O que fazer no Espírito Santo: 10 roteiros bate-volta saindo de Vitória

5

Atualizado em 5 de setembro de 2021

O que fazer no Espírito Santo

Antes de fechar seu roteiro, dê uma olhada nestas dicas incríveis de lugares e programas para fazer no Espírito Santo em viagens curtas – de um ou dois dias – saindo da capital, Vitória.

Como o Estado é pequeno, dá para fazer deslocamentos rápidos e seguros: você pode sair de Vitória, no litoral, e chegar a Domingos Martins, na região das montanhas em, mais ou menos, uma hora.

→ Onde ficar em Vitória

Para  ter uma visão geral do que estou explicando,  dê uma olhada no mapa abaixo. Eu marquei todas as atrações que considero práticas e essenciais para quem está viajando pelo Espírito Santo e tem pouco tempo para aproveitar o que o Estado tem de melhor.

O que fazer no Espírito Santo

Considerando que você já viu o básico da Grande Vitória, dá para pensar nos roteiros de um ou dois dias saindo da capital.

Eu aconselho escolher destinos nas montanhas, como Pedra Azul; de contato com a natureza, como a Cachoeira de Matilde; e dá até para ter uma vivência no Mosteiro Zen Morro da Vagem, que tem a maior estátua de Buda do Ocidente.

Se a sua preferência é praia, Guarapari, Piúma e Anchieta ficam na região sul do Espírito Santo e têm praias que não acabam mais.

Se quiser ter uns dias de folga curtindo o seu tempo sem fazer muita coisa,  um final de semana em Itaúnas  deve ser a sua escolha: eu sou apaixonado pela tranquilidade desse lugar.

POR QUE CAPIXABA?
Quem nasce no Espírito Santo é capixaba ou espírito-santense? Essa é uma pergunta muito comum. Talvez, mais do que você imagina. Então, vamos entender esse assunto de uma vez por todas.

Os estudiosos da língua tupi identificaram que capixaba significa roça, roçado, terra limpa para plantação, e os índios que viviam, especialmente, na ilha de Vitória chamavam de capixaba a sua plantação de milho e mandioca.

Com o tempo, as pessoas de fora da ilha começaram a usar o termo capixaba para se referir aos índios da ilha e isso foi se popularizando até que passou a ser usado para se referir a qualquer pessoa nasce no Espírito Santo. Mas, originalmente, capixaba é quem nasce em Vitória. Quem nasce em Vila Velha, por exemplo, é canela-verde.

Já posso mostrar os lugares que vão fazer o seu roteiro bombar?

10 roteiros bate-volta saindo de Vitória

  1. Guarapari
  2. Pedra Azul
  3. Mosteiro Zen Morro da Vargem
  4. Cachoeira de Matilde
  5. Dunas de Itaúnas
  6. Piúma
  7. Anchieta
  8. Gruta do Limoeiro
  9. Venda Nova do Imigrante
  10. Sítio Gava

Vamos, então, aos destinos que você pode incluir na sua lista de coisas para fazer no Espírito Santo.

↑ Voltar à lista

Guarapari

Guarapari é a queridinha do litoral capixaba e a cidade vê sua população triplicar durante o verão. É muita gente – muita gente mesmo – de diversos lugares do país, mas, principalmente, de Minas Gerais.

Um dos segredos para isso se repetir todos os anos é que Guarapari tem 46 praias e todo mundo tem uma preferida.

Além disso, são só 58 quilômetros de estrada e muita gente que mora em Vitória passa os finais de semana nas praias de Guarapari.

Isso é quase uma tradição, mas eu evito por causa do movimento grande de turistas: Guarapari é bem melhor na baixa temporada.

→ Onde ficar em Guarapari

A Praia do Morro é bem famosa e a mais movimentada. Ela é a preferida dos turistas. Outras praias bem conhecidas são das Castanheiras, dos Namorados, das Virtudes e da Areia Preta.

Eu gosto da Bacutia, de Setiba, das Três Praias e de Meaípe. Mas, tem um lugar que é muito especial e você deve colocar na sua lista de coisas para fazer e no Espírito Santo.

O que fazer no Espírito Santo

Esse lugar é a Lagoa da Coca-cola, no Parque Estadual Paulo Cesar Vinhas.

Calma! Antes que você me pergunte, o nome certo é Lagoa de Caraís, mas é chamada de Lagoa da Coca-Cola por causa da cor escura da água.

Para chegar à Lagoa, você terá que andar por 2,5 quilômetros pela Trilha da Restinga. O caminho que sai da sede do Parque, que fica na margem da ES-060, conhecida como Rodovia do Sol, é todo sinalizado e a aventura começa logo nos primeiros passos.

O que fazer no Espírito Santo

Quase um quilômetro depois, a Lagoa de Caraís aparece.

Separada do mar por uma pequena faixa de areia, ela tem uma prainha rasa, de água calma e rodeada pela natureza que cresce alimentada por seu frescor.

O visual é impressionante: pedras de um lado, vegetação nativa de outro e, no horizonte, uma cadeia de montanhas completa a paisagem.

Melhor do que isso, só um mergulho sem pressa na água doce da Lagoa.

Mas, se quiser um banho de mar, é só andar alguns passos até a Praia do Bororó, que fica na frente da Lagoa da Coca-Cola e está separada da Praia de Setibão por várias pedras que formam uma paisagem bem interessante.

O que fazer no Espírito Santo

Seguindo o mesmo padrão de sua vizinha,  o mar é bastante agitado  e, por isso, é preciso ter cuidado ao entrar na água. Para quem gosta de praias mais naturais e desertas, esta é uma ótima opção.

Você pode visitar o Parque Estadual Paulo Cesar Vinha, onde fica a Lagoa da Coca-Cola, todos os dias, de 8h às 17h. O acesso à Trilha da Restinga é liberado somente até às 15h30.

↑ Voltar à lista

Pedra Azul

Domingos Martins é um dos destinos mais procurados no Espírito Santo, especialmente o distrito de Pedra Azul. Então, vamos começar entendendo que lugar é este.
O que fazer no Espírito Santo
Domingos Martins é uma pequena cidade nas montanhas capixabas, a cerca de 55 quilômetros de Vitória. A Pedra Azul fica um pouco mais longe, a 102 quilômetros, seguindo pela BR-262, a rodovia que liga Vitória a esta região.

→ Onde ficar em Pedra Azul

A Rota do Lagarto é o circuito turístico de Pedra Azul.

Na prática, é uma estradinha de oito quilômetros, bem fotogênica, com várias pousadas, lojinhas, restaurantes e – o mais importante – um visual super aconchegante.

O que fazer no Espírito Santo

Aliás, é importante destacar que a Pedra Azul – a rocha mesmo – fica a 1.822 metros de altitude, dentro do Parque Estadual da Pedra Azul, uma área de proteção ambiental que tem trilhas e um tanto de outras atrações ao redor.

Um dos pontos que ficou muito famoso nos últimos anos é o Quadrado de São Paulinho, no final da Rota do lagarto, para quem vem da BR 262, a rodovia que liga Vitória a Domingos Martins.

É um lugarzinho para quem gosta de comer bem, curtir a paisagem e apreciar tudo sem pressa.

↑ Voltar à lista

Mosteiro Zen Morro da Vargem

O Mosteiro Zen Morro da Vargem é o primeiro mosteiro budista da América Latina e fica em Ibiraçu, a 67 quilômetros de Vitória.

Ele foi fundado em 1974 pelo monge japonês Ryohan Shingu para ser um espaço de convívio e de prática do budismo, mas é também uma importante área de preservação ambiental: praticamente tudo o que a gente vê foi recuperado, já que toda área era pasto ou lavoura de café.

O que fazer no Espírito Santo

Apesar de já ser bastante conhecido, depois que inaugurou a maior estátua de Buda do Ocidente, o Mosteiro ficou ainda mais concorrido.

Muita gente só para na entrada para tirar uma foto do Buda grandão. Mas, a visita completa é muito interessante, principalmente se você se identifica com os ensinamentos budistas.

