Comidas de Cuba: veja o que comer e beber em sua viagem ao país

10

Atualizado em 18 de junho de 2021

Comidas de Cuba

A culinária cubana é muito semelhante à brasileira. Embora modesta, a mesa dos cubanos tem suas peculiaridades e, por isso, eu explico os segredos das comidas de Cuba e mostro o que você deve experimentar – ou não – em sua viagem ao país.

Comidas de Cuba

moros y cristianos é o principal prato de Cuba. Servido de norte a sul da ilha, ele nada mais é que um mexido de arroz e feijão com um tempero característico.

O arroz branco, bem comum aqui no Brasil, e o feijão de caldo, como comemos, também são fáceis de encontrar, embora só tenha visto feijão preto por aqui.

Entre as carnes, a de porco reina absoluta. Principal proteína do país, ela é servida como bife – chamado por eles de bistec – ou em cubos.

A carne de boi não é tão consumida nas casas de quem vive em Cuba, mas sempre estará no cardápio de restaurantes destinados a turistas.

Comidas de Cuba

Isso tem um motivo: grande parte da carne bovina consumida na ilha é importada – inclusive dos Estados Unidos – e, por isso, é mais cara.

Mas, não é só isso.

Dizem que o que chega aqui é o resto do mercado internacional e, por isso, a qualidade é duvidosa.

Como não dá para acreditar em tudo o que se ouve por aí, eu comi a ropa vieja sem culpa. Esse cozido de carne tem sabor de casa.

Sabe aquela carne suculenta que nossas mães fazem na panela de pressão? É isso. Ainda tem a vaca frita, que, como o nome entrega, nada mais é que carne bovina cortada em cubos e frita.

Fartura de peixes e mariscos

Entre as comidas de Cuba, há, também, uma grande riqueza de frutos do mar. Camarão, lagosta, peixe e tantos outros pescados e mariscos chegam fresquinhos à nossa mesa.

Um prato curioso – que eu não gostei – é a paella cubana. Essa versão caribenha do famoso prato espanhol parece um risoto e não tem a explosão de sabor que eu esperava.

Se há fartura marinha, falta diversidade no quem vem da terra. A variedade de legumes e verduras passa longe da que temos aqui no Brasil.

Nos resorts de cidades como Varadero, Cayo Guillermo, Cayo Coco e Cayo Largo isso melhora bastante, mas essa não é a realidade dos cubanos.

A vianda frita – banana frita – é muito consumida e é um acompanhamento comum nos pratos do país. Nas saladas, o pepino, o tomate e a alface se sobressaem.

Comidas de Cuba: o que comer e beber no país

Em Havana, é fácil comprar frutas em barraquinhas pela rua, mas nas cidades turísticas isso fica reduzido ao dia da feira, que varia em cada lugar.

Nos mercados, as opções são poucas, quando existem, e isso pode complicar um pouco a vida de quem tem restrições alimentares.

Comidas de Cuba: o que comer e beber no país

Eu experimentei e gostei muito do suco de mamey, que tem um gosto que lembra o abacate com a cor de mamão. Eu também experimentei e aprovei a fruta, que é uma das preferidas dos cubanos.

Comidas de Cuba: o que comer e beber no país

As famosas padarias

As padarias cubanas são famosas no mundo inteiro, mas não pela fartura ou pela qualidade. Eu vi várias padarias como a desse vídeo que fiz em Cuba.

Veja que as opções são pouquíssimas e a higiene é precária, pois a atendente pega o dinheiro e os pães sem qualquer proteção.

Comidas de Cuba

Todo cubano tem direito a um pão por dia a um preço simbólico de CUP 0,05. Se quiser comer o segundo, ele terá que pagar CUP 1.

Sem muitas opções, a gente tem que se virar com o que tem. A tortica, um tipo de biscoito amanteigado feito de milho ou de trigo, é uma das gostosuras que a gente encontra nas padarias. Ele também custa CUP 1.

E os doces e as sobremesas?

Entre os doces, os mais famosos são o pudim, que tem um sabor bem industrializado, e o flan, que na verdade é o pudim de leite que comemos no Brasil.

Comidas de Cuba: o que comer e beber no país

O chivicho, que a gente compra em barraquinhas nas ruas, é uma massa frita, semelhante à de um pastel, coberta com açúcar.

Eu gostei muito do sorvete Varadero.

A terra do mojito

O rum é a bebida nacional e dele são feitos vários drinques. O mais tradicional, que nasceu nas ruas de Havana, é o mojito. Logo depois vem o daiquiri.

O primeiro mojito foi servido no La Bodeguita del Medio, em Havana Vieja, e uma visita aqui é indispensável.

As refeições são servidas do meio-dia às 23h, mas se não quiser pagar um pouco mais caro aqui, apenas visite o animado – e lotado – bar para experimentar a bebida mais famosa da casa por CUP 120.

Entre as cervejas, você pode experimentar a Cristal e a Bucanero. A Cristal é leve, refrescante e, portanto, ideal para beber na praia. Não é por acaso que seu rótulo traz a frase: cerveja preferida de Cuba.

A Bucanero é mais forte e encorpada do que a Cristal, e o seu teor alcoólico é de 5,4%.

É fácil achar toda linha da Coca-Cola, mas elas são mais caras que as marcas locais.

Chamadas de refresco, a linha da TuKola supre bem nossas necessidades, apesar de ser mais doce. Eu experimentei, também, um refrigerante de mate e gostei.

Comidas de Cuba: o que comer e beber no país

Paladares: as melhores comidas de Cuba

Independentemente do que você vai experimentar das comidas de Cuba, é indispensável saborear os pratos dos paladares.

Esses negócios familiares surgiram depois de 1998, quando o Papa João Paulo II visitou o país, e pediu ao governo que criasse meios da população aumentar sua renda.

Foi nessa onda que também surgiram as Casas Particulares, que eu explico em: Super dicas de hospedagem em Cuba.

Há vários restaurantes que se intitulam como paladares, mas o que você precisa ter em mente é que os originais são simples, informais e, principalmente, baratos.

Há vários desses em Havana, mas eu recomendo um especial.

Ele fica perto do Capitólio, na Rua San Martín, 268, entre Galiano e Águila. Um prato bem servido aqui custa a partir de cerca de CUP 25.

A refeição é feita na cozinha da dona e inclui arroz, feijão, salada de repolho, banana e bistec, o famoso bife de carne de porco. O sabor é sensacional.

Outra opção é o paladar que fica na rua lateral do Hotel Inglaterra, também perto do Capitólio. O La Calesa Cafeteria tem pratos por apenas CUP 60.

Há, claro, restaurantes mais caros e requintados, mas eu não tenho dúvida que os paladares são os melhores lugares para você experimentar as autênticas comidas de Cuba.

Em Vedado, na parte mais nova da cidade, uma boa opção para lanches e refeições é o Toke. Na esquina das ruas Infanta e 25, ele é um café e restaurante gay-friendly que serve boas e fartas refeições a preços justos.

A maioria dos estabelecimentos não cobra 10%. Em compensação, o atendimento, quase sempre, é ruim.

Depois que Cuba unificou a moeda, produtos e serviços têm tido aumentos consideráveis. Portanto, é importante saber que os preços apresentados servem apenas como base para seu planejamento, que deve incluir com uma margem de segurança de 10% a 20%.
Informações Básicas
Visto | Brasileiros precisam de visto para entrar em Cuba, mas é possível obter o visto no aeroporto.
Documentos | É preciso apresentar o passaporte dentro do prazo de validade e o seguro viagem é obrigatório.
Dinheiro| Cuba unificou as duas moedas que circulavam no país em janeiro de 2021. O peso cubano tem câmbio fixo: CUP 24 valem USD 1. Saiba como trocar e como usar o seu dinheiro em Cuba.
Vacinas | As vacinas contra covid-19 (veja abaixo) e febre amarela são obrigatórias e sem o Certificado você não entra no país. Veja como solicitar o certificado para febre amarela e para covid-19.

INFORMAÇÕES SOBRE COVID-19

Cuba adotou rígidas medidas para o controle de entrada e saída de viajantes estrangeiros. Por isso, você precisa estar preparado para fornecer os seguintes comprovantes na hora de entrar no país:

  1. Seguro viagem com cobertura para covid-19, exigido de todos os viajantes – faça uma cotação do seguro viagem;
  2. Certificado de vacinação contra covid-19 com pelo menos duas doses (ou dose única) – esta regra não se aplica a viajantes menores de 12 anos ou que não podem ser vacinados por questões de saúde (é preciso apresentar laudo médico) – veja como emitir o comprovante nacional e internacional.
  3. Resultado negativo de teste RT-PCR realizado até 72 horas antes da chegada ao país;
  4. Enviar o Formulário de Saúde preenchido até três dias antes da chegada ao país;
  5. Certificado de vacinação contra febre amarela (CIVP) –veja como solicitar o CIVP pela internet.

O seguro pode ser adquirido antes de sua viagem ou na chegada. Porém, eu realmente indico que você compre com uma empresa brasileira, pois, caso precise de atendimento, todas as instruções serão dadas em português.

Além disso, se necessitar de reembolso ou qualquer outro procedimento que fuja dos padrões – como processos judiciais, por exemplo –, você estará mais bem amparado pela legislação brasileira.

Você pode acompanhar atualizações sobre o controle sanitário no Manual do Viajante produzido pelo governo cubano.

RETORNO AO BRASIL

Viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo ou RT-PCR, coletado até das 72 horas antes do embarque.

SEGURO VIAGEM

 O seguro viagem para Cuba é obrigatório.  Sem ele, você poderá ser impedido de entrar no país.

É que mesmo tendo um serviço de saúde pública considerado referência, os hospitais e clínicas de Cuba só atendem gratuitamente quem moram no país – até os cubanos que vivem no exterior precisam de um seguro viagem.

Esta regra é antiga, foi implementada em maio de 2010, como mostra este comunicado, e a estatal responsável pelo controle e oferecimento dos serviços é a Assistur.

Não é qualquer empresa que pode vender seguro viagem para Cuba. É que o governo controla os serviços e tem uma lista com as operadoras aprovadas. Eu sempre oriento comprar com a Seguros Promo, empresa com quem comprei e, por isso, indico.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Veja mais dicas de Cuba

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver mais dicas de Cuba.