendamento com antecedência.

MUSEO DE ARTE DE LIMA

O Museo de Arte de Lima tem uma vasta coleção organizada de acordo com os períodos da história peruana.

O que fazer em Lima

A coleção do MALI inclui mais de 12.000 peças e, nos últimos anos, o museu tem dirigido seus esforços para abrir novas perspectivas na história da arte peruana através da pesquisa acadêmica e sua divulgação através de exposições e publicações.

MUSEO MARIO TESTINO

Este museu é uma instituição cultural criada para exibir permanentemente o trabalho do fotógrafo Mario Testino e promover a arte e outros artistas por meio de exposições temporárias. A casa que ocupou o espaço cultural é uma representação magnífica arquitetura republicana do século 19.

O que fazer em Lima

A coleção permanente é exibida em quartos temáticos que mostram um aspecto diferente do trabalho do renomado fotógrafo.

A seleção de fotos inclui modelos como Kate Moss e Gisele Bündchen, celebridades como Madonna, fotografias inéditas e uma sala dedicada aos retratos icônicos da princesa Diana.

MUSEO DE SITIO DE ANCÓN

O Ancón é um dos mais interessantes museus de toda a costa peruana e seu principal objetivo é a exposição  e a divulgação do patrimônio arqueológico. Ele é composto por coleções de artigos como cerâmica, metais, madeira e artefatos de pedra, entre outros, que foram encontrados em escavações arqueológicas.

MUSEO METROPOLITANO DE LIMA

Este museu revela a alma da cidade, de seus dez mil anos de história e projeta o futuro por meio da tecnologia audiovisual.

Assim, os visitantes podem testemunhar acontecimentos históricos conhecidos apenas através dos livros.

MUSEO DEL BANCO CENTRAL DE RESERVA

Este museu está localizado em um prédio construído em estilo republicano que serviu como sede do Banco Central de Reserva del Peru.

O que fazer em Lima

O museu tem três salas de exposições permanentes e uma grande área com objetos de Folk Art, onde tecidos, bolsas e cerâmicas podem ser vistos.

CIDADE SAGRADA DE CARAL

Caral é um dos principais sítios arqueológicos desta civilização que viveu no Peru há 5.000 anos e desenvolveu tecnologia avançada, ciência e arte.

Foto: Håkan Svensson

A cidade de Caral ocupa 66 hectares no vale de Supe, na província de Barranca.

MUSEO ANDRÉS DEL CASTILLO

O Museu Andrés del Castilho apresenta a maior coleção de minerais cristalizados no Peru com peças de qualidade extraordinária. Nele, estão peças de ouro, prata e amostras que fazem parte de importantes coleções.

O museu também tem uma sala onde a história social e cronológica da casa que abriga o museu é contada.

MUSEO DE ARTE CONTEMPORÁNEO DE LIMA

O museu está localizado em uma área de mais de 14.000 metros quadrados e tem obras de artistas contemporâneos e exposições temporárias com obras da arte nacional e internacional.

FUERTE DEL REAL FELIPE

Construída no século 18 com o objetivo de proteger a cidade de Lima de ataques de piratas e corsários, a fortaleza homenageia o rei Felipe V da Casa de Bourbon.

É uma das poucas obras de arquitetura militar que existem no Peru e é a maior construída pelos espanhóis na América.

Com a forma de um pentágono irregular e ocupando uma área de 70.000 metros quadrados, a fortaleza tem um baluarte em cada uma das suas cinco vértices.

PARQUE DE LA RESERVA

O parque tem esse nome porque foi usado como local de concentração e treinamento para um grupo de civis que lutou ao lado do Exército peruano na guerra contra o Chile.

No Parque se destacam as formas geométricas do estilo arte-déco e representações da iconografia pré-hispânica.

O que fazer em Lima

O parque tem treze fontes ornamentais e interativas com música e luzes que se misturam formando o show conhecido como Circuito das Águas, com jatos que alcançam até 80 metros de altura.

PARQUE DE LA MURALLA

No parque, está parte da antiga muralha da cidade colonial, construída para protegê-la de possíveis ataques inimigos.

O que fazer em Lima

A gente pode ver o que restou da muralha – uns 300 metros – e no museu estão artefatos coloniais encontrados no local.

O que fazer em Lima

Foto: Victor Garcia

Além disso, neste lugar está a estátua monumental de Francisco Pizarro, que anteriormente ficava na Plaza Peru.

ISLAS PALOMINO

As Islas Palomino ficam na costa de Callao e são habitadas por cerca de oito mil lobos-marinhos, pinguins de Humboldt e diferentes espécies de aves marinhas. As ilhas são parte de uma área ambientalmente protegida pelo governo peruano.

O que fazer em Lima

A viagem até elas começa no porto de Callao. A primeira ilha é formada por túneis que atravessam de lado a lado. É aqui que está o maior número animais. A segunda ilha é chamada de El Hospital por ser um refúgio para animais doentes ou que procuram descanso.

O passeio dura cerca de quatro horas e pode ser feito quase todo o ano, exceto nos dias com densa neblina ou fortes ondas.

SHOPPING LARCOMAR

Esse centro comercial limenho foi construído às margens do Pacífico, no charmoso bairro de Miraflores. Ele é constantemente visitado por turistas estrangeiros, assim como pelos moradores da capital. Por isso, tem ótimas opções de restaurantes e lojinhas com produtos turísticos. Aproveite a área descoberta para apreciar o fim de tarde e se surpreender com o pôr-do-sol limenho.

PRAIAS DA COSTA VERDE

O circuito de praia da Costa Verde é amplamente visitado, especialmente nos meses de verão, por banhistas e por pessoas que aproveitam a brisa do Oceano Pacífico para caminhar pela orla.

A Costa Verde atravessa a parte centro-sul de Lima passando pelos bairros como de San Isidro, Miraflores, Barranco e Chorrillos e tem 25 praias.

O que fazer em Lima

Foto: Christian Cordova

Uma característica dessa área é o grande número de restaurantes e bares que permitem que o turista desfrute da costa a qualquer hora do dia ou da noite.

LOMAS DE LÚCUMO

As Lomas de Lúcumo, a 45 minutos de Lima, são colinas costeiras que, pelo efeito da acumulação de neblina entre os meses de junho e novembro, estão sempre cheias de vida.

Formações rochosas, pinturas rupestres, falésias e uma mina abandonada fazem desse lugar um atrativo digno de sua visita em qualquer época do ano. Há trilhas com diferentes graus de dificuldade, além de escalada, rapel e parapente. – Está fechada por tempo indeterminado.

LOMAS DE LACHAY

As Lomas de Lachay estão localizadas a 105 quilômetros ao norte de Lima, na província de Huaura. Ela é uma área de preservação ambiental de terreno irregular que é composta de vales e montanhas com alturas que variam entre 100 e 750 metros acima do nível do mar.

Este lugar é especial para quem quer ter contato com a natureza e é muito popular para camping, caminhadas e observação de aves.

Os amantes de caminhadas podem fazer qualquer uma das três trilhas da Reserva: Circuito El Zorro, que dura cerca de 20 minutos, Circuito de Las Taras, de uma hora, e Circuito de La Perdiz, que dura cerca de duas horas.

O horário de visitação da Reserva Nacional Lachay é de segunda a domingo, das 8h às 14h. O ingresso custa S/. 15, para adultos, e S/. 5, para crianças.

LOMAS DE MANGOMARCA

O parque fica no distrito de San Juan de Lurigancho, a 40 minutos de Lima, e tem uma paisagem de grande beleza natural. Numa região de montes, os ventos e a umidade do mar estimulam o desenvolvimento da vegetação, criando um ecossistema único.

O que fazer em Lima

O parque tem uma área total de 400 hectares e é o lar de mais de 100 espécies de plantas e de diversas espécies de aves, como a coruja de areia e o tartaranhão.

MERCADO INDIO

Há um grande número de lojas que vendem artesanato peruano e lembrancinhas ao longo da Avenida Petit Thouars, em Miraflores, a uma curta caminhada do Parque Kennedy.

Porém, a sua maior e, possivelmente, melhor opção é o Mercado Indio. Aqui, há várias barraquinhas que vendem de tudo um pouco.

JOCKEY PLAZA

Localizado no bairro Surco, ele tem atrativos para todas as idades sendo uma ótima opção para a família. O Jockey Plaza tem várias lojas de departamento, restaurantes fast food, cafeterias, cinemas e um teatro.

MERCADO CENTRAL

É no Mercado Central que encontramos o mais tradicional artesanato andino. Localizado no centro de Lima, ao sul da Plaza Mayor, ele é uma boa opção para garantir o seu souvenir.

Visitar o mercado é uma experiência antropológica, muito além de comercial: diferentes grupos étnicos vendem seus artesanatos e apresentam um pouco do seu estilo de vida.

POLVOS AZULES

O mercado Povos Azules é muito “louco” e você pode comprar de tudo nele: roupas baratas, jogos, sapatos, mochilas, bolsas, perfumes e muito mais. A maioria das coisas é falsificada, então, fique de olhos. Existem vários mercados semelhantes no Centro de Lima.

Como visitar Lima

QUANDO IR

O melhor período para visitar Lima é entre dezembro e abril, quando as chances de dias ensolarados são maiores. Nessa época também não faz tanto frio à noite.

O clima na cidade é quase sempre agradável, sem calor ou frio extremos. Entretanto, a umidade relativa do ar é sempre alta, podendo chegar a 95% mesmo sem chuva. É isso que causa os nevoeiros tão constantes na atmosfera de Lima.

O que para nós brasileiros pode ser uma ameaça aparente são os frequentes terremotos que balançam a cidade. A maioria deles não apresenta riscos para a população, mas é estranho acordar de madrugada sentindo o chão tremer, como aconteceu comigo.

Para saber onde aconteceram os últimos tremores de terra e qual a intensidade de cada um deles, você pode acessar o site do Instituto Geofísico do Peru.

ONDE COMER

A hora do almoço em Lima é uma atração à parte. A boa mesa, que concilia os frutos do mar com a herança dos povos que habitam as montanhas, faz da culinária limenha um patrimônio peruano.

Comece pelo tradicionalíssimo ceviche, um prato preparado com peixe marinado em suco de limão.

No Tanta, um dos melhores restaurantes da cidade, saboreie o Lomo Saltado, um prato para comer celebrando cada pedaço e desejando mais. Para acompanhar, peça uma Inka Cola, que não tem a cor, o sabor nem o gás da concorrente americana.

À noitinha, vá ao Picas, um bar que fica no bairro de Barranco, o mais boêmio da capital peruana.

Por lá, experimente o Pisco Sour e o Maracuya Sour. Barranco foi, por muitos anos, o bairro dos ricos, já que tem uma vista privilegiada para o mar do Pacífico. Ainda hoje moram ali personagens da cena cult limenha, entre eles o peruano Prêmio Nobel de literatura, de 2010, Mario Vargas Llosa.

COMO CHEGAR

O Aeroporto Internacional Jorge Chávez (LIM) está a 30 minutos do centro de Lima.

Há voos diários de diferentes companhias aéreas que partem do Aeroporto Internacional de Guarulhos (GRU), em São Paulo, com destino à capital peruana.

Sem escalas, a viagem dura aproximadamente cinco horas. De Lima, partem vários voos para as principais cidades do país.

→ Companhias aéreas do Peru

Também é possível chegar a Lima de ônibus. A viagem pode durar mais de 30 horas, partindo de Rio Branco, a capital do Acre. Há saídas também de São Paulo.

→ Como viajar de ônibus para o Peru

A capital peruana é ligada às principais cidades por um serviço de transporte de passageiros moderno e que supera, em muitos aspectos, os oferecidos no Brasil.

Para citar alguns exemplos, a maioria dos ônibus tem dois andares, cadeiras confortáveis, serviço de bordo com refeições, internet sem fio e boas opções de entretenimento. As melhores empresas rodoviárias são Cruz del Sur e Oltursa.

De uma forma geral, as rodovias peruanas estão em bom estado de conservação, principalmente aquelas que ligam grandes centros urbanos.

Brasileiros podem dirigir no Peru usando a Carteira Nacional de Habilitação por até seis meses.

→ Peru de carro: o que você precisa saber

Onde ficar em Lima

A capital peruana é uma grande metrópole e, por isso, é muito importante escolher bem onde ficar em Lima. Em minha opinião, o bairro Miraflores tem as melhores opções de hospedagem.

Bem cuidada, esta região é cheia de bons restaurantes e hotéis. Ficar hospedado no Miraflores pode até ser mais caro do que em outras áreas da cidade, mas os benefícios compensam cada centavo.

Bem perto, o bairro San Isidro é ainda mais residencial e, portanto, mais tranquilo. Também é uma região muito interessante para quem viaja com família ou amigos e quer ficar perto de tudo, mas não tão perto a ponto de se sentir incomodado.

Eu não indico ficar no Centro Histórico. Embora os preços sejam os melhores, você vai perder em conforto e em segurança.

EXE MIRAFLORES

Uma das melhores opções para ficar em Lima, o Exe Miraflores  fica bem pertinho do Parque Miraflores Kennedy, uma agradável área verde da cidade. Ele tem ótimos quartos, com colchões confortáveis, travesseiros e roupa de cama de excelente qualidade.

Onde ficar em Lima

O café da manhã é fantástico e atende a todos os gostos.  O hotel oferece um drinque de boas-vindas no bar do restaurante e duas garrafas de água todos os dias sem custo adicional. O shopping Larcomar fica a apenas 800 metros do hotel e a praia de Miraflores a um quilômetro.

Onde ficar em Lima

AYENDA STEFANOS

O Ayenda Stefanos é uma das opções mais em conta do Miraflores. Ele fica no coração do bairro, em uma área mais movimentada. Isso significa que você pode fazer muitas coisas a pé e ter acesso fácil ao transporte público. Os quartos são arejados, espaçosos, a cama é muito confortável e o café da manhã é ótimo.

Onde ficar em Lima

Como já disse, Miraflores é um bairro ótimo e eu indico este hotel para todos os tipos de viajante, mas, especialmente, para quem aprecia bons restaurantes e não quer pagar muito, mas acertar na hora de escolher onde ficar em Lima.

Onde ficar em Lima

CASA ANDINA PREMIUM MIRAFLORES

O Casa Andina Premium Miraflores também fica no Miraflores, a poucos metros de restaurantes e bares super badalados: a localização deste hotel é um dos seus pontos fortes. Ele faz parte da rede peruana Casa Andina, que eu considero ter um excelente atendimento e uma ótima qualidade nos serviços.

Os quartos são bem equipados e confortáveis. A internet funciona e o estacionamento é gratuito. O café da manhã é excelente, sempre com muitas variedades, e já está incluso no valor da diária. É uma opção prática e muito aconchegante para quem quer aproveitar bem o tempo na cidade.

Onde ficar em Lima

HOTEL NOBILITY

O Hotel Nobility também fica no Miraflores, meu bairro preferido, e tem quartos bem espaçosos. O restaurante tem um cardápio bacana com pratos regionais e da cozinha mediterrânea. Ele fica a a 35 minutos de carro do aeroporto e bem pertinho de Centro Histórico, então, dá para aproveitar muito a cidade.

Onde ficar em Lima

Se é conforto que você está procurando, eu indico reservar este hotel. A diária inclui um saboroso café da manhã com frutas e aqueles pãezinhos caseiros que só o Peru tem, sabe? No fim do dia, você ainda pode relaxar na sauna ou queimar as calorias na sala de ginástica.

ANTARA HOTEL

Também no coração de Miraflores, o Antara Hotel fica entre duas das principais avenidas de Lima. Ele tem quartos bastante aconchegantes: isso inclui banheira de hidromassagem e sauna – além de internet e estacionamento gratuitos, claro. No restaurante do hotel, você pode saborear pratos internacionais e inovadores, além da tradicional cozinha peruana.

Onde ficar em Lima

O hotel tem um estilo minimalista, mais romântico, ideal para casais. O atendimento é bem personalizado e muito elogiado, coisas que a gente encontra em hotéis menores, como é o caso do Antara.

MERCURE ARIOSTO LIMA

O Mercure Ariosto Lima tem muitos pontos positivos: conforto, localização excelente, comida incrível – tem café da manhã, almoço e jantar – e atendimento super elogiado. Sobre isso eu quer falar mais um pouco.

Onde ficar em Lima

É que a receptividade dos funcionários é sensacional. Todos são muito gentis e eficientes: do check-in à lavanderia. Sem dúvida, é uma super escolha para ficar em Lima.

IBIS LIMA REDUCTO MIRAFLORES

O Ibis Lima Reducto Miraflores é uma excelente opção para quem não quer ter surpresas desagradáveis, já que o padrão da rede a gente conhece bem: quartos compactos e vem resolvidos, atendimento profissional e localização estratégica.

Onde ficar em Lima

É um hotel para quem procura uma hospedagem prática, com preço interessante, segurança e conforto na medida. O custo-benefício acaba sendo interessante porque é fácil chegar a qualquer parte de Lima a partir do hotel.

AC HOTEL BY MARRIOTT LIMA MIRAFLORES

O AC Hotel by Marriott Lima Miraflores é um dos melhores da capital peruana e, sem dúvida, é uma grande escolha para ficar em Lima. Ele tem uma avaliação super boa, conforto excelente em todos os ambientes e o atendimento deixa tudo melhor – isso faz muita diferença, né?

Onde ficar em Lima

E tem, ainda, café da manhã excelente, com muitas comidinhas gostosas, quartos amplos e arejados e localização excelente, praticamente ao lado do Shopping Larcomar. Vale a pena dar uma olhada com calma neste hotel.

Onde ficar em Lima

PARIWANA HOSTEL LIMA

Se você está vindo para Lima sozinho, um hostel pode ser um bom lugar para se hospedar e, com toda certeza, o Pariwana Hostel Lima é um dos melhores da cidade. Ele fica perto de tudo o que você precisa – lanchonetes, restaurantes, mercados, casas de câmbio. Tudo, exatamente tudo.

Além disso, o fato de poder interagir com pessoas de vários lugares do mundo e fazer novos amigos é outro ponto que joga a seu favor. O atendimento é sensacional e o café da manhã cumpre bem o seu papel. Há armários individuais e a internet funciona.

Faixas de preço em Lima

Agora que você já viu as minhas opções preferidas – não só as minhas, mas as de muita gente também – é hora de dar uma olhada nos preços antes de decidir onde ficar em Lima.



Booking.com

 

INFORMAÇÕES BÁSICAS
Visto | Brasileiros não precisam de visto para entrar no país e o prazo máximo de permanência é de 90 dias, podendo ser prorrogado por mais 90 dias.
Documentos | Você deve apresentar o passaporte, com seis meses de validade, ou a carteira de identidade, emitida há menos de dez anos.
Dinheiro| A moeda peruana é o nuevo sol, identificado pela sigla PEN e pelo símbolo S/. Para sua viagem, leve dólares e troque nas casas de câmbio.
Vacinas | A vacina contra covid-19 não é obrigatória, mas é necessário apresentar um teste RT-PCR. A vacina contra febre amarela é recomendada para quem for viajar para a região amazônica.

INFORMAÇÕES SOBRE COVID-19

Desde que reabriu suas fronteiras, o Peru adotou várias regras de prevenção e controle dos casos de covid-19. Isso significa que é preciso cumprir alguns requisitos sanitários e legais para entrar no país.

De forma geral, os documentos exigidos para a entrada de brasileiros – além dos já citados acima – são os seguintes:

  1. Comprovante de vacinação contra covid-19 com esquema vacinal completo – a terceira dose é exigida para maiores de 40 anos –, esta regra vale para viajantes maiores de 12 anos;
  2. Resultado negativo de teste RT-PCR feito há, no máximo, 48 horas antes do embarque, exigido apenas de viajantes não vacinados;
  3. Formulário Declaração de Autorização de Saúde e Geolocalização preenchido e enviado eletronicamente até 72 horas antes da partida, exigido de todos os viajante.
  4. Comprovante de hospedagem, que pode ser solicitado para que as autoridades peruanas monitorem seu estado de saúde.

É importante saber que, para viajantes vacinados, a dose final deve ter sido administrada pelo menos 14 dias antes da viagem.

Todos os viajantes – vacinados ou não – podem ser submetidos a verificação de temperatura e a testes aleatórios para detecção de covid-19 na chegada ao Peru. Se o resultado der positivo, será necessário seguir as instruções das autoridades de saúde e pode ser necessário cumprir quarentena de até 14 dias.

No caso de crianças menores de 12 anos, basta que estejam assintomáticas para embarcar, não sendo exigido comprovante de vacinação ou teste RT-PCR.

É obrigatório o uso de máscara dupla – uma máscara cirúrgica e uma máscara de pano ou apenas uma do modelo KN95 – durante os voos e nos aeroportos peruanos.

Em todo o Peru, o estado de emergência continua em vigor. Por isso, o comprovante de vacinação contra covid-19 pode ser exigido para entrar em museus, sítios arqueológicos, shoppings, supermercados, restaurantes e em outros ambientes fechados.

Você pode acompanhar os números oficiais da covid-19 no site do Governo do Peru.

SEGURO VIAGEM

Apesar de não ser obrigatório,  viajar sem o seguro viagem durante a pandemia não é uma boa ideia.  Ainda que você esteja com o esquema vacinal completo, é bom saber que terá atendimento médico e hospitalar na hora que precisar.

Além disso, o preço do seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele também garante que você estará amparado em situações como cancelamento da viagem, extravio de bagagem e muitas outras.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

Veja mais dicas do Peru

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver mais dicas do Peru.