Como visitar a Cidade Proibida, em Pequim: entenda a história deste lugar

Atualizado em 13 de outubro de 2022 – 4 min de leitura

Como visitar a Cidade Proibida, em Pequim

Este é um dos cartões postais mais famosos de Pequim, concorrendo fortemente com a Muralha da China, e visitar a Cidade Proibida é um dos programas imperdíveis. Só que você precisa estar preparado para algumas coisas.

Neste artigo, eu vou explicar sobre:

Como visitar a Cidade Proibida

Primeiro, é preciso chegar aqui. O acesso é muito fácil, já que estações de metrô lhe deixam praticamente na entrada do complexo.

Depois, você precisa encarar a fila do raio-x. O governo chinês é bem rígido quanto à segurança, e você passará por isso em vários momentos de sua viagem à China: em todas as estações de metrô, por exemplo, você será revistado.

Como visitar a Cidade Proibida, em Pequim

Estrangeiros não precisam apresentar o passaporte para visitar a Cidade Proibida, mas os chineses têm que mostrar o documento de identidade. Eu, sinceramente, não sei a razão disso.

Como visitar a Cidade Proibida, em Pequim

Vencida a muralha da segurança, você terá que comprar seu tíquete. A Cidade Proibida tem quatro portões, mas a entrada é feita pelo Portão do Céu, que fica, justamente, de frente para a Praça da Paz Celestial, onde está aquele famoso retrato de Mao Tsé-Tung. É aqui dentro, que você compra o ingresso.

A fila, geralmente, é grande. Mas eu dei sorte e não esperei muito – menos de cinco minutos. Com o tíquete na mão, você pode seguir pelo portão principal para visitar a Cidade Proibida.

Cidade Imperial

Depois de cruzar o Portão do Céu, você será transportado para outros tempos. Todo o complexo, cheio de prédios, torres, jardins e rodeado por um fosso de seis metros de profundidade, era considerado o maior palácio imperial do mundo.

As dinastias reinaram sobre todo o território chinês de 1420 a 1912, quando o foi instaurada a República.

Como visitar a Cidade Proibida, em Pequim

Sobrevivente de ataques e guerras violentas – como a Segunda Guerra Mundial –, visitar a Cidade Proibida exige um bom tempo: você vai gastar uma manhã ou tarde inteira aqui dentro. Particularmente, eu achei a visita um pouco cansativa, pois, a partir de um certo ponto, tudo parece meio repetitivo.

Como visitar a Cidade Proibida, em Pequim

Além disso, o lugar é um verdadeiro labirinto. Então, se não prestar atenção para onde está indo, é possível que fique girando em círculos a vida toda. Sabendo disso, fique de olho nas placas.

Como visitar a Cidade Proibida, em Pequim

Não deixe de ver

Além do Portão do Céu, o Palácio da Suprema Harmonia, onde os imperadores eram coroados e faziam suas cerimônias oficiais, é imperdível. Só que não dá para entrar em nenhum templo. Então, a gente tem que se espremer nas portas para conseguir ver alguma coisa.

Como visitar a Cidade Proibida, em Pequim

Assim é com o Palácio da Pureza Celeste, onde moravam os imperadores, e com o Palácio da Tranquilidade Terrestre, onde moravam suas esposas.

Como visitar a Cidade Proibida, em Pequim

No Jardim Imperial, você caminhará entre árvores centenárias, muitas delas com placas identificando a espécie e a idade. Se não fosse o tanto de gente caminhando e fazendo poses para fotos por aqui, esse lugar seria ideal para relaxar e meditar um pouco.

Simbologias

Em todos os prédios, pátios e jardins, há muitos elementos da simbologia chinesa. Ao visitar a Cidade Proibida, você verá dois leões na entrada de alguns prédios. Eles significam poder e proteção. Além disso, no budismo, o leão é um animal divino.

O dragão, que está em inúmeros lugares da Cidade Proibida, significa sucesso e prosperidade. Por isso, também é comum presentear os amigos e familiares com objetos que tenham um dragão estampado.

Como visitar a Cidade Proibida, em Pequim

A garça é outro animal muito usado na cultura chinesa. Ela aparece para simbolizar a longevidade e a pureza, e, muitas vezes, enfeita os pátios e os telhados das casas e dos templos.

Como visitar a Cidade Proibida, em Pequim

As cores também têm grande significado no país.

O amarelo, por exemplo, é a cor imperial. Por isso, os telhados da Cidade Proibida são pintados nessa cor, e nenhum outro prédio poderia, durante o império, ser amarelo.

Como visitar a Cidade Proibida, em Pequim

Como visitar a Cidade Proibida

Quanto custa

Na alta estação, que vai de abril a outubro, o ingresso custa CYN 60. Nos outros meses, o preço cai para CYN 40. Você pode tentar comprar sua entrada online, mas o site está em chinês. Na bilheteria, é possível alugar um sistema de audioguia – em português – com um mapa e com todas as orientações sobre cada lugar.

Como visitar a Cidade Proibida, em Pequim

Quando ir

As visitas começam às 8h30 e terminam às 17h30, sendo que a última entrada é às 16h10. No inverno, de novembro a março, os portões fecham uma hora mais cedo, às 16h30, com a última entrada às 15h40.

Chegar cedo pode ser uma boa opção para evitar filas e encontrar o lugar menos lotado. Você pode consultar alterações de horário e as exposições disponíveis no site da Cidade Proibida (em inglês e chinês).

As melhores épocas para visitar Pequim são a primavera e o verão, já que o outono e o inverno são frios e úmidos. Eu fui em novembro e, apesar dos dias ensolarados, peguei temperaturas bem próximas a zero.

Como visitar a Cidade Proibida, em Pequim

Como chegar

A forma mais simples é descer na estação Tian’anmen East, que fica atrás da Praça da Praz Celestial, e caminhar por ela até a Cidade Proibida. Toda essa área é muito vigiada e bloqueada para o acesso de carros. Então, evite levar bolsas e mochilas, para não perder muito tempo na revista, e use o transporte público.

Informações Básicas

Visto

Brasileiros precisam de visto para entrar no país. Veja como solicitar o visto para China.

Documentos

Você precisa apresentar o passaporte com, no mínimo, seis meses de validade.

Dinheiro

A moeda nacional é o yuan renminbi, identificada pelas siglas CNY e RMB, e pelos símbolos ¥, 元  e 角, em chinês.

Vacinas

A vacinação contra febre amarela é obrigatória. Saiba como solicitar o certificado pela internet.

Informações sobre covid-19

No dia 22 de maio, a China atualizou as regras para entrada de brasileiros no país. A partir de agora, os viajantes devem cumprir os seguintes requisitos:

Apresentar dois exames RT-PCR negativos, sendo o primeiro feito, no máximo, 48 horas antes do embarque, e o segundo, dentro de 12 horas antes da partida do voo. Se ambos forem realizados na mesma instituição, deve-se garantir o intervalo de pelo menos 24 horas.

Com os resultados dos dois exames, é preciso solicitar o Código Verde à Embaixada ou ao Consulado-Geral da China. É preciso apresentar, também, uma cópia da página de dados pessoais do passaporte, roteiro completo de viagem, comprovante de reserva para dois testes RT-PCR no local de conexão, quando houver, cópia do certificado de vacinação (exceto para viajantes não vacinados) e Declaração da Condição de Saúde, disponível online.

Ainda há uma série de especificações para viajantes já infectados pelo novo corona vírus e para aqueles que testarem positivo em um dos exames. Casos assim serão tratados particularmente pelas representatividades chinesas no Brasil, e você pode ver todos os detalhes no site do Consulado da China em São Paulo.

RETORNO AO BRASIL

De acordo com informações da Anvisa, viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

Seguro viagem

Nem todos os países têm um sistema de saúde público e gratuito. Na verdade, na maioria deles, viajantes estrangeiros não têm acesso a assistência médica gratuita. Por isso, é muito importante ter o seguro internacional de saúde – também chamado de seguro viagem. No caso da Bolívia, o  seguro viagem passou a ser obrigatório  depois da pandemia de covid-19.

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Você já imaginou quanto custa um tratamento médico para esses casos em outros países? Dependendo da gravidade, o atendimento pode custar milhares de dólares, podendo gerar sérias dificuldades financeiras para você e seus familiares para o resto da vida.

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

Veja mais dicas da China

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida é só deixar sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas da China.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

2 Comentários

  1. Mara Rúbia Cedro Moreira

    Prezado Altier,acabei de comprar minha passagem Salvador/ Porto Alegre,para 10/07/2018,e se possível,pode me passar umas dicas do Paraguai a Colômbia; irei para Santiago em maio,por conta do Chile não fazer fronteira com o Brasil,e nesta viagem que devo fazer em uns 4 meses,retornando para Salvador de Bogotá.Sei que estou pedindo muito; mas você é viajante carimbado.rs
    Desde já,muito obrigada mesmo.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *