Muralha da China: veja quais partes visitar e qual a diferença entre elas

Atualizado em 13 de outubro de 2022 – 3 min de leitura

Muralha da China: qual parte devo visitar?

Quem está planejando visitar a Muralha da China precisa tomar algumas decisões importantes antes de embarcar na viagem. A principal escolha é qual parte visitar.

Isso vai depender do tempo que você tem, de quanto quer gastar e, claro, de sua disposição para explorar esse incrível monumento.

Neste artigo, eu vou explicar sobre:

A Muralha da China

A Muralha da China é um gigantesco muro de pedra que corta o país de leste a oeste.

Ela foi construída em partes que, de forma geral, serviam para proteger os reinados das diversas dinastias que imperavam na China.

As partes mais recentes foram acrescentadas durante a dinastia Ming, entre os anos 1368-1644. Mas, há construções do ano 220 antes de Cristo.

Muralha da China: qual parte devo visitar?

São 573 quilômetros de história e paisagens lindas que nos fazem suspirar e agradecer por ter a oportunidade de pisar aqui. As partes mais visitadas e, também, mais fáceis de serem acessadas ficam nos arredores do Pequim.

Como visitar a Muralha da China

Há diversas partes da Muralha da China que pode ser visitadas. Algumas ficam mais perto do centro de Pequim e dá para chegar de transporte público.

Porém, justamente por ficarem perto da cidade, o número de visitantes é muito grande e, raramente, você conseguirá um minuto de paz: nem mesmo para garantir aquela foto espetacular.

Outras partes ficam mais afastadas, exigindo uma programação mais detalhada.

Para lhe ajudar a decidir qual delas visitar, veja as principais características de cada uma:

Badaling

Esta é a mais bem preservada parte da Muralha da China e, também, a mais popular entre elas. A 70 quilômetros do centro de Pequim, dá para chegar aqui de ônibus e trem.

Mas, justamente por isso, Badaling fica lotada durante as férias de verão e nos feriados nacionais chineses.

Diferentemente de algumas outras partes, os degraus não são tão escorregadios e há corrimão em boa parte, o que facilita muito para que tem mais dificuldade de locomoção.

Para subir, você também pode usar o teleférico que vai lhe fazer poupar tempo e energia.

Mutianyu

Outra área muito bem preservada da Muralha da China, essa foi a parte que visitei. Uma grande atração de Mutianyu é a grande quantidade de torres de vigia – são mais de 20 em um pequeno trecho – e isso deixa o cenário ainda mais maravilhoso.

Muralha da China: qual parte devo visitar?

Para melhorar, você pode subir em uma espécie de terraço em algumas dessas torres e ter uma visão que – talvez – você não tenha em nenhuma outra parte.

Um desses terraços fica na torre número seis. É importante dizer que há algumas partes bem íngremes, principalmente para chegar à torre 20.

Toda essa parte da Muralha foi restaurada e está equipada com dois teleféricos e um tobogã, por onde você pode descer depois da visita. Essa é a única parte da Muralha da China com essa facilidade.

Juyongguan

Nesta parte, além de visitar a Muralha, você poderá ver prédios e templos ancestrais. A cerca de 60 quilômetros do centro de Pequim, essa á a parte mais próxima da cidade e, como você pode imaginar, bastante visitada.

Jinshanling

Também restaurada, essa parte tem uma boa estrutura de visitação. Dá para fazer todo o percurso em um dia de visita ou explorar boa parte em meio-dia.

A 130 quilômetros de Pequim, dá para chegar aqui de ônibus: você só precisa chegar até a estação Wangjing usando as linhas 13 ou 15 do metrô e, depois, pegar o ônibus turístico que vai até a entrada.

A passagem custa CNY 32 e a partida é às 8h, com retorno às 15h.

A entrada nesta parte da Muralha da China custa CNY 65. Para subir usando o teleférico, é preciso pagar mais CNY 40. Para subir e descer, o valor sobe para CNY 60.

Simatai

Diferentemente de outras partes mais populares, a restauração de Simatai teve como foco apenas obras essenciais. Por isso, podemos dizer que ela é mais original. Outro diferencial dessa parte é que dá para fazer o passeio à noite, o que parece ser incrível, não acha?

Também há teleférico para ajudar na subida, mas é preciso pagar por isso: CNY 160, para subir e descer, e CNY 90, para subir ou descer. Ainda é preciso pagar a entrada, que custa CNY 40.

Muralha da China: qual parte devo visitar?

Jiankou

Esta é uma parte bem mais selvagem da Muralha da China e, também, a mais perigosa. Não é por acaso que ela também é a mais fotogênica, por causa das altas montanhas que a cercam e por seu estilo arquitetônico.

