O que fazer em Sucre: o essencial da capital constitucional da Bolívia

Atualizado em 10 de outubro de 2022 – 5 min de leitura

O que fazer em Sucre

Apesar de ser pequena, a lista do que fazer em Sucre tem lá suas peças fundamentais. Eu digo isso por que a cidade te uma importância histórica gigante para os bolivianos. Mas, eu vou explicar isso do começo.

A capital constitucional da Bolívia fica a 2.710 metros de altitude, cravada entre os picos da Cordilheira dos Andes. Com um estilo colonial, a cidade é um consagrado destino turístico.

Não à toa, foi  declarada Patrimônio da Humanidade  pela Unesco, em 1991. Sucre é tímida, mas, apesar disso, vai lhe proporcionar experiências únicas e inesquecíveis.

Com um pé no passado, a cidade nos apresenta seus prédios históricos e suas ruas estreitas. Além de nos revelar a fama de ser conhecida como Cidade Branca.

O que fazer em Sucre

Mas é do alto que a nossa curiosidade é ainda mais instigada: como alguém teve a ideia de construir uma cidade longe de tudo e de todos?

Para perguntas assim, as respostas não são simples. Então, de mochila nas costas, vá você mesmo descobrir o que fazer em Sucre.

Se surpreenda com os encantos dessa cidade, que foi uma das primeiras a abrigar grupos políticos visionários que lançaram os conceitos iniciais de independência das colônias espanholas.

O que fazer em Sucre

Você também vai descobrir que Sucre tem muito mais do que histórias. Aqui, há boa comida –  não deixe de experimentar as hojarascas  – e rodada dupla em vários bares.

É nessa hora que a timidez da cidade desaparece e a simpatia de milhares de turistas que a visitam a cada ano faz a alegria de quem chega por aqui.

O que fazer em Sucre

Sucre não é grande e as principais atrações estão nos arredores da Plaza 25 de Mayo. Ficar hospedado nessa região é mais caro, mas é garantia de aproveitar melhor os dias.

Plaza 25 de Mayo

A principal praça da cidade tem esse nome em comemoração ao primeiro grito de liberdade da América, ocorrido no ano de 1809.

É ao redor dela que estão alguns dos principais pontos turísticos da cidade. Aqui, aproveite para ver moradores descansarem nos bancos, enquanto vendedores oferecem seus produtos.

O que fazer em Sucre

Catedral Metropolitana

Preciso dizer que esta não é a mais charmosa catedral que já visitei. Mas, já que você está aqui, vá conhecê-la. A entrada é gratuita, mas o horário de visitação é restrito. Eu só consegui entrar no domingo de manhã, quando houve missa.

La Casa de La Libertad

Uma das mais importantes construções do país, foi nesta casa que se proclamou a república na Bolívia e onde Simón Bolívar escreveu a primeira Constituição.

Aqui, é possível visitar os ambientes onde os visionários políticos tramaram os atos contra a Coroa Espanhola e, ainda, ler parte da Constituição escrita à mão.

A Casa fica na Plaza 25 de Mayo e abre de terça a sábado, das 9h às 12h30 e das 14h30 às 18h30, e aos domingo, das 9h às 12h. A entrada custa BOB 15.

Iglesia de la Merced

Essa é uma das igrejas mais fantásticas que eu já visitei. Como ainda está em processo de restauração, ela preserva muitas de suas características originais, como o belíssimo altar todo coberto com lâminas de ouro e um órgão no mezanino.

Além disso tudo, o grande barato aqui é subir até o terraço da igreja para ter uma vista sensacional da cidade e de seus monumentos. A igreja fica na esquina da rua Azurduy com a Juan Jose Perez, e a entrada custa BOB 10.

Mirador de la Recoleta

Um programa imperdível para o seu fim de tarde é subir até esse mirante para tomar uma xícara de chá de coca enquanto o sol vai embora.

Nesses arcos coloniais, onde se deu início à cidade de Sucre, funcionam, atualmente, uma cafeteria e algumas tendas de produtos artesanais. O mirante fica na Plaza Pedro de Anzúrez, e a entrada é gratuita.

O que fazer em Sucre

Parque Bolívar

Para relaxar, faça uma caminhada pelo Parque Bolívar, umas das mais importantes áreas verdes da cidade. Aqui, aproveite para ver também o prédio da Corte Suprema de Justicia com seu arco emblemático.

No centro do Parque está a Torre Eiffel, que “lembra” uma miniatura da torre parisiense. À noite, na outra extremidade do Parque, a Fuente del Bicentenário pode ser interessante com suas cores e águas dançantes.

O parque fica na esquina das ruas Pilinco e Ravelo, e a entrada é gratuita.

Cementerio General

Assim como em Buenos Aires e em Punta Arenas, o cemitério de Sucre também é um ponto de visitação da cidade.

Aqui, encontrei dois fatores muito curiosos: o primeiro deles é que algumas pessoas ficam sentadas nos bancos do cemitério oferecendo orações em troca de dinheiro. Você paga e eles rezam sei lá quantos Pai-Nosso e Ave-Maria a seu favor.

Outra curiosidade é que os bolivianos têm mesmo o costume de visitar os mortos. O domingo é o dia preferido para esse ato de saudade.

No túmulo das crianças você vai ver coleções completas de brinquedos e mensagens que expressam a tristeza dos familiares. É triste.

O cemitério fica na Avenida Raul de Cordoba, e a entrada é gratuita.

Feira de Tarabuco

A vila de Tarabuco fica a 60 quilômetros de Sucre e é aqui que acontece todos os domingos essa feira que é famosa entre os turistas e também entre os moradores dos povoados vizinhos, que vêm a essa cidadezinha para se abastecer de mantimentos como arroz, macarrão, frutas e verduras.

Feira de Tarabuco

A Feira de Tarabuco é um dos melhores lugares para fotografar bolivianos usando vestimentas típicas. E isso não é porque eles estão ali esperando os turistas.

Feira de Tarabuco

Pelo contrário, os indígenas que visitam a feira, quase sempre, não gostam de ser fotografados e muitos deles falam apenas poucas palavras em castelhano, já que preservam o dialeto de seus ancestrais, o quéchua.

Para saber mais sobre esse lugar, leia: A imperdível Feira de Tarabuco.

Planeje sua viagem a Sucre

Quando ir

Acompanhando o relevo, o clima da Bolívia muda muito de uma região para a outra. Sucre fica na região central do país e, aqui, o clima é mais ameno, com temperaturas variando entre 17 e 27 graus, com noites bastante frias o ano inteiro.

O período mais chuvoso é entre novembro e março, mas é nesse período, também, que os dias ficam mais ensolarados.

O comércio, em geral, funciona de 8h30 às 18h30, sendo que alguns fecham para o almoço. Os bancos abrem as portas das 9h às 16h.

Como chegar

De avião, você chega a Sucre pelo Aeroporto Internacional Juana Azurduy de Padilla (SER), que fica a 10 quilômetros do Centro.

Ele recebe voos de vários países sul-americanos e, também, de cidades bolivianas como Santa Cruz de la Sierra, La Paz e Cochabamba.

O que fazer em Sucre

As principais companhias aéreas que fazem a rota até Sucre são Boliviana de Aviación (BoA), Transporte Aéreo Militar (TAM) e Amaszonas.

De ônibus, partindo de Santa Cruz de la Sierra, a viagem pode durar 16 horas em um trajeto de subidas e curvas sem fim. Então, se puder, prefira chegar à cidade voando.

A empresa que faz o trajeto é a Trans Oruro e a passagem, vendida exclusivamente nos postos autorizados, custa cerca de BOB 70. Os ônibus chegam e partem do Terminal de Buses entre 16h e 20h.

Há micro-ônibus para todos os cantos de Sucre e a passagem custa BOB 3. Os táxis também são muito baratos. Para exemplificar, uma corrida do Centro até o mirador custou BOB 10.

O que fazer em Sucre

Onde comer

Há muitas e boas opções para comer em Sucre.

O Café Condor tem gostosas opções vegetarianas. O Café e Restaurante Florin tem um atendimento exemplar e é uma boa opção para comer e beber à noite. A rodada dupla, aqui, vai de 21h30 às 23h. O Joy Ride Café tem rodada dupla das 21h às 23h. Ele também é uma ótima pedida para sua noite.

Onde ficar em Sucre

Um dos pontos muito positivos de Sucre é que os preços não são absurdos. Por isso, a gente consegue ficar em um dos melhores hotéis da cidade sem gastar uma pequena fortuna – como eu mostro mais para frente.

A maioria desses hotéis funciona em casarões restaurados e cheios de personalidade. Sem dúvida, isso colabora muito para que a gente entre no clima da cidade.

HOTEL VILLA ANTIGUA

O Hotel Villa Antigua funciona em uma enorme mansão colonial de 1860 e fica a poucas quadras do Centro Histórico.

Onde ficar em Sucre

Os quartos são elegantes, espaçosos e extremamente aconchegantes. Alguns têm vista para a cidade e outros para o jardim. É um hotel bem completo com academia, sauna, restaurante e o atendimento é impecável. Além disso, o custo-benefício é ótimo.

Onde ficar em Sucre

MI PUEBLO SAMARY HOTEL BOUTIQUE

O Mi Pueblo Samary Hotel Boutique faz jus ao nome de hotel boutique e é uma das opções mais elegantes para se hospedar em Sucre. Ele funciona em uma mansão colonial com obras de arte que acrescentam charme à construção. Os quartos são muito bem decorados com detalhes esculpidos em madeira e com tapeçaria colorida.

Onde ficar em Sucre

O café da manhã reforçado garante energias para aproveitar o dia. Você também pode conhecer o restaurante Los Tejados e aproveitar o menu internacional.

Onde ficar em Sucre

HOTEL BOUTIQUE LA POSADA

Muito bem localizado, o Hotel Boutique La Posada tem quartos ótimos, bem cuidados e arejados. Todas as áreas são sempre limpas e o atendimento é muito elogiado.

Onde ficar em Sucre

O café da manhã é ótimo, muito variado e sempre com produtos fresquinhos. Outro ponto positivo é o custo-benefício.

PARADOR SANTA MARIA LA REAL

O Parador Santa Maria La Real é um dos melhores hotéis de Sucre: localização perfeita, atendimento espetacular, serviços de primeira e café com muitos produtos regionais são alguns pontos favoráveis.

Onde ficar em Sucre

Como se não bastasse, os quartos são extremamente aconchegantes e têm camas que abraçam a gente, sabe com é isso? Vale a pena dar uma olhada com calma neste hotel.

Onde ficar em Sucre

CAPITAL PLAZA HOTEL

O Capital Plaza Hotel fica em uma área ótima, exatamente na Plaza 25 de Mayo, o coração de Sucre.

Os quartos são bem bonitos, aconchegantes e suprem bem as nossas necessidades. O custo-benefício é muito interessante e o atendimento é muito elogiado.

Melhores Pousadas e hostels

CASA RAMIREZ

O Casa Ramirez funciona em um prédio colonial de 400 anos e é cheio de charme, como a cidade: parece que a gente está se hospedando em um museu.

Os quartos têm mobília antiga e decoração coerente com o passado da construção. As camas são grandes e confortáveis. Depois de explorar a cidade, não deixe de relaxar e curtir o pôr do sol no terraço ao ar livre com vista das montanhas.

VILLA OROPEZA GUEST HOUSE

O Villa Oropeza Guest House é outro casarão colonial com muito charme. E isso a gente percebe no jardim, que é espaçoso e ótimo para relaxar: existe uma área específica para piqueniques e você pode usar a churrasqueira também.

A equipe é muito elogiada e o ambiente é leve, com uma atmosfera perfeita para integração. Mas, não se preocupe, durante a noite os hóspedes garantam que o silêncio paira e você dormirá tranquilamente.

KULTUR BERLIN

O Kultur Berlin é um hostel completo que oferece um ótimo ambiente para curtir tanto o dia quanto a noite, já que ele é um bar também.

Onde se hospedar em Sucre, na Bolívia: os melhores lugares

Então, não se sinta culpado se acabar passando mais tempo no hostel. Uma boa dica é conhecer o charme de Sucre passeando pelos parques Bolívar e Surapata de bicicleta, que pode ser alugada no hostel.

Faixas de preços de Sucre

Agora que você já consegue se localizar, aproveite para ver os preços de Sucre.

No mapa estão todas as opções de hospedagem, especialmente as do Centro Histórico.



Booking.com

Informações Básicas

Visto

Brasileiros não precisam de visto para entrar e permanecer no país por até 90 dias. Esse prazo pode ser estendido por mais 90 dias.

Documentos

Você pode usar o passaporte, com validade de seis meses, ou a carteira de identidade, emitida há menos de dez anos.

Dinheiro

A moeda oficial é o boliviano, representado pela sigla BOB. Veja como usar seu dinheiro na Bolívia.

Vacinas

A vacinação contra febre amarela é obrigatória. Veja como emitir o Certificado Internacional de Vacinação.

Informações sobre covid-19

As regras para viajantes vacinados e não vacinados são um pouco diferentes. Por isso, é preciso ter atenção na documentação exigida pela imigração boliviana.

Além de todos os documentos básicos de uma viagem internacional, como passaporte ou carteira de identidade, passagem de ida e volta e comprovante de hospedagem, por exemplo, é preciso ter em mãos os seguintes comprovantes:

  1. Certificado de vacinação contra covid-19 com, pelo menos, duas doses, sendo que a última deve ter sido aplicada, no mínimo, 14 dias antes da viagem – exigido apenas de viajantes vacinados;
  2.  Resultado negativo de teste RT-PCR, feito até 72 horas antes da viagem, ou antígeno (teste rápido), feito até 48 horas antes da partida para a Bolívia – exigido apenas de viajantes não vacinados maiores de cinco anos;
  3. Formulário de Localização de Passageiros, disponível no site da Direção-geral de Aviação Civil – apenas um por família.

De forma geral, viajantes brasileiros não precisam fazer quarentena na chegada ao país, mas é importante estar preparado para que restrições que afetem viagens internacionais entrem em vigor com pouco ou nenhum aviso prévio por parte das autoridades bolivianas.

Você os detalhes das regras Resolución Multi-Ministerial 001, de 27 de abril de 2022.

Apesar de não haver restrições nacionais para covid-19, os departamentos e municípios têm a autonomia para impor restrições em nível local.

Acesse o site oficial para acompanhar os números de casos de covid-19 na Bolívia.

RETORNO AO BRASIL

Viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

Seguro viagem

Apesar de não ser obrigatório,  viajar sem um seguro viagem com cobertura para covid-19 não é uma boa ideia. 

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você também terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

Se você for fazer qualquer atividade de risco – como trekking em vulcões, cruzar o Salar de Uyuni de carro ou conhecer a Amazônia boliviana, por exemplo – o seguro passa a ser essencial para sua viagem. Pode confiar em mim!

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

MAL DE ALTITUDE

Se você vai viajar para a Bolívia, já sabe que é importante se prevenir do mal de altitude. Também conhecido como soroche, ele é muito comum em viajantes que se aventuram por regiões próximas a 3.000 metros de altitude.

Os sintomas mais comuns são dor de cabeça, enjoo, vômito, tontura, cansaço excessivo e mal-estar. Esses são os principais reflexos da dificuldade do nosso organismo em absorver o oxigênio, e, embora seja raro, em condições extremas, o mal de altitude pode levar à morte.

Isso acontece porque, à medida que a altitude aumenta e a pressão atmosférica cai, o ar fica mais rarefeito. Assim, a concentração de oxigênio diminui e o nosso corpo sente isso. Para prevenir ou diminuir seus efeitos, é bom evitar fazer movimentos rápidos e esforço físico nos primeiros dias.

Mascar folhas de coca é uma forma bastante eficaz de prevenir o mal de altitude. A forma correta de usar a folha é deixar a erva no canto da boca e sugar o sumo que ela libera quando em contato com a saliva. O uso do chá pode ser mais saboroso e nas farmácias é fácil encontrar pílula para soroche.

Veja mais dicas da Bolívia

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida é só deixar sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas da Bolívia.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

16 Comentários

  1. giulyanny freire

    Boa tarde !

    Achei massa o seu blog ! ESTOU QUERENDO IR CONHECER .Vc acha, mas seguro ir de aviao, saindo de sta cruz a sucre ?ou dar pra fazer de ônibus?

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Giulyanny.
      Eu fui de avião de Santa Cruz a Sucre. Não é tão caro e a viagem é bem mais rápida, claro.
      De ônibus você vai “perder” um bom tempo.
      Faça uma avaliação de preços.

      Um abraço.

      Responder
  2. Alexandre

    Adorei a descrição! To querendo passar o período do Carnaval na Bolivia!

    Responder
    • Altier Moulin

      Sucre é sensacional e é uma paz, Alexandre.
      Santa Cruz de la Sierra tem um carnaval bom, pelo que me contaram.

      Um abraço.

      Responder
  3. RAFAELA

    Olá, boa tarde.

    Acredita que 1 dia inteiro em Sucre é possível conhecer legal a cidade?

    Responder
  4. eiichi morimoto

    Como é a estrada de Santa Cruz para Sucre? É toda asfaltada?

    Responder
    • Altier Moulin

      Sim, mas a distância que parece pequena no mapa não é percorrida em menos de 10 horas, por conta das muitas curvas e da subida.

      Responder
  5. Geandro

    Olá, uma dica de como chegar à Feira do Trabuco, por favor.

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Geandro.

      Acho que você não leu o texto, né?! Eu explico isso no item ‘como chegar’. 😉

      Um abraço.

      Responder
  6. Debora

    Boa noite Altier! Gostaria da sua ajuda, pois passarei por Sucre, rumo a Uyuni, no próximo dia 21 e meu vôo chega por volta das 15h, mas só embarcarei p Uyuni às 20h no Terminal Rodoviário. Vc acha que dá pra conhecer algum ponto turístico neste curto espaço de tempo? Gostaria tb de saber se existe guarda volumes na Rodoviária de Sucre? Obrigada e parabéns pelo Blog.

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi Debora,

      Dá para fazer pouca coisa, na verdade. Dê uma volta na Plaza 25 de Mayo, onde estão alguns dos principais prédios importantes da cidade. A Iglesia La Merced também fica pertinho, e da para te ruma vista legal da parte histórica de Sucre. Sim, há guarda-volumes na estação rodoviária, mas não se esqueça dos cadeados. 😉

      Um abraço.

      Responder
  7. Karine

    Boa tarde, Altier.

    Passando por aqui para elogiar seu blog. Viajarei para a Bolívia em Setembro e gostei muito da organização dos pontos turísticos, sugestões e comentários sobre a história do lugar. Parabéns. 🙂

    Responder
    • Altier Moulin

      Obrigado, Karine. A Bolívia vai te marcar para sempre.

      Ótima viagem.

      Responder
    • Renata

      Olá Karine, tb desembarco em setembro na Bolívia, quais serão os nossos destinos coincidentes? Desço em Santa Cruz rumo à Sucre. Agregar seria bacana, qq coisa manda um e-mail rguaranha@hotmail.com. Abraços, boa viagem.

      Responder
      • Altier Moulin

        Boa sorte! 🙂

        Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20