Dicas para cuidar de sua saúde no Peru

2

Atualizado em 20 de abril de 2018

Por mais simples que seja, toda viagem exige um pouco de atenção com questões básicas que envolvem a saúde do viajante. Exatamente por isso, eu preparei algumas dicas para você cuidar de sua saúde no Peru. Assim, você evita sofrer de alguns males enquanto descobre a terra dos incas.

A alimentação diferente, a mudança de temperatura e até mesmo a qualidade da água podem lhe deixar para baixo. Como resultado, você pode não aproveitar tanto a sua viagem. No Peru, temos ainda o mal de altitude, que pode causar desconforto em muita gente, principalmente em quem vai até Cusco e Machu Picchu.

Vacinas | Nenhuma vacina específica é obrigatória para entrar no Peru, mas se você está planejado uma viagem para a região amazônica, é aconselhável ser vacinado contra a febre amarela.

A melhor opção é vacinar-se no Brasil. Mas, caso isso não seja possível, no Aeroporto Internacional Jorge Chávez, em Lima, há um posto médico onde você pode ser vacinado antes de tomar um voo para a floresta.

Dependendo do tempo que estiver planejando ficar no meio da selva, você deve consultar seu médico sobre a possibilidade de ser vacinado contra outras doenças, como hepatite A, hepatite B, catapora, febre tifoide e tétano, por exemplo. Além disso, também é bom se informar sobre o tratamento antimalárico. Eu sugiro que você também leia: Dicas para evitar malária e febre amarela.

Febre amarela | O governo do Peru recomenda a vacina para todos os viajantes que vão visitar áreas de florestas abaixo de 2.300 metros. Os viajantes que só visitarão Lima, Cusco e Machu Picchu não precisam de vacina contra a febre amarela. Será exigido o Comprovante Internacional de Vacinação de todos os viajantes que chegarem de países com ocorrência de febre amarela na África e na América. O Brasil não está nessa lista.

Malária | A malária é uma doença que pode ser fatal e é transmitida por mosquitos. O mosquito pica principalmente a partir do anoitecer até os primeiros raios de sol. Antes de partir, é muito importante saber quais áreas apresentam ocorrência de malária. A prevenção da doença é feita por meio de um medicamento contra a malária e da proteção contra as picadas de insetos.

Existem muitos medicamentos antimaláricos, mas eles podem não ser totalmente suficientes para lhe prevenir de contrair a doença. Há relatos de pessoas que utilizaram o medicamente, mas não se protegeram contra as picadas do mosquito e ficaram doentes.

Assim, é importante ter um conselho médico sobre as vantagens e desvantagens do medicamento, mas, em todos os casos, use repelente para evitar ser picado. O risco de contrair malária, ou qualquer outra doença no Peru, é muito maior para um turista do que para a população local. Portanto, não ignore os riscos e jamais suspenda a medicação antes do período indicado.

No Peru, não há risco de malária nas grandes cidades ou em áreas acima de 1.500 metros de altitude. As áreas de maior risco são na costa norte do país e na região amazônica.

Evitando picadas de insetos, reduz-se também o risco de contrair outras doenças transmitidas por mosquitos, como a dengue e a leishmaniose. Vestir mangas longas e usar repelentes são boas ideias.

Dicas para cuidar de sua saúde no Peru

Mudança de temperatura: um dia no frio e o outro no calor. Seu corpo pode reclamar.

Dicas para cuidar de sua saúde no Peru

Prepare um kit poderoso com os medicamentos que seu médico sugerir.

Medicamentos | É recomendável viajar com um pequeno kit médico que inclui alguns medicamentos básicos, como antiácido, antitérmico, analgésico, anti-inflamatório e antialérgico. Também sugiro levar soluções para hidratação oral, como soro caseiro, para o caso de diarreia grave. Além disso, inclua artigos de primeiros socorros como curativos e antissépticos. Se você usa lentes de contato, leve uma porção extra da loção de higienização. Lembre-se, também, de levar medicamentos para dores musculares. Em viagens, é normal caminhar mais do que pode estar acostumado. Assim, dores nas costas e nas pernas podem aparecer.

Todos os medicamentos do seu kit devem ser escolhidos sob orientação do seu médico, levando em consideração o seu destino. Também é recomendável que os medicamentos sejam mantidos na embalagem original. Além de estar com as prescrições devidamente assinada por seu descrevendo, com o diagnóstico ou condições médicas, incluindo nomes genéricos dos medicamentos. No caso de portar seringas ou agulhas, esse procedimento é altamente recomendável.

Alguns viajantes ficam muito tempo fora do país e precisam levar uma quantidade maior. Para isso, eu aconselho distribuir nas malas e levar algumas doses em sua bagagem de mão.

Higiene e alimentação | Outra dica para você cuidar de sua saúde no Peru é ter cuidado com sua alimentação. É difícil garantir a segurança de alimentos e bebidas, especialmente em países em desenvolvimento. No entanto, você não deve se privar de desfrutar as comidas locais, afinal de contas isso faz parte dos prazeres de sua viagem.

O segredo é saber escolher onde comer e tomar certas precauções, como preferir alimentos cozidos, evitar alimentos que foram reaquecidos ou expostos sem refrigeração, evitar frutos do mar em lugares distantes do litoral, e preferir frutas com casca, de forma que você possa removê-las antes de comer.

Não hesite em rejeitar qualquer alimento que você considere que não seja seguro. É melhor passar por um pequeno constrangimento do que estragar o resto de sua viagem.

Dicas para cuidar de sua saúde no Peru

Turista experimenta totóra, nas Ilhas de Uros. Eu também comi.

Dicas para cuidar de sua saúde no Peru

Mas há pratos mais saborosos na culinária peruana como esse arroz com lagostins.

Água | Prefira beber água quando tiver certeza de que é devidamente filtrada e jamais beba água da torneira. A água mineral engarrafada é muito barata, porém sempre verifique se o frasco está devidamente lacrado e que não foi aberto e recarregado. Nos restaurantes, você pode solicitar que a garrafa seja aberta em sua presença. Se duvidar, não peça gelo em suas bebidas. Cubos de gelo são, muitas vezes, feitos com água da torneira. O mesmo acontece com sucos de fruta, que, provavelmente, serão preparados com água sem filtrar.

É muito importante estar bem hidratado, principalmente na estação mais quente, quando se transpira mais. O melhor sinal de que você tem uma quantidade boa de água no corpo é quando você produz urina clara e abundante.

Sol | Durante o período mais quente, evite fazer muito esforço físico caso não se sinta preparado para isso. Use roupas frescas, principalmente durante as horas mais quentes do dia e também abuse do protetor solar. Sempre que possível evite exposição direta ao sol e tenha sempre chapéu, ou boné, por perto.

Como o Peru está próximo á linha do Equador, o sol pode se tornar perigoso para a sua pele e seus olhos. Especialmente na Cordilheira, a forte radiação de raios ultravioleta devido à altura e ao ar bastante frio, queimaduras podem aparecer na sua pele antes mesmo de você perceber.

Se os seus olhos são sensíveis à luz, melhor trazer bons óculos de sol de casa. Claro, você pode comprar óculos de sol no Peru, mas você deve realmente ter certeza de que eles bloqueiam os raios solares. Caso contrário, eles podem ser piores do que você pensa.

Farmácias | Medicamentos comuns podem ser comprados em farmácias sem restrições. No entanto, certifique-se que a data de validade não tenha sido atingida. Farmacêuticos são, em sua maioria, muito úteis e podem ser consultados, se necessário.

Diarreia | Bebidas eletrolíticas podem ajudar a proteger contra a desidratação. Diarreia bacteriana pode ser tratada com antibióticos, se ela não desaparecer depois de uma semana.

Mal de Altitude | Essa é uma das maiores queixas de quem tem problema de saúdo no Peru. Se você não tem experiência com altitudes acima de 3.500 metros, não ignore algumas regras, pois muitos turistas sentem os efeitos na própria pele. Dor de cabeça, enjoo e mal-estar estão entre os principais sintomas que podem lhe colocar para baixo durante um bom tempo. Por isso, o ideal é fazer a subida gradativamente, evitando migrar de regiões próximas ao nível do mar para áreas acima dos 3.000 metros.

Conhecido como mal da altitude, esses incômodos nada mais são dos que os reflexos do nosso corpo. Eles vêm da dificuldade do organismo humano em absorver oxigênio para suprir as suas necessidades. Embora sejam raros, em condições extremas, esses efeitos podem causar a morte.

Mascar folhas de coca é uma forma bastante eficaz contra o mal de altitude. No entanto, o uso do chá pode ser mais saboroso.

Dicas para cuidar de sua saúde no Peru

A paisagem é linda, mas a altitude pode lhe trazer desconfortos.

Dicas para cuidar de sua saúde no Peru

O chá de coca é a forma mais tradicional para combater os efeitos do mal de altitude.

Seguro viagem | Se você tem um plano de saúde no Brasil, mas se ele não cobre gastos médicos no exterior, é recomendável contar com um seguro de viagem que cubra eventuais gastos de saúde durante sua visita ao Peru.

Existem diferentes tipos de seguros que se adaptam ao seu tipo de atividade turística. Porém, em termos gerais, é preferível que a apólice ofereça cobertura tanto de saúde como de bagagem.

Os tipos de seguros de viagem variam dependendo da companhia de seguros. Por isso, o ideal é contratá-lo antes da sua chegada ao Peru. Eu sugiro a Mondial Assistance, a maior empresa do mercado mundial em seguro viagem.

Outro ponto importante, é saber se seu seguro de viagem pode fazer o reembolso de valores pagos diretamente aos prestadores de serviços de saúde. Isso, em casos de urgência.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

2 Comentários