Dicas para evitar malária e febre amarela

0

Atualizado em 19 de julho de 2015

A malária e a febre amarela são doenças de certa forma bem semelhantes. Elas são transmitidas por picadas de mosquito, os sintomas são parecidos – febre, cansaço e dores no corpo – e ambas podem matar se atingirem um nível mais crítico. No caso da malária, infelizmente ainda não há vacina que previna a doença, diferente da febre amarela que tem uma vacina altamente eficaz.

Outra semelhança entre as duas enfermidades é que elas ocorrem apenas em países de clima tropical, especialmente em regiões de mata. Para você ter uma ideia, no Brasil, segundo o Ministério da Saúde, 99% dos casos da malária ocorrem nos estados que compõem a Amazônia.

Mas vamos esclarecer uma questão: não é qualquer picada de mosquito que vai lhe transmitir essas doenças. Para que isto aconteça, é necessário que o mosquito pique uma pessoa infectada e, após o vírus se multiplicar, pique um indivíduo que ainda não teve a doença e não que tenha sido vacinado.

Com isso em mente, anote algumas dicas importantes para evitar o contágio com a malária. Quanto à febre amarela a melhor opção é mesmo se vacinar em um posto de saúde gratuitamente.

Dicas para evitar malária

Repelente | O uso do repelente é uma forma bem eficaz de prevenir a doença, mas é preciso ter alguns cuidados. Primeiro, verifique se a concentração da substância ativa está adequada. No rótulo do produto verifique se a quantidade de DEET está entre 25 e 30%. Índices menores não garantem proteção adequada.

Mas aqui está um problema: a maioria dos repelentes brasileiros não indica a quantidade de DEET no rótulo. Por isso é preciso aplicar o produto novamente a cada quatro horas ou logo após se molhar.

Outra questão importante é que o repelente deve estar sempre ser a última camada sobre a pela. Portanto, se precisar passar protetor solar, aplique o repelente sobre ele depois de seco. Você deve usar o repelente sobre todo o corpo. No rosto, evite passar nas regiões dos olhos e da boca.

Remédios | Não existem remédios preventivos que sejam totalmente eficazes. O que os médicos costumam fazer é indicar antibióticos utilizados no tratamento da doença para serem usados de forma preventiva. Esses remédios devem ser tomados exclusivamente sob orientação de seu médico.

Roupas | Usar roupas que cubram a maior parte do corpo pode ajudar.

Horários | Evitar a exposição nos horários em que os mosquitos atacam com mais frequência é ideal. Isso geralmente acontece geralmente ao entardecer.

Mitos | Dizem que tomar Complexo B evita a picada de mosquitos, entretanto estudos científicos comprovaram a ineficácia dessa prática.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

Escreva um comentário