10 cuidados ao viajar para o exterior: dicas essenciais para ter uma viagem segura

Atualizado em 22 de novembro de 2022 – 4 min de leitura

Foto: Ross Parmly

Não há dúvidas de que eu incentivo qualquer pessoa a arrumar as malas e ir em busca de novas aventuras. Ainda assim, é preciso ter alguns cuidados ao viajar – especialmente para o exterior – evitando transtornos e estresse.

Afinal, se em nosso país as diferenças culturais e os modos de agir já são muitas diversos, imagine em outro país, né?

Neste artigo, eu vou explicar sobre:

Cuidados ao viajar para o exterior

Cada viagem reserva experiências e aprendizados incríveis que só vivenciamos quando nos permitimos sair da zona de conforto. E, por mais libertador que isso soe, fica ainda melhor se você tomar alguns cuidados ao viajar para o exterior.

1. Mantenha a saúde em dia

Ficar doente no conforto de casa já é ruim e incômodo. Pior ainda é se sentir indisposto e precisando de cuidados ao viajar para um país onde, provavelmente, as pessoas não falam ou entendem seu idioma – além de cobrar taxas altíssimas por atendimento médico.

Para evitar um cenário como este, vale a pena fazer um check-up antes da viagem para saber se precisa atualizar suas vacinas, por exemplo, e não se esqueça de levar alguns medicamentos básicos: muitos países não vendem remédios sem receita, mesmo os mais comuns como para dor de cabeça.

Além disso, as vacinas também precisam estar em dia. Colômbia e Cuba, por exemplo, exigem a vacina contra febre amarela para que você entre no país – veja como solicitar o certificado de vacinação.

2. Busque informações

Antes de qualquer viagem, o ideal é procurar saber um pouco sobre o destino. Normalmente, essa pesquisa se limita a hospedagem e melhores passeios, mas eu aconselho você a se informar ainda melhor, em especial sobre a alimentação.

Quem tem alergias, intolerâncias ou estômago sensível, por exemplo, precisa viajar já sabendo sobre os temperos e pratos tradicionais de cada país, evitando surpresas desagradáveis.

A cultura de cada país é peculiar e observar essas características também é essencial para uma viagem tranquila: leia o mínimo que seja sobre hábitos, costumes e até sobre política para não se sentir um peixe fora d’água. Isso deixará sua viagem muito mais interessante.

3. Verifique os documentos

Parece básico, mas muitos viajantes assíduos já tiveram problemas com a documentação – mesmo que seja por puro esquecimento. Esse é um dos principais cuidados ao viajar para o exterior, afinal, estamos entrando em terras estrangeiras, onde somos forasteiros.

Para que tudo ocorra tranquilamente, é preciso atender às exigências de cada governo. Em alguns lugares é possível entrar apenas com a carteira de identidade, enquanto outros só permitem a sua entrada com passaporte válido por até seis meses depois da data de partida.

4. Arrume a mala corretamente

Apesar de muita gente encarar o ato de arrumar mala como uma chateação em embarques internacionais os critérios de bagagem costumam ser mais rígidos.

Então, é preciso tomar alguns cuidados ao viajar para o exterior: verificar o peso permitido, as dimensões e o que você pode levar na bagagem de mão e na despachada são itens básicos, mas que pode ser um problema na hora de embarcar.

5. Escolha a hospedagem certa

Na maioria dos casos, se escolher uma hospedagem na localização correta pode transformar sua viagem.

É claro que a escolha é limitada pelo orçamento e preferência de cada um, mas ainda assim, é válido pesquisar bastante e ler todas as referências possíveis de outros viajantes.

Além de saber se o bairro é perto dos pontos turísticos, perigoso ou residencial, você precisa se informar em relação aos serviços prestados, como lavanderia e traslado, e horários de check-in e check-out.

6. Entenda os passeios

Junto com a boa localização da hospedagem, o ideal é traçar um roteiro dos lugares que você não quer deixar de conhecer e já descobrir o trajeto para chegar lá.

Caso você escolha contratar o serviço de alguma agência, também é bom entrar em contato com antecedência e checar o que eles oferecem.

Também é aconselhado pesquisar sobre a segurança de cada atração.

Procure depoimentos de turistas e saiba se é seguro levar câmeras e equipamentos eletrônicos, além de regras comuns para os locais que não sejam comuns para nós.

7. Comunique-se com o Brasil

Um dos principais cuidados ao viajar é lembrar-se de quem ficou.

Não, não estou falando de presentes e lembrancinhas, e sim de alguém no Brasil que tenha todos os dados de sua viagem. É importante deixar, com uma pessoa de confiança, seu itinerário, endereço dos hotéis, telefone para contato e até número da empresa de turismo, se for o caso.

Hoje, tudo ficou mais fácil com a internet, né? Mas não se esqueça de entrar em contato com a sua operadora de telefone para entender as tarifas internacionais em relação a ligações e uso do pacote de dados.

8. A embaixada é sua amiga

Quem já precisou sabe: a Embaixada do Brasil em outros países pode ser de grande ajuda.

A rede consular brasileira é uma das maiores do mundo, portanto, vale ter o contato da embaixada do seu destino e endereço, em mãos. Em qualquer emergência, como passaporte roubado, por exemplo, eles podem ajudar muito.

9. Tenha um seguro viagem

O seguro viagem é uma garantia a mais para sua tranquilidade, e se você acha que ele vale apenas para atendimento médico, seu pensamento está equivocado.

Com o seguro viagem, além de ter atendimento médico e odontológico de emergência, você está assegurado nos casos de cancelamento da viagem, extravio de mala e até as despesas de um acompanhante custeadas, caso tenha que ficar internado, por exemplo.

Outra informação muito importante é saber que, em alguns países, como a maioria dos que ficam na Europa, você não entra sem o seguro viagem.

Eu sempre indico a Seguros Promo, uma empresa que tem um sistema de comparação de preços que reúne os melhores seguros do mundo.

10. Cuidado com o vocabulário

Ao chegar a um lugar diferente, observe como as pessoas se comunicam e evite usar gírias que você não conheça bem. Além disso, palavras e expressões que para nós significam uma coisa, podem ter uma interpretação bem diferente onde você estiver.

Quer alguns exemplos? A palavra gato ou gata, na Argentina, quando é usada para se referir a uma pessoa, pode ser interpretada como agressiva. É que ela é sinônimo para prostituta em algumas áreas.

No Peru, o termo índio não é muito bem recebido por comunidades andinas. Nos Estados Unidos, ao comprar alguma coisa, sempre peça por favor para que o vendedor lhe atenda. Ah, e jamais diga eu quero isso ou aquilo. Prefira dizer eu gostaria disso ou daquilo: please! I would like to have this.

Veja mais dicas importantes

Gostou das minhas dicas e sugestões? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *