10 esportes radicais para praticar no Brasil: opções de norte a sul

Atualizado em 27 de outubro de 2022 – 5 min de leitura
10 esportes radicais para praticar no Brasil

Foto: Ann W

Se você anda procurando lugares para se aventurar em atividades nada convencionais, tome nota dos principais esportes radicais para praticar no Brasil e se prepare para uma viagem cheia de emoção por diferentes regiões do país.

Com tanta diversidade, o nosso Brasilzão é ideal para a prática de vários esportes radicais.

Com clima, relevo e vegetação diferentes, cidades grandes e pequenas de norte a sul do país proporcionam aos viajantes experiências que levam a adrenalina lá no topo.

Neste artigo, eu vou explicar sobre:

Esportes radicais para praticar no Brasil

Na lista dos esportes radicais mais praticados no nosso país estão o paraquedismo, que é um dos mais populares e desafiadores do mundo, e o balonismo, um dos mais antigos.

Mas há tantos outros capazes de fazer você sentir mais vivo do que nunca: surfe em ondas gigantes, rapel, rafting, trilhas e travessias são alguns deles.

Antes de ver a lista completa, eu vou dar algumas dicas:

  • O rafting é o esporte radical mais praticado no mundo;
  • O balonismo foi inventado por um brasileiro;
  • Sempre procure empresas certificadas e conhecidas no mercado;
  • A travessia dos Lençóis Maranhenses tem paisagens incríveis;
  • O trekking no Monte Roraima pode durar até dez dias;
  • Se você não tem experiência, comece com trilhas curtas.

Paraquedismo

Na cidade de Boituva, em São Paulo, fica a maior área livre para a prática de paraquedismo da América Latina e uma das maiores do mundo.

No Centro Nacional de Paraquedismo funciona uma escola de paraquedismo com certificado de qualidade atribuído pela United States Parachute Association (USPA).

Então, se quiser ter essa experiência incrível, é só se programar e partir… ou melhor, voar.

→ Salto de paraquedas em Boituva

Outro lugar perfeito para a prática do esporte é Resende, no Rio de Janeiro.

→ Salto de paraquedas em Resende

Na cidade, há escolas que oferecem treinamento adequado e que organizam os saltos.

Para que não sabem, o salto duplo é possível mesmo para viajantes não certificados.

Surfe em grandes ondas

No Brasil, quem procura grandes ondas tem pelo menos três praias de responsa.

A lista é encabeçada pela Ilha dos Lobos, em Torres, no litoral norte do Rio Grande do Sul, onde as ondas ultrapassam os cinco metros com tubos perfeitos.

→ Onde ficar em Torres

A praia é cercada de pedras e fica a dois quilômetros da costa, com acesso feito apenas de barco.

As outras duas boas opções são a Praia da Vila em Imbituba, Santa Catarina, e a Cacimba do Padre, em Fernando de Noronha.

→ Quando ir a Fernando de Noronha

Rapel

Paisagens deslumbrantes e o famoso Abismo das Anhumas fazem de Bonito, no Mato Grosso do Sul, um dos melhores lugares do Brasil para praticar rapel.

A escalada é feita com ganchos e equipamentos de segurança para chegar da fantástica caverna, que esconde um lago submerso: são 72 metros de subida, mas vale a pena.

Também dá para fazer rapel na Cachoeira de Matilde, descendo no paredão de 45 metros, sendo que a maior parte é de descida negativa – que é quando descemos totalmente pendurados na corda, sem encostar os pés na rocha, controlando tudo com a mão.

Cachoeira de Matilde fica na pequena cidade de Alfredo Chaves, a 95 quilômetros de Vitória. Ela é uma das principais atrações do Espírito Santo e toda a região ao seu redor é perfeita para quem gosta de estar em contato com a natureza e de praticar esportes de aventura.

Base Jump

Vales, penhascos, prédios e pontes não faltam no Brasil, mas é o Dedo de Deus, com 1.692 metros de altura é perfeito para a prática do Base Jump com wings, asas que surgem quando você abre os braços para plainar.

Já imaginou como deve ser sobrevoar o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, em Guapimirim?

Rafting

O Brasil é um dos mais competitivos no cenário mundial do rafting, modalidade de esporte radical mais praticada no mundo. Aqui, nas terras tupiniquins há pelo menos cinco pontos ideais para a prática do esporte.

