Os sítios arqueológicos de Cusco

8

Atualizado em 6 de abril de 2018

Cusco foi declarada Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, em 1983. A cidade sagrada, onde ficavam os palácios dos imperadores inca, era, também, de onde partiam as deliberações para todo o Império. Mas, hoje, o que movimenta a cidade é mesmo a massa de turistas que invade suas ruas. Independentemente de ser época das chuvas, gente do mundo inteiro vem conhecer os sítios arqueológicos de Cusco.

Quando vista de cima a cidade – considerada o umbigo do mundo – revela seus contornos. Construída a 3.300 metros acima do nível do mar, Cusco é rodeada por montanhas. Mas, seu clima sempre frio desanima os turistas que fazem da Plaza de Armas o principal ponto de encontro da cidade. Ladeada por bares, cafeterias, restaurantes, lanchonetes e igrejas, a praça é mega movimentada durante o dia e à noite.

Reserve já o seu hotel em Cusco e garanta os melhores preços.

SOBRE A HISTÓRIA DE CUSCO

A fundação de Cusco é atribuída ao primeiro inca que teria surgido do Lago Titicaca para construir o Império Inca. Segundo a lenda, Manco Capac teria escolhido essas terras para erguer a capital do Império seguindo as orientações do deus sol.

Entretanto, a ciência tem outra explicação para a origem da cidade peruana mais antiga a ser habitada. Os arqueólogos afirmam que Cusco teve origem há cerca de 3.000 anos com a chegada de um grupo de 500 indivíduos remanescentes da etnia taypigala.

Com o fortalecimento do Império Inca, a cidade se tornou a mais importante da Cordilheira dos Andes. Ou seja, ganhou posição de polo político, cultural e religioso. Sob o domínio de Pachacuti, o mais famoso imperador inca, os domínios da civilização cresceram e chegaram à região onde hoje é Quito, no Equador.

A Pachacuti também é atribuída a organização da cidade em forma de um puma sentado. Nesse desenho, a Plaza de Armas fica no peito do animal. Na cabeça está Sacsayhuamán, local dos grandes eventos do império, como a Inti Raymi, celebrada em junho.

O avanço dos conquistadores espanhóis deixou um rastro de sangue no caminho por onde passou a trupe de Francisco Pizarro. Isso, até conquistar Cusco, que era o alvo maior da Coroa Espanhola. A resistência inca durou ainda alguns anos depois da implantação da colônia. Até que, em 1572 o último guerreiro da resistência foi capturado e decapitado.

Localizada na rota de comércio entre Lima e Buenos Aires, Cusco cresceu rapidamente. Porém, a decisão final de fazer de Lima o centro do governo colonial levou em consideração sua proximidade com o mar. Entretanto, Cusco não perdeu sua posição de prestígio e, ainda hoje, é considerada o Umbigo do Mundo. 

Originalmente, a cidade tinha a forma de um puma, animal abundante na região até a chegada dos espanhóis. Hoje, desenvolvida, perdeu esta característica, mas mantém os vestígios da história ao seu redor.

Os sítios arqueológicos de Cusco

A cidade vista do alto de Sacsayhuamán.

Os sítios arqueológicos de Cusco

A movimentada Praça de Armas.

Os sítios arqueológicos de Cusco

O traçado original da cidade de Cusco.

Sítios arqueológicos de Cusco

Para entender um pouco melhor a cidade, é essencial conhecer os sítios arqueológicos de Cusco e também as cidades do Vale Sagrado. Eu fiz um passeio de meio dia pelos sítios arqueológicos e, nesse tempo, foi possível visitar boa parte dos principais prédios e sítios arqueológicos que contam a história da fundação de Cusco. Entre eles, as ruínas Sacsayhuamán, Quenco, Pukapukara e Tambomachay, que são as principais. Mas, há também o Museu Koricancha e a Igreja e Convento de San Domingo.

Sacsayhuamán | Essa gigantesca construção, que abriga o Templo do Raio, é a mais famosa entre os sítios arqueológico de Cusco. Aqui, é possível perceber a evolução da arquitetura dos incas em dois estilos distintos de construção. O primeiro, sem muito acabamento, consiste em amontoar pedras menores. Já o segundo, mais elaborado, trabalhava pedras maiores de forma que elas tivessem um encaixe perfeito. A apenas dois quilômetros da cidade de Cusco, é um passeio imperdível. A visita pode ser feita diariamente, das 7h às 18h.

Os sítios arqueológicos de Cusco

Sacsayhuamán: dois tipos de construção.

Os sítios arqueológicos de Cusco

O sítio arqueológico de Sacsayhuamán.

Quenco | Esse sítio arqueológico está a seis quilômetros do centro de Cusco. Ele tem o formato de um labirinto e é considerado o centro médico do Império Inca. Era aqui que os bebês tinham faixas amarradas na cabeça com o objetivo de deformar os seus crânios. Quenco também era o lugar sagrado dos sacrifícios e onde os corpos eram preparados para o sepultamento.

Os sítios arqueológicos de Cusco

Quenco é, na verdade, um labirinto de pedras.

Pukapukara | Com uma vista perfeita para as montanhas cusquenhas, essa impressionante construção de pedra talhada muda de cor de acordo com a incidência dos raios solares. Por isso, ela também é chamada de Forte Vermelho. Estudos apontam que ela era uma hospedaria que acomodava a comitiva dos imperadores inca. Pukapukara está a sete quilômetros de Cusco e pode ser visitada diariamente, das 7h às 18h.

Os sítios arqueológicos de Cusco

Os muros de Pukapukara.

Os

A incrível vista de Pukapukara.

Tambomachay | Daqui nascem as águas mais puras de todo o país. Construído para ser o lugar de descanso dos imperadores, é cortado por uma série de canais e várias cascatas de água que descem pelas rochas. Tambomachay fica praticamente em frente a Pukapukara e está aberto para visitação diariamente, das 7h às 18h.

Programe seu passeio pelos sítios arqueológicos de Cusco

Quanto custa | Para visitar todos esses sítios arqueológicos, você precisa comprar o Boleto Turístico del Cusco. Ele é o seu passaporte para as atrações localizadas na cidade e nos arredores. E, na maioria dos casos, a sua única opção para visitar esses lugares, já que muitos não vendem entradas avulsas.

O lugar mais seguro para adquiri-lo é no escritório do Comitê do Boleto Turístico, que pertinho da Plaza de Armas. O boleto custa PEN 130, e estudantes pagam PEN 70. Consulte outros valores e os lugares que você pode visitar.

Quando ir |  A melhor época para fazer uma viagem a Cusco – especialmente se você quer visitar Machu Picchu – é entre os meses de maio e setembro, quando quase não chove por aqui, mas, em compensação, as temperaturas são bem mais baixas. Os melhores meses são, exatamente, junho e julho. A temporada de chuvas começa em outubro, e os meses que mais chovem são de dezembro a março.

Quem leva | Há vários roteiros e passeios pelos sítios arqueológicos de Cusco e o ideal é comprar um desses pacotes que já inclua o transporte e o guia – que faz toda a diferença. Veja algumas opções de passeios em Cusco.

Como chegar | Há voos diários de cidades como Lima e Arequipa para Cusco. Na alta estação, comprar passagens com antecedência é imprescindível, já que meio mundo vem pra cá. As principais empresas aéreas do país você vê em: Companhias aéreas do Peru.

O Aeroporto Internacional Alejandro Velasco Astete (CUZ), em Cusco, é relativamente pequeno, mas tem várias lachonetes, além de lojas de souvenires e caixa eletrônico.

Uma viagem de ônibus de Lima a Cusco pode ser barra pesada, já que o trajeto não é feito em menos de 30 horas. Assim, a melhor opção é mesmo chegar aqui de avião ou fazer paradas em outras cidades pelo caminho.

Viajar de ônibus no Peru é muito confortável e seguro, se compararmos com os padrões brasileiros. As principais empresas do país você vê em: Empresas de ônibus no Peru.

Outra opção para chegar a Cusco é viajar de trem. De Puno, as partidas acontecem nas sextas e sábados, sempre às 8h, e a chegada é prevista para as 18h. A peruana Peru Rail, empresa que também opera o trem até Machu Picchu, aceita pagamentos com cartões de crédito, mas será necessário apresentar o cartão no ato do embarque.

A viagem corta as montanhas andinas e o vale do Rio Huatanay, proporcionando um cenário maravilhoso. O trem faz uma parada em La Raya, o ponto mais alto da viagem, por cerca de dez minutos, para permitir que os passageiros saiam para comprar artesanato, água e comida.

Cusco é pequena o suficiente para que você conheça os principais atrativos de Centro a pé. Embora os táxis sejam muitos e baratos, você só vai precisar deles por mordomia ou quanto quiser ir a um dos sítios mais distantes.

Onde ficar | Cusco tem opções de hospedagem para todo o tipo de viajante: de hostels baratinhos a hotéis caríssimos. Independentemente de quanto você queira pagar por uma noite aqui, a regra é: escolha ficar o mais próximo da Plaza de Armas possível, pois é ao redor dela que a vida da cidade acontece, e é aqui que estão as principais e melhores ofertas de restaurantes, baladas e também os bancos e caixas eletrônicos.

Quando estive em Cusco, eu me hospedei no hotel Casa Andina Classic Cusco Plaza, que tem um excelente atendimento e ótimos quartos. Se estiver com tempo, você pode, também, dormir nos arredores de Machu Picchu. Uma boa opção para quem quer esnobar aos pés de Machu Picchu é o Sumaq Machu Picchu Hotel. Esse hotel cinco estrelas fica em Águas Calientes, povoado que é a base para quem visita o santuário de Machu Picchu. O Belmond Sanctuary Lodge, por exemplo, é o único hotel com vista para as ruínas de Machu Picchu. Veja outras opções de hospedagem.

Saúde | O seguro viagem não é obrigatório, mas eu não aconselho que você viaje sem ele, já que é muito comum ser afetado pelo mal de altitude. Saiba como comprar seu seguro viagem com desconto. Veja mais dicas em: Dicas para cuidar de sua saúde no Peru.

Visto e documentos | Brasileiros não precisam de visto para entrar e permanecer no Peru por até 90 dias. Na chegada, você poderá apresentar a carteira de identidade, desde que ela tenha sido emitida há menos de dez anos e que esteja em bom estado de conservação, ou o passaporte.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

8 Comentários

  1. Avatar

    Outra dúvida que eu tenho é em relação a Machu Picchu. Pretendo ir a Cusco em dezembro, onde posso comprar os ingressos para conhecer Machu Picchu e as demais atrações? Qual o valor?

    Desde já agradeço e o seu blog estar sendo o meu guia turístico.

  2. Avatar

    ola Altier, pretendo ir a Machu Picchu em junho, saindo de Cusco, com um grupo de amigos, sei que tenho que comprar as passagens de trem, porém não entendi como compro a passagem de onibus que me leva até a montanha, não queremos visitar yuanapicchu. obrigada Lúcia

    • Altier Moulin

      Oi, Lucia.

      Em Águas Calientes há um terminal de ônibus que vende as passagens por horário. Você também pode tentar comprar em Cusco, antes de chegar a Machu Picchu.

      Um abraço.

  3. Avatar

    Vou viajar para Lima em um mês e eu gostaria de visitar Cusco, Aguas Calientes, Machu Picchu, Chincheros e Urubamba. Como eu tenho pouco dinheiro, eu gostaria de viajar de ônibus. Você sabe que empresas de ônibus são baratos e seguros? Tenho recomendado a https://www.redbus.pe/ para comprar bilhetes de ônibus a partir das melhores empresas do país. Você já usou esta página? Estou muito animado para começar esta viagem!! Lembranças!

Escreva um comentário