Os imperdíveis museus de Varsóvia: entenda a história da capital polonesa

4

Atualizado em 16 de agosto de 2020

A capital da Polônia tem muita história para contar. Por onde a gente passa, é fácil ver monumentos e prédios históricos, mas, para entender a vida da cidade, não há nada melhor que visitar os museus de Varsóvia.

Para quem gosta de entender o lugar que está visitando e, claro, para os amantes de arte e cultura de uma forma geral, Varsóvia é uma bela surpresa.

E isso inclui o investimento e o cuidado que os museus recebem: como é bom ver que um país valoriza suas relíquias, não é mesmo?

Museus de Varsóvia

É verdade que as opções são muitas, mas os principais museus – e imperdíveis – são estes:

Nos próximos anos, deve ser inaugurado o Museu do Gueto de Varsóvia, mas, por enquanto, o melhor lugar para saber sobre o Gueto é o Museu do Levante de Varsóvia.

Museu Nacional de Varsóvia

Para quem gosta de coleções de arte, o Museu Nacional de Varsósia é um bom lugar para começar esse roteiro.

No Museu, estão mais de 780 mil peças incluindo pinturas, esculturas e dezenas de gravuras de uma antiga catedral descoberta pelo arqueólogo polonês, Kazimierz Michałowsk, na cidade de Faras onde, atualmente, fica o Sudão.

Os imperdíveis museus de Varsóvia

O antigo templo, erguido entre os séculos 8 e 14, foi, em parte, reconstruído dentro do museu.

Caminhar por seus corredores, contemplar o altar e as primeiras imagens sagradas dos cristãos do norte da África é precioso.

Os imperdíveis museus de Varsóvia

Na seção de arte clássica, eu achei impressionante o tamanho das telas. E, na área destinada à arte sacra, as expressões e os detalhes das imagens vão chamar sua atenção.

Os imperdíveis museus de Varsóvia

As visitas ao Museu Nacional de Varsóvia acontecem de terça a domingo, das 10h às 16h. Nas segundas, o museu fecha para manutenção.

A entrada custa PLN 20 e estudantes pagam PLN 15. O passeio guiado custa PLN 180, mas não há opção em português.

Os imperdíveis museus de Varsóvia

Palácio da Cultura e Ciência

Esse belo prédio, que contrasta com a arquitetura da moderna Varsóvia, é o centro de muitas polêmicas.

Construído durante o período comunista, como imposição do governo soviético, ele foi estabelecido muito mais como um marco do governo stalinista do que qualquer outra coisa.

Os imperdíveis museus de Varsóvia

Na incrível fachada do prédio está uma prova das controversas que essa faraônica obra causou: a escultura de um operário carregando um livro com os nomes de Marx, Engels e Lenin tinha ainda gravado o nome de Stalin, mas ele foi coberto com argamassa depois de inúmeros protestos.

Os imperdíveis museus de Varsóvia

Felizmente, hoje, o prédio é um empolgante centro de artes e cultura com dezenas de opções de entretenimento para moradores e visitantes, incluindo o Museu da Tecnologia e da Indústria – Muzeum Techniki i Przemysłu, em polonês.

Eu visitei uma pequena exposição sobre dinossauros, na área de História Natural do complexo. Mas, aqui há ainda auditórios, teatros e, do alto da torre, uma vista impecável da cidade e de seus arredores.

Os imperdíveis museus de Varsóvia

As visitas acontecem de terça a sexta, das 9h às 18h, e nos sábados e domingos, das 10h às 18h. Os museus fecham nas segundas-feiras, e a entrada no Museu de Tecnologia e da Indústria custa PLN 25.

Os imperdíveis museus de Varsóvia

Museu dos Judeus Poloneses

Eu já expliquei que a Polônia é um dos países que mais abrigavam judeus antes da Segunda Guerra Mundial. Mas, o que esse museu conta é toda a história que começa muito antes disso.

As ilustrações, fotografias, obras de arte e tudo o que está dentro desse gigantesco espaço lembra, desde a chegada dos primeiros judeus às terras polonesas – ainda no período medieval –, até os dias atuais.

Os imperdíveis museus de Varsóvia

O Polin: Museu da História dos Judeus Poloneses – como é oficialmente chamado – fica no antigo coração da comunidade judaica, exatamente na área onde os nazistas construíram o Gueto de Varsóvia durante a Segunda Guerra Mundial.

Os imperdíveis museus de Varsóvia

Se o museu já impressiona do lado de fora, dentro a gente fica deslumbrado com a forma que ele foi pensado e organizado.

São três andares de exposições, incluindo uma réplica perfeita da antiga Sinagoga de Gwoździec, que ficava na Ucrânia e que foi incendiada pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

Os imperdíveis museus de Varsóvia

O projeto de reconstrução dessa maravilhosa obra de arte envolveu artistas renomados e estudantes de várias cidades do país. Isso funcionou como um processo de imersão na cultura judaica. Hoje, eu e você podemos visitar o resultado dessa empreitada.

As visitas ao Polin acontecem nas segundas, sábados e domingos, das 10h às 18h, e nas quartas, quintas e sextas, das 10h às 16h. O museu fecha nas terças para manutenção.

A entrada custa PLN 27, e para usar o serviço de audioguia é preciso pagar mais PLN 10, mas não há opção em português. Exibições temporárias são cobradas separadamente.

No último andar, há um restaurante que serve pratos judaicos e poloneses.

Os imperdíveis museus de Varsóvia

Museu do Levante de Varsóvia

Criado pelos nazistas, em 1940, o Gueto de Varsóvia chegou ter a maior concentração de judeus marginalizados de todo o período da Segunda Guerra.

Em seu auge, quase 400 mil pessoas em condições precárias viviam amontoadas dentro dos muros, em meio a doenças e uma sujeira sem fim.

Os imperdíveis museus de Varsóvia

Uma grande parte dessa terrível história é contada no Museu do Levante de Varsóvia.

Em três andares, ele exibe um incrível acervo sobre esse período histórico, incluindo a recriação de ambientes do Gueto, relatos e histórias de sobreviventes e um vídeo em 3D, que mostra como a cidade ficou devastada depois da guerra.

Os imperdíveis museus de Varsóvia

Eu explico melhor essa história em: A triste memória do Gueto de Varsóvia.

Os imperdíveis museus de Varsóvia

Visitar esses corredores requer tempo e uma preparação.

Isso porque, não é fácil segurar a emoção diante de tanta brutalidade que vemos estampadas em fotografias, vídeos e nos objetos de pessoas, como eu e você, que nada tinham a ver com a motivação diabólica de Adolf Hitler.

Os imperdíveis museus de Varsóvia

O Museu do Levante abre todos os dias – exceto nas terças -, das 10h às 18h e a entrada custa PLN 25.

Os imperdíveis museus de Varsóvia

Planeje sua viagem

Quando ir

O verão na Polônia é bem curto, já o inverno é longo e muito frio. Os meses mais gelados vão de outubro a abril, quando os termômetros marcam temperaturas abaixo de zero. Entre maio e setembro, os dias tendem a ser mais ensolarados, com temperaturas variando entre 20 e 27 graus. O mês mais quente é julho, e o mais frio é janeiro, com temperaturas chegando a menos cinco graus.

Como chegar

O Aeroporto Frederic Chopin (WAW), em Varsóvia, é o mais importante da Polônia. Aqui, chegam voos nacionais e internacionais, mas não há voo direto do Brasil para o país. Veja mais informações em: Voos para a Polônia: companhias aéreas e aeroportos.

Onde ficar

Varsóvia é linda. Em suas avenidas largas, a arquitetura clássica contrasta com prédios modernos. Então, escolher um lugar para ficar por aqui será fácil.

Para quem está interessado na parte histórica da cidade, a região da Stare Miasto – o Centro Histórico – é ideal. Para quem quiser aproveitar um pouco mais da vida moderna da cidade, o Centro, especialmente a área perto do Palácio da Cultura e Ciência, é sensacional.

Outras informações

Para ver outras informações sobre o país e planejar sua viagem com mais precisão, leia: Viagem para a Polônia: informações essenciais.

Informações Básicas
Visto | Brasileiros não precisam de visto para entrar e permanecer na Polônia por até 90 dias.
Documentos | É necessário apresentar o passaporte com  três meses de validade a partir da data de saída do país.
Dinheiro| A moeda da Polônia é o złoty, identificado pelas siglas PLN e zł. Veja como usar seu dinheiro na Polônia
Vacinas | Nenhuma vacina é exigida, mas o seguro viagem específico para países europeus é obrigatório.

Veja mais sobre a Polônia

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo e aproveite para ver outras dicas.

SOBRE O AUTOR

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

4 Comentários

  1. Valeu meu camarada pelo relato, muito produtivo, instrutivo. Vou em março e passaria um dia, depois do que vi vou ficar dois. Fique com Deus, abraços e boas viagens!

Escreva um comentário