Como cuidar da saúde no Peru: dicas para salvar sua viagem – e sua vida

Atualizado em 17 de outubro de 2022 – 6 min de leitura

Como cuidar da saúde no Peru

Por mais simples que seja, toda viagem exige um pouco de atenção com questões básicas que envolvem a saúde do viajante. Exatamente por isso, eu preparei algumas dicas para você cuidar de sua saúde no Peru. Assim, você evita sofrer de alguns males enquanto descobre as preciosidades da terra dos incas.

Você vai ver que são cuidados simples. Alimentação diferente, mudança de temperatura e até mesmo a qualidade da água podem lhe deixar para baixo. Como resultado, você pode não aproveitar tanto a sua viagem.

No Peru, temos ainda o mal de altitude, que pode causar desconforto em muita gente, principalmente em quem vai até Cusco e Machu Picchu.

Neste artigo, eu vou explicar sobre:

Como cuidar da saúde no Peru

Vacinas

Nenhuma vacina é obrigatória para entrar no Peru, mas se você está planejado uma viagem para a região amazônica, é aconselhável ser vacinado contra a febre amarela.

A melhor opção é ser vacinado no Brasil, mas, caso isso não seja possível, no Aeroporto Internacional Jorge Chávez (LIM), em Lima, há um posto médico onde você pode ser vacinado antes de tomar um voo para a floresta.

↓ Vejas informações sobre covid-19 abaixo

Dependendo do tempo que estiver planejando ficar no meio da selva, você deve consultar seu médico sobre a possibilidade de ser vacinado contra outras doenças, como hepatite A, hepatite B, catapora, febre tifoide e tétano, por exemplo.

Além disso, também é bom se informar sobre o tratamento antimalárico.

Febre amarela

O governo do Peru recomenda a vacina para todos os viajantes que vão visitar áreas de florestas abaixo de 2.300 metros.

Viajantes que só visitarão Lima, Cusco e Machu Picchu não precisam de vacina contra a febre amarela.

Como cuidar da saúde no Peru

Será exigido o Comprovante Internacional de Vacinação de todos os viajantes que chegarem de países com ocorrência de febre amarela na África e na América – então, observe qual será o seu destino antes do Peru para não ter dor de cabeça.

Malária

A malária é uma doença que pode ser fatal e é transmitida por mosquitos, que geralmente pica a partir do anoitecer até os primeiros raios de sol – ela merece sua atenção para cuidar da saúde no Peru.

A prevenção da doença é feita por meio de um medicamento contra a malária e da proteção contra as picadas de insetos.

→ Como se prevenir da malária e febre amarela

Existem muitos medicamentos antimaláricos, mas eles podem não ser totalmente suficientes para lhe prevenir de contrair a doença. Há relatos de pessoas que utilizaram o medicamente, mas não se protegeram contra as picadas do mosquito e ficaram doentes.

Assim, é importante ter um conselho médico sobre as vantagens e desvantagens do medicamento, mas, em todos os casos, use repelente para evitar ser picado.

O risco de contrair malária, ou qualquer outra doença no Peru, é muito maior para um turista do que para a população local. Portanto, não ignore os riscos e jamais suspenda a medicação antes do período indicado.

Não há risco de malária nas grandes cidades ou em áreas acima de 1.500 metros de altitude. As áreas de maior risco são na costa norte do país e na região amazônica.

Evitando picadas de insetos, reduz-se também o risco de contrair outras doenças transmitidas por mosquitos, como a dengue e a leishmaniose. Vestir camisas de mangas longas e usar repelente ainda são as melhores soluções.

Medicamentos

É recomendável viajar com um pequeno kit médico que inclui alguns medicamentos básicos, como antiácido, antitérmico, analgésico, anti-inflamatório e antialérgico.

Também sugiro levar soluções para hidratação oral, como soro caseiro, para o caso de diarreia grave.

Lembre-se, também, de levar medicamentos para dores musculares. Em viagens, é normal caminhar mais do que pode estar acostumado. Assim, dores nas costas e nas pernas podem aparecer.

Além disso, inclua artigos de primeiros socorros como curativos e antissépticos.

Como cuidar da saúde no Peru

Se você usa lentes de contato, leve uma porção extra da loção de higienização.

Todos os medicamentos do seu kit devem ser escolhidos com a orientação de um  médico, levando em consideração o seu destino.

Também é recomendável que os medicamentos sejam mantidos nas embalagens originais, e você deve estar com as prescrições devidamente assinadas por seu médico, para garantir que você continue cuidando de sua saúde no Peru.

Alguns viajantes ficam muito tempo fora do país e precisam levar uma quantidade maior de medicamentos. Para isso, eu aconselho distribuir nas malas e levar algumas doses em sua bagagem de mão – colocar tudo em uma mala não é uma boa ideia: vai que ela fique perdida no aeroporto?

Medicamentos comuns podem ser comprados em farmácias sem restrições.

No entanto, certifique-se que a data de validade não tenha sido atingida. Farmacêuticos são, em sua maioria, muito úteis e podem ser consultados, se necessário.

Alimentação

Outra dica para você cuidar de sua saúde no Peru é ter cuidado com sua alimentação.

É difícil garantir a segurança de alimentos e bebidas, especialmente em países em desenvolvimento – como o Brasil. No entanto, você não deve se privar de desfrutar as comidas locais, afinal isso faz parte dos prazeres de uma viagem.

O segredo é saber escolher onde comer e tomar certas precauções, como preferir alimentos cozidos, evitar alimentos que foram reaquecidos ou expostos sem refrigeração, evitar frutos do mar em lugares distantes do litoral, e preferir frutas com casca, de forma que você possa removê-las antes de comer.

Como cuidar da saúde no Peru

Não hesite em rejeitar qualquer alimento que você considere que não seja seguro. É melhor passar por um pequeno constrangimento do que estragar o resto de sua viagem.

Água

Prefira beber água quando tiver certeza de que é devidamente filtrada e jamais beba água da torneira – ela é outra vilã que pode afetar sua saúde no Peru.

A água mineral engarrafada é muito barata, porém sempre verifique se o frasco está devidamente lacrado e que não foi aberto e recarregado.

Nos restaurantes, você pode solicitar que a garrafa seja aberta em sua presença. Se duvidar, não peça gelo em suas bebidas. Cubos de gelo são, muitas vezes, feitos com água da torneira.

O mesmo acontece com sucos de fruta, que, provavelmente, serão preparados com água sem filtrar.

É muito importante estar bem hidratado, principalmente na estação mais quente, quando se transpira mais. O melhor sinal de que você tem uma quantidade boa de água no corpo é quando você produz urina clara e abundante.

Sol

Durante o período mais quente, evite fazer muito esforço físico caso não se sinta preparado para isso.

Use roupas frescas, principalmente durante as horas mais quentes do dia e também abuse do protetor solar. Sempre que possível evite exposição direta ao sol e tenha sempre chapéu, ou boné, por perto.

Como o Peru está próximo á linha do Equador, o sol pode se tornar perigoso para a sua pele e seus olhos. Especialmente na Cordilheira, há forte radiação de raios ultravioleta devido à altura e ao ar bastante frio: queimaduras na pele podem aparecer antes mesmo de você perceber – elas podem se agravar e você pode ter problemas sério de saúde no Peru.

Se os seus olhos são sensíveis à luz, melhor trazer bons óculos de sol de casa. Claro, você pode comprar óculos de sol no Peru, mas você deve realmente ter certeza de que eles bloqueiam os raios solares. Caso contrário, eles podem ser piores do que você pensa.

Mal de altitude

O mal de altitude é uma das maiores queixas de quem tem problema de saúde no Peru.

Se você não tem experiência com altitudes acima de 3.500 metros, não ignore algumas regras, pois muitos turistas sentem os efeitos na própria pele.

Dor de cabeça, enjoo e mal-estar estão entre os principais sintomas que podem lhe deixar mal durante um bom tempo. Por isso, o ideal é fazer a subida gradativamente, evitando migrar de regiões próximas ao nível do mar para áreas acima dos 3.000 metros.

O soroche, conhecido por nós como mal da altitude, é o nome dado para esses incômodos que são os reflexos do nosso corpo quando ele está com dificuldade de absorver oxigênio para suprir suas necessidades.

→ Como se prevenir do mal de altitude

Embora sejam raros, em condições extremas, esses efeitos podem causar a morte.

Mascar folhas de coca é uma forma bastante eficaz contra o mal de altitude. No entanto, o uso do chá pode ser mais saboroso.

Nas cidades peruanas que ficam na Cordilheira dos Andes você pode comprar um remédio chamado soroche para evitar o mal de altitude – eu acho que esta é a melhor forma de cuidar da saúde Peru, especialmente nas cidades da andinas.

Os farmacêuticos indicam tomar um comprimido pela manhã.

Informações Básicas

Visto

Brasileiros não precisam de visto para entrar no país e o prazo máximo de permanência é de 90 dias, podendo ser prorrogado por mais 90 dias.

Documentos

Você deve apresentar o passaporte, com seis meses de validade, ou a carteira de identidade, emitida há menos de dez anos e em bom estado de conservação.

Dinheiro

A moeda peruana é o nuevo sol, identificado pela sigla PEN e pelo símbolo S/. Para sua viagem, leve dólares e troque nas casas de câmbio.

Vacinas

A vacina contra febre amarela é recomendada para quem for viajar para a região amazônica. Veja como solicitar o certificado pela internet.

Informações sobre covid-19

Desde que reabriu suas fronteiras, o Peru adotou várias regras de prevenção e controle dos casos de covid-19. Isso significa que é preciso cumprir alguns requisitos sanitários e legais para entrar no país.

De forma geral, os documentos exigidos para a entrada de brasileiros – além dos já citados acima – são os seguintes:

  1. Comprovante de vacinação contra covid-19 com esquema vacinal completo – a terceira dose é exigida para maiores de 40 anos –, esta regra vale para viajantes maiores de 12 anos;
  2. Resultado negativo de teste RT-PCR feito há, no máximo, 48 horas antes do embarque, exigido apenas de viajantes não vacinados;
  3. Formulário Declaração de Autorização de Saúde e Geolocalização preenchido e enviado eletronicamente até 72 horas antes da partida, exigido de todos os viajante.
  4. Comprovante de hospedagem, que pode ser solicitado para que as autoridades peruanas monitorem seu estado de saúde.

É importante saber que, para viajantes vacinados, a dose final deve ter sido administrada pelo menos 14 dias antes da viagem.

Todos os viajantes – vacinados ou não – podem ser submetidos a verificação de temperatura e a testes aleatórios para detecção de covid-19 na chegada ao Peru. Se o resultado der positivo, será necessário seguir as instruções das autoridades de saúde e pode ser necessário cumprir quarentena de até 14 dias.

No caso de crianças menores de 12 anos, basta que estejam assintomáticas para embarcar, não sendo exigido comprovante de vacinação ou teste RT-PCR.

É obrigatório o uso de máscara dupla – uma máscara cirúrgica e uma máscara de pano ou apenas uma do modelo KN95 – durante os voos e nos aeroportos peruanos.

Em todo o Peru, o estado de emergência continua em vigor. Por isso, o comprovante de vacinação contra covid-19 pode ser exigido para entrar em museus, sítios arqueológicos, shoppings, supermercados, restaurantes e em outros ambientes fechados.

Você pode acompanhar os números oficiais da covid-19 no site do Governo do Peru.

Retorno ao Brasil

Viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

Seguro viagem

Apesar de não ser obrigatório,  viajar sem o seguro viagem durante a pandemia não é uma boa ideia.  Ainda que você esteja com o esquema vacinal completo, é bom saber que terá atendimento médico e hospitalar na hora que precisar.

Além disso, o preço do seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele também garante que você estará amparado em situações como cancelamento da viagem, extravio de bagagem e muitas outras.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

MAL DE ALTITUDE

Se você vai viajar para o Peru, já sabe que é importante se prevenir do mal de altitude. Também conhecido como soroche, ele é muito comum em viajantes que se aventuram por regiões próximas a 3.000 metros de altitude.

Os sintomas mais comuns são dor de cabeça, enjoo, vômito, tontura, cansaço excessivo e mal-estar. Esses são os principais reflexos da dificuldade do nosso organismo em absorver o oxigênio, e, embora seja raro, em condições extremas, o mal de altitude pode levar à morte.

Isso acontece porque, à medida que a altitude aumenta e a pressão atmosférica cai, o ar fica mais rarefeito. Assim, a concentração de oxigênio diminui e o nosso corpo sente isso. Para prevenir ou diminuir seus efeitos, é bom evitar fazer movimentos rápidos e esforço físico nos primeiros dias.

Mascar folhas de coca é uma forma bastante eficaz de prevenir o mal de altitude. A forma correta de usar a folha é deixar a erva no canto da boca e sugar o sumo que ela libera quando em contato com a saliva. O uso do chá pode ser mais saboroso e nas farmácias é fácil encontrar pílula para soroche.

Veja mais dicas do Peru

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver mais dicas do Peru.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

2 Comentários

  1. Igor

    Boas Dicas !

    Isso aí é importante no Peru e na Bolívia também…

    • Altier Moulin

      Sem dúvida, Igor. 🙂