Quando ir a Jujuy, no norte da Argentina: a melhor época para viajar

Atualizado em 13 de outubro de 2022 – 2 min de leitura

Todo o norte da Argentina ainda é pouco explorado por nós, brasileiros, e, talvez, isso deixe essa região ainda mais atraente. Com paisagens exóticas, povo acolhedor, comida boa e preços atrativos, a gente só precisa decidir quando ir a Jujuy para emitir a passagem – e olha que as promoções têm sido bem frequentes.

San Salvador de Jujuy é a capital da província de Jujuy, que faz fronteira com a Bolívia e com o Chile. A cidade tem clima temperado e quente, com chuvas mais concentradas no verão e temperatura média anual de 17 graus.

Um fator que influencia muito na sensação térmica daqui é a altitude: a 1.259 metros acima do nível do mar, o vento é gelado e o ar é mais seco.

Quando ir a Jujuy, no norte da Argentina

Neste artigo, eu vou explicar sobre:

Quando ir a Jujuy

Estação seca

O período mais agradável para ir a Jujuy é nos meses de abril a outubro, sendo que a estação mais seca se concentra nos meses de julho e agosto. Aliás, agosto é o mês mais seco e praticamente sem chances de chover.

Os meses mais frios são junho e julho, sendo que julho é o mês mais gelado do ano, com temperatura média de 11 graus e mínimas bem próximas a zero.

O frio, de forma geral, é bem presente nesta região durante o inverno, a estação seca. Em San Salvador de Jujuy ele é suportável, mas é preciso estar bem agasalhado. Já nas cidades da região que ficam em altitude mais elevada, como Tilcara, a 2.465 metros, o frio é intenso.

Quando ir a Jujuy, no norte da Argentina

Mesmo com esse frio, é muito raro nevar nesta região. O que a gente vê com mais facilidade nas cidades mais altas é o gelo que fica concentrado no cume de algumas montanhas e alguns riachos que congelam.

Eu estive em Jujuy no mês de junho e peguei dias ensolarados, sem chuva, mas com bastante frio. Nesta região, a variação térmica é muito alta: o termômetro marcou dois graus à noite, sendo que, durante o dia, a temperatura chegou a agradáveis 22 graus

Quando ir a Jujuy, no norte da Argentina

Estação chuvosa

Os meses mais quentes e úmidos vão de novembro a janeiro. É nesta época que as chuvas são mais frequentes, sendo que dezembro, janeiro e fevereiro são os meses que mais chovem.

Com média de 195 milímetros de chuva, janeiro é o mês com maior probabilidade de dias chuvosos. Ele é, também, o mês mais quente, com média de 21 graus.

Ainda assim, os meses de outubro e novembro podem surpreender com dias em que a temperatura alcança os insuportáveis 37 graus.

Quando ir a Jujuy, no norte da Argentina

Dicas de hospedagem

Antes de decidir onde se hospedar em Jujuy, veja essas dicas:

  • A melhor área é nos arredores da Plaza Belgrano, a principal de Jujuy;
  • As acomodações são, geralmente, simples e rústicas;
  • Escolha um lugar que tenha sistema de calefação, pois o inverno é congelante;
  • Ficando no Centro, você vai poder fazer praticamente tudo a pé;
  • Eu explico isso melhor em: Onde se hospedar em Jujuy.

Cuide de sua saúde

Na estação seca, é muito importante se manter hidratado, mas, também é preciso ter cuidados com sua pele, olhos, nariz e boca, pois o ar gelado e seco pode causar incômodo e até feridas – isso pode parecer besteira, mas não é.

Protetor solar e um creme hidratante vão evitar queimaduras e ressecamento excessivo da pele. Para os olhos e nariz, minha sugestão é usar soro fisiológico para mantê-los sempre umedecidos. Para a boca, eu usei manteiga de cacau. Depois que fiz isso, os incômodos causados pelo clima daqui diminuíram bastante.

Também é importante ter um seguro viagem. Eu indico a Seguros Promo. Além de ser a empresa que eu uso para as minhas viagens, eles têm os melhores preços da internet. Pode fazer o teste.

Informações Básicas

Visto

Brasileiros não precisam de visto para entrar e permanecer no país por até 90 dias. Esse prazo pode ser prorrogado por mais 90 dias.

Documentos

Brasileiros podem apresentar o passaporte ou a carteira de identidade, desde que tenha sido emitida há menos de dez anos.

Dinheiro

O peso argentino, identificado pela sigla ARG, é a moeda nacional. Para sua viagem, leve reais ou dólares.

Vacinas

Nenhuma vacina específica é obrigatória, independentemente do motivo da viagem.

Informações sobre covid-19

De acordo com o decreto publicado no dia 24 de agosto de 2022, não há mais nenhuma exigências quanto à covid-19. Portanto, não é necessário apresentar comprovante de vacinação nem resultados de exames RT-PCR.

Até então, era obrigatório preencher a Declaración Jurada Electrónica para el Ingreso al Territorio Nacional e ter  um seguro viagem com cobertura para a covid-19.

Retorno ao Brasil

Viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

Seguro viagem

Apesar de não ser obrigatório,  viajar para a Argentina sem o seguro viagem não e uma boa ideia.  Sem ele, você poderá ter que pagar caro, caso precise de uma consulta médica ou de atendimento hospitalar.

Ter um seguro viagem é ainda mais importante se você for viajar para áreas mais remotas do país, como a Patagônia e o norte argentino – na região de Jujuy e Salta, muitas pessoas se sentem mal por causa da altitude.

Além disso, o custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

GOLPE NO TÁXI

Na hora de pegar um táxi – que ainda é a melhor opção para se locomover nas cidades da Argentina –, utilize veículos de frota e fique de olho na hora de pagar: sempre olhe para o motorista e diga qual o valor em espécie você está entregando a ele.

Esse cuidado tem uma razão: alguns motoristas trocam a sua nota e dizem que a que você o entregou é falsa. Há casos em que eles deixam o dinheiro cair no chão do carro e pegam uma nota falsa para lhe repassar.

Outro golpe praticado por motoristas de táxi contra turistas é alegar que você entregou a ele uma nota no valor inferior ao pretendido.

Uma amiga chegou a Buenos Aires à noite. Cansada, depois de tomar um táxi, ela fez o pagamento com uma nota de ARS 100. Entretida com as malas, ela não percebeu que o taxista tinha trocado a sua nota por uma de ARS 10.

Ela se desculpou, entregou-lhe novamente uma nota de ARS 100, e manteve a postura desatenciosa. O motorista aproveitou e, novamente, disse que tinha recebido outra nota de ARS 10. No final das contas, ela pagou ARS 300 por uma corrida de táxi que custou menos de ARS 100.

Infelizmente, carros de aplicativo ainda não são tão comuns em várias cidades argentinas e isso nos faz reféns dos taxistas.

Veja mais dicas da Argentina

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas da Argentina.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

2 Comentários

  1. Jose Pedro Roversi

    Pretendo em 2019 ir ate San Pedro de Atacama CH terei que passar pelo norte da Argentina na Ruta 16 dizem que essa rodovia esta muito esburacada quase intrafegável, alguém poderia me ajudar e me dizer as condições real dessa rodovia RUTA 16 entre Resistencia AR a Salta.
    jp.roversi@gmail.com

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Jose.

      Infelizmente, não tenho informação deste trecho.

      Um abraço.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *