50 livros de viagem indispensáveis para viajantes iniciantes e experientes

Atualizado em 23 de novembro de 2022 – 31 min de leitura

Foto: Le Tan

Livros de viagem são perfeitos para nos inspirar nos próximos destinos e para nos informar com mais profundidade sobre costumes, cultura e outros aspectos de um lugares que desejamos conhecer. Para você que é um viajante iniciante – ou mesmo experiente – eu listei 50 livros de viagem que precisam estar em sua estante.

Você vai notar que a lista é bastante eclética, com grandes clássicos da literatura de viagem e publicações contemporâneas, com abordagens diversas e que vão nos provocar a ver o mundo de fora da caixinha.

Neste artigo, eu vou explicar sobre:

50 livros de viagem indispensáveis

Os livros de viagem que selecionei abordam diferentes aspectos do mundo viajante: alguns falam de roteiros, outros sobre questões políticas e histórias. Há livro de autores brasileiros e estrangeiros, sobre viagens no Brasil e no mundo.

Essa diversidade tem um propósito: lhe conduzir por caminhos de descoberta que vão fazer de você um viajante atualizado com as questões que encontraremos ao viajar pelo mundo.

1. A arte de viajar

Se você quer entender um pouco melhor essa vontade quase descontrolada de pegar uma avião e sair pelo mundo desbravando lugares diferentes, o livro A Arte de Viajar é um bom começo.

Observador crítico do cotidiano, o filósofo Alain de Botton faz uso da literatura para responder a algumas das expectativas mais básicas da humanidade.

50 livros de viagem

Eruditos e acessíveis, seus ensaios abordam temas ligados à filosofia da vida cotidiana, como o amor, a arquitetura e a literatura.

Em a Arte de viajar, o autor reflete sobre as motivações que nos levam a partir para lugares distantes, abandonando o conforto do lar para enfrentar o desconhecido.

A ARTE DE VIAJAR
Alain de Botton

256 páginas
Intrínseca

2. A caminho do Atacama

A caminho do Atacama, uma viagem de moto até o deserto mais árido do mundo é a narrativa de uma viagem de moto que Rômulo Provetti fez, saindo de Belo Horizonte até o Deserto do Atacama, no Chile, atravessando o Norte da Argentina, subindo a Cordilheira dos Andes, passando por algumas das paisagens mais bonitas do mundo.

50 livros de viagem

Foram 24 dias na estrada para percorrer pouco mais de 10.500 quilômetros, encontrar e fazer muitos amigos e aprender que a pessoa que retorna para casa depois de uma longa viagem não é a mesma que partiu.

A CAMINHO DO ATACAMA
Rômulo Provetti
240 páginas
Lura

3. A estrada dá tudo que você precisa

Desde o instante em que Rômulo Wolff e Mirella Rabelo abandonaram o universo corporativo, sabiam que, para ter sucesso, era preciso um ingrediente principal: compromisso.

Eles decidiram se aventurar pelo mundo e, após centenas de milhares de quilômetros superados, criaram um modelo de negócio diferenciado.

Depararam-se com inúmeros imprevistos, mas descobriram que, quando você entrega algo para a estrada, a estrada lhe retribui. Este foi o combustível que guiou o casal para o sucesso nos trabalhos que desenvolvem on-line.

Com uma bagagem de mais de três anos viajando de carro pelo mundo, contabilizam histórias de superação, improvisação e empreendedorismo, agora compartilhadas nas páginas deste livro.

A ESTRADA DÁ TUDO QUE VOCÊ PRECISA
Rômulo Wolff e Mirella Rabelo
162 páginas

4. A geografia da pele

Evaristo de Miranda deixou o Brasil na década de 1970, durante a Ditadura Militar, e viveu longos anos no interior da África. No livro, ele conta um pouco de suas impressionantes aventuras no Níger, um país ainda pouquíssimo explorado pelo turismo.

50 livros de viagem

Ao sul do deserto do Saara, o Níger é um dos países mais pobres do mundo. Vítima do islamismo radical e da frequente ameaça do grupo extremista Boko Haram. Foi nessa dura realidade que o autor viveu durante três anos trabalhando em um projeto para ajudar a reduzir os desequilíbrios agrícolas e ecológicos que afetavam o país.

A GEOGRAFIA DA PELE
Evaristo de Miranda
364 páginas
Record

5. A Ilha

Fernando Morais apresenta suas impressões sobre Cuba 25 anos depois da primeira viagem. Lançada em 1976, esta reportagem sobre Cuba tornou-se um dos maiores sucessos editoriais brasileiros e se converteu num ícone da esquerda brasileira nos anos 70.

A ilha teve trinta edições esgotadas, passou mais de sessenta semanas nas listas de mais vendidos e foi traduzido na Europa, Estados Unidos e América Latina.

50 livros de viagem

Polêmico, o livro foi acusado de fazer a apologia da Revolução Cubana e chegou a ser apreendido pela polícia em dois estados. Naquela época o isolamento de Cuba, para os brasileiros, era total. Com o golpe militar de 1964, o Brasil rompera relações com o regime de Fidel Castro, repetindo o que já fizera quase toda a América Latina.

Os passaportes brasileiros passaram a ostentar a advertência: “Não é válido para Cuba“. Foi nessa atmosfera típica da Guerra Fria que Morais desembarcou em Cuba, onde passou três meses colhendo dados para uma reportagem que se tornaria histórica.

A ILHA
Fernando Morais
264 páginas
Companhia das Letras

6. A volta ao mundo em 80 dias

Uma aposta foi o bastante para Phileas Fogg e seu fiel escudeiro, Jean Passepartout, embarcarem em uma das maiores aventuras da literatura mundial, nos moldes da narrativa fantástica de Júlio Verne.

O escritor francês, um dos precursores da moderna ficção-científica, narra a história de um inglês metódico, que decide dar a volta ao mundo em oitenta dias, no ano de 1872, pelo suposto motivo de uma aposta selada com alta quantia de dinheiro.

Ao colocar o pé no mundo, Fogg encara diversas aventuras típicas da imaginação sinistra de Verne. Oceanos, navios a vapor, estradas de trens, selvas e até viagem sobre elefantes compõe essa jornada.

Publicado em 1873, esta obra tem destaque relevante na bibliografia deste autor que, em meio aos seus romances de aventura, pressagiou diversos avanços científicos e tecnológicos da humanidade.

A VOLTA AO MUNDO EM 80 DIAS
Júlio Verne
264 páginas
Martin Claret

7. As cidades invisíveis

“Se meu livro As cidades invisíveis continua sendo para mim aquele em que penso haver dito mais coisas, será talvez porque tenha conseguido concentrar em um único símbolo todas as minhas reflexões, experiências e conjeturas.”

50 livros de viagem

Assim se refere o próprio Italo Calvino – um dos escritores mais importantes e instigantes da segunda metade do século 20 – a este livro surpreendente, em que a cidade deixa de ser um conceito geográfico para se tornar o símbolo complexo e inesgotável da existência humana.Prêmio Jabuti 1993 de Melhor Produção Editorial de Obra em Coleção

AS CIDADES INVISÍVEIS
Italo Calvino
149 páginas
Companhia das Letras

8. As viagens de Alice

Cansada de sua vida sem graça, a jornalista Alice Steinbach resolveu dar um tempo. Pediu licença no trabalho, afastou-se dos amigos e da família e partiu numa jornada de autoconhecimento pela Europa.

Ao voltar, não conseguiu se adaptar à antiga rotina. Pediu demissão e caiu no mundo, tendo como único compromisso satisfazer suas três maiores paixões: viajar, aprender e escrever.

Este divertido e sensível livro acompanha a volta ao mundo de Alice para recuperar o tempo perdido. O roteiro segue exclusivamente seus desejos e desafia suas habilidades.

Das aulas de culinária na famosa escola de gastronomia do hotel Ritz à entrega aos ritmos calientes em Cuba, passando pelas artes japonesas e pelo fascinante mundo das gueixas em Kyoto, os programas de Alice não estão em nenhum guia turístico.

AS VIAGENS DE ALICE
Alice Steinbach
400 páginas
Benvirá

9. Aventura no topo da África

Em quantos países é preciso pisar? Quantos amigos surgem no caminho? O quanto de desafio essas amizades suportam? Quanto tempo a neve leva para derreter no calor? Quantos passos e resbaladas até o cume? O quanto de olhar é preciso para ver a África do topo? Quanto tempo leva para um livro virar um clássico?

50 livros de viagem

Airton Ortiz compartilha mais do que a narrativa: engloba as informações geográficas e históricas, as dúvidas que o assolaram, as suas sensações sinceras e a experiência de sair do Brasil e chegar até ao céu da África. Um livro mais do que merecedor de uma edição comemorativa que você agora tem em mãos.

AVENTURA NO TOPO DA ÁFRICA
Airton Ortiz
224 páginas
Metamorfose

10. Berlim, agora

Autor de mais de 20 títulos, Peter Schneider foi um dos primeiros alemães a escrever sobre o muro que dividiu a capital da Alemanha no aclamado The wall jumper (sem tradução no Brasil), lançado em 1982.

Morador de Berlim desde a década de 1960, o escritor e jornalista acompanhou a vida na cidade partida e a rápida metamorfose pela qual ela passou após a queda do muro, em 1989.

Combinando memória pessoal, relatos históricos, anedotas sobre a vida berlinense e entrevistas, Schneider mostra ao leitor os bastidores da cidade que tornou-se o microcosmo das crises de âmbito internacional do século 20.

A vida sob a Stasi, as diferenças entre Leste e Oeste, os esforços de reconstrução, as contraditórias opções arquitetônicas, a cena artística, a vida noturna, o racismo e o xenofobismo, a política tumultuada e as peculiaridades ocultas de seus moradores revelam o que torna Berlim o lugar fascinante que é.

BERLIM, AGORA
Peter Schneider
352 páginas
Rocco

11. Bravas viajantes

Sete mulheres, cada uma viajando – sozinha – por um canto diferente, compartilham suas histórias. Samantha aventurou-se nas trilhas e cachoeiras da Chapada Diamantina, na Bahia, descobrindo mais sobre si e seu corpo.

Gabi foi de ônibus ao ponto mais ao sul do continente americano, na Patagônia argentina, superando medos e inseguranças. Danieli, deficiente visual, embarcou para Nova York a fim de conhecer e treinar seu cãoguia.

50 livros de viagem

Louise ansiava por assistir a shows de rock na Alemanha, e para isso viajou de carona e dormiu em sofás de desconhecidos. Gabriella explorou a Tailândia, o Vietnã, o Laos e o Camboja, onde teve encontros memoráveis com outras mulheres.

Priscilla fez um intercâmbio na Austrália, encarando trabalhos bizarros para se manter por lá. Tamy demonstrou ser uma verdadeira expedicionária ao ir do Quênia à África do Sul, passando Tanzânia, Zimbábue, Botsuana e Namíbia.

BRAVAS VIAJANTES
Várias autoras
312 páginas
O Viajante

12. Cem dias entre céu e mar

Navegando ao lado dos peixes, entretendo conversas com gaivotas e tubarões, remando no meio de uma creche de baleias, Cem dias entre céu e mar é o relato de uma travessia absolutamente incomum: mais de 3500 milhas – cerca de 6500 quilômetros – desde o porto de Lüderitz, no sul da África, até a praia da Espera no litoral baiano, a bordo de um minúsculo barco a remo.

50 livros de viagem

Verdadeira odisseia moderna, neste livro Amyr Klink transporta o leitor para a superfície ora cinzenta, ora azulada do Atlântico Sul, tornando-o cúmplice de suas alegrias e seus temores, ao mesmo tempo em que narra, passo a passo, os preparativos, as lutas, os obstáculos e os presságios que cercaram a extraordinária viagem.

CEM DIAS ENTRE CÉU E MAR
Amyr Klink
160 páginas
Companhia de Bolso

13. Comer, reza, amar

Elizabeth Gilbert estava com quase trinta anos e tinha tudo o que qualquer mulher poderia querer: um marido apaixonado, uma casa espaçosa, o projeto de ter filhos e uma carreira de sucesso. Mas em vez de sentir-se feliz e realizada, sentia-se confusa, triste e em pânico. Enfrentou um divórcio, uma depressão debilitante e outro amor fracassado.

50 livros de viagem

Até que decidiu tomar uma decisão radical: livrou-se de todos os bens materiais, demitiu-se do emprego, e partiu para uma viagem de um ano pelo mundo – sozinha. Este livro é a envolvente crônica desse ano.

Seu objetivo era visitar três lugares onde pudesse examinar aspectos de sua própria natureza, tendo como cenário uma cultura que, tradicionalmente, fosse especialista em cada um – o prazer mundano, a devoção religiosa e os verdadeiros desejos.

COMER, REZA, AMAR
Elizabeth Gilbert
400 páginas
Novo Conceito

14. Confissões de um turista profissional

Quem gosta de viajar, e viaja mesmo – isto é, não faz turismo pra inglês ver –, sente uma vontade danada de falar a verdade sobre os lugares que visitou.

Coisas como: vale a pena todo aquele trabalho no Louvre para não ver a Monalisa? Existe algum lugar mais insalubre do que uma barraca de praia no Nordeste? Ou ainda: por que o Brasil precisa de mais uma obra de Oscar Niemeyer, o veterano arquiteto que deixa um rastro de concreto aonde quer que vá?

Mas falar essas coisas é, no mínimo, tornar-se um chato. Pois Jota Pinto Fernandes, alter ego de Kiko Nogueira, é o chato que vive em cada viajante. Corajoso e desbocado o suficiente para dizer o que as agências e seu amigo que acabou de chegar de Nova York nunca falarão.

CONFISSÕES DE UM TURISTA PROFISSIONAL
Kiko Nogueir
94 páginas
Novo Conceito

15. De Istambul a Nova Délhi

Partindo da cosmopolita Istambul, junto com sua esposa, Guilherme Canever percorreu a antiga Rota da Seda. Viajando sempre por terra, seguiu os passos de Marco Pólo, Ibin Battuta, Alexandre, o Grande e outros mercadores e conquistadores.

Passaram por países pouco visitados, como Iraque e Turcomenistão, se encantaram com a hospitalidade dos iranianos, com a arquitetura do Uzbequistão e com as montanhas do Quirguistão e Paquistão. O livro narra as aventuras e descobertas do casal por diversos países até sua chegada na Índia.

16. Destinos invisíveis

O que o Máli tem a ver com o Lesoto? E a Suazilândia com a Libéria? Tirando o fato de estarem no mesmo continente, esses países têm muito pouco em comum. Religiões, costumes, formas de governo, moedas, idiomas, características dos habitantes, leis, comidas, clima e topografia mudam consideravelmente de país para país.

Mas, para nós – e para boa parte do mundo – tudo parece fazer parte de um único e desconhecido lugar chamado África.

50 livros de viagem

É por isso que Guilherme Canever escolheu o título destinos invisíveis – uma nova aventura pela áfrica para batizar seu quarto livro, no qual narra suas aventuras por 18 países africanos. Guilherme nos conta seu dia a dia ao mesmo tempo em que fala da história, dos conflitos políticos e descreve os costumes dos povos locais.

17. Depois de Auschwitz

Em seu aniversário de quinze anos, Eva é enviada para Auschwitz. Sua sobrevivência depende da sorte, da sua própria determinação e do amor de sua mãe, Fritzi. Quando Auschwitz é extinto, mãe e filha iniciam a longa jornada de volta para casa.

Elas procuram desesperadamente pelo pai e pelo irmão de Eva, de quem haviam se separado. A notícia veio alguns meses depois: tragicamente, os dois foram mortos.

50 livros de viagem

Este é um depoimento honesto e doloroso de uma pessoa que sobreviveu ao Holocausto. As lembranças e descrições de Eva são sensíveis e vívidas, e seu relato traz o horror para tão perto quanto poderia estar.

Mas também traz a luta de Eva para viver carregando o peso de seu terrível passado, ao mesmo tempo em que inspira e motiva pessoas com sua mensagem de perseverança e de respeito ao próximo – e ainda dá continuidade ao trabalho de seu padrasto Otto, pai de Anne Frank, garantindo que o legado de Anne nunca seja esquecido.

DEPOIS DE AUSCHWITZ
Eva Schloss
304 páginas
Universo dos Livros

18. Destemida

Depois de 210 dias no mar e 24.285 milhas náuticas, Jessica Watson, uma australiana de 16 anos, retornou triunfante ao porto de Sidney. Ela se tornou a pessoa mais jovem a velejar sozinha, desassistida e sem paradas ao redor do mundo.

50 livros de viagem

Contado nas próprias palavras de Jessica, Destemida mostra a infância, inspirações, os anos de planejamento para a viagem e o que aconteceu desde a conquista do “Everest da navegação”. Uma história inspiradora, que prova definitivamente que todos temos o poder de viver nossos sonhos – não importa quão grandes eles sejam.

DESTEMIDA
Jessica Watson
352 páginas
Belas-Letras

19. Diários de bicicleta

Diários de bicicleta é uma reunião de escritos de David Byrne ao longo dos últimos anos – de Berlim a Buenos Aires, de Istambul a São Francisco, de Manila a Nova York, entre outras.

Num estilo que passeia entre ensaios, relato de viagens, diário pessoal e álbum de fotos, o autor registra também suas reflexões sobre uma variedade de assuntos – política, filosofia, música, planejamento urbano, moda, arquitetura local, diferenças culturais, sexualidade, entre outros.

DIÁRIOS DE BICICLETA
David Byrne
358 páginas
Amarilys Editora

20. Europa comunista

Com aquele papo reto e direto que já virou sua marca registrada, o jovem escritor best-seller Raiam dos Santos dá uma aula de cultura, macroeconomia, história e sagacidade numa das regiões mais instáveis e perigosas do mundo. Sua missão? Viajar por 10 países do leste europeu em apenas 10 dias e escrever um livro com as primeiras impressões de cada lugar.

50 livros de viagem

A principal questão? O que acontece com uma nação depois do comunismo?

Para responder essa pergunta, Raiam se infiltrou nos mais variados lugares da Península Balcânica e trocou ideia com extremistas muçulmanos, membros da máfia local, oligarcas multimilionários, funcionários públicos, microempresários, universitários recém-formados e traficantes de drogas em países que passaram meio século sob dominação comunista como Eslováquia, Hungria, Sérvia, Croácia, Bósnia e Herzegovina, Kosovo, Macedônia e Bulgária.

