Buenos Aires: a cidade de Evita Perón

0

Atualizado em 13 de julho de 2018

A Argentina é um país cheio de personagens famosos nos esportes, nas artes, na religião e também na política. Na terra dos hermanos, uma figura singular se tornou símbolo da luta pelos direitos das minorias – como o voto das mulheres. Isso numa época em que o populismo do presidente Juan Domingo Perón era, praticamente, unanimidade. Por isso, Buenos Aires se tornou também a cidade de Evita Perón.

Com um discurso fácil e com uma história de contos de fadas, María Eva Duarte de Perón era uma pobre moça do interior do país. Ela venceu a infância dolorosa e deixou a miséria para assumir o posto de mulher mais importante – e amada – do país.

Isso aconteceu nos anos 1960, mas a memória de Evita Perón ainda está muito viva. Registrada com carinho em monumentos, museus e até no túmulo onde seu corpo descansa, a história da santa peronista sempre volta à tona. Para nós, viajantes, conhecer esse lado de Buenos Aires é indispensável.

Então, inclua no seu roteiro alguns dos lugares que visitei. Eles contam um pouco da vida e da causa do mito Evita Perón.

A cidade de Evita Perón

Cementerio de la Recoleta | Certamente, o mais nobre e o mais visitado túmulo desse cemitério é o de Evita Perón. A atriz sem muita expressão que conquistou o coração dos argentinos morreu jovem, aos 33 anos, de câncer no útero. Embalsamado, o corpo da primeira-dama ficou exposto até que Perón fosse derrubado por um golpe de Estado, em 1955.

Levado para Milão, o corpo foi sepultado e, mais tarde, exumado e entregue ao ex-presidente, que vivia em Madri. Depois da morte de Perón, em 1974, o corpo de Evita voltou para a Argentina. Aqui, foi novamente exposto, mas logo foi enterrada no mausoléu da família Duarte.

Buenos Aires: a cidade de Evita Perón

O corpo embalsamado de Evita Perón. Foto: Francisco Bolsíco

Pode parecer estranho, mas o Cementerio de la Recoleta é um famoso ponto turístico da capital portenha. Aqui, estão sepultados os principais personagens da história política e artística da Argentina. Como não bastasse, os túmulos passam longe de ser apenas um lugar onde se guardam os mortos. Eles são verdadeiras obras de arte, com diferentes estilos e tamanhos. É comum ver estátuas dos mortos enfeitando as entradas de seus próprios túmulos.

Nesse cemitério, nada é normal. Aqui, os mortos permanecem dentro de seus caixões expostos em prateleiras dividindo espaço com objetos pessoais e lembranças de seus familiares. Há também inúmeros gatos que circulam pelos corredores livremente. Conta a lenda egípcia que eles são os guardiões do mundo dos mortos. Verdade ou não, em Recoleta eles têm muita intimidade com aqueles que já partiram para o além.

As visitas ao cemitério acontecem diariamente, das 8h às 18h. A entrada é gratuita.

Buenos Aires: a cidade de Evita Perón

O túmulo de Evita.

Buenos Aires: a cidade de Evita Perón

Túmulo do General Juan Lavalle.

Buenos Aires: a cidade de Evita Perón

Uma forma diferente de sepultar os mortos.

Museo Evita | É emocionante percorrer os corredores do Museo Evita. A casa onde morou a família Perón foi restaurada e, atualmente, abriga um rico acervo com objetos pessoais, livros, vídeos e fotos do casal. A cena do comovente velório de Evita se repete incansavelmente em uma das salas de projeção. As imagens revelam mais um pouco de todo o amor dos argentinos por essa baixinha valente.

Não há como visitar esse espaço e sair indiferente. Tudo o que ela fez foi simplesmente por acreditar que a vida das pessoas é mais importante do que qualquer outra coisa. As visitas ao Museo Evita acontecem de terça a domingo, das 11h às 19h. A entrada custa ARS 15.

Buenos Aires: a cidade de Evita Perón

Fachada do Museo Evita.

