O que fazer em Sucre

14

Atualizado em 16 de julho de 2018

A capital constitucional da Bolívia fica a 2.710 metros de altitude, cravada entre os picos da Cordilheira dos Andes. Com um estilo colonial, a cidade é um consagrado destino turístico. Não à toa, foi declarada Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, em 1991. Sucre é tímida, mas, apesar disso, vai lhe proporcionar experiências únicas e inesquecíveis.

Com um pé no passado, a cidade nos apresenta seus prédios históricos e suas ruas estreitas. Além de nos revelar a fama de ser conhecida como Cidade Branca. Mas é do alto que a nossa curiosidade é ainda mais instigada: como alguém teve a ideia de construir uma cidade aqui, longe de tudo e de todos?

Para perguntas assim, as respostas não são simples. Então, de mochila nas costas, vá você mesmo descobrir o que fazer em Sucre. Se surpreenda com os encantos dessa cidade, que foi uma das primeiras a abrigar grupos políticos visionários que lançaram os conceitos iniciais de independência das colônias espanholas.

Você também vai descobrir que Sucre tem muito mais do que histórias. Aqui, há boa comida – não deixe de experimentar as hojarascas – e rodada dupla em vários bares. É nessa hora que a timidez da cidade desaparece e a simpatia de milhares de turistas que a visitam a cada ano faz a alegria de quem chega por aqui.

Reserve já o seu hotel em Sucre e garanta os melhores preços.

O que fazer em Sucre

A paisagem colonial de Sucre.

O que fazer em Sucre

Vista parcial daquela que ficou conhecida como Cidade Branca.

O que fazer em Sucre

As deliciosas hojarascas: compre em Sucre porque você não vai encontrá-las em outras cidades.

O que fazer em Sucre

Plaza 25 de Mayo | A principal praça da cidade tem esse nome em comemoração ao primeiro grito de liberdade da América, ocorrido no ano de 1809. É ao redor dela que estão alguns dos principais pontos turísticos da cidade. Aqui, aproveite para ver moradores descansarem nos bancos, enquanto vendedores oferecem seus produtos.

Catedral Metropolitana | Preciso dizer que esta não é a mais charmosa catedral que já visitei. Mas, já que você está aqui, vá conhecê-la. A entrada é gratuita, mas o horário de visitação é restrito. Eu só consegui entrar no domingo de manhã, quando houve missa.

La Casa de La Libertad | Uma das mais importantes construções do país, foi nesta casa que se proclamou a república na Bolívia e onde Simón Bolívar escreveu a primeira Constituição. Aqui, é possível visitar os ambientes onde os visionários políticos tramaram os atos contra a Coroa Espanhola e, ainda, ler parte da Constituição escrita à mão. A Casa fica na Plaza 25 de Mayo e abre de terça a sábado, das 9h às 12h30 e das 14h30 às 18h30, e aos domingo, das 9h às 12h. A entrada custa BOB 15.

O que fazer em Sucre

A principal praça da cidade.

O que fazer em Sucre

Pátio da Casa de la Libertad.

O que fazer em Sucre

A primeira constituição escrita à mão.

Iglesia de la Merced | Essa é uma das igrejas mais fantásticas que eu já visitei. Como ainda está em processo de restauração, ela preserva muitas de suas características originais, como o belíssimo altar todo coberto com lâminas de ouro e um órgão no mezanino. Além disso tudo, o grande barato aqui é subir até o terraço da igreja para ter uma vista sensacional da cidade e de seus monumentos. A igreja fica na esquina da rua Azurduy com a Juan Jose Perez, e a entrada custa BOB 10.

Mirador | Um programa imperdível para o seu fim de tarde é subir até esse mirante para tomar uma xícara de chá de coca enquanto o sol vai embora. Nesses arcos coloniais, onde se deu início à cidade de Sucre, funcionam, atualmente, uma cafeteria e algumas tendas de produtos artesanais. O mirante fica na Plaza Pedro de Anzúrez, e a entrada é gratuita.

O que fazer em Sucre

O dourado altar da Iglesia la Merced.

O que fazer em Sucre

Vista do terraço da La Merced.

O que fazer em Sucre

O mirante: termine sua tarde aqui.

O que fazer em Sucre

E aproveite para tomar um chazinho de folha de coca.

Parque Bolívar | Para relaxar, faça uma caminhada pelo Parque Bolívar, umas das mais importantes áreas verdes da cidade. Aqui, aproveite para ver também o prédio da Corte Suprema de Justicia com seu arco emblemático. No centro do Parque está a Torre Eisfhel, que lembra uma miniatura da torre parisiense. À noite, na outra extremidade do Parque, a Fuente del Bicentenário pode ser interessante com suas cores e águas dançantes. O parque fica na esquina das ruas Pilinco e Ravelo, e a entrada é gratuita.

Cementerio General | Assim como em Buenos Aires e em Punta Arenas, o cemitério de Sucre também é um ponto de visitação da cidade. Aqui, encontrei dois fatores muito curiosos: o primeiro deles é que algumas pessoas ficam sentadas nos bancos do cemitério oferecendo orações em troca de dinheiro. Você paga e eles rezam sei lá quantos Pai-Nosso e Ave-Maria a seu favor.

Outra curiosidade é que os bolivianos têm mesmo o costume de visitar os mortos. O domingo é o dia preferido para esse ato de saudade. No túmulo das crianças você vai ver coleções completas de brinquedos e mensagens que expressam a tristeza dos familiares. É triste. O cemitério fica na Avenida Raul de Cordoba, e a entrada é gratuita.

O que fazer em Sucre

Quem disse que cemitério não é atrativo turístico?

O que fazer em Sucre

No Parque Bolívar tem até uma torre que lembra (ou não) a de Paris.

O que fazer em Sucre

E tem o arco que fica em frente à Suprema Corte.

Feira de Tarabuco | A vila de Tarabuco fica a 60 quilômetros de Sucre e é aqui que acontece todos os domingos essa feira que é famosa entre os turistas e também entre os moradores dos povoados vizinhos, que vêm a essa cidadezinha para se abastecer de mantimentos como arroz, macarrão, frutas e verduras.

A Feira de Tarabuco é um dos melhores lugares para fotografar bolivianos usando vestimentas típicas. E isso não é porque eles estão ali esperando os turistas. Pelo contrário, os indígenas que visitam a feira, quase sempre, não gostam de ser fotografados e muitos deles falam apenas poucas palavras em castelhano, já que preservam o dialeto de seus ancestrais, o quéchua. Para saber mais sobre esse lugar, leia A imperdível Feira de Tarabuco.

O que fazer em Sucre

Os protagonistas da Feira de Tarabuco.

O que fazer em Sucre

Eu escolhi me perder no meio dessas cores, cheiros e vidas.

Planeje sua viagem a Sucre

Quando ir | Acompanhando o relevo, o clima da Bolívia muda muito de uma região para a outra. Sucre fica na região central do país e, aqui, o clima é mais ameno, com temperaturas variando entre 17 e 27 graus, com noites bastante frias o ano inteiro. O período mais chuvoso é entre novembro e março, mas é nesse período, também, que os dias ficam mais ensolarados.

O comércio, em geral, funciona de 8h30 às 18h30, sendo que alguns fecham para o almoço. Os bancos abrem as portas das 9h às 16h.

Como chegar | De avião, você chega a Sucre pelo Aeroporto Internacional Juana Azurduy de Padilla (SER), que fica a 10 quilômetros do Centro. Ele recebe voos de vários países sul-americanos e, também, de cidades bolivianas como Santa Cruz de la Sierra, La Paz e Cochabamba. As principais companhias aéreas que fazem a rota até Sucre são Boliviana de Aviación (BoA), Transporte Aéreo Militar (TAM) e Amaszonas.

De ônibus, partindo de Santa Cruz de la Sierra, a viagem pode durar 16 horas em um trajeto de subidas e curvas sem fim. Então, se puder, prefira chegar à cidade voando. A empresa que faz o trajeto é a Trans Oruro e a passagem, vendida exclusivamente nos postos autorizados, custa cerca de BOB 70. Os ônibus chegam e partem do Terminal de Buses entre 16h e 20h.

Há micro-ônibus para todos os cantos de Sucre e a passagem custa BOB 3. Os táxis também são muito baratos. Para exemplificar, uma corrida do Centro até o mirador custou BOB 10.

Onde ficar | A área mais movimentada de Sucre fica nos arredores da Plaza 25 de Mayo. Nessa região estão muitos hostels, hotéis, bares, restaurantes, lojas e museus, e é justamente por isso que, geralmente, os preços são um pouco mais altos aqui.

Na medida em que você se afasta da praça as opções ficam mais baratas e, também, diversificadas. Durante minha viagem a Sucre, eu me hospedei no Hotel Villa Antigua, que funciona num antigo casarão a poucas quadras da praça. Ele tem um bom café da manhã, sauna, academia e quartos muito aconchegantes.

O que fazer em Sucre

O confortável Hotel Villa Antigua.

O que fazer em Sucre

A noite no Joy Ride Café começa às 21h com a rodada dupla.

Onde comer | Há muitas e boas opções para comer em Sucre. O Café Condor tem gostosas opções vegetarianas. O Café e Restaurante Florin tem um atendimento exemplar e é uma boa opção para comer e beber à noite. A rodada dupla, aqui, vai de 21h30 às 23h. O Joy Ride Café tem rodada dupla das 21h às 23h. Ele também é uma ótima pedida para sua noite.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

14 Comentários

  1. Avatar

    Boa tarde, Altier.

    Passando por aqui para elogiar seu blog. Viajarei para a Bolívia em Setembro e gostei muito da organização dos pontos turísticos, sugestões e comentários sobre a história do lugar. Parabéns. 🙂

  2. Avatar

    Boa noite Altier! Gostaria da sua ajuda, pois passarei por Sucre, rumo a Uyuni, no próximo dia 21 e meu vôo chega por volta das 15h, mas só embarcarei p Uyuni às 20h no Terminal Rodoviário. Vc acha que dá pra conhecer algum ponto turístico neste curto espaço de tempo? Gostaria tb de saber se existe guarda volumes na Rodoviária de Sucre? Obrigada e parabéns pelo Blog.

    • Altier Moulin

      Oi Debora,

      Dá para fazer pouca coisa, na verdade. Dê uma volta na Plaza 25 de Mayo, onde estão alguns dos principais prédios importantes da cidade. A Iglesia La Merced também fica pertinho, e da para te ruma vista legal da parte histórica de Sucre. Sim, há guarda-volumes na estação rodoviária, mas não se esqueça dos cadeados. 😉

      Um abraço.

Escreva um comentário