EUROPA COMUNISTA
Raiam dos Santos
162 páginas

21. Expedição Oriente

O sonho de uma volta ao mundo e suas descobertas. Heloisa Schurmann é integrante da primeira família brasileira a percorrer o mundo em um veleiro por três vezes. Já tendo viajado para mais de sessenta países, ela criou e educou os quatro filhos enquanto cruzavam os mares.

Em Expedição Oriente, narra os detalhes da aventura iniciada em 21 de setembro de 2014: depois de três anos de preparações, a família Schurmann partiu em uma viagem por 812 dias, atravessando quatro oceanos, 50 mil quilômetros, cinco continentes, 29 países, em cinquenta localidades diferentes do planeta.

O objetivo era refazer a rota que, segundo Gavin Menzies no livro 1421: o ano em que a China descobriu o mundo, os chineses teriam feito ao circum-navegar o globo.

EXPEDIÇÃO ORIENTE
Heloisa Schurmann
392 páginas
Record

22. Histórias de viajante

Vividos durante muitos anos de viagens incríveis, os relatos deste livro são uma verdadeira inspiração para quem é apaixonado por culturas diferentes, paisagens encantadoras e encontros surpreendentes que transformam nossa forma de ver o mundo.

O livro Histórias de Viajante reúne os bastidores de algumas dessas viagens, que não foram publicadas com detalhes no blogue.

São relatos que pretendem mostrar que toda viagem vale a pena, inclusive as mais loucas e inesperadas. Você vai notar que todas as histórias estão ancoradas em pessoas reais, desconhecidas e de vários países.

Do nosso imenso Brasil à fantástica Tailândia. Do pouco explorado norte da Argentina a Cuba. Da China, com seus perrengues, à surpreendente Botsuana. Da histórica República Tcheca à nossa vizinha Bolívia e muitos outros.

HISTÓRIAS DE VIAJANTE
Altier Moulin
280 páginas
Pé na Estrada

23. Homem livre

Homem Livre: ao redor do mundo sobre uma bicicleta fala sobre o que pode acontecer quando você percebe que é a sua própria mente que determina as situações que você vive, com muitas observações agudas sobre o existir, a forma de viver dos países ricos e pobres, o despertar de um homem com o sol, a lua e as estrelas, as mais das vezes sozinho, diante da eminência da morte, do perigo e da dificuldade de comunicação com línguas estranhas.

Uma história que faz o leitor encontrar o prazer de ir tão longe sobre dois pedais, numa aventura que acaba e recomeça a cada página, levando-o a viajar para dentro de si mesmo, com um entrelaçamento que só as grandes narrativas possuem.

HOMEM LIVRE
Danilo Perrotti Machado
338 páginas

24. Jovem o suficiente

A história real de um rapaz que conversou com crianças que cruzaram seu caminho, numa viagem de volta ao mundo, para aprender com elas a manter-se jovem. Era para ser uma viagem de dois melhores amigos, mas algo acontece com um deles, Louiz, e o sonho do passeio conjunto é desfeito.

50 livros de viagem

Felipe, o outro amigo, autor desta obra, percebe que os outros antigos amigos da escola estavam atolados em suas próprias rotinas nos estudos, no trabalho ou mesmo em relacionamentos sufocantes. A juventude, tão efêmera, estava ficando para trás. Era preciso resgatá-la, e ele vai em busca do sonho que também tanto motivara Louiz.

JOVEM O SUFICIENTE
Felipe Gaúcho
352 páginas
Matrix

25. Laowai

Sônia Bridi e Paulo Zero foram pioneiros na cobertura jornalística latino-americana na China. Neste livro, a jornalista conta a vida do casal na China com o filho Pedro – que tinha apenas três anos quando chegaram ao país –, durante os dois anos em que permaneceram no outro lado do planeta.

O cotidiano, o choque cultural, os bastidores das reportagens, as paisagens, as mudanças aceleradas por que passa o país…

Misto de grande reportagem – com análises sofisticadas, mas didáticas e em linguagem popular, sobre política, economia, educação, meio ambiente, tecnologia, trabalho, energia, agricultura, saúde, costumes, tradições, culinária, burocracia, censura, consumo, hábitos de higiene – e diário de viagem, com sabor de romance e um humor peculiar, o livro prende o leitor e o encanta até o final da leitura.

LAOWAI
Sônia Bridi
392 páginas
Matrix

26. Livre

Aos 22 anos, Cheryl Strayed achou que tivesse perdido tudo. Após a repentina morte da mãe, a família se distanciou e seu casamento desmoronou.

Quatro anos depois, sem nada a perder, tomou a decisão mais impulsiva da vida: caminhar sozinha cerca de 1.770 quilômetros pela costa oeste dos Estados Unidos, do deserto de Mojave, no sul da Califórnia, atravessando Oregon até o estado de Washington.

Cheryl não tinha experiência em caminhadas de longa distância e a trilha era pouco mais que uma linha num mapa. Mas guardava uma promessa – a promessa de juntar os pedaços de uma vida em ruínas.

O relato de Cheryl captura a agonia, tanto física quanto mental, de sua incrível jornada; como a enlouqueceu e assustou e, principalmente, como a fortaleceu. Livre é uma história de sobrevivência e redenção, um retrato pungente do que a vida tem de pior e de melhor.

LIVRE
Cheryl Strayed
376 páginas
Objetiva

27. Lugares distantes

Andrew Solomon ― um dos pensadores mais originais de nossa época ― reúne neste livro escritos sobre lugares que passaram por abalos sísmicos culturais, políticos ou espirituais.

Passando por lugares tão diversos quanto África do Sul, Brasil, China, Romênia, Ilhas Salomão, Equador, Taiwan, Mongólia, Antártica e Líbia ― foram sete continentes e 83 países ―, esta coletânea traz uma janela única sobre a própria ideia de transformação social, vista sobretudo pelos olhos das pessoas comuns.

Figuras como ex-prisioneiros políticos, vítimas de estupro, garçonetes trans, xamãs e outros excluídos da sociedade são boa parte das fontes do autor. Com seu brilhantismo e compaixão característicos, Solomon demonstra tanto como a história é alterada por indivíduos quanto como as identidades pessoais são alteradas quando governos mudam.

LUGARES DISTANTES: COMO VIAJAR PODE MUDAR O MUNDO
Andrew Solomon
560 páginas
Companhia das Letras
[/su_note]

28. Luzes da África

Em Luzes da África, Haroldo Castro oferece um olhar pouco usual sobre uma região do planeta que, ainda hoje, é mal conhecida. Longe dos clichês da miséria e da guerra, o jornalista e fotógrafo faz um fascinante relato da aventura e apresenta uma percepção peculiar sobre um continente de surpresas.

A jornada de 40 mil quilômetros por terra no continente levou pai e filho a participarem de rituais sufis no Sudão, a compreenderem as últimas etnias nativas da Etiópia, a testemunharem leoas esquartejando uma presa na Tanzânia ou a degustarem cogumelos selvagens em Angola.

Luzes da África ainda traz encartes com 130 fotografias impactantes e 19 mapas. “Um componente vital da obra são minhas elucubrações sobre a arte e a ciência de viajar. Ter descoberto tantos países nas últimas décadas me permite compreender melhor tradições complexas e distantes da nossa cultura”, afirma o autor.

LUZES DA ÁFRICA
Haroldo Castro
574 páginas
Civilização Brasileira

29. Mar sem fim

A viagem relatada em Mar sem fim começa numa data curiosa: 31 de outubro de 1998, Dia das Bruxas. Foi nesse dia que Amyr Klink deixou a mulher, Marina, e as filhas em Paraty, decidido a realizar o grande projeto de sua vida: sua primeira volta ao mundo, realizada nas águas da Convergência Antártica – notável e precisa fronteira entre as águas frias do Norte e as águas geladas da Antártica.

Ali estão os mares mais perigosos do planeta. Um percurso considerado um desafio, mesmo com os equipamentos sofisticados da navegação moderna. Amyr foi o primeiro a realizá-lo, navegando sozinho no veleiro Paratii.

Foram 141 dias no mar. Um verão inteiro viajando em latitudes onde o sol nunca se esconde, enfrentando um mar temperamental, às vezes extremamente violento, com períodos de nenhuma visibilidade, muito gelo, vento forte, e o tempo todo submetido a uma rotina que não permitia mais do que cinco horas de sono não contínuo por dia.

MAR SEM FIM
De Amyr Klink
308 páginas
Companhia das Letras

30. Mas você vai sozinha?

Mulheres que viajam sozinhas com certeza já ouviram essa pergunta. Seja em outro continente ou na cidade vizinha, é sempre um ato de coragem decidir conhecer um lugar por conta própria.

Neste livro, Gaía Passarelli fala com sinceridade e bom humor sobre suas aventuras sozinha pelo mundo. Ela não vai te dizer pra largar tudo e sair por aí, nem te dar dicas de como ser cool em Nova York.

50 livros de viagem

Estas são histórias sobre ser consolada por um xamã andino, molhar os pés nas águas do mar do extremo sul da Índia e dormir debaixo de uma mesa de bar no Texas. É sobre viajar e voltar pra casa. Acima de tudo, este é um livro que fala sobre ser mulher e, ao mesmo tempo, ser livre pra viajar por aí sem companhia, sem medo e sem preconceito.

MAS VOCÊ VAI SOZINHA?
Gaía Passarelli
177 páginas
Globo Livros

31. Mundo por terra

O livro Mundo por Terra – Uma fascinante volta ao mundo de carro, é um relato da viagem do casal Roy Rudnick e Michelle Francine Weiss que fez uma volta ao mundo de carro, cruzando 5cincocontinentes, 60 países, 160.733km, em 1.033 dias.

50 livros de viagem

Esta narrativa descreve com detalhes todos os assuntos relacionados a viagem, como a tomada da decisão, a grande mudança de vida, o planejamento, a viagem em si, as diferenças culturais dos povos, as passagens inéditas, a descrição de como foi viver em 4 metros quadrados, o relacionamento do casal (24 horas por dia durante quase 3 anos), como lidavam com as burocracias, as amizades, problemas mecânicos, o convívio feminino no mundo islâmico, a comunicação, enfim, todos assuntos de grande interesse e extremamente diferenciados.

As histórias seguem o itinerário realizado e são traduzidas de uma forma simples, leve e gostosa de se ler. Mais parece uma conversa de amigos, entre o leitor e os viajantes!

MUNDO POR TERRA: UMA FASCINANTE VOLTA AO MUNDO DE CARRO
Roy Rudnick e Michelle Francine Weiss 
Gaía Passarelli
384páginas
Mundo por Terra

32. Na natureza selvagem

Narrativa verídica sobre sonhos de juventude que se transformam em pesadelo. O corpo em decomposição de um jovem é encontrado no Alasca. A polícia descobrirá que se trata do filho de uma família rica do Leste americano que largou tudo, se internou sozinho na aridez gelada e morreu de inanição.

Jon Krakauer refaz a trajetória de Chris McCandless revelando a América dos que vivem à margem, pegando carona ou circulando em carros velhos, vivendo em acampamentos e cidades-fantasmas. Mergulha no mundo da cidadezinha rural, onde homens rudes bebem e conversam sobre o tempo e a colheita.

Compara a história do jovem com a de outros aventureiros solitários que tiveram fim trágico. O resultado é uma narrativa envolvente, por vezes amarga, em que os sonhos da juventude se transformam em pesadelo. Nova edição com posfácio inédito do autor.

Na Natureza Selvagem
Jon Krakauer
216 páginas
Companhia das Letras

33. Não conta lá em casa

Escrito por André Fran, um dos quatro apresentadores do programa exibido pela Multishow, Não conta lá em casa relata viagens para os mais excepcionais destinos do mundo.

50 livros de viagem

Lugares como Tuvalu, uma ilha-país que está, literalmente, prestes a sumir do mapa – devido aos efeitos do aquecimento global – e países que estão em situação de conflito, como Somália e Etiópia. Uma obra repleta de fotos fascinantes, histórias que divertem e emocionam.

NÃO CONTA LÁ EM CASA
Andre Fran
308 páginas
Record

34. O grande bazar ferroviário

O amor do escritor americano Paul Theroux pelos trens é responsável por alguns dos melhores relatos de viagem da literatura moderna. O primeiro deles foi o clássico O Grande Bazar Ferroviário – De Trem pela Ásia, publicado originalmente em 1975.

Na tradição dos grandes escritores-viajantes, Theroux leva seu olhar curioso e observador ao vasto continente asiático, e seu longo itinerário vai se desenrolando diante do leitor como um exuberante mosaico de paisagens e sensações.

50 livros de viagem

Dos elegantes vagões do Expresso do Oriente aos vagarosos e surrados trens indianos, dos luxuriantes arrozais vietnamitas às imaculadas estepes da Sibéria, o que interessa ao autor-viajante, mais do que os países em si, são os trens e seus passageiros. Assim, a epopéia asiática de Theroux é pontuada por pessoas, e são os seus depoimentos, narrados com elegante ironia, que fazem de O Grande Bazar Ferroviário um passeio delicioso.

O Grande Bazar Ferroviário
Paul Theroux
453páginas
Objetiva

35. O guia do mochileiro terráqueo

Nosso mundo é um lugar maravilhoso, sem dúvida. No entanto, às vezes precisamos vê-lo pelos olhos de outra pessoa para perceber isso. Em “O guia do mochileiro terráqueo”, Mauro Nakada nos leva a viver com ele uma aventura pelas 7 Maravilhas do Mundo Moderno.

Bem-humorado e inteligente, este livro é o relato otimista de um jovem que ama e vida e se permite ser surpreendido por ela. Repleto de fotografias deslumbrantes – que parecem materializar o olhar singular de seu autor –, “O guia do mochileiro terráqueo” é o ticket para uma viagem inesquecível. Aperte o cinto!

O GUIA DO MOCHILEIRO TERRÁQUEO
Mauro Nakada
160 páginas
Novo Século

36. Partiu!

Lugares para conhecer numa viagem; mochilão para principiantes, intermediários e avançados; turismo convencional, estudos ou trabalho no exterior; viagens de trem por todos os continentes…

Neste livro, que mais parece uma conversa sobre viagens, você vai encontrar as experiências boas e ruins – muito mais boas do que ruins – de Zizo Asnis, um especialista em escrever guias de viagem que passou as últimas décadas percorrendo quase 90 países, vivendo quase tudo que se possa imaginar.

Ele compartilha um monte de informações, atalhos, truques, dicas e curiosidades que qualquer viajante precisa ter na mala – ou na mochila – antes de pegar a estrada, o mar ou o céu – fruto de muita vivência pessoal, mas também de estudo, de pesquisa e da contribuição de parceiros viajantes.

Tudo para que você possa ter a sua própria história para contar mundão afora. E se apropriar do título deste livro como o início de suas histórias. Partiu?

37. On the road

Sal Paradise é o narrador de On the road – pé na estrada. Ele vive com sua tia em Nova Jersey, Estados Unidos, enquanto tenta escrever um livro. Em Nova Iorque, conhece um andarilho de Denver de personalidade magnética chamado Dean Moriarty. Dean é cinco anos mais novo que Sal, mas compartilha o seu amor por literatura e jazz e a ânsia de correr o mundo.

Tornam-se amigos e, juntos, atravessam os Estados Unidos, de New Jersey até a Costa Oeste, deparando-se com os mais variados tipos de pessoas, numa jornada que é tanto uma viagem pelo interior de um país pela Rota 66 quanto uma viagem de autoconhecimento – de uma geração assim como dos personagens.

ON THE ROAD – PÉ NA ESTRADA
Jack Kerouac
384 páginas
L&PM

38. Pelas trilhas de Compostela

Santiago de Compostela é sem dúvida um dos destinos de peregrinação mais populares dos nossos tempos, com cerca de 200 mil visitantes por ano.

Jean-Christophe Rufin, renomado escritor, acadêmico e diplomata, relata sua jornada de 800 quilômetros pelo Caminho do Norte, muito menos movimentado do que a usual rota dos peregrinos, até Santiago de Compostela. Ao longo do caminho, a experiência física torna-se uma reflexão em busca de si mesmo.

O autor, um peregrino incomum, se torna um observador lúcido que descreve com um senso de humor único sua jornada pelas costas do País Basco e da Cantábria e através das montanhas das Astúrias e da Galícia.

Pelas trilhas de Compostela apresenta histórias engraçadas, personagens inusitados e um delicioso exercício de autocrítica para aqueles que partem sem um objetivo específico, mas que acabam encontrando uma inesperada motivação para continuar a jornada. Um dos grandes relatos de viagem dos nossos tempos.

PELAS TRILHAS DE COMPOSTELA: O RELATO DE UMA VIAGEM LAICA
Jean-Christophe Ruffin
160 páginas
Objetiva

39. Terra dos homens

Neste emocionante relato autobiográfico, do Saara aos Andes, episódios da vida de Saint-Exupéry como piloto entre os anos de 1926 e 1935 são narrados com riqueza de detalhes, principalmente na época em que prestava serviços à Aéropostale.

Quase sem água e sem comida por catorze dias, o autor e seu mecânico são os principais personagens desta história, que tem como pano de fundo o deserto do Saara e as miragens.

Como sobreviver ao calor, sem ter água e qual a falta que esta faz ao corpo? Terra dos homens, também conhecido como Vento, areia e estrelas, lida com os laços de amizade, a resignação diante da morte, a persistência, a camaradagem e a solidariedade presentes no ser humano quando em busca de um sentido para a vida.

TERRA DOS HOMENS
Antoine De Saint-Exupéry
176 páginas
Via Leitura

40. Todos os dias na Toscana

A norte-americana Frances Mayes colhia amoras com amigos na Toscana quando avistou um chalé parcialmente em ruínas, cercado de castanheiros e carvalhos. Foi, como ela própria relata, uma atração fatal que a levou a comprar e restaurar o imóvel, que deu o nome de Bramasole.

A experiência de dar vida a este sonho e as lembranças e impressões que teve da cultura italiana deram origem aos bestsellers Sob o sol da Toscana e Bella Toscana. Todos os dias na Toscana é um novo relato de viagens e impressões cotidianas que adquiriu sobre si mesma e sobre o lugar que escolheu para construir seu lar.

Na sequência de seus sucessos anteriores, a autora realiza um mergulho nas raízes da região que a fascinou e narra um pouco mais de seu caso de amor com o povo, a arte, cultura e gastronomia toscanas. Imagens e sabores se mesclam no texto de Mayes, numa intensa celebração dos sentidos humanos.

A minuciosa descrição das viagens pelos arredores, na área da Toscana, se soma à vívida descrição dos pratos que ela prepara. E o receituário vem junto, para deleite e experimentação do leitor que deseja testar seus dotes gastronômicos e que tenha vontade de provar dos sabores e delícias feitas nesta região da Itália.

TODOS OS DIAS NA TOSCANA
Frances Mayes
308 páginas
Rocco

41. Transiberiana

Em sua jornada pela União Soviética/Rússia dos anos 1990 e 2000, o escritor de guias de viagem Zizo Asnis bebeu vodca com nativos no café da manhã, por pouco não perdeu alguns embarques por conta da dificuldade com o idioma, visitou a usina nuclear de Chernobyl, dormiu uma noite no gelado deserto de Gobi e viveu imprevistos bastante assustadores para um viajante solitário totalmente longe de casa.

A trajetória começa em Frankfurt, na Alemanha, passa pela Bielorrússia, Moldávia, Ucrânia, Sibéria, Cazaquistão, Mongólia e China, e termina com uma volta ao mundo, em Nova York. O percurso foi pela lendária ferrovia Transiberiana, onde ele pôde interagir com outros viajantes e observar detalhes que, em outro meio de transporte, certamente passariam despercebidos.

Transiberiana
Zizo Asnis
295 páginas
Belas Letras

42. Trilhas

Esta é a arriscada jornada de Robyn Davidson, uma mulher de 27 anos, pelo hostil deserto australiano, tendo apenas como companhia quatro camelos e sua cadela de estimação.

Perseverar sob o calor sufocante, defender-se de cobras venenosas e homens lascivos, perseguir os camelos em suas fugas e cuidar deles quando feridos, Robyn surge como uma heroína extraordinariamente corajosa. Trilhas é a eloquente e sincera história de sua odisseia de descoberta e transformação.

43. Um lugar na janela

Em Um lugar na janela, a cronista Martha Medeiros abre espaço para a viajante. Não há nada inventado, tudo aconteceu de verdade: as melhores lembranças, as grandes furadas ainda em tempos pré-internet, as paisagens de tirar o fôlego.

A autora compartilha as mais afetuosas memórias de viagens feitas em várias épocas da vida, aos vinte e poucos anos e sem grana, depois, já mais estruturada, mas com o mesmo espírito aventureiro, e com diversos acompanhantes: as amigas, o marido, as filhas, o namorado, não importa a companhia, vale até mesmo viajar sozinha.

Com o mesmo estilo pessoal das crônicas, MarthaMedeiros transmite aquilo que de melhor se leva de uma viagem: as recordações. É como deixar-se perder num lugar novo, pode ser uma mochilagem pela Europa, uma aventura em Machu Picchu, uma temporada no Chile, poucos dias no Japão? Para depois se reencontrar consigo mesma.

Um lugar na janela é um convite para deixar de lado a comodidade do sofá, as defesas e embarcar junto com Martha. O bom viajante é aquele que está aberto a imprevistos, ou seja, a viver.

UM LUGAR NA JANELA
Martha Medeiros
192 páginas
L&PM

44. Um lugar na janela 2

Viajar para nos encontrar Janela ou corredor? é uma daquelas frases que parecem dividir a torcida. Opiniões à parte, Martha Medeiros já escolheu seu lugar. É na janela, como espectadora das maravilhas que o mundo tem a oferecer a quem quiser se aventurar por ele.

Não é só a cor local, os sabores, a atmosfera que encantam a viajante, é também o fato de encontrar em cada um dos destinos um motivo para celebrar a vida. É um restaurante que se revela uma surpresa, um mercado de pulgas, um monumento, mas também o clima das ruas, pegar carona numa moto, conhecer pessoas, se comunicar numa língua diferente.

Martha Medeiros, com sua escrita única, nos transporta para os mais diversos lugares do planeta: do cosmopolitismo ao sagrado, da praia paradisíaca ao balneário hippie, do polo gastronômico ao recanto histórico. O cardápio é variado, para todos os gostos. Mas, para além dos destinos deslumbrantes, Martha Medeiros nos convida a refletir.

Viajar é uma maneira de deixar para trás nossa rotina, nosso ‘eu chato’. É dar aquela chacoalhada no dia a dia e, quem sabe, voltar com uma nova perspectiva para aqueles problemas que há tempo estão incomodando. Mudar de ares é muitas vezes o que falta para a gente promover aquele turning point sempre adiado e ir ao encontro das nossas emoções mais secretas.

UM LUGAR NA JANELA
Martha Medeiros
176 páginas
L&PM

45. Um lugar na janela 3

Quem vive, vê muito. Quem viaja, vê mais, diz um provérbio árabe. Pois que o diga Martha Medeiros, uma das maiores cronistas brasileiras da atualidade e autora de vários livros best-sellers. Depois de Um lugar na janela 1 e 2, ainda sobraram viagens e experiências incríveis ao redor do globo para rechear as páginas deste livro.

Sempre pronta para conhecer novos lugares, revisitar pontos preferidos e se reencontrar consigo mesma nessas aventuras, Martha confere, ao mesmo tempo, profundidade, leveza e humor a seus relatos de viagem. No livro, você encontra não só doze textos, como também um problema: o comichão para viajar com que ficamos após fechar estas deliciosas páginas. Os Editores

UM LUGAR NA JANELA
Martha Medeiros
128 páginas
L&PM

46. Uma viagem pelos países que não existem

Você já ouviu falar da Ossétia do Sul, da Transnístria ou da Somalilândia? E da Abecásia ou de Nagorno-Karabakh? Sabe o que esses nomes estranhos têm em comum? São todos países independentes mas não reconhecidos pelas Nações Unidas.

Ou seja, são países com fronteiras, bandeiras, populações, vistos, moedas próprias e sistemas de governo que não fazem parte dos 193 países-membros da ONU. Além desses absolutamente desconhecidos por grande parte da população mundial, figuram nessa lista também nomes bem mais familiares como a Palestina, o Kosovo, Caxemira, Tibete e Taiwan.

O viajante Guilherme Canever visitou 16 países não reconhecidos pela ONU e nos presenteou com relatos, histórias e questionamentos sobre cada um desses lugares espalhados pelo mapa mundi. Ele conheceu gente, hospedou-se nas casas dos moradores, experimentou as comidas típicas, viajou de carona, visitou pontos turísticos.

Viveu um pouco da cultura, observou os hábitos desses “não-cidadãos de países não-existentes” e transformou toda essa experiência em um livro que, embora seja provocativo, é muito gostoso de ler.

UMA VIAGEM PELOS PAÍSES QUE NÃO EXISTEM
Guilherme Canever
112 páginas

47.Viagem pelo Brasil em 52 histórias

Viagem pelo Brasil em 52 histórias reúne lendas e contos populares tradicionais de nosso país. Antropólogos, etnógrafos, pesquisadores e folcloristas – como Herbert Baldus, Egon Schaden, Cláudio e Orlando Villas-Boas, Darci Ribeiro, João Ribeiro, Basílio de Magalhães, Afonso Arinos, Artur Ramos, Sílvio Romero e Mário de Andrade – serviram de inspiração para essas histórias que recobrem as cinco regiões do Brasil, montando um painel de nossa cultura popular.

Cada narrativa é permeada de quadros explicativos ilustrados com fotos e desenhos que, nas laterais das páginas, informam sobre a geografia, a botânica, a zoologia, a história, a economia e a cultura do país.

O número 52 foi escolhido para que o leitor tenha uma história nova para ler a cada semana, durante um ano inteiro, viajando do Amapá ao Rio Grande do Sul, percorrendo vilarejos e metrópoles, interior e capitais, praias, mata e sertão.

VIAGEM PELO BRASIL EM 52 HISTÓRIAS
Silvana Salerno
160 páginas
Companhia das Letrinhas

48. Viajar: eu preciso!

Quem nunca sonhou em viver a vida sem destino? Viajar, desfrutando da liberdade de poder estar onde e com quem quisesse a cada instante, procurando extrair o máximo de cada dia? Para Mayke Moraes, este sonho era uma promessa de vida que precisava ser cumprida.

Inquieto, encontrou a paz na turbulência de cada canto do mundo que visitava, com suas cores, cheiros e expressões únicas. Corajosamente, o jovem embarcou numa viagem que o levou a 54 destinos absolutamente distintos entre si. Desvendando novas culturas, alcançou aspectos da vida que passam despercebido para quem nunca sai do lugar.

O livro conta aventuras, paixões, emocionantes descobertas, relances de autoconhecimento, flertes com a espiritualidade. Tudo isso faz dele um relato maior do que um guia de viagem ou um manual para quem gosta de botar o pé na estrada: trata-se de um livro para quem curte viver.

E viver intensamente, respirando novos ares sem medo do que o amanhã pode trazer. Sem medo de se entregar com paixão ao agora. Sem medo de encarar tudo que o destino pode trazer.

VIAJAR: EU PRECISO!
Mayke Moraes
255 páginas
Buzz Editora

49. Volta ao mundo: um guia irreverente

Anthony Bourdain conhecia o mundo como poucos. Suas viagens o levaram dos recônditos secretos de Nova York a casas comunais de tribos em Bornéu; da vida cosmopolita em Buenos Aires, Paris e Xangai aos cenários de beleza extraordinária da Tanzânia e de solidão deslumbrante do deserto de Rub’ al-Khali, no Omã.

Em Volta ao mundo, esse vasto conjunto de experiências é apresentado em forma de um guia de viagens divertido, prático e objetivo, oferecendo um gostinho dos lugares selecionados pela memória afetiva de Bourdain. Narrado por Laurie Woolever, colaboradora e amiga de longa data, o livro traz as declarações sempre irreverentes do próprio, extraídas de suas milhares de horas de viagens gravadas em vídeo.

VOLTA AO MUNDO: UM GUIA IRREVERENTE
Anthony Bourdain e Laurie Woolever
464 páginas
Intrínseca

50. 1.000 lugares para conhecer antes de morrer

Com mais de 3 milhões de livros vendidos no mundo, 1.000 lugares para conhecer antes de morrer ganha uma nova edição ampliada, atualizada e com fotos coloridas. Um livro que lhe diz o que é belo, inspirador, divertido e inesquecível em todas as partes do mundo.

Há belezas inigualáveis no nosso planeta. Vivenciá-las é um exercício que inclui descobrir outros lugares, línguas, culturas e pessoas. Mais do que um guia de viagens, 1.000 lugares para conhecer antes de morrer é um catálogo para essas experiências memoráveis.

Desfrutar os temperos, cores e aromas do Yacout, no Marrocos. Arrebatar-se com a beleza das esculturas de gelo do Festival de Neve de Sapporo, no Japão. Sobrevoar Masai Mara em um balão e assistir a milhares de gnus percorrerem o Serengeti. Aproveitar a mesma paisagem que inspirou Miró, na costa de Amalfi, na Itália. Estar presente no Festival Internacional de Cinema de Toronto, no Canadá. Navegar pelo rio Negro até seu encontro com as águas do Solimões, formando o rio Amazonas.

Cada verbete deste guia atualizado, ampliado e com imagens coloridas ajudará sua viagem a ficar completa, informando a época mais apropriada para visitar o destino escolhido, assim como os melhores restaurantes e os hotéis mais elogiados da região. Entre ruí nas sagradas, recifes de corais, praias desertas, trilhas, ó peras, castelos e museus, o mundo está a seu alcance para ser descoberto. Entã o faça sua lista de lugares preferidos, arrume suas malas, pegue seu passaporte e boa viagem.

1.000 LUGARES PARA CONHECER ANTES DE MORRER
Patricia Schultz
1.216 páginas
Sextante

Veja mais dicas importantes

Gostou das minhas dicas e sugestões? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *