Os sítios arqueológicos de Cusco

8

Atualizado em 6 de abril de 2018

Cusco foi declarada Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, em 1983. A cidade sagrada, onde ficavam os palácios dos imperadores inca, era, também, de onde partiam as deliberações para todo o Império. Mas, hoje, o que movimenta a cidade é mesmo a massa de turistas que invade suas ruas. Independentemente de ser época das chuvas, gente do mundo inteiro vem conhecer os sítios arqueológicos de Cusco.

Quando vista de cima a cidade – considerada o umbigo do mundo – revela seus contornos. Construída a 3.300 metros acima do nível do mar, Cusco é rodeada por montanhas. Mas, seu clima sempre frio desanima os turistas que fazem da Plaza de Armas o principal ponto de encontro da cidade. Ladeada por bares, cafeterias, restaurantes, lanchonetes e igrejas, a praça é mega movimentada durante o dia e à noite.

Reserve já o seu hotel em Cusco e garanta os melhores preços.

SOBRE A HISTÓRIA DE CUSCO

A fundação de Cusco é atribuída ao primeiro inca que teria surgido do Lago Titicaca para construir o Império Inca. Segundo a lenda, Manco Capac teria escolhido essas terras para erguer a capital do Império seguindo as orientações do deus sol.

Entretanto, a ciência tem outra explicação para a origem da cidade peruana mais antiga a ser habitada. Os arqueólogos afirmam que Cusco teve origem há cerca de 3.000 anos com a chegada de um grupo de 500 indivíduos remanescentes da etnia taypigala.

Com o fortalecimento do Império Inca, a cidade se tornou a mais importante da Cordilheira dos Andes. Ou seja, ganhou posição de polo político, cultural e religioso. Sob o domínio de Pachacuti, o mais famoso imperador inca, os domínios da civilização cresceram e chegaram à região onde hoje é Quito, no Equador.

A Pachacuti também é atribuída a organização da cidade em forma de um puma sentado. Nesse desenho, a Plaza de Armas fica no peito do animal. Na cabeça está Sacsayhuamán, local dos grandes eventos do império, como a Inti Raymi, celebrada em junho.

O avanço dos conquistadores espanhóis deixou um rastro de sangue no caminho por onde passou a trupe de Francisco Pizarro. Isso, até conquistar Cusco, que era o alvo maior da Coroa Espanhola. A resistência inca durou ainda alguns anos depois da implantação da colônia. Até que, em 1572 o último guerreiro da resistência foi capturado e decapitado.

Localizada na rota de comércio entre Lima e Buenos Aires, Cusco cresceu rapidamente. Porém, a decisão final de fazer de Lima o centro do governo colonial levou em consideração sua proximidade com o mar. Entretanto, Cusco não perdeu sua posição de prestígio e, ainda hoje, é considerada o Umbigo do Mundo. 

Originalmente, a cidade tinha a forma de um puma, animal abundante na região até a chegada dos espanhóis. Hoje, desenvolvida, perdeu esta característica, mas mantém os vestígios da história ao seu redor.

Os sítios arqueológicos de Cusco

A cidade vista do alto de Sacsayhuamán.

Os sítios arqueológicos de Cusco

A movimentada Praça de Armas.

Os sítios arqueológicos de Cusco

O traçado original da cidade de Cusco.

Sítios arqueológicos de Cusco

Para entender um pouco melhor a cidade, é essencial conhecer os sítios arqueológicos de Cusco e também as cidades do Vale Sagrado. Eu fiz um passeio de meio dia pelos sítios arqueológicos e, nesse tempo, foi possível visitar boa parte dos principais prédios e sítios arqueológicos que contam a história da fundação de Cusco. Entre eles, as ruínas Sacsayhuamán, Quenco, Pukapukara e Tambomachay, que são as principais. Mas, há também o Museu Koricancha e a Igreja e Convento de San Domingo.

Sacsayhuamán | Essa gigantesca construção, que abriga o Templo do Raio, é a mais famosa entre os sítios arqueológico de Cusco. Aqui, é possível perceber a evolução da arquitetura dos incas em dois estilos distintos de construção. O primeiro, sem muito acabamento, consiste em amontoar pedras menores. Já o segundo, mais elaborado, trabalhava pedras maiores de forma que elas tivessem um encaixe perfeito. A apenas dois quilômetros da cidade de Cusco, é um passeio imperdível. A visita pode ser feita diariamente, das 7h às 18h.

Os sítios arqueológicos de Cusco

Sacsayhuamán: dois tipos de construção.

Os sítios arqueológicos de Cusco

O sítio arqueológico de Sacsayhuamán.

Quenco | Esse sítio arqueológico está a seis quilômetros do centro de Cusco. Ele tem o formato de um labirinto e é considerado o centro médico do Império Inca. Era aqui que os bebês tinham faixas amarradas na cabeça com o objetivo de deformar os seus crânios. Quenco também era o lugar sagrado dos sacrifícios e onde os corpos eram preparados para o sepultamento.

Os sítios arqueológicos de Cusco

Quenco é, na verdade, um labirinto de pedras.

Pukapukara | Com uma vista perfeita para as montanhas cusquenhas, essa impressionante construção de pedra talhada muda de cor de acordo com a incidência dos raios solares. Por isso, ela também é chamada de Forte Vermelho. Estudos apontam que ela era uma hospedaria que acomodava a comitiva dos imperadores inca. Pukapukara está a sete quilômetros de Cusco e pode ser visitada diariamente, das 7h às 18h.

Os sítios arqueológicos de Cusco

Os muros de Pukapukara.

Os

A incrível vista de Pukapukara.

Tambomachay | Daqui nascem as águas mais puras de todo o país. Construído para ser o lugar de descanso dos imperadores, é cortado por uma série de canais e várias cascatas de água que descem pelas rochas. Tambomachay fica praticamente em frente a Pukapukara e está aberto para visitação diariamente, das 7h às 18h.

Programe seu passeio pelos sítios arqueológicos de Cusco

Quanto custa | Para visitar todos esses sítios arqueológicos, você precisa comprar o Boleto Turístico del Cusco. Ele é o seu passaporte para as atrações localizadas na cidade e nos arredores. E, na maioria dos casos, a sua única opção para visitar esses lugares, já que muitos não vendem entradas avulsas.

O lugar mais seguro para adquiri-lo é no escritório do Comitê do Boleto Turístico, que pertinho da Plaza de Armas. O boleto custa PEN 130, e estudantes pagam PEN 70. Consulte outros valores e os lugares que você pode visitar.

Quando ir |  A melhor época para fazer uma viagem a Cusco – especialmente se você quer visitar Machu Picchu – é entre os meses de maio e setembro, quando quase não chove por aqui, mas, em compensação, as temperaturas são bem mais baixas. Os melhores meses são, exatamente, junho e julho. A temporada de chuvas começa em outubro, e os meses que mais chovem são de dezembro a março.

Quem leva | Há vários roteiros e passeios pelos sítios arqueológicos de Cusco e o ideal é comprar um desses pacotes que já inclua o transporte e o guia – que faz toda a diferença. Veja algumas opções de passeios em Cusco.

Como chegar | Há voos diários de cidades como Lima e Arequipa para Cusco. Na alta estação, comprar passagens com antecedência é imprescindível, já que meio mundo vem pra cá. As principais empresas aéreas do país você vê em: Companhias aéreas do Peru.

O Aeroporto Internacional Alejandro Velasco Astete (CUZ), em Cusco, é relativamente pequeno, mas tem várias lachonetes, além de lojas de souvenires e caixa eletrônico.

Uma viagem de ônibus de Lima a Cusco pode ser barra pesada, já que o trajeto não é feito em menos de 30 horas. Assim, a melhor opção é mesmo chegar aqui de avião ou fazer paradas em outras cidades pelo caminho.

Viajar de ônibus no Peru é muito confortável e seguro, se compararmos com os padrões brasileiros. As principais empresas do país você vê em: Empresas de ônibus no Peru.

Outra opção para chegar a Cusco é viajar de trem. De Puno, as partidas acontecem nas sextas e sábados, sempre às 8h, e a chegada é prevista para as 18h. A peruana Peru Rail, empresa que também opera o trem até Machu Picchu, aceita pagamentos com cartões de crédito, mas será necessário apresentar o cartão no ato do embarque.

A viagem corta as montanhas andinas e o vale do Rio Huatanay, proporcionando um cenário maravilhoso. O trem faz uma parada em La Raya, o ponto mais alto da viagem, por cerca de dez minutos, para permitir que os passageiros saiam para comprar artesanato, água e comida.

Cusco é pequena o suficiente para que você conheça os principais atrativos de Centro a pé. Embora os táxis sejam muitos e baratos, você só vai precisar deles por mordomia ou quanto quiser ir a um dos sítios mais distantes.

Onde ficar | Cusco tem opções de hospedagem para todo o tipo de viajante: de hostels baratinhos a hotéis caríssimos. Independentemente de quanto você queira pagar por uma noite aqui, a regra é: escolha ficar o mais próximo da Plaza de Armas possível, pois é ao redor dela que a vida da cidade acontece, e é aqui que estão as principais e melhores ofertas de restaurantes, baladas e também os bancos e caixas eletrônicos.

Quando estive em Cusco, eu me hospedei no hotel Casa Andina Classic Cusco Plaza, que tem um excelente atendimento e ótimos quartos. Se estiver com tempo, você pode, também, dormir nos arredores de Machu Picchu. Uma boa opção para quem quer esnobar aos pés de Machu Picchu é o Sumaq Machu Picchu Hotel. Esse hotel cinco estrelas fica em Águas Calientes, povoado que é a base para quem visita o santuário de Machu Picchu. O Belmond Sanctuary Lodge, por exemplo, é o único hotel com vista para as ruínas de Machu Picchu. Veja outras opções de hospedagem.

Saúde | O seguro viagem não é obrigatório, mas eu não aconselho que você viaje sem ele, já que é muito comum ser afetado pelo mal de altitude. Saiba como comprar seu seguro viagem com desconto. Veja mais dicas em: Dicas para cuidar de sua saúde no Peru.

Visto e documentos | Brasileiros não precisam de visto para entrar e permanecer no Peru por até 90 dias. Na chegada, você poderá apresentar a carteira de identidade, desde que ela tenha sido emitida há menos de dez anos e que esteja em bom estado de conservação, ou o passaporte.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um viajante apaixonado pelas coisas desse mundo. Um jornalista que adora contar boas histórias e compartilhar informações de viagem. Meu propósito de vida é ajudar outras pessoas a conhecerem lugares novos e a viverem experiências inesquecíveis.

8 Comentários

  1. Avatar

    Vou viajar para Lima em um mês e eu gostaria de visitar Cusco, Aguas Calientes, Machu Picchu, Chincheros e Urubamba. Como eu tenho pouco dinheiro, eu gostaria de viajar de ônibus. Você sabe que empresas de ônibus são baratos e seguros? Tenho recomendado a https://www.redbus.pe/ para comprar bilhetes de ônibus a partir das melhores empresas do país. Você já usou esta página? Estou muito animado para começar esta viagem!! Lembranças!

  2. Avatar

    ola Altier, pretendo ir a Machu Picchu em junho, saindo de Cusco, com um grupo de amigos, sei que tenho que comprar as passagens de trem, porém não entendi como compro a passagem de onibus que me leva até a montanha, não queremos visitar yuanapicchu. obrigada Lúcia

    • Altier Moulin

      Oi, Lucia.

      Em Águas Calientes há um terminal de ônibus que vende as passagens por horário. Você também pode tentar comprar em Cusco, antes de chegar a Machu Picchu.

      Um abraço.

  3. Avatar

    Outra dúvida que eu tenho é em relação a Machu Picchu. Pretendo ir a Cusco em dezembro, onde posso comprar os ingressos para conhecer Machu Picchu e as demais atrações? Qual o valor?

    Desde já agradeço e o seu blog estar sendo o meu guia turístico.

Escreva um comentário