Construída com uma rocha de cor mais clara, Jiankou salta aos olhos de longe. São doze quilômetros de ziguezague a leste de Mutianyu, e, para subir esta parte, é preciso chegar às vilas de Xizhazi ou Wofo.

Informações Básicas

Visto

Brasileiros precisam de visto para entrar no país. Veja como solicitar o visto para China.

Documentos

Você precisa apresentar o passaporte com, no mínimo, seis meses de validade.

Dinheiro

A moeda nacional é o yuan renminbi, identificada pelas siglas CNY e RMB, e pelos símbolos ¥, 元  e 角, em chinês.

Vacinas

A vacinação contra febre amarela é obrigatória. Saiba como solicitar o certificado pela internet.

Informações sobre covid-19

No dia 22 de maio, a China atualizou as regras para entrada de brasileiros no país. A partir de agora, os viajantes devem cumprir os seguintes requisitos:

Apresentar dois exames RT-PCR negativos, sendo o primeiro feito, no máximo, 48 horas antes do embarque, e o segundo, dentro de 12 horas antes da partida do voo. Se ambos forem realizados na mesma instituição, deve-se garantir o intervalo de pelo menos 24 horas.

Com os resultados dos dois exames, é preciso solicitar o Código Verde à Embaixada ou ao Consulado-Geral da China. É preciso apresentar, também, uma cópia da página de dados pessoais do passaporte, roteiro completo de viagem, comprovante de reserva para dois testes RT-PCR no local de conexão, quando houver, cópia do certificado de vacinação (exceto para viajantes não vacinados) e Declaração da Condição de Saúde, disponível online.

Ainda há uma série de especificações para viajantes já infectados pelo novo corona vírus e para aqueles que testarem positivo em um dos exames. Casos assim serão tratados particularmente pelas representatividades chinesas no Brasil, e você pode ver todos os detalhes no site do Consulado da China em São Paulo.

RETORNO AO BRASIL

De acordo com informações da Anvisa, viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

Seguro viagem

Nem todos os países têm um sistema de saúde público e gratuito. Na verdade, na maioria deles, viajantes estrangeiros não têm acesso a assistência médica gratuita. Por isso, é muito importante ter o seguro internacional de saúde – também chamado de seguro viagem. No caso da Bolívia, o  seguro viagem passou a ser obrigatório  depois da pandemia de covid-19.

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Você já imaginou quanto custa um tratamento médico para esses casos em outros países? Dependendo da gravidade, o atendimento pode custar milhares de dólares, podendo gerar sérias dificuldades financeiras para você e seus familiares para o resto da vida.

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

Veja mais dicas da China

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida é só deixar sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas da China.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

6 Comentários

  1. Murillo

    E aí, Altier! Blz?
    Estarei em Pequim em março e, com suas dicas, já sei q irei pra Mutianyu, pois é menos “cheia”. Mas como estarei sozinho e queria muito garantir ao menos algumas fotos melhores, estava pensando em contratar algum fotógrafo que pudesse tirar fotos minhas. Já fiz isso em outros países pra onde fui sozinho e foi mto bom. Vc saberia o contato de algum em Pequim (chinês, brasileiro, o q for…)? Se não, vc se lembra de ver fotógrafos lá na Muralha?
    Obrigado, cara!

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Murillo.

      Infelizmente, não tenho esse contato e não vi fotógrafos de plantão por lá. 🙁

      Um abraço.

      Responder
  2. Juninho

    E ai Altier blz? Estarei com visto de trânsito na China, aquele de 144 horas e quero visitar essa parte da muralha… Com esse visto você sabe se posso ir nela ou só na de Badaling? Obrigado.

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Juninho.

      Sim, se estiver dentro do prazo do seu visto, você pode ir a qualquer lugar.
      Lembre-se que você precisa de um dia inteiro pra fazer esse passeio.
      Vale muito a pena.

      Um abraço.

      Responder
  3. Marcia Chinelato

    Oi Altier!
    Estou pesquisando o passeio porque irei agora dia 28/3 para a China. Irei com meu filho que é arquiteto e costuma fazer ótimos roteiros para nossos passeios. Mesmo assim, estou fazendo minha pesquisa para aprender sobre os lugares. Eu tenho boa saúde e aguento boas caminhadas. Com certeza não vamos preferir essas partes da muralha onde as fotos acabam prejudicadas pelo excesso de turistas. Pela tua experiência, depois de ter escolhido Mutianyu, você continua achando que é a melhor opção? Vamos certamente dedicar um dia inteiro para esse passeio. Abç

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Marcia.

      Olha, eu não conheci todas as outras, mas este foi a que mais tive indicação.
      Em Mutianyu, o legal é que você pode subir e descer de bondinho, caminhando sobre a montanha o tanto que seu preparo físico permitir.
      Sim, separe um dia somente para este passeio.

      Um abraço.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *