O que fazer em Vitória: 20 programas imperdíveis e as dicas de um capixaba

4

Atualizado em 29 de dezembro de 2020

O que fazer em Vitória

Sou capixaba. Nasci, cresci e moro no Espírito Santo. Então, se você está precisando de dicas do que fazer em Vitória, pode relaxar, porque eu conheço bem a minha cidade.

Vitória é uma capital pequena, a segunda menor em população: com cerca de 360 mil moradores, só não perdemos para Palmas, no Tocantins.

→ Onde ficar em Vitória

Nesta encantadora ilha, você vai descobrir parques, praças, mirantes, prédios históricos e a cultura de um estado ainda pouco comentado, mas muito sedutor.

Só não pode voltar para casa sem experimentar a moqueca capixaba, nosso prato mais tradicional.

O que fazer em Vitória

Esta é a minha lista de 20 programas imperdíveis para fazer em Vitória.

  1. Praça dos Namorados
  2. Stand up e caiaque
  3. Praça do Papa
  4. Projeto Tamar
  5. Museu Solar Monjardim
  6. Centro Histórico
  7. Palácio Anchieta
  8. Basílica de Santo Antônio
  9. Ilha das Caieiras
  10. Parque da Fonte Grande
  11. Parque Pedra da Cebola
  12. Parque Botânico da Vale
  13. Orla de Camburi
  14. Observação de Baleias
  15. Píer de Iemanjá
  16. Ilhas do Boi e do Frade
  17. Ônibus turístico de Vitória
  18. Paneleiras de Goiabeiras
  19. Comer moqueca capixaba
  20. Triangulo das Bermudas e Rua da Lama

 Não foi fácil escolher apenas esses,  porque há muitos lugares interessantes para conhecer em Vitória.

Há opções para quem só quer curtir praia, para aqueles que gostam de conhecer o lado cultural, visitar museus e prédios históricos e, claro, tem programas para quem está viajando com crianças. Então, tem atividades para todo mundo.

CONVENTO DA PENHA
O Convento de Nossa Senhora da Penha – Convento da Penha ou simplesmente Convento, como falamos – é o principal ponto turístico do Espírito Santo e faz parte da paisagem de Vitória, mas ele não fica na capital.

Construído a partir de 1558 no alto de um penhasco, o Convento fica em Vila Velha, pertinho do ponto exato onde desembarcaram os primeiros portugueses que chegaram ao Espírito Santo, e qualquer viagem a Vitória fica incompleta sem uma visita a ele.

→ Como visitar o Convento da Penha

A vista é maravilhosa: dá para ver a Terceira Ponte – uma das mais altas do Brasil -, a entrada da Baía de Vitória, as muitas ilhas e ilhotas da costa capixaba, as praias e as montanhas ao fundo. Além disso, você pode participar das várias missas celebradas durante todo o dia.

Note que a lista não estabelece uma ordem de prioridades. Eu, apenas,  tentei reunir os atrativos que ficam em uma mesma região  para você não fazer muitos deslocamentos.

Para se localizar melhor, dê uma olhada no mapa abaixo:

Praça dos Namorados

Uma das mais tradicionais da capital, a Praça dos Namorados é um ótimo lugar para conhecer sem gastar um mísero centavo.

A praça fica no bairro Praia do Canto, um dos melhores da capital, e enquanto a gente caminha pelo calçadão, dá para curtir a vista da Ilha do Frade e do Iate Clube do Espírito Santo.

São 450 metros de extensão e muitas opções de atividades. Pelas manhãs, sempre tem gente fazendo stand up paddle.

O que fazer em Vitória - Espírito Santo

Outra atividade muito boa é alugar uma bicicleta no Bike Vitória, para dar umas voltas pelo calçadão ou se jogar no skate.

Também dá para usar as quadras de tênis – você sabe jogar?

Nos finais de semana, acontece a Feira de Artesanato da Praça dos Namorados, a partir das 18h. São diversas barraquinhas de comida – tem tanta coisa boa – e artesanatos.

Claro que também dá para aproveitar a praia da região: popularmente, são chamadas de Praia do Canto – ou Praça do Iate Clube -, no começo da Praça, Praia da Guarderia, logo depois da ponte que vai para a Ilha do Frade, e Curva da Jurema, já perto da Ilha do Boi.

O que fazer em Vitória - Curva da Jurema

Um detalhe que você precisa saber: a ponte da Ilha do Frade divide a praça em duas. Do lado esquerdo, fica a Praça dos Namorados. Do lado direito, a Praça dos Desejos.

A Ponte também divide os bairros Praia do Canto e Enseada do Suá.

↑ Voltar à lista

Stand up e caiaque

A região da Praça dos Namorados é ótima para fazer stand up paddle, porque o mar é calmo e sem ondas – há dias consecutivos de mar totalmente flat.

Eu descobri esse esporte há alguns anos e resolvi aprender a remar. Aí, achei uma empresa que aluga os equipamentos numa barraca montada na Praça dos Namorados, perto do Iate Clube.

É realmente muito interessante, porque a gente sempre ver pessoas de todas as idades na água: de veteranos a incitantes.

Com sorte, você poderá ver tartarugas marinhas a poucos metros da prancha – eu vejo todas as vezes que vou.

Antes de se mandar para a praia, você precisa fazer uma reserva.

No perfil da Loop Wind & Sup você pode tirar dúvidas e fazer a reserva. O aluguel por uma hora custa R$ 40.

Também dá para fazer passeios de caiaque nas praias desta região.

Eu sugiro alugar um no Centro Náutico Capixaba, que fica na Praia da Guarderia, para remar até as Ilhas Andorinhas e esticar até a Praia da Direita, na Ilha do Boi.

Mas, antes, se informe sobre a maré, porque a volta pode ser cansativa para iniciantes.

↑ Voltar à lista

Praça do Papa

Em 1991, quando o Papa João Paulo II veio a Vitória, ele celebrou uma missa no terreno que se transformou na Praça do Papa.

Ela fica no bairro Enseada do Suá, uma área nobre, na entrada da Baía de Vitória.

A Cruz do Papa é o símbolo do lugar e tem também uma esfera no centro da Praça que intriga muita gente.

Você vai notar que a Praça não tem muitas árvores ou jardins super bem cuidados. É que ela foi planejada para receber grandes eventos e, por isso, sempre são montadas tendas gigantes para os mais diferentes tipos de eventos.

Além disso, está sendo construído o Cais das Artes, um complexo cultural com teatro, salas de exposições, museu, biblioteca e outros espaços que deixarão tudo mais interessante – pena que a obra se arrasta há anos.

O que fazer em Vitória - Espírito Santo

Por enquanto, a gente tem que se contentar com a vista linda para o Convento da Penha, principal ponto turístico do Espírito Santo, que fica na cidade vizinha, Vila Velha.

Na Praça também ficam o Projeto Tamar de Vitória e o Restaurante Papaguth onde você pode comer moqueca capixaba com uma vista privilegiada do Convento da Penha – eu vou explicar sobre outros lugares daqui a pouco.

↑ Voltar à lista

Projeto Tamar

Vitória tem  uma estação do Projeto Tamar. A iniciativa, que surgiu no Brasil na década de 1980 com o objetivo de preservar tartarugas marinhas, é referência mundial e tem programas incríveis de educação ambiental, como é o caso do Centro de Visitantes de Vitória.

Para receber a estação do Tamar, uma área de 15 mil metros quadrados foi revitalizada.

Nela, foi montado um roteiro que ensina sobre a preservação das tartarugas marinhas no Brasil, mostra a biologia das espécies e nos leva a tanques gigantes e a espaços temáticos, como o da Foz do Rio Doce e o da Ilha da Trindade, principais locais de desova das tartarugas no Espírito Santo.

O que fazer em Vitória: Projeto Tamar

Se quiser ter um contato mais direto com esses bichinhos simpáticos, aproveite o horário em que elas são alimentadas: diariamente, às 16h, os tratadores servem algas e peixes às tartarugas e você pode ajudá-los. É uma ótima opção para crianças.

Mas, a grande atração é o tanque maior, que tem um túnel com janelas que dão para a piscina onde nadam as tartarugas. É incrível ver os bichinhos tão perto.

O que fazer em Vitória: Projeto Tamar

Tem, também, um esqueleto gigante de uma tartaruga que viveu há 70 milhões de anos, e que foi encontrado nos Estados Unidos. O tamanho é impressionante.

Antes de ir embora, gaste um tempo no mirante apreciando a vista do Convento e da Terceira Ponte.

O Projeto Tamar funciona de quarta a domingo, das 10h às 17h.

↑ Voltar à lista

Museu Solar Monjardim

Outro bom programa – gratuito – para fazer em Vitória é visitar o Museu Solar Monjardim.

Não é sempre que a gente tem a chance de explorar um casarão com mais de 200 anos e voltar alguns séculos no passado.

Eu falo assim porque este passeio é, de verdade, uma viagem no tempo.

A construção do casarão colonial começou em 1780, para que fosse sede da Fazenda Jucutuquara, e tem esse nome porque, em 1816, passou a pertencer à família Monjardim, uma das mais influentes famílias capixabas, descendentes de portugueses.

O que fazer em Vitória: Museu Solar Monjardim

São mais de 20 mil metros quadrados de área verde e a antiga residência da família está muito bem conservada.

Este foi o primeiro prédio a ser tombado como Patrimônio Histórico Nacional no Espírito Santo e, para manter a essência da arquitetura colonial e do estilo de vida da época, a equipe do museu toma todos os cuidados.

O museu é considerado um refúgio, porque está tão perto do movimento atual, mas, ao mesmo tempo, separado por muitos anos de história.

O que fazer em Vitória: Museu Solar Monjardim

Um dos motivos pela qual essa sensação relaxante toma conta é que a propriedade fica em uma área elevada, e você precisa subir uma pequena ladeira para chegar à casa.

Quando for visitar o Museu Solar Monjardim, será preciso colocar uma proteção nos pés – um tipo de pantufa. É que o piso é original da época e, apesar de restaurado, deve ser protegido.

O Museu Solar Monjardim fica em Jucutuquara e abre de terça a sexta, das 9h às 12h e das 13h30 às 16h30. Nos finais de semana, das 13h às 17h.

↑ Voltar à lista

Centro Histórico

Vitória, que também é chamada pelo doce nome de Ilha do Mel, foi oficialmente  fundada apenas 51 anos depois que os primeiros portugueses  chegaram ao Brasil.

Naquela época, o território que hoje é o estado de Minas Gerais fazia parte da mesma porção territorial que tinha Vitória como capital. Vivíamos o tempo das capitanias hereditárias e a exploração do ouro estava em seu auge.

O que fazer em Vitória

A cidade preserva a memória desse período histórico em seus casarios, prédios e igrejas.

Espalhados pelo Centro Histórico, eles podem ser conhecidos –  de graça  – através do Visitar Centro Histórico, um programa sensacional – eu falo com muito orgulho mesmo – que cria roteiros e monitora monumentos, envolvendo a comunidade na preservação do nosso patrimônio histórico.

O circuito nos leva para dar uma volta por quase 500 anos de história, passando por diversos pontos importantes, como o Theatro Carlos Gomes, que foi inspirado no Teatro Scala de Milão; a Catedral Metropolitana, que demorou cinquenta anos para ser construída e ao Convento São Francisco, o primeiro convento franciscano construído ao sul do Brasil.

Além desses, há muitos outros lugares maravilhosos: Igreja de São Gonçalo, Capela Santa Luzia, Igreja do Rosário e Convento do Carmo.

Para participar da visitação é muito simples: assim que chegar a qualquer um desses lugares, você vai ser recebido por um monitor.

Ele vai explicar tudo sobre o lugar que você está e, no final, vai orientar sobre o circuito e onde você deve ir em seguida.

Você vai receber um mapa do Centro Histórico com todos os pontos importantes e dá para fazer tudo caminhando.

O que fazer em Vitória

Além do mapa, eles também entregam um Passaporte Cultural, que tem a imagem dos setes monumentos do projeto: cada vez que você participar da visita guiada em um deles, você ganha um carimbo, como no passaporte de verdade.

É uma ótima maneira de incentivar o turismo local, não acha?

As visitas monitoradas acontecem de terça a domingo, e também nos feriados, das 9h às 17h. Caso você queira ir com um grupo é preciso agendar a visita pelo telefone (27) 3235-2813.

↑ Voltar à lista

Palácio Anchieta

O imponente prédio que fica de frente para o Porto de Vitória já foi igreja, escola e até houve um tempo em que o governador e sua família moravam nele, mas isso também não acontece mais.

Atualmente, o Palácio Anchieta é a principal sede do governo do Espírito Santo e está aberto a visitação pública.

O que fazer em Vitória: Palácio Anchieta

A visita guiada é um programa cultural belíssimo – gratuito – e que nos proporciona ter um novo olhar sobre as terras capixabas.

O nome Anchieta é uma homenagem ao padre José de Anchieta, apóstolo do Brasil, que  escolheu passar seus últimos anos no Espírito Santo,  trabalhando na alfabetização de povos indígenas.

É por isso que o túmulo do padre Anchieta está no Palácio. Porém, mesmo que seja o túmulo original, seus restos mortais foram levados para Salvador, na Bahia, sendo que alguns de seus ossos foram enviados para outras missões jesuíticas.

O que fazer em Vitória: Palácio Anchieta

O Palácio Anchieta fica no Centro de Vitória, e pode ser visitado de segunda a sexta, das 9h às 17h. Nos finais de semana, das 9h às 16h.

↑ Voltar à lista

Parque Moscoso

Eu acho esse parque tão importante, que resolvi dar essa  dica extra  para você.

Na região do Centro Histórico, o Parque Moscoso é o mais antigo da cidade.

Bem arborizado, com árvores centenárias e lagos cheios de peixes, ele é um respiro de natureza no meio do concreto, um ponto de encontro de tradicionais moradores do Centro – especialmente os mais idosos.

O Parque também foi historicamente importante para as manifestações culturais da cidade, já que a  Concha Acústica  recebeu – e ainda recebe – show musicais e apresentações culturais.

Ele também foi palco de manifestações políticas importantes durante as Diretas Já, por exemplo.

O Parque Moscoso fica na Avenida República e abre às segunda das 5h às 9h e das 17h às 22h, e de terça a domingo, das 5h às 22h.

↑ Voltar à lista

Basílica de Santo Antônio

No alto de um morro, no residencial bairro que leva o mesmo nome da igreja, o Santuário Basílica de Santo Antônio é um lugar pouco conhecido por turistas que, geralmente, passam sem fazer uma parada.

O que fazer em Vitória: Basílica de Santo Antônio

Mas, quem entra na Basílica de Santo Antônio não deixa de olhar para o alto, contemplando sua grandeza e as belas pinturas do teto. Os belíssimos vitrais também chamam a atenção.

Como você deve imaginar, muitas noivas fazem questão de celebrar as bodas na igreja do santo casamenteiro.

A Basílica de Santo Antônio fica em Santo Antônio e pode ser visitada às segundas, das 14h às 20h, e de terça a domingo, das 8h às 12h e das 14h às 20h.

↑ Voltar à lista

Ilha das Caieiras

A Ilha das Caieiras é um bairro super tradicional, na periferia da cidade, famoso pelo polo gastronômico especializado em frutos do mar – considerado o paraíso da culinária capixaba.

O que fazer em Vitória

Habitado por gerações de pescadores e catadores de mariscos, a Ilha tem um píer de frente para o manguezal – a maré, como a gente chama – e é nesta parte que ficam os restaurantes.

Fora dessa parte, nada é interessante de fato, mas é um dos melhores lugares para comer casquinha de siri, moqueca e torta capixaba.

Se não quiser fazer uma parada para o almoço, o passeio ainda vale a pena: a paisagem tradicional, com os barquinhos ancorados, é charmosa.

↑ Voltar à lista

Parque da Fonte Grande

Na parte central da cidade, o Parque da Fonte Grande é um dos segredos de quem mora na cidade: a gente consegue ver desde a parte mais antiga da cidade até a Orla de Camburi, um dos cartões postais da capital, a Terceira Ponte e o Convento da Penha, na cidade vizinha, Vila Velha.

O Parque, que também é conhecido como Morro da Torre de Televisão, é um lugar que eu não canso de visitar e sempre faço descobertas incríveis.

Esses dias fiquei parado olhando as montanhas que cercam Vitória: dá para ver o Mestre Álvaro, na Serra, o Morro do Moreno, em Vila Velha, e o Mochuara, em Cariacica.

Sem falar que é uma área de preservação de remanescentes da Mata Atlântica gigante – são 260 hectares -, com várias trilhas, e seu ponto mais alto ultrapassa os 300 metros.

Dá para chegar de carro pela Rodovia Serafim Derenzi ou a pé partindo do bairro Fradinhos. O Parque funciona de terça a domingo, das 8h às 17h.

↑ Voltar à lista

Parque Pedra da Cebola

Eu realmente gosto muito do Parque Pedra da Cebola e sempre falo que ele é um ótimo passeio para fazer em Vitória.

O nome curioso é por causa de uma pedra que tem o formato de uma cebola – dizem que tem – e que fica na parte mais alta do parque.

São mais de 100 mil metros quadrados super bem cuidados com jardim oriental, lagos, fazendinha, trilhas para caminhada e uma bela vista da parte norte da capital.

O Pedra da Cebola foi construído onde funcionava, até 1978, uma pedreira e foi a primeira experiência de recuperação de uma área degradada na cidade.

É um ótimo lugar para quem viaja com crianças e também é uma área muito boa para fazer um piquenique.

O Parque Pedra da Cebola fica na Mata da Praia, e pode ser visitado de terça a domingo, das 5h às 22h.

↑ Voltar à lista

Parque Botânico da Vale

Talvez você não saiba, mas é possível visitar o Parque Botânico da Vale e o Complexo de Tubarão, que ficam no final da Praia de Camburi.

Este é um programa perfeito para quem viaja com família, porque dá para fazer muita coisa legal sem gastar nada – todas as atividades são gratuitas.

O que fazer em Vitória

A área do Parque Botânico é bem grande e muito conservada: tem vários jardins, como o sensorial e o das orquídeas, além de trilhas com vários níveis de dificuldade.

O Parque tem um vagão de trem – a Vale opera os trens de Vitória para Belo Horizonte – que foi completamente reformado e hoje funciona como Vagão do Conhecimento. Dentro dele, a gente encontra uma biblioteca e a primeira audioteca do Espírito Santo.

Além de toda essa área verde, dá para visitar a parte industrial da Vale.

Para entrar no Complexo de Tubarão é preciso escolher um dos horários disponíveis, já que a visita é feita em um ônibus e guiada por um funcionário da Vale.

Diferente do que acontece no Parque Botânico, a gente não pode andar livremente pelo Complexo de Tubarão, afinal, ela é uma enorme área industrial – equivalente a cerca de mil e duzentos campos de futebol – e os procedimentos de segurança são rígidos e muito importantes.

A visita passa por várias partes do completo industrial, mas as mais interessantes são o porto, onde navios gigantescos são carregados com minério, e a área de armazenamento do minério de ferro.

O que fazer em Vitória: Parque da Vale

O Parque Botânico fica aberto de terça a domingo, das 8h às 17h. A visita guiada pelo Complexo de Tubarão acontece às 9h, 10h, 14h e 15h, nos dias úteis. Nos finais de semana e feriados, às 10h, 11h, 12h, 15h e 16h.

↑ Voltar à lista

Orla de Camburi

Já deu para ver que Vitória não se resume a praia, certo? Mas é muito provável que você queira aproveitar os dias de sol pertinho do mar.

Então, é bom saber que a Praia de Camburi, cartão postal da cidade, tem a melhor orla. Com quase cinco quilômetros, ela se estende por três bairros de Vitória.

O calçadão é excelente e tem áreas separadas para ciclistas, skatistas e pedestres. Antes de chegar aos últimos quilômetros, existe um parque de skate que fica bem cheio nos fins de semana.

O que fazer em Vitória - Praia de Camburi

Ao longo do calçadão, você encontra diversos quiosques e barraquinhas que vendem água de coco.

A faixa de areia é larga e tem espaço para todo mundo. Em dias de sol, você encontra gente jogando futebol e vôlei de praia, além de grupos fazendo circuito, corredores e quem vêm simplesmente pegar praia.

Se quiser cair no mar, eu aconselho ficar de olho nas placas de balneabilidade, já que em alguns pontos a água não é própria para banho.

É na praia de Camburi que fica o Píer de Iemanjá. Não deixe de caminhar até o final, onde fica a estátua do orixá e de onde você observa de outro ângulo a praia.

↑ Voltar à lista

Observação de baleias

A capital capixaba está na  rota das jubartes  e, todos os anos, elas passam por nosso litoral.

Essas graciosas criaturas são, na verdade, brasileiras: elas nascem no nosso litoral, migram para a Antártica em busca de comida e, depois, voltam para cá procurando águas quentes para se reproduzirem.

O que fazer em Vitória - Praia de Camburi

É durante o caminho para Abrolhos, no sul da Bahia, que a gente pode fazer a observação de baleias na costa do Espírito Santo.

O passeio para observação de baleias em Vitória sai do Píer de Iemanjá, no início da Orla de Camburi. E, quando fiz o passeio, não demorou muito para que as baleias aparecessem: estávamos a mais ou menos 15 quilômetros quando a primeira nadadeira apareceu.

A baleia jubarte pode alcançar 16 metros de comprimento, pesar 40 toneladas, tem comportamento dócil e, normalmente, se exibe para os visitantes.

Quem faz o passeio é a Blue Trip. Você pode tirar dúvidas e fazer reservas pelo WhatsApp: (27) 99623-6985.

A temporada de baleias vai de julho a novembro, sendo que os meses ideais são julho e agosto.

↑ Voltar à lista

Píer de Iemanjá

No começo da Praia de Camburi, na foz do Rio Santa Maria da Vitória –  que a gente chama de canal  -, o Píer de Iemanjá é um dos meus lugares favoritos na cidade: sabe aquele lugar que nos conecta? É isso.

Ele é um reduto de pescadores que fazem da pesca um passatempo e, como a vida marinha é abundante nesta parte da ilha, sempre há tartarugas marinhas nadando pelo canal.

O Píer tem esse nome por causa da gigantesca estátua de Iemanjá e é ótimo para fazer caminhadas no pôr do sol: embora o sol se ponha do outro lado da ilha, a luz sempre fica linda e a brisa do mar sempre traz sensações boas.

Atrás do Píer tem uma ilha e uma casinha, onde sempre morou uma família. Sempre fico imaginando como deve ser ter uma ilha ainda mais, assim, tão pertinho de tudo.

No dia 2 de fevereiro há celebração de Iemanjá.

↑ Voltar à lista

Ilhas do Frade e do Boi

As duas ilhas são os bairros nobres da cidade, com o metro quadrado mais caro da capital. Porém, não é preciso morar em uma das mansões para aproveitar o que a Ilha do Boi e a Ilha do Frade têm a oferecer: elas são ótimas para curtir praia.

A Ilha do Frade é um bairro charmoso, com natureza exuberante, tem um pequeno lago entre as casas e  exatamente nove praias. 

O que fazer em Vitória: Ilha do Boi

Até 1970, a Ilha do Frade era procurada exclusivamente por pescadores. A bordo de suas embarcações, eles partiam da Praia do Suá para atracar no ponto pesqueiro que ficava na ilha.

A partir de 1971, a Ilha do Frade passou a ser loteada e foi construída a ponte que liga a ilha ao aterro da Enseada do Suá. A partir de então, a Ilha foi progressivamente ocupada por residências luxuosas.  Hoje, é a área mais cara de Vitória. 

Praias da Ilha do Frade

A Ilha do Frade tem nove praias, mas nem todas têm fácil acesso – é preciso caminhar sobre as pedras e descer trilhas, por exemplo.

Além das enseadas, dá para conhecer mirantes que têm belas vistas para a Ilha do Boi e para a Praia Curva da Jurema.

Praia da Ilha do Frade

Essa praia fica logo na chegada da ilha e passou a ser mais procurada para banho nos últimos anos. Cortada pela avenida de acesso à Ilha, do lado esquerdo da praia, ficam ancorados vários barquinhos. O lado direito é mais indicado para banhistas.

As águas da Praia da Ilha do Frade são calmas, quase sempre transparentes e sem ondas fortes. Não há barracas, bares ou restaurantes por perto, apenas alguns vendedores ambulantes que passam de vez em quando.

O que fazer em Vitória: Ilha do Frade

É um ótimo local de partida para quem quer fazer canoa havaiana.

Eu prefiro essa praia no fim do dia para ver o movimento das pequenas ondas. Isso com com vista para a Ilha do Boi, a Terceira Ponte, o Morro do Moreno e o Convento da Penha.

Praia das Castanheiras

Esta é minha praia preferida na Ilha do Frade. Há alguns anos, ela era pouquíssimo visitada, mas tem ficado mais famosa  e, por isso, não tem mais aquele clima bucólico de antigamente.

Mesmo assim, eu garanto que você vai adorar esse lugar: na sombra das castanheiras – que dão nome à praia – ou no mar de água transparente, você vai torcer para que o tempo passe devagar.

Uma das atividades muito interessantes para você fazer por aqui é mergulhar de esnórquel: nas rochas que ficam na lateral e no meio da praia se abrigam comunidades de peixinhos coloridos e até tartarugas-marinhas são vistas aqui com frequência.

Para chegar à Praia das Castanheiras você tem que seguir até o final da Rua Placidino Passos e descer a escadaria que fica à direita. Não há barracas ou quiosques, mas é comum encontrar vendedores ambulantes nos finais de semana e durante as férias escolares.

Praia da Barreira

O grande barato dessa praia é relaxar debaixo dos coqueiros ouvindo aquele barulhinho agradável do mar.

As pequenas ondas que chegam à enseada não tiram a tranquilidade da Praia da Barreira, que tem águas transparentes e relaxantes.

Se quiser aproveitar a vista, caminhe pelas trilhas de pedras nas laterais – você vai descobrir outra praias muito interessantes.

O que fazer em Vitória: Ilha do Frade

Não há barracas, bares ou restaurantes, mas também é comum encontrar vendedores ambulantes.

De forma geral, os preços praticados na Ilha do Frade são um pouco mais altos do que os de outras praias de Vitória. O aluguel de uma cadeira de praia, por exemplo, custa R$ 15.

Para chegar a essa praia você deve seguir até o final da Rua Dr. Homero de Souza Costa e descer a escadaria que fica à direita.

Praias da Ilha do Boi

A Ilha do Boi já não é exatamente uma ilha mais, porque os aterros já a anexaram à Ilha de Vitória.

É onde ficam as duas praias queridinhas de quem mora em Vitória: a Praia Grande e a Praia da Direita. Além dos belíssimos casarões, é aqui também que fica o Clube Ítalo Brasileiro.

Nos fins de semana, o pouco espaço para estacionamento fica lotado, assim como as faixas de areia das praias, mas mesmo assim, esse é um lugar imperdível na cidade.

A atmosfera é bem tranquila e, se na Praia Grande você encontra um público jovem, jogando bola e curtindo o sol, na Praia da Direita é onde ficam as famílias. Nas duas, o mar é bastante calmo.

↑ Voltar à lista

Ônibus turístico

O ônibus panorâmico que percorre os principais atrativos turísticos da Grande Vitória, o Capixaba Bus Tour, é uma boa opção para quem está com pouco tempo e quer ver tudo com excplicações detalhadas da história, da arquitetura e da importância de cada lugar na vida dos capixabas.

Com 49 lugares, o ônibus faz um percurso único e  todos os passageiros descem nas paradas,  fazem a visita e retornam para o ônibus, que segue até o próximo ponto de parada.

↑ Voltar à lista

Paneleiras de Goiabeiras

O tradicionalíssimo galpão das paneleiras fica no bairro de Goiabeiras e é nele que a gente encontra uma das preciosidades do Espírito Santo:  a panela de barro  e as mulheres que carregam a preciosidade de levar o barro para as nossas mesas.

Se você não sabe do que eu estou falando, saiba que, a famosa moqueca capixaba não pode ser feita em qualquer panela – isso é uma afronta às nossas raízes.

O que fazer em Vitória: Paneleiras de Goiabeiras

Para que a receita seja tradicional, sem tirar nem por, ela deve ser preparada na panela de barro feita pelas Paneleiras de Goiabeiras. Essa é a essência do prato.

Você pode visitar o galpão, que é sede da Associação das Paneleiras de Goiabeiras, e observar enquanto algumas das mulheres fazem as panelas.

Eu preciso reforçar que  a feitura da panela é totalmente manual.  Da extração da argila da região, até a queima e coloração com um pigmento extraído do manguezal, é tudo feito a mão.

O que fazer em Vitória: Paneleiras de Goiabeiras

Não há, em nenhuma das etapas, o processo de mecanização. Até mesmo o torno, muito utilizado por ceramistas, é dispensado pelas artesãs capixabas.

A atividade é passada de geração para geração e sempre atrai bastante turistas, que aproveitam para comprar as panelas no galpão – garantia de originalidade e bom preço. Há diversos tipos e tamanhos, além de outros utensílios de cozinha.

O galpão das paneleiras fica em Goiabeiras, e pode ser visitado de segunda a sábado, das 8h às 18h.

↑ Voltar à lista

Comer moqueca capixaba

Nosso principal prato típico é a moqueca capixaba. Feita sem azeite de dendê e leite de coco, ela é mais leve do que a baiana.

Tem também a torta capixaba, muito consumida durante a Semana Santa.

Como a fartura de frutos do mar é grande, o cardápio inclui mariscada, arroz de mariscos, casquinha de siri, caranguejada e muito mais.

Há vários restaurantes especializados em comida capixaba e eles estão entre os meus favoritos.

→ Onde comer em Vitória

Para comer comida regional de qualidade, você pode ir ao Enseada Geraldinho e ao Pirão, restaurantes especializados em moqueca capixaba e outros pratos típicos – como a casquinha de siri.

Outra excelente opção, que eu sempre vou para comer arroz de mariscos, é o Ilha do Caranguejo.

Se quiser conhecer lugares especiais, longe da parte mais turística, eu indico o Restaurante do Bigode, em Jesus de Nazareth, e o Mirante da Ilha, na Ilha das Caieiras.

Os dois servem frutos do mar fresquinhos, muito saborosos e têm vista para diferentes partes da Baía de Vitória.

↑ Voltar à lista

Triângulo das Bermudas e Rua da Lama

Vitória tem várias regiões que concentram bares e restaurantes. Elas são ótimas porque a gente consegue ter varias opções em um lugar só.

Os principais polos são Triângulo das Bermudas, na Praia do Canto, e Rua da Lama, em Jardim da Penha.

Há outros bairros que têm seus pontos de encontro, com ótimos bares e restaurantes: a Ilha das Caieiras, mais distante da parte turística, e Jardim Camburi, especialmente na área que ficou conhecida como Laminha, são boas alternativas.

Vale lembrar que a Rua da Lama e o Triângulo só funcionam à noite. A Ilha das Caieiras é uma boa escolha para almoçar.

Triângulo das Bermudas

Esta região de bares fica na Praia do Canto, um dos bairros nobres de Vitória. Atualmente, os bares e restaurantes desse polo gastronômico se concentram em uma rua, que nas noites dos finais de semana fecha para o trânsito de veículos.

Nesta parte estão os clássicos restaurantes Geraldinho Enseada e Pirão. Para beber e petiscar, tem o Ensaio Botequim e o Embrazado.

Rua da Lama

Outra região de bares, ela fica no bairro Jardim da Penha, perto da Ufes, a Universidade Federal.

Sem luxo e a ostentação típica do Triângulo das Bermudas, os bares da Lama têm mesas nas calçadas, um estilo descontraído e, por isso, atrai uma galera mais nova e alternativa –  é a parte que mais gosto. 

Nesta área, fica o tradicional Abertura, que tem um kieber sensacional, mas o meu boteco preferido é o Sofá da Hebe.

↑ Voltar à lista

Onde ficar em Vitória

Eu sou capixaba. Nasci e moro no Espírito Santo e, por isso, sei muito bem quais as melhores áreas para se hospedar na minha cidade do coração.

Para começar, tenha em mente que Vitória é uma capital pequena, quando comparada com outras do Sudeste.

→ Onde ficar em Vitória

Vitória é pequena e muito bem cuidada. Na parte mais nobre da cidade, há muitas opções de hospedagem com um custo-benefício interessante.

Como tudo é perto, dá para usar o transporte público, pedir um Uber, alugar uma bicicleta e até fazer bastante coisas a pé mesmo.

Estas são as áreas mais interessantes para ficar em Vitória.

  • Praia do Canto, fica na área nobre e é muito bem localizado;
  • Jardim da Penha, bairro universitário e perto da principal praia;
  • Jardim Camburi, perto do aeroporto e mais barato;
  • Enseada do Suá, área comercial com pouca movimentação à noite;
  • Reta da Penha, uma das principais avenidas da cidade.

Na minha opinião, os melhores bairros são Praia do Canto e Jardim da Penha. Veja algumas opções que eu considero interessantes nessas áreas

IBIS PRAIA DE CAMBURI

O padrão básico desta rede internacional acaba sendo uma ótima opção, porque a gente não tem surpresas. O Ibis Praia de Camburi fica de frente para a Praia de Camburi, uma área realmente muito boa.

Onde ficar em Vitória

Há restaurantes há poucos metros e muitas opções para quem quer usar o transporte público. Os quartos são básicos, confortáveis e bem resolvidos. Mas, o ponto forte do hotel é a localização – e o preço, claro.

BOURBON VITÓRIA HOTEL

O Bourbon Vitória Hotel tem um estilo que eles chamam de residence, já que muitas unidades parecem mesmo apartamentos completos. O hotel fica perto de tudo e também tem um custo-benefício muito interessante.

O grande barato é que os quartos da frente têm uma varanda muito legal com uma vista incrível da Praia de Camburi.

BRISTOL ALAMEDA VITÓRIA

De frente para a Praia de Camburi, o Bristol Alameda Vitória é perfeito para quem já quer acordar e curtir a orla, caminhar até o Píer de Iemanjá ou alugar uma bicicleta para pedalar pela cidade.

Os quartos são bem confortáveis e a área da piscina é boa para relaxar no fim do dia. A localização é realmente muito boa, perto de tudo: praia, comércios, bancos e aeroporto.

IBIS PRAIA DO CANTO

Com padrão já bem conhecido, o Ibis Praia do Canto é uma ótima opção para se hospedar em Vitória. Fazendo jus ao nome da rede, este hotel tem tudo que você precisa e não cobra um fortuna por isso.

Onde ficar em Vitória

Os quartos são modernos e depois de uma caminhada de dez minutos, você coloca os pés na Praia de Camburi. O Triângulo das Bermudas fica praticamente na esquina.

Onde ficar em Vitória

BRISTOL EASY HOTEL

Nesta unidade do Bristol Easy Hotel os quartos são básicos, com televisão, internet e ar condicionado – o essencial. Ele fica a apenas alguns metros da Rua da Lama e do Parque Pedra da Cebola, um ótimo lugar para relaxar e ficar perto da natureza.

Onde ficar em Vitória

A Ponte da Passagem fica, praticamente, de frente para hotel. O café da manhã é muito elogiado.

Onde ficar em Vitória

IBIS BUDGET VITÓRIA

O Ibis Budget Vitória é mais uma opção para se hospedar na cidade com a rede Ibis. Esta unidade, que está em uma das principais avenidas da capital, garante conforto e comodidade a preços justos.

Onde ficar em Vitória

Nesta área, você estará próximo de um centro comercial e do Triângulo das Bermudas. É fácil usar o transporte público.

RECOMENDAÇÕES DE VIAGEM - COVID-19

Devido à pandemia de Covid-19, novas medidas de saúde e segurança foram adotadas. Elas são importantes para evitar o contágio, protegendo você, quem trabalha diretamente com o turismo e as comunidades locais.

Antes de viajar, verifique a situação do seu destino para não encontrar atrativos fechados e, claro, não colocar a sua vida e a de seus familiares em risco.

Veja algumas medidas adotadas:

  • Álcool gel disponível nos quartos e nas áreas comuns;
  • Uso obrigatório de máscaras nas áreas comuns;
  • Respeito às regras de distanciamento físico;
  • Uso de produtos de limpeza eficazes contra o coronavírus;
  • Café da manhã pode ser servido no quarto.

Veja mais dicas do Espírito Santo

Ficou mais fácil planejar o que fazer em Vitória? Se tiver alguma dúvida, é só deixar nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @penaestrada. Agora, veja outras dicas do Espírito Santo.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

4 Comentários

  1. Avatar
    Véritas Pestana on

    Bom dia!!!
    Coordeno um Projeto social e parceria com a Prefeitura de Serra.. Entendemos q a crise tá aí e não temos como custar passeios …Essa idéia é bacana já exploramos alguns lugares desses mencionados….Grata pela iniciativa!!!
    Alguns tmbm não tinhamos conhecimento!!!!
    Valeu a dica….

Escreva um comentário