Os caminhos de Che Guevara em Havana

0

Atualizado em 3 de novembro de 2017

Apesar de ter nascido na Argentina, Ernesto Guevara de la Serna se tornou um dos maiores ícones da Revolução Cubana, que tomou o país em 1959 e, até hoje, está no poder. Aqui, nas ruas da capital, tudo nos lembra sua trajetória e, para conhecer um pouco mais de seu legado, eu sugiro que você visite alguns lugares onde morou e trabalhou Che Guevara em Havana.

Sem fazer julgamentos do quanto a Revolução foi boa ou ruim para Cuba, o fato é que a história desse homem se traduz na capacidade que ele teve de perseguir seus ideais. Che foi um incentivador do protagonismo latino-americano, e pagou com sua própria vida: ele foi morto na Bolívia, depois de ter sido caçado mundo afora.

Para você ter uma ideia, ele é tão venerado pelos cubanos, que, por todo lado, há fotos, memoriais e cartazes de Che Guevara em Havana. Em 1968, o governo imprimiu e distribuiu gratuitamente exemplares do Diário de Che na Bolívia e, ainda hoje, ele estampa notas de dinheiro, está nas lembrancinhas de viagem e o principal ponto turístico da cidade é a praça onde está um imenso painel com sua imagem.

Os caminhos de Che Guevara em Havana

Exemplar do Diário de Che distribuído gratuitamente à população pelo governo.

Os caminhos de Che Guevara em Havana

O ponto turístico mais famoso de Cuba.

Os caminhos de Che Guevara em Havana

Nota com o rosto de Che circulam no país.

Os caminhos de Che Guevara em Havana

Placa na entrada de um hospital da capital.

Che Guevara em Havana

Casa de Che | Quando chegou a Havana, Che precisava de um lugar para morar e concluir seu plano de conquistar a cidade. Como boa parte dos membros do governo tinha fugido, algumas residências oficias estavam vazias e, foi na casa do ex-comandante do exército que o revolucionário barbudo e seus companheiros se hospedaram e viveram até 1959.

Depois da Revolução, a Casa ficou fechada até 1970, quando passou a funcionar como faculdade. Bem mais tarde, em 2006, ela foi restaurada e reinaugurada como Museu.

Os caminhos de Che Guevara em Havana

Fachada da Casa de Che Guevara em Havana.

Embora existam alguns móveis e objetos na casa, nenhum deles é original – como me informou o responsável pela venda dos ingressos. De qualquer forma, você pode tirar algumas fotos e seguir conhecendo os passos de Che Guevara em Havana.

A entrada custa CUC 6, e as visitas podem ser feitas, diariamente, das 10h às 18h.

Os caminhos de Che Guevara em Havana

Hoje, ela abriga um pequeno museu.

Fortaleza de San Carlos de La Cabaña | Maior fortaleza da América Latina e reconhecida como Patrimônio Mundial da Unesco, essa construção ocupa um dos lados da entrada do canal para a Baía de Havana. De longe você percebe a imponência e a grandiosidade dessa construção, mas é caminhando aqui dentro que a gente visita o escritório de onde Che Guevara comandou parte das tropas cubanas por algum tempo.

Depois da tomada do poder, Che acompanhou, pessoalmente, o fuzilamento daqueles que representavam uma ameaça aos ideais defendidos por seu líder, Fidel Castro. Em sua maioria, eles eram partidários do ex-ditador Fulgêncio Batista, que tinham sido condenados, à revelia, por crimes de guerra.

Os caminhos de Che Guevara em Havana

Foto do General Ernesto ‘Che’ Guevara na escadaria de seu escritório.

Os caminhos de Che Guevara em Havana

Prédio onde funcionou o comando de Che.

Hoje, no prédio do antigo escritório, funciona um museu com objetos, fotos e documentos do revolucionário mais amado de Cuba. Um item bem curioso é a cópia do passaporte de Che Guevara disfarçado de Ramón Benítez Hernández, que ele usou para entrar na Bolívia, em 1966, sem ser capturado.

Os caminhos de Che Guevara em Havana

Entrada do antigo gabinete de Che Guevara.

Os caminhos de Che Guevara em Havana

Mochila usada pelo revolucionário.

Os caminhos de Che Guevara em Havana

Mesa de onde Guevara ordenavas as execuções dos inimigos da Revolução.

Os caminhos de Che Guevara em Havana

Passaporte falso usado para entrar na Bolívia.

Praça da Revolução | Uma das maiores do mundo, com 72.000 metros quadrados, a Praça da Revolução é, sem dúvida, um lugar de grande importância histórica. Aqui, eventos já chegaram a reunir um milhão de pessoas, o que equivale a dez por cento da população cubana, como aconteceu quando o Papa João Paulo II esteve no país. Atualmente, os arredores da praça são ocupados por prédios do governo e do Partido Comunista cubano.

Na fachada da sede do Ministério das Comunicações, está a emblemática escultura de ferro com o rosto de Che Guevara acompanhada da frase Hasta la Victoria Siempre – rumo à vitória sempre, em português. O mural foi inspirado na famosa foto de Che feita, em 1960, pelo fotógrafo Alberto Korda.

Praça da Revolução, o cartão-postal de Havana

Os prédios do governo têm homenagem aos revolucionários Che e Cienfuegos.

Praça da Revolução, o cartão-postal de Havana

Você não pode deixar de conhecer o mural de Che Guevara em Havana.

Dizem que, ainda hoje, permanece intacto o gabinete que Guevara ocupou dentro do prédio, mas ele não é aberto à visitação. Para saber mais, leia: Praça da Revolução, o cartão-postal de Havana.

Os restos mortais de Che Guevara estão no Mausoléu Guevara, que fica na cidade de Santa Clara. Eles foram levados para lá, em 1997, depois de serem encontrados em escavações na Bolívia.

Quanto custa | A visita à praça é gratuita. Para conhecer o interior do Memorial José Marti e subir no elevador é preciso pagar CUC 5.

Planeje sua viagem a Havana

Quando ir | Você pode visitar os lugares que recontam a história de Che Guevara em Havana todos os dias do ano. Julho e agosto são os meses mais quentes, mas isso eu explico com detalhes em: Escolha quando viajar para Cuba.

Como chegar | Você pode tomar um ônibus para chegar à Fortaleza La Cabaña e à Casa de Che. A passagem custa CUP 0,80, mas será preciso caminhar um pouco – cerca de 300 metros -, já que eles não chegam muito perto da entrada. Uma boa opção é usar o táxi, principalmente se estiver em grupo. Uma corrida do Capitólio até aqui não deve sair por mais de CUC 6. Na volta, negocie o preço, já que a quantidade de carros é menor.

A Praça da Revolução fica na parte nova de Havana, a cerda de seis quilômetros de Havana Vieja, o centro histórico da capital. Para chegar aqui, você pode pegar um táxi que custa cerca de CUC 20. Há um ônibus turístico que passa pelos principais lugares de Havana. A passagem custa CUC 10 e você pode descer e subir no veículo durante o dia todo. Você também pode usar o transporte público convencional. Há várias linhas de ônibus que passam aqui e a passagem custa CUP 1. O Uber não funciona em Cuba.

Onde ficar | Cuba tem suas peculiaridades também na hora de escolher onde ficar, e é isso que eu explico em: Superdicas de hospedagem em Cuba.

Havana tem uma rede hoteleira satisfatória, porém está longe de ser a mais empolgante e moderna do Caribe. Isso se deve, em parte, ao fato de que a maioria dos hotéis e resorts pertence ao governo. A mais clássica opção do país é o Hotel Nacional. Esse cinco estrelas foi construído em 1930, e é aqui que se hospedam as celebridades e autoridades que visitam o país. Ele fica em Vedado, um bairro da parte nova de Havana, bem perto do Malecón, a avenida beira-mar. Nessa área também está o Hotel Deauville, outra referência de hospedagem em Cuba.

Outra área bem interessante para se hospedar é perto do Capitólio, na parte central da cidade. Estão, aqui, o Iberostar Parque Central, o Hotel Telegrafo e o Hotel Inglaterra, três excelentes opções. Para saber mais, leia: Onde se hospedar em Havana.

Super dicas de hospedagem em Cuba

O adorável aparamente que encontrei no Airbnb.

Eu reservei todas as minhas hospedagens pelo Airbnb. Como passei pela cidade três vezes, fiquei no Lovely apartment!, um excelente apartamento, em Vedado, perto da Universidade.

Em Havana Centro, eu fiquei na Esquina de Animas, uma casa bem antiga, mas muito bem limpa e organizada. Essa foi a casa que mais gostei, porque eu vi de perto a vida dos cubanos: aqui é onde eles vivem e dá para observar a rotina dos moradores.

Se você prefere um hostel, uma ótima opção em Havana Vieja é o Hostal Valencia, que fica na Calle Oficios, no coração do centro histórico da cidade. O Hostal El Viajero fica no Centro de Havana, uma parte mais degradada da cidade, mas é outra boa opção.

Visto e documentos | Brasileiros necessitam de visto para entrar em Cuba. Além disso, você vai precisar do seguro viagem, do certificado de vacinação contra febre amarela e do comprovante de onde ficará hospedado. Eu explico esses detalhes em: Como comprar o visto para Cuba.

Informações importantes | Cuba é um país muito peculiar e ainda pouco conhecido em sua diversidade. Muito mais do que é divulgado na mídia, o país possui regras próprias e bem diferentes do resto do mundo: como ter uma moeda exclusiva para turistas. Antes de viajar, eu sugiro que você leia: Viagem a Cuba: informações essenciais.

CONPARTILHE COM SEUS AMIGOS

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

Escreva um comentário

Inline
Inline