A lista começa com Foz do Iguaçu, no Paraná, nas dramáticas quedas das Cataratas do Iguaçu.

10 esportes radicais para praticar no Brasil

Jalapão, no Tocantins, Rio das Contas, em Itacaré, na Bahia, e o Rio Formoso, em Bonito, também são opções radicais.

Motocross

Em Marília, no interior de São Paulo, o torneio de saltos ornamentais em piruetas que chegam a dez metros de altura ainda é um esporte relativamente novo, mas já há muitas feras brasileiros encarando concorrentes estrangeiros em competições internacionais.

Para quem quer começar no esporte a dica é aproveitar os melhores centros de treinamento do país que ficam na cidade. Afinal, além de muita coragem, você precisa mesmo é de uma boa pista.

Balonismo

Um dos esportes radicais mais antigos do mundo, o balonismo foi inventado por um brasileiro.

Nascido em Santos, o padre Bartolomeu de Gusmão conseguiu ser elevado a quatro metros do chão em uma apresentação para o Rei Dom João V e sua corte, em Lisboa.

Um dos lugares mais importantes para a prática do balonismo no Brasil é a cidade de Piracicaba, no interior de São Paulo.

→ Voo de balão em Boituva

Com suas grandes planícies, a cidade é a capital brasileira do esporte, mas Maringá, no Paraná, Rio Branco, no Acre, e Boituva, em São Paulo, também oferecem boas condições para você voar de balão.

10 esportes radicais para praticar no Brasil

Eu voei de balão no Acre e a sensação de ver a floresta amazônica do alto é simplesmente indescritível: a vegetação some no horizonte e nos dá a gostosa sensação de ser um mundo sem fim.

O voo de balão no Acre é o único que pode nos proporcionar esta emoção, já que não há outro lugar da Amazônia que oferece voos assim.

→ Voo de balão no Acre

Cave Jump

Já pensou em saltar na boca de uma caverna? Pois é exatamente isso que o Cave Jump faz, um esporte radical bem parecido com o Bungee Jump.

No Brasil o único lugar onde isso é possível é na Gruta do Lapão, na Chapada Diamantina, na Bahia.

Voo Livre

Nossa lista dos esportes radicais para praticar no Brasil tem também o clássico voo livre.

Muito popular nos anos 1990, o voo livre é a expressão de liberdade e do velho sonho do homem de ter asas.

A Pedra da Gávea, no Rio de Janeiro, tem uma das melhores rampas do país, com um visual deslumbrante de toda a Zona Sul da Cidade Maravilhosa.

Você pode fazer voos duplos com instrutores certificados.

Trekking

Com diferentes intensidades, durando mais ou menos tempo, as trilhas e travessias são sempre uma aventura e algumas delas podem ser bastante radicais.

Um clássico brasileiros é a travessia dos Lençóis Maranhenses, que dura três dias pernoitando dentro do Parque Nacional, em comunidades locais.

Outro super clássico é o trekking para o Monte Roraima, que fica na  divisa do Brasil com a Venezuela e com a Guiana.

→ Trekking no Monte Roraima

A travessia dura de seis a dez dias e é considerada uma das mais marcantes para viajantes que gostam de natureza e aventura.

Para quem prefere algo mais leve, a trilha Pedra da Macela, na estrada Paraty-Cunha, é uma boa opção no Rio de Janeiro.

→ Trilha na Pedra da Marcela

A trilha do Pico dos Marins, na Serra da Mantiqueira, começa na cidade de Piquete, São Paulo, quase na divisa com Minas Gerais.

O percurso dura, em média, quatro horas e não há nenhuma infraestrutura ao longo da trilha, por isso é bom estar preparado.

→ Trilha no Pico dos Marins

Geralmente, os viajantes se planejam para acampar no fim da trilha, subindo em um dia e descem no outro.

Outro trekking muito interessante é o que faz a subida do Pico da Bandeira. Ele é o terceiro pico mais alto do país, com 2.891 metros e fica entre os estados de Minas Gerais e Espírito Santo.

→ Trekking no Pico da Bandeira

Veja mais dicas importantes

Gostou das minhas dicas e sugestões? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

3 Comentários

  1. Thallita Aparecida Eleaquim de Macedo

    Muito com o conteúdo trazido, poderia ter inclusive mais fotos.

    Responder
    • Altier Moulin

      Obrigado.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *