Onde comer em Buenos Aires: dicas para o café da manhã, almoço e jantar

0

Atualizado em 26 de setembro de 2022

Onde comer em Buenos Aires

A terra dos hermanos atrai turistas brasileiros o ano todo. Aqui, eu descobri que, além de apreciar os atrativos turísticos da cidade, comer em Buenos Aires é um programa indispensável para uma boa experiência de viagem.

A capital da Argentina, queridinha dos brasileiros, além de ter ótimas opções de restaurantes, não nos assusta com preços absurdos.

→ Não viaje para a Argentina sem o seguro viagem

É só saber escolher. Então, esqueça a dieta e saboreie carnes, alfajores com dulce de leche e vinhos irresistíveis.

Por causa do grande fluxo de viajantes que passa pela cidade, comer em Buenos Aires é possível para todos os gostos e bolsos.

Não é preciso ser apaixonado por carnes para aproveitar a mesa portenha. Você também pode experimentar saladas refrescantes, massas e frutos do mar.

Onde comer em Buenos Aires

O jantar – la cena, em espanhol – é servido tarde, sempre depois das 22h. Estranhamente, em Buenos Aires, você paga para usar os talheres, pratos e copos durante uma refeição.

Isso vem discriminado como cubierto em sua conta. Os valores variam entre ARS 5 e ARS 30.

Em bares e restaurantes, não fique com vergonha de chamar o garçom – mozo, em espanhol – com gestos. Se não agir assim, você vai esperar um bom tempo.

Onde comer em Buenos Aires

O seu café da manhã pode começar com uma media luna, um tipo de croissant, acompanhado de chá ou leite com café. Isso é bem tradicional por aqui.

O Café Tortoni é uma cafeteria que você precisa conhecer pela tradição, já que ela existe desde 1858.

O salón de té La Biela fica na Recoleta, e pode ser uma parada interessante nos dias mais frios. A

lém dele, entrar em uma loja da Havanna também é obrigatório. Você pode experimentar o famoso alfajor ou aproveitar os outros lanches e cafés que eles servem.

É impossível falar de comer em Buenos Aires sem pensar nas famosas empanadas argentinas. O pastel assado é servido como entrada em vários restaurantes e você não pode sair do país sem provar, pelo menos, uma.

Onde comer em Buenos Aires

A sorveteria Freddo também é um símbolo da região e um programa perfeito para dias muito quentes na cidade.

Para escolher a melhor estação na qual visitar a capital portenha, eu sugiro que você leia: Quando ir a Buenos Aires.

O Choripán é tipicamente argentino. Ele é, de forma simples, um cachorro-quente, só que com uma linguiça portenha feita de pernil suíno, peito de frango ou paleta de carneiro, e têm variações com queijo e ervas. O sabor é bem especial.

Onde comer em Buenos Aires

No jantar, aprecie um bife de chorizo acompanhado de um bom vinho tinto argentino, claro.

A região de Puerto Madero é sensacional para esse tipo de programa, e há muitos excelentes restaurantes por aqui, como o Cabana las Lilas. O preço é que eu acho bem caro.

Na hora de pedir sua carne, é válido deixar claro se você quer bem passada, já que, para os argentinos, a carne é servida bem vermelha por dentro. É o padrão que eles seguem.

Onde comer em Buenos Aires

O Santos Manjares é um restaurante muito bem avaliado por viajantes e os pratos valem por cada centavo gasto. O bife de chorizo custa, aqui, cerca de ARG 180.

Não se assuste com a palavra propina, ela é a gorjeta do garçom. Não é obrigatório pagar pelo serviço, mas, sempre que possível, é bom deixar 10 por cento em dinheiro, valorizando o serviço.

INFORMAÇÕES BÁSICAS
VISTO

Brasileiros não precisam de visto para entrar e permanecer no país por até 90 dias. Esse prazo pode ser prorrogado por mais 90 dias.

DOCUMENTOS

Brasileiros podem apresentar o passaporte ou a carteira de identidade, desde que tenha sido emitida há menos de dez anos.

MOEDA

O peso argentino, identificado pela sigla ARG, é a moeda nacional. Para sua viagem, leve reais ou dólares.

VACINAS

Nenhuma vacina específica é obrigatória, independentemente do motivo da viagem.

SEGURO VIAGEM

O seguro viagem não é mais obrigatório, mas é recomendado. Veja quanto custa o seguro viagem.

COVID-19

Apesar de não ser obrigatório, é recomendado estar vacinado contra covid-19. Veja as regras abaixo

INFORMAÇÕES SOBRE COVID-19

De acordo com o decreto publicado no dia 24 de agosto de 2022, não há mais nenhuma exigências quanto à covid-19. Portanto, não é necessário apresentar comprovante de vacinação nem resultados de exames RT-PCR.

Até então, era obrigatório preencher a Declaración Jurada Electrónica para el Ingreso al Territorio Nacional e ter  um seguro viagem com cobertura para a covid-19.

RETORNO AO BRASIL

Viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

SEGURO VIAGEM

Apesar de não ser obrigatório,  viajar para a Argentina sem o seguro viagem não e uma boa ideia.  Sem ele, você poderá ter que pagar caro, caso precise de uma consulta médica ou de atendimento hospitalar.

Ter um seguro viagem é ainda mais importante se você for viajar para áreas mais remotas do país, como a Patagônia e o norte argentino – na região de Jujuy e Salta, muitas pessoas se sentem mal por causa da altitude.

Além disso, o custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

GOLPE NO TÁXI

Na hora de pegar um táxi – que ainda é a melhor opção para se locomover nas cidades da Argentina –, utilize veículos de frota e fique de olho na hora de pagar: sempre olhe para o motorista e diga qual o valor em espécie você está entregando a ele.

Esse cuidado tem uma razão: alguns motoristas trocam a sua nota e dizem que a que você o entregou é falsa. Há casos em que eles deixam o dinheiro cair no chão do carro e pegam uma nota falsa para lhe repassar.

Outro golpe praticado por motoristas de táxi contra turistas é alegar que você entregou a ele uma nota no valor inferior ao pretendido.

Uma amiga chegou a Buenos Aires à noite. Cansada, depois de tomar um táxi, ela fez o pagamento com uma nota de ARS 100. Entretida com as malas, ela não percebeu que o taxista tinha trocado a sua nota por uma de ARS 10.

Ela se desculpou, entregou-lhe novamente uma nota de ARS 100, e manteve a postura desatenciosa. O motorista aproveitou e, novamente, disse que tinha recebido outra nota de ARS 10. No final das contas, ela pagou ARS 300 por uma corrida de táxi que custou menos de ARS 100.

Infelizmente, carros de aplicativo ainda não são tão comuns em várias cidades argentinas e isso nos faz reféns dos taxistas.

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas da Argentina.

Veja mais dicas da Argentina