Buenos Aires: a cidade de Evita Perón

Sala de estar da casa onde Evita morou com Perón.

Casa Rosada | Na Plaza de Mayo, a mais famosa de Buenos Aires, fica a sede do governo argentino. Durante a semana, só é possível visitar o exterior da casa, uma vez que os escritórios estão em uso. Mas, nos finais de semana, você pode fazer uma visita guiada gratuita pelo interior do prédio. Para isso, você só precisa pedir ajuda a um dos seguranças que te mostrará o caminho certo.

O interior da Casa Rosada é ricamente decorado e, aqui, você aprende um pouco da história do país ao longo do caminho. Para mim, a maior emoção foi saber que, daqui, Evita lutou pelos descamisados e que, a partir de uma das sacadas, bem mais tarde, Madonna cantou o famoso “Don’t cry for me Argentina”, que lembra um memorável discurso da primeira-dama. Ainda hoje, existe um quarto dedicado à famosa primeira-dama.

Buenos Aires: a cidade de Evita Perón

Fachada da Casa Rosada.

Planeje sua visita à cidade de Evita Perón

Quando ir | Buenos Aires pode ser percebida de modo bem diferente durante as distintas estações do ano. Por isso, escolha a mais adequada ao seu perfil, assim você não correrá o risco de se frustrar. No verão, a cidade fica mais tranquila, com pouco trânsito e menos filas nos teatros, milongas, museus etc. Isso se deve ao fato de que, durante as férias, boa parte da população migra para as cidades praianas. Se a calmaria de Buenos Aires pode ser um atrativo, o calor que pode alcançar os 36 graus talvez lhe faça derreter às margens do Rio da Prata.

No inverno, assim como no verão, a cidade fica mais calma, mas por um motivo diferente: raramente as temperaturas vão superar os 10 graus. Além disso, a chuva constante afasta todo mundo das ruas. A primavera e o outono – as chamadas meias-estações –  são consideradas ideais para visitar a capital da Argentina. As temperaturas estão mais agradáveis e as programações culturais no auge, porém o trânsito está mais movimentado.

Quem leva | Há várias agências que oferecem passeios por esses e outros locais de memória em Buenos Aires. Veja as opções e os preços.

Como chegarO principal aeroporto é o de Ezeiza (EZE), que fica a 40 quilômetros de Buenos Aires. De lá até o Centro, você pode pegar um ônibus convencional por ARS 2, um micro-ônibus por ARS 45 ou um táxi, que custa cerca de ARS  150. Algumas companhias aéreas operam para o Aeroparque Jorge Newbery (AEP), que fica no bairro de Palermo, a apenas dois quilômetros do centro de Buenos Aires.

Onde ficar | O Centro de Buenos Aires é muito movimentado durante o dia, mas pode ficar deserto à noite. A Recoleta é perto de tudo e é, sem dúvida, uma região muito agradável. Em Parlemo e Porto Madero, os preços são mais altos, mas é aqui que ficam os melhores restaurantes, as casa de vinho e os apartamentos mais charmosos. San Telmo também é uma região mais vibrante, com hostels bem bacanas, ideal para quem é mais alternativo e gosta de fazer amizades quado viaja. Veja todas as opções de hospedagem de Buenos Aires.

Visto e documentos | Brasileiros não precisam de visto para cruzar a fronteira da Argentina, e podem apresentar a carteira de identidade ou o passaporte. Essa regra é válida para todos os países do Mercosul, mas você precisa ter atenção a duas questões: sua carteira de identidade deve ter sido emitida há menos de dez anos, estar com foto atualizada e em bom estado de conservação. Se estiver usando o seu passaporte, verifique a validade e se há espaços para os carimbos de entrada e saída do país. Evite viajar usando passaporte com menos de seis meses de validade.

Para saber mais | Um dos clássicos do cinema, o filme Evita é um musical que conta a história dessa poderosa mulher e tem Madonna e Antonio Banderas como protagonistas.

Veja todos os posts de Buenos Aires

Fotos de época: Museo Evita

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

Escreva um comentário