O complexo de templos e pirâmides de Saqqara e a cidade perdida de Mênfis

3

Atualizado em 5 de julho de 2021

O complexo de templos e pirâmides de Saqqara e a cidade perdida de Mênfis

Todo o Egito é cheio de relíquias de sua antiguidade, mas é incrível como a gente consegue encontrar lugar tão especiais pertinho do Cairo, a capital. Dois desses lugares são o Complexo de Saqqara e a cidade perdida de Mênfis, considerado Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Eu explico tudo sobre eles a partir de agora.

Complexo de Saqqara

O conjunto de templos e pirâmides de Saqqara, na cidade de Guiza, talvez seja a primeira experiência dos egípcios na construção de monumentos desse tipo.

Só para ter uma ideia, muito antes da construção das pirâmides de Guiza, as estruturas daqui já eram consideradas inspiração para todo o país pela grandiosidade e pela técnica utilizada.

Apesar de sua fama atual, esse conjunto arquitetônico do Antigo Egito esteve coberto por areia até a metade do Século 20. E, na verdade, a pirâmide de Djoser não é exatamente uma pirâmide.

Ela foi construída, na primeira fase, em três andares. Depois, foram acrescentados mais dois, atingindo a altura de sessenta metros.

A pirâmide de degraus, como também é conhecida, é misteriosa. A data de sua construção é desconhecida. Com subterrâneos simplesmente únicos e misteriosos, um fato curioso é que nesta área nunca foi encontrada uma múmia.

O complexo de templos e pirâmides de Saqqara e a cidade perdida de Mênfis

Um pouco mais distante da capital – e também menos famoso –, o complexo de Saqqara é muito mais tranquilo de ser visitado. Não há aquele tanto de turistas ou vendedores ambulantes como eu encontrei em Guiza.

Portanto, é possível caminhar com mais calma pelo gigantesco espaço que reúne as construções.

O complexo de templos e pirâmides de Saqqara e a cidade perdida de Mênfis

Quando estiver por aqui, não deixe de apreciar o muro que circula o complexo. Ele é absolutamente incrível. Foi feito de granito maciço, perfeitamente talhado. O muro tem dez metros de altura, 14 portas falsas e apenas uma verdadeira.

A cidade perdida de Mênfis

Para concluir o roteiro pelos sítios arqueológicos ao redor do Cairo, chega a hora de visitar Mênfis. Isso depois de ter passado pelas pirâmides de Gizé e de Saqqara.

Uma das muitas antigas capitais do Egito, a cidade perdeu sua importância somente depois da ascensão de Alexandria.

O complexo de templos e pirâmides de Saqqara e a cidade perdida de Mênfis

Na verdade, pesquisas mostram que Mênfis está, hoje, soterrada sob a vila de Mit Rahina. Arqueólogos acreditam que sua importância ao longo da história faraônica nunca foi superada por qualquer outra cidade.

Até mesmo quando Tebas passou a ser a capital real e religiosa, Mênfis manteve seu status de sede administrativa do país.

Aqui, a principal atração é o que restou do Templo de Ptah, o mais famoso da cidade. Ptah era a divindade de Mênfis e, segundo os registros históricos, venerado como um deus criador.

Todos os homens teriam surgido do desejo de seu coração manifestado por meio de sua voz.

Importante centro de peregrinação, o grande Templo de Ptah era uma das estruturas mais proeminentes da cidade. Ele cobria uma área enorme, que passou a ser ocupada pela lavoura dos camponeses que vivem na região.

Felizmente, as ruínas da cidade perdida de Mênfis têm sido fortemente preservadas desde que se tornaram Patrimônio Mundial da Humanidade, em 1979.

No que restou do templo, as principais atrações são a esfinge, a estátua e o colosso de Ramsés II. Por falar nisso, em Mênfis encontra-se um grande número de esculturas representando esse faraó.

O complexo de templos e pirâmides de Saqqara e a cidade perdida de Mênfis

Na única parte coberta do museu, fica o que restou do colosso de Ramsés II esculpido em alabastro. Essa imensa escultura tem 13 metros de altura e pesa 180 toneladas.

Descoberta em 1820, perto de um dos portões do Templo de Ptah, a estátua teve seus pés quebrados e, por isso, é exibida deitada.

O reinado de Ramsés II foi o mais importante da história egípcia, principalmente nos aspectos econômico e militar. Ele foi também um dos mais longos do Antigo Egito e, por isso, é chamado de Ramsés, o Grande.

Programe sua visita a Saqqara

A entrada nos complexos de templos e pirâmides de Saqqara e na cidade perdida de Mênfis custa EGP 180.

Você pode visitar Saqqara todos os dias, das 8h às 16h. A melhor época para visitar o Egito é de outubro a maio, quando as temperaturas não são muito agressivas.

Nos outros quatro meses – junho, julho, agosto e setembro –, é verão no Egito. As temperaturas muitas vezes podem chegar perto dos 50 graus, principalmente em Luxor, Aswan e em outras partes do sul do país.

Apesar do calor, é nessa época que dá para ver o país sem aqueles milhões de turistas.

O complexo de templos e pirâmides de Saqqara

Nos feriados de fim de ano e na Páscoa, tudo fica muito mais tumultuado por causa dos turistas europeus que chegam aqui com frequência – principalmente para fazer um cruzeiro pelo Rio Nilo

As pirâmides de Saqqara ficam a cerca de 30 quilômetros do Cairo, e dificilmente você vai encontrar transporte público que chegue aqui com agilidade.

Portanto, a melhor opção é contratar uma agência que leve você aos principais sítios arqueológicos da região, como as pirâmides de Guiza e a cidade de Mênfis.

Onde ficar no Cairo

Os bairros mais indicados para ficar no Cairo, sem erro, são Zamalek, Downtown e Garden City.

Quando visitei a capital do Egito, eu fiquei na parte histórica da cidade, bem perto da Praça Tahir e do Museu Egípcio do Cairo.

→ Onde ficar no Cairo

Esta parte é onde o coração da cidade parece bater mais forte, mas é nela, também, que a confusão é maior. De qualquer forma, não há como conhecer o Cairo sem fazer parte disso tudo.

No Zamalek e no Garden City, regiões mais nobres à beira do Rio Nilo, estão os resorts famosos, ideais para quem pode e quer curtir a cidade com mais conforto.

Você também tem a opção de ficar em um hotel com vista para as pirâmides. Só que eles ficam bem longe do Centro do Cairo e isso pode exigir muitos deslocamentos. 

Então, para resumir, há três áreas principais para ficar no Cairo:

  1. No Centro, nos arredores da Praça Tahrir;
  2. Perto do Nilo, nos bairros mais modernos;
  3. Na área das pirâmides, em Guiza.

Na lista abaixo, você encontra excelentes opções nas áreas mais interessantes da cidade, inclusive na área das pirâmides.

THE SQUARE BOUTIQUE HOTEL

O The Square Boutique Hotel é uma das melhores opções do Centro Histórico do Cairo e ficar nele é uma experiência no mínimo curiosa. É que ele funciona no quarto andar de um edifício velho, que parece um cortiço.

Onde ficar no Cairo

Mas, apesar do aspecto “esquisito” por fora, o hotel é muito arrumadinho, tem quartos bem resolvidos, super limpos e práticos. Outros pontos de destaque são o ótimo custo-benefício e os funcionários, que são muito prestativos.

TAHRIR PLAZA SUITES

O Tahrir Plaza Suites – Museum View – tem uma localização excelente, próxima de pontos de ônibus, metrô e táxi e para chegar ao Museu Egípcio do Cairo é só atravessar a rua.

Onde ficar no Cairo

O café da manhã é bom e servido nos quartos. A equipe é sempre muito simpática e atenciosa e eles organizam tudo – passeios e traslados – para que você conheça o melhor do Cairo.

STEIGENBERGER HOTEL EL TAHRIR CAIRO

O Steigenberger Hotel El Tahrir Cairo é outro que fica no Centro, e é muito elogiado pela estrutura dos quartos – conforto das camas, dos ótimos travesseiros e do chuveiro delicioso – , pelo café da manhã excelente e pelos funcionários, muito competentes, gentis e atenciosos.

Onde ficar no Cairo

O restaurante serve pratos da culinária internacional a preços bem justos, então dá para comer sem medo de ser feliz. E ainda tem uma loja do Mc Donald’s e da FKC pertinho, dá para ir a pé. É um hotel com ótimo custo-benefício para quem não quer gastar muito e, mesmo assim, ter conforto e segurança.

THE NILE RITZ-CARLTON

O The Nile Ritz-Carlton é um clássico – e um clássico sempre será um clássico. Imponente, com uma vista soberba para o Rio Nilo e para o Centro da cidade, ele é uma das opções mais fantástica e completas do Cairo.

Onde ficar no Cairo

Quartos amplos, super limpos –  seguindo o padrão mundial da rede – áreas comuns bem cuidadas, atendimento profissional e luxo na medida certa. É um hotel para quem quer fazer da passagem pelo Cairo uma viagem inesquecível.

STEIGENBERGER PYRAMIDS CAIRO

Na categorias dos hotéis que têm vista para as Pirâmides, o Steigenberger Pyramids Cairo é um dos melhores. A piscina dá de cara para elas e a maioria dos quartos tem uma visão espetacular dessas maravilhas que nos encantam.

Os quartos são ótimos, a limpeza é criteriosa em todas as áreas do hotel e o atendimento é muito bom. A comida é gostosa, com muita variedade e, por isso tudo, vale o que cobra.

Onde ficar no Cairo

MARRIOTT MENA HOUSE

Carregando o nome de umas das maiores redes de hotel do mundo, o Marriott Mena House é sua melhor escolha na área das pirâmides. Eu acho que ele é o que tem a melhor estrutura e com uma vista realmente privilegiada.

Onde ficar no Cairo

Como você pode imaginar, tudo é de primeira. Dos lençóis às frutas do café da manhã, do sabonete do banheiro ao atendimento na recepção. É um hotel para contratar de olhos fechados, sem medo de se decepcionar.

Faixas de preços no Cairo

Agora que você já viu quais são as minhas sugestões para escolher onde ficar no Cairo, vamos dar uma olhada nos preços.

No mapa abaixo estão todas as opções de hospedagem da cidade e  você só precisa clicar nos pins azuis para ver os detalhes. 



Booking.com

INFORMAÇÕES BÁSICAS
Visto | Brasileiros precisam de visto, mas o pedido pode ser feito na chegada ao Egito.
Documentos | É necessário apresentar o passaporte e o seguro viagem.
Dinheiro| A moeda local é a libra egípcia (EGP), leve euros e veja como suar seu dinheiro no Egito.
Vacinas | É obrigatório estar vacinado contra febre amarela, veja como solicitar o certificado.

SEGURO VIAGEM

Nem todos os países têm um sistema de saúde público e gratuito. Na verdade, na maioria deles, viajantes estrangeiros não têm acesso a assistência médica gratuita. Por isso, é muito importante ter o seguro internacional de saúde – também chamado de seguro viagem –, mesmo que ele não seja obrigatório.

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Você já imaginou quanto custa um tratamento médico para esses casos em outros países? Dependendo da gravidade, o atendimento pode custar milhares de dólares, podendo gerar sérias dificuldades financeiras para você e seus familiares para o resto da vida.

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

Veja mais dicas do Egito

Ficou mas fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, é só deixar suas pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas do Egito.

SOBRE O AUTOR

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

3 Comentários

  1. Pingback: Saqqara, Pirâmides de Guizá e Mênfis são visitas obrigatórias! – Por Sabrina Saraiva – Uneworld Viagens e Turismo – Blog by Fabian Saraiva

Escreva um comentário