Apesar de que o mais importante não é o crescimento do budismo como religião professada, mas o desenvolvimento das pessoas, a evolução do ser humano, não acha? Uma prova disso é que pessoas de várias religiões frequentam o Mosteiro.

Talvez você já tenha a prática de meditar, mas mesmo que este não seja o seu caso, aproveite para fazer a Oficina de Não Ação, uma prática de meditação criada há mais de cinco mil anos e que estimula a concentração e a capacidade de reflexão.

As instruções são passadas pelo abade do Mosteiro, o monge Daiju Bitti.

Ele explica tudo em cerca de 20 minutos e garante que os resultados da prática regular de meditação são excepcionais.

O que fazer no Espírito Santo

Quando você estiver em meio a um turbilhão de problemas, você vai ter consciência para agir com tranquilidade. Você não vai agir por impulso e sem pensar”, me disse o monge.

Dentro do Mosteiro fica o hattô, que é o templo de Buda, mas somente os monges podem entrar nele. Além dele, há outros templos menores, como o de Kanon Bodhisattva e o dos mortos, que fica próximo ao cemitério onde são sepultados os monges que viveram no Mosteiro.

O Mosteiro Zen Morro da Vargem abre para visitação aos domingos, das 8h às 13h.

O que fazer no Espírito Santo

A entrada é gratuita, mas é importante checar o clima antes de partir: em dias chuvosos, o Mosteiro suspende as visitas por motivo de segurança.

O Mosteiro organiza retiros periódicos. Para saber quando será o próximo, consulte o perfil do Mosteiro. Você também pode tirar dúvidas pelo WhatsApp: (27) 99743-6285.

↑ Voltar à lista

Cachoeira de Matilde

A Cachoeira de Matilde fica na pequena cidade de Alfredo Chaves, a 95 quilômetros de Vitória. Ela é uma das principais atrações do Espírito Santo e toda a região ao seu redor é perfeita para quem gosta de estar em contato com a natureza e de praticar esportes de aventura.

Ela é, na verdade, um conjunto de quedas que se formam no Rio Benevente, sendo que a maior tem 70 metros e, apesar de todo mundo conhecê-la como Cachoeira de Matilde, seu nome correto é Cachoeira Engenheiro Reeve.

Foto: @rubimmidia

Então, por que todo mundo fala Cachoeira de Matilde?

É porque Matilde é o nome do distrito onde estão as cachoeiras. Ele fica a 18 quilômetros da sede de Alfredo Chaves e é um povoado bem bucólico, com pouco mais de 800 casas.

Apesar disso, Matilde é um importante patrimônio histórico capixaba.

É que a antiga e famosa Estrada de Ferro Leopoldina passava por Matilde, onde, ainda hoje, está a Estação Ferroviária de Mathilde – escrito assim mesmo -, que foi construída no início do século 20 para ligar Cachoeiro de Itapemirim, no sul do Espírito Santo, à capital, Vitória.

O prédio da estação foi restaurado recentemente e funciona como um espaço cultural.

Apesar de toda essa história tão interessante, o que atrai as pessoas para Matilde é mesmo a natureza e quantidade de opções de atividades que a gente pode fazer.

Só para você ter ideia, a Rampa de Cachoeira Alta é uma da mais procuradas por quem gosta de voar de parapente e, decolando dela, você pode pousar nas praias de Guarapari, Anchieta, Iriri, Piúma ou Itaipava.

O que fazer no Espírito Santo

Consegue imaginar como deve ser o visual desse voo, saindo das montanhas para o litoral?

Se você gosta de altura, também dá para fazer rapel na Cachoeira de Matilde, descendo no paredão de 45 metros, sendo que a maior parte é de descida negativa – que é quando descemos totalmente pendurados na corda, sem encostar os pés na rocha, controlando tudo com a mão.

No site da prefeitura, você encontra a lista com as empresas que fazem o rapel.

Para quem quer algo mais leve, as opções são muitas.

Há diversas cachoeiras menores para serem exploradas em trilhas de curta duração, que exigem pouco esforço: é como se fosse uma caminhada leve no meio da natureza.

A mais famosa trilha de Alfredo Chaves é a que vai para o Túnel de Matilde.

O que fazer no Espírito Santo

A trilha é leve: são apenas 1.500 metros. Ela começa na antiga estação ferroviária e segue pelos trilhos do trem até chegar ao famoso Túnel Encantado de Matilde, que foi construído em 1909 para servir como ponte da estrada de ferro.

Em todo o percurso o trajeto é plano, exceto uma pequena parte de mata que tem uma descida tranquila.

Ao redor da entrada do Túnel há várias pequenas cachoeiras onde a gente pode parar e se refrescar antes concluir a jornada: atravessando o Túnel.

A travessia é rápida, mas deve ser feita com cuidado: são 65 degraus cobertos pela água e o caminho é totalmente escuro – e cheio de morcegos.

No começo da trilha, no sentido oposto ao Túnel de Matilde, há uma ponte de dormentes também muito interessante: é um bom lugar para tirar fotos.

O que fazer no Espírito Santo

Além da trilha do Túnel de Matilde, há muitas outras para fazer na região. Há, também, várias cachoeiras para a gente explorar, como a Cachoeira Daros.

Na verdade, são várias cachoeiras em um balneário bem interessante para passar o dia – ótimo para quem está com crianças.

↑ Voltar à lista

Itaúnas

Itaúnas é uma pequena vila no extremo norte do Espírito Santo, já na divisa com a Bahia. Muito simples e com uma energia incrivelmente positiva, é um bom lugar para dar uma esticada na viagem.

Mas, dê uma olhada com atenção nestas dicas.

Para começar, você precisa saber que as ruas são de areia e que o número de pousadas é limitado, isso significa que as vagas simplesmente desaparecem nos feriados prolongados e nas férias escolares.

→ Onde ficar em Itaúnas

Além disso, no mês de julho acontece o Festival Nacional de Forró de Itaúnas e a vila fica lotada.

Então, a primeira dica é fazer a reserva com o máximo de antecedência que puder, para garantir o melhor lugar e, claro, a melhor tarifa.

Dunas de Itaúnas

Itaúnas tem história. Muito mais do que uma área ambientalmente protegida e reconhecida mundialmente como parte de um dos sítios declarados Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, essa vila de pescadores tem muito a nos contar.

Certamente, o fato mais marcante de sua história é o soterramento da antiga vila pelas dunas de Itaúnas.

Essa imensa massa de areia que se movimenta com o balançar do vento avançou sobre as casas e ocupou o espaço que era habitado pelo homem desde o século 18.

Estudiosos acreditam que isso só foi possível depois do processo de destruição da mata que formava uma barreira natural para o vento.

Verdade ou não, a vila desapareceu do mapa e durante muitos anos o único vestígio de sua existência era a cruz da pequena igreja que emergia das dunas de Itaúnas. Hoje, só resta um pedaço de madeira.

Na década de 1970, quando as dunas se formaram, chegar a Itaúnas era uma tarefa para aventureiro nato: se hoje é preciso dirigir por cerca de 20 quilômetros de chão até alcançar as dunas de Itaúnas, imagine naquela época.

O que fazer no Espírito Santo

O tempo passou e Itaúnas cresceu. Para preservar suas caraterísticas, os moradores decidiram que as ruas da vila não serão asfaltadas.

Se for pra vocês andarem em ruas calçadas, vocês não precisam vir pra cá. Assim que é bom que todo mundo fica a vontade“, me explicou a atendente de uma lanchonete.

Em Itaúnas, reinam a simplicidade e a tranquilidade, mas só até julho, mês do Festival Nacional de Forró de Itaúnas que atrai mais de 40 mil pessoas.

Nesta época, tudo fica diferente e os preços dobram. Assim também é na alta temporada, entre dezembro e fevereiro.

O que fazer no Espírito Santo

Então, se você quiser ver as dunas de Itaúnas sem muvucas, experimentar praias quase desertas e vivenciar o clima real da vila, fuja dessas épocas.

Eu ainda tenho mais uma dica de Itaúnas para você: a 16 quilômetros da entrada do Parque Estadual de Itaúnas, o Riacho Doce marca a divisa entre Bahia e Espírito Santo.

Outras praias

Itaúnas é um distrito de Conceição da Barra, a última cidade capixaba antes da Bahia.

Nas ruas pacatas da cidade eu encontrei muita história e cultura. Mas, o que vai conquistar você de verdade são as praias de Conceição da Barra.

A 256 quilômetros de Vitória, Conceição da Barra é de fato, uma mistura de cultura, natureza e diversão. A cidade é também uma boa opção para quem quer cair na folia: ela tem um dos melhores carnavais de rua do Brasil.

A natureza da Barra é exuberante. Ecossistemas como dunas, alagados, mata atlântica e mangues coexistem em harmonia. Por estar próxima da Região Nordeste, Conceição da Barra tem forte influência nordestina em sua paisagem.

Um sinal disso são os muitos cajueiros espalhados pelas ruas do distrito de Itaúnas.

Conceição da Barra tem oito praias. A maioria delas tem características semelhantes, com exceção das praias que ficam no distrito de Itaúnas.

Sempre agitado e com muitas ondas, o mar tem uma coloração amarelada devido à interação com os rios Cricaré e Itaúnas, que desaguam na região.

A temperatura da água é agradável em qualquer época do ano, mas é entre setembro e março que ela fica ainda mais quentinha.

Todas as praias de Conceição da Barra são consideras próprias para banho, de acordo com o órgão ambiental estadual.

↑ Voltar à lista

Piúma

Piúma fica no sul do Espírito Santo e é uma cidade muito procurada por turistas no verão.

Eles vêm de várias partes do Brasil, mas, sem dúvida, a maioria parte de Minas Gerais.

O que fazer no Espírito Santo

Do jeitinho que mineiro gosta, Piúma é tranquila. Além disso, tem as comodidades ideais para quem gosta de curtir a estação mais quente do ano com a família e sem gastar muito.

Eu já estive em todas as praias de Piúma e notei que elas têm suas peculiaridades e um estilo bem próprio.

O que fazer no Espírito Santo

A Praia Pau Grande tem o mar agitado e, justamente por isso, é a preferida dos surfistas. A Maria Neném é tranquila e ideal para famílias com crianças.

Mas, sem dúvida, a mais badalada da cidade é exatamente a Praia de Piúma, que também é conhecida como Praia do Corujão e Praia Linda.

Mas, Piúma não é só praia.

Para quem gosta de ecoturismo com uma pitada de aventura, uma dica é subir o Monte Aghá. Lá do alto, a gente tem uma vista perfeita de todo o litoral.

Ainda dá para conhecer o famoso artesanato de concha e experimentar a culinária local. Os pratos são baseados nos frutos do mar que chegam fresquinhos, trazidos pelos pescadores e catadores de mariscos.

↑ Voltar à lista

Anchieta

Anchieta fica a cerca de 80 quilômetros de Vitória e faz divisa com Guarapari, Alfredo Chaves, Piúma e Iconha.

A cidade teve origem em uma aldeia catequizada pelos padres jesuítas e o nome atual, Anchieta, é uma homenagem a José de Anchieta, padre jesuíta espanhol que viveu boa parte de sua vida na cidade.

Santuário de Anchieta

Desde que começaram os burburinhos sobre a real possibilidade do Papa Francisco canonizar o padre José de Anchieta, a cidade começou a se preparar para receber peregrinos que amam e devotam o Apóstolo do Brasil – como ficou conhecido o jesuíta defensor dos indígenas.

O Santuário Nacional de Padre Anchieta, que teve as pedras fundamentais lançadas pelo próprio Anchieta, fica na Praça da Matriz e é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

No templo, ainda acontecem celebrações e ele fica aberto diariamente para visitas.

O que fazer no Espírito Santo

Também dá para conhecer o quarto onde viveu o mais novo santo do Brasil: chamada estranhamente de cela, a pequena habitação tem vista para o Rio Benevente e para o pátio da Casa Jesuíta. A Casa está desativada.

Ruínas do Benevente

Mas, Anchieta tem um mistério que a gente só consegue entender melhor navegando pelo Rio Benevente, o principal da cidade.

São quase cinquenta minutos dentro do manguezal até chegar às ruínas do Rio Benevente.

O que fazer no Espírito Santo

Alguns acreditam que as ruínas serviram para o comércio clandestino de escravos, mas outras histórias contam que era a casa de padres jesuítas e até um antigo armazém de sal.

Com tantas versões, assim, fica realmente difícil saber qual é a verdade, mas não importa. O mais legal é que hoje as ruínas estão protegidas e você pode visitá-las em qualquer época do ano. Para alugar um barquinho, é só perguntar a algum pescador.

↑ Voltar à lista

Gruta do Limoeiro

Castelo tem pouco mais de 35 mil habitantes e é nesta pequena cidade que está o sítio arqueológico mais importante do Espírito Santo: a Gruta do Limoeiro.

O que faz a Gruta do Limoeiro ser um tesouro tão fascinante para o mundo da arqueologia foi confirmado em 1979, quando estudiosos se dedicaram na busca por vestígios de civilizações que habitavam a região.

A Expedição 1979, como ficou conhecida, serviu para consolidar a importância do lugar: dentro de seis salões foram encontradas ossadas de indígenas da etnia puris, que habitaram a região durante o período colonial, e outros indícios de que ela já era habitada há, pelo menos, 4.500 anos.

Na verdade, os primeiros fosseis foram encontrados por acaso pela professora carioca Hilda de Sá.

A professora costumava levar seus alunos até a entrada da gruta, mas, em um determinado dia, ela decidiu fazer uma busca por uma imagem de Nossa Senhora de Lourdes, que acreditava existir lá dentro.

Assim, os restos mortais dos puris foram encontrados.

Além de sua importância arqueológica, a Gruta do Limoeiro tem um paredão com mais de 30 metros, quase todo coberto pela vegetação nativa.

Ele impressiona pelo tamanho e quando a gente entra na caverna, percebe que ela é muito maior do que parece: são mais de 150 metros de caminhada e em algumas partes é preciso andar de cócoras para avançar sob estalactites e formações rochosas no mínimo criativas.

O passeio começa no Centro de Visitantes, onde há um memorial que reconta toda a história da Gruta.

O atendimento é feito de terça a domingo, das 9h às 19h, e a entrada custa R$ 10. O passeio é feito exclusivamente com guias e eles oferecem lanternas e capacetes sem custo adicional.

Você pode tirar dúvidas pelo WhatsApp: (28) 99986-1542.

↑ Voltar à lista

Venda Nova do Imigrante

Venda Nova do Imigrante está a pouco mais de 100 quilômetros de Vitória e é onde as raízes dos colonos italianos são mais fortes, facilmente percebidas na forma de falar, na alegria contagiante e, principalmente, na culinária.

O que fazer no Espírito Santo

Uma das maravilhas da comida dos colonos é o socol. Cortado em fatias finas, ele é um delicioso aperitivo que combina com diversas ocasiões.

Outra delícia dessas terra é a polenta e ela tem até uma celebração especial. A Festa da Polenta é a mais tradicional festejo dos herdeiros das tradições italianas de Venda Nova do Imigrante.

O que fazer no Espírito Santo

A comunidade se prepara o ano inteiro para a festividade e, em cada edição, algo novo surpreende os visitantes.

O Circuito de Agroturismo de Venda Nova também é sensacional.

↑ Voltar à lista

Sítio Gava

Vai anotando todas as dicas aí porque o Espírito Santo é uma terra de surpresas, e eu aposto que você já teve várias ideias com tudo isso que expliquei.

Como você viu, apesar de ser pouco divulgado, o Estado tem praias lindíssimas, cachoeiras imponentes, parques, centros urbanos e históricos que agradam a qualquer tipo de viajante.

Então, se você é um apaixonado por novidades, tem que conhecer as piscinas do Sítio Gava, que fica em Viana, cidade da Região Metropolitana capixaba praticamente desconhecida dos viajantes.

O sítio começou a bombar recentemente, depois que algumas fotos apareceram nas redes sociais.

Porém, nos feriados e finais de semana de férias escolares, a paisagem fica bem diferente da que as fotos mostram: há muitas crianças, som alto nas barracas de churrasco e é praticamente impossível entrar em algumas piscinas, de tão cheias que ficam.

Consciente de que este não é o lugar zen que aparenta ser nas imagens divulgadas, passar um dia por aqui pode ser interessante, especialmente se você estiver com crianças.

São, pelo menos, cinco piscinas de cor azulada e água quentinha construídas em meio a rochas e à paisagem rural de Viana.

O que fazer no Espírito Santo

Há muitas árvores, um refeitório e várias barracas, todas equipadas com mesas e cadeiras, onde você pode fazer churrasco.

O lugar é muito bem cuidado, limpo e com jardins bem tratados, e confesso que fiquei com vontade de ver tudo isso sem muita gente. Mas, para isso, é preciso ir cedo, às 9h, quando as caravanas ainda não chegaram e quando o sol ilumina as piscinas deixando a água ainda mais clara.

A visita é exclusiva para grupos com, no mínimo, 15 pessoas e é preciso fazer agendamento pelo telefone: (27) 99776-5791.

↑ Voltar à lista

O que fazer em Vitória e Vila Velha

Claro, que eu estou considerando que você terá tempo suficiente para conhecer Vitória e Vila Velha, porque há muitas coisas interessantes para fazer nas duas cidades – que parecem ser apenas uma, de tão perto.

→ O que fazer em Vitória

Se precisar de sugestões do que fazer em Vitória, as minhas dicas são estas:

  1. Praça dos Namorados
  2. Stand up e caiaque
  3. Praça do Papa
  4. Projeto Tamar
  5. Museu Solar Monjardim
  6. Centro Histórico
  7. Palácio Anchieta
  8. Basílica de Santo Antônio
  9. Ilha das Caieiras
  10. Parque da Fonte Grande
  11. Parque Pedra da Cebola
  12. Parque Botânico da Vale
  13. Orla de Camburi
  14. Observação de Baleias
  15. Píer de Iemanjá
  16. Ilhas do Boi e do Frade
  17. Ônibus turístico de Vitória
  18. Paneleiras de Goiabeiras
  19. Comer moqueca capixaba
  20. Triangulo das Bermudas e Rua da Lama

Você consegue fazer tudo em quatro dias leves e sem correria. Se precisar de detalhes, é só conferir as minhas dicas de 20 programas imperdíveis de Vitória.

Em Vila Velha, a sua lista de prioridades deve ser esta:

  1. Convento da Penha
  2. Morro do Moreno
  3. Farol de Santa Luzia
  4. Praias da Costa e Itapuã
  5. Ilhas Pituã e Itatiaia
  6. Museus e Casas de Memória
  7. Fábrica da Garoto
  8. Congo na Barra do Jucu
  9. Comer Moqueca Capixaba
  10. Praias Secreta e do Bananal

Dá para conhecer tudo em três dias, sem pressa. Os detalhes estão em 10 coisas indispensáveis para fazer em Vila Velha.

Só não se esqueça de reservar um tempo para assistir ao pôr do sol do alto do Morro do Moreno. É sensacional!

Agora, aproveite e veja essas dicas de onde se hospedar em Vitória.

Onde ficar em Vitória

Eu sou capixaba. Nasci e moro no Espírito Santo e, por isso, sei muito bem quais as melhores áreas para se hospedar na minha cidade do coração.

Para começar, tenha em mente que Vitória é uma capital pequena, quando comparada com outras do Sudeste.

→ Onde ficar em Vitória

Vitória é pequena e muito bem cuidada. Na parte mais nobre da cidade, há muitas opções de hospedagem com um custo-benefício interessante.

Como tudo é perto, dá para usar o transporte público, pedir um Uber, alugar uma bicicleta e até fazer bastante coisas a pé mesmo.

Estas são as áreas mais interessantes para ficar em Vitória.

  • Praia do Canto, fica na área nobre e é muito bem localizado;
  • Jardim da Penha, bairro universitário e perto da principal praia;
  • Jardim Camburi, perto do aeroporto e mais barato;
  • Enseada do Suá, área comercial com pouca movimentação à noite;
  • Reta da Penha, uma das principais avenidas da cidade.

Na minha opinião, os melhores bairros são Praia do Canto e Jardim da Penha. Veja algumas opções que eu considero interessantes nessas áreas

IBIS PRAIA DE CAMBURI

O padrão básico desta rede internacional acaba sendo uma ótima opção, porque a gente não tem surpresas. O Ibis Praia de Camburi fica de frente para a Praia de Camburi, uma área realmente muito boa.

Onde ficar em Vitória

Há restaurantes há poucos metros e muitas opções para quem quer usar o transporte público. Os quartos são básicos, confortáveis e bem resolvidos. Mas, o ponto forte do hotel é a localização – e o preço, claro.

BOURBON VITÓRIA HOTEL

O Bourbon Vitória Hotel tem um estilo que eles chamam de residence, já que muitas unidades parecem mesmo apartamentos completos. O hotel fica perto de tudo e também tem um custo-benefício muito interessante.

O grande barato é que os quartos da frente têm uma varanda muito legal com uma vista incrível da Praia de Camburi.

BRISTOL ALAMEDA VITÓRIA

De frente para a Praia de Camburi, o Bristol Alameda Vitória é perfeito para quem já quer acordar e curtir a orla, caminhar até o Píer de Iemanjá ou alugar uma bicicleta para pedalar pela cidade.

Os quartos são bem confortáveis e a área da piscina é boa para relaxar no fim do dia. A localização é realmente muito boa, perto de tudo: praia, comércios, bancos e aeroporto.

IBIS PRAIA DO CANTO

Com padrão já bem conhecido, o Ibis Praia do Canto é uma ótima opção para se hospedar em Vitória. Fazendo jus ao nome da rede, este hotel tem tudo que você precisa e não cobra um fortuna por isso.

Onde ficar em Vitória

Os quartos são modernos e depois de uma caminhada de dez minutos, você coloca os pés na Praia de Camburi. O Triângulo das Bermudas fica praticamente na esquina.

Onde ficar em Vitória

BRISTOL EASY HOTEL

Nesta unidade do Bristol Easy Hotel os quartos são básicos, com televisão, internet e ar condicionado – o essencial. Ele fica a apenas alguns metros da Rua da Lama e do Parque Pedra da Cebola, um ótimo lugar para relaxar e ficar perto da natureza.

Onde ficar em Vitória

A Ponte da Passagem fica, praticamente, de frente para hotel. O café da manhã é muito elogiado.

Onde ficar em Vitória

IBIS BUDGET VITÓRIA

O Ibis Budget Vitória é mais uma opção para se hospedar na cidade com a rede Ibis. Esta unidade, que está em uma das principais avenidas da capital, garante conforto e comodidade a preços justos.

Onde ficar em Vitória

Nesta área, você estará próximo de um centro comercial e do Triângulo das Bermudas. É fácil usar o transporte público.

RECOMENDAÇÕES DE VIAGEM - COVID-19

Devido à pandemia de Covid-19, novas medidas de saúde e segurança foram adotadas. Elas são importantes para evitar o contágio, protegendo você, quem trabalha diretamente com o turismo e as comunidades locais.

Antes de viajar, verifique a situação do seu destino para não encontrar atrativos fechados e, claro, não colocar a sua vida e a de seus familiares em risco.

Veja algumas medidas adotadas:

  • Álcool gel disponível nos quartos e nas áreas comuns;
  • Uso obrigatório de máscaras nas áreas comuns;
  • Respeito às regras de distanciamento físico;
  • Uso de produtos de limpeza eficazes contra o coronavírus;
  • Café da manhã pode ser servido no quarto.

Veja mais dicas do Espírito Santo

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver mais dicas do Espírito Santo.

SOBRE O AUTOR

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

5 Comentários

Escreva um comentário