Cerro de los Siete Colores: a montanha colorida do norte da Argentina

2

Atualizado em 12 de abril de 2021

Cerro de los Siete Colores: a montanha colorida da Argentina

O Cerro de los Siete Colores fica em Purmamarca, na província de Jujuy, norte da Argentina, e tem ganhado fama mundial de uns anos para cá. É que, realmente, a paisagem deste lugar é bem peculiar e é isso que atrai tantos viajantes.

Em bom português, a Montanha de Sete Cores é como o nome diz: por causa dos minerais acumulados nas diferentes camadas, o monte tem várias cores, e eu arrisco dizer que são bem mais do que sete, já que as tonalidades mudam de acordo com a hora do dia e com a posição do sol.

Cerro de los Siete Colores

Uma das coisas que você não pode deixar de fazer aqui é o Paseo de los Colorados. Essa caminhada de quatro quilômetros começa no centrinho de Purmamarca e dá a volta até o outro lado da montanha colorida.

É bem fácil encontrar o caminho, já que Purmamarca é pequena e sua principal atração é, justamente, o Cerro de los Siete Colores. Além disso, há placas indicando o trajeto, mas se não achar, é só perguntar a qualquer pessoa, porque todos sabem.

Cerro de los Siete Colores: a montanha colorida da Argentina

Se não quiser fazer o percurso a pé, dá pra fazer tudo de carro. Mas, o legal é ir parando para observar as formas e as cores do relevo e os cardónes, os cactos gigantes que são bem comuns nessa região da Argentina.

Cerro de los Siete Colores: a montanha colorida da Argentina

Agora, se você se animou e quer subir o Cerro de los Siete Colores, esqueça, porque isso não é permitido. Sem falar que é justamente de longe que a gente consegue ter uma visão melhor das diferentes cores da montanha.

Cerro de los Siete Colores: a montanha colorida da Argentina

Cores de uma longa história

Todas essas montanhas que vemos ao redor de Purmamarca foram formadas pela movimentação das placas tectônicas – aquelas coisas que a gente aprende na escola e que se concretizam quando a gente viaja. Sabe como é isso?

É, mas quem vê o Cerro de los Siete Colores todo enfeitado assim, talvez, nem imagina a sua importância para a História.

É que estudos geológicos atestaram que toda essa região, conhecida como Quebrada de Humahuaca, tem importantes informações que datam de mais de 500 milhões de anos. Inclusive, fósseis de dinossauros já foram encontrados por aqui.

Cerro de los Siete Colores: a montanha colorida da Argentina

Além disso tudo, essa área era habitada pelos incas, império que dominou grande parte dos países andinos. Com tanta peculiaridade assim, a Unesco reconheceu este lugar como Patrimônio Mundial da Humanidade.

Cerro de los Siete Colores: a montanha colorida da Argentina

Como visitar o Cerro de los Siete Colores

Quanto custa

Eu fiz essa viagem com a ADN Travel. Eles têm um passeio que sai de Jujuy e que inclui uma visita às Salinas Grandes, com guia e transporte, que custa ARS 1.100.

Cerro de los Siete Colores: a montanha colorida da Argentina

Como chegar

Purmamarca, a cidade do Cerro de los Siete Colores, fica na província de Jujuy. De ônibus, há chegadas e partidas, praticamente, a cada meia-hora e a passagem saindo de Jujuy custa cerca de ARS 85.

De carro, você deve seguir pela RN-09 e, depois, entrar na RN-52. O aeroporto mais próximo fica em Jujuy, a 83 quilômetros de Purmamarca.

Para saber mais, leia: Como chegar a Jujuy.

Quando ir

O período mais agradável para vir à região de Purmamarca é nos meses de abril a outubro, sendo que a estação mais seca se concentra nos meses de julho e agosto. Aliás, agosto é o mês mais seco e praticamente sem chances de chover.

Para saber mais, leia: Quando ir a Jujuy, no norte da Argentina.

Cerro de los Siete Colores: a montanha colorida da Argentina

Onde ficar

Eu me hospedei no hotel Luna Daniela. Ele fica a dois quilômetros do centro de Purmamarca, de frente para as montanhas que são o grande atrativo deste lugar. Como está em uma área mais tranquila, ele é excelente para quem viaja sozinho, em família ou com amigos.

Os quartos são grandes, limpos e têm calefação – o que é importante demais nessa região – televisão, internet sem fio, chuveiro quente e banheira.

Se quiser saber mais detalhes, leia: Como é se hospedar no hotel Luna Daniela.

INFORMAÇÕES BÁSICAS
Visto | Brasileiros  não precisam de visto para entrar no país e o tempo de permanência é de até 90 dias. 
Documentos | Brasileiros podem apresentar o passaporte ou a carteira de identidade emitida há menos de 10 anos.
Moeda | O peso argentino (ARG) é a moeda local. Para sua viagem, leve reais ou dólares e troque nas casas de câmbio.
Vacinas | Nenhuma vacina é obrigatória, independentemente do motivo da viagem, mas é indicado ter um seguro viagem.

SEGURO VIAGEM

Nem todos os países têm um sistema de saúde público e gratuito. Na verdade, na maioria deles, viajantes estrangeiros não têm acesso a assistência médica gratuita. Por isso, é muito importante ter o seguro internacional de saúde – também chamado de seguro viagem –, mesmo que ele não seja obrigatório.

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Você já imaginou quanto custa um tratamento médico para esses casos em outros países? Dependendo da gravidade, o atendimento pode custar milhares de dólares, podendo gerar sérias dificuldades financeiras para você e seus familiares para o resto da vida.

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

Veja mais sobre a Argentina

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas da Argentina.

SOBRE O AUTOR

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

2 Comentários

Escreva um comentário