Como é visitar a Muralha da China

0

Atualizado em 13 de julho de 2018

Muitos viajantes têm o sonho de conhecer esse lugar e comigo nunca foi diferente. Até que, em um belo dia, comprei uma passagem e decidi visitar a Muralha da China.

No meu roteiro, Pequim, a capital da China, ocupava um lugar de destaque e eu gostei muito da cidade – não sei por que, ela me lembrou um pouco Berlim -, com seus prédios não muito altos e suas avenidas largas.

Na cidade, eu precisava conhecer três lugares emblemáticos, indispensáveis na viagem de todo mundo: a Praça da Paz CelestialTian’anmen, em chinês –, onde aconteceram os famosos protestos de 1989; a Cidade Proibida, um conjunto de templos e moradias imperiais – como eu mostro em: Como visitar a Cidade Proibida; e a Muralha da China, um gigantesco monumento de pedra que corta o país de leste a oeste.

Eu já sabia que precisaria de um dia inteiro para essa atividade, mas tinha que escolher qual parte da Muralha visitar. Pesquisando, descobri as diferenças entre cada uma delas, como eu mostro em: Muralha da China: qual parte devo visitar?

Como é visitar a Muralha da China

Quem não gostaria de visitar a Muralha da China?

Eu escolhi visitar Mutianyu

A minha escolha, então, foi Mutianyu, que não fica tão perto de Pequim e, por isso, é mais vazia. Uma grande atração dessa parte é a grande quantidade de torres de vigia – são mais de 20 em um pequeno trecho – e isso deixa o cenário ainda mais maravilhoso.

Para melhorar, a gente pode subir em uma espécie de terraço em algumas dessas torres e ter uma visão que – talvez – você não tenha em nenhuma outra parte. Um desses terraços fica na torre número seis.

Como é visitar a Muralha da China

Essa parte tem, exatamente, 23 torres de vigia.

Toda essa parte da Muralha foi restaurada e está equipada com dois teleféricos e um tobogã, por onde você pode descer depois da visita – justamente no dia que fui, tinha nevado e o tobogã estava fechado. Esta é a única parte da Muralha da China com essa facilidade.

É importante dizer que algumas partes de Mutianyu são bem íngremes, principalmente para chegar à torre 20, quando começa a parte original da Muralha – que, oficialmente, não pode ser visitada.

Como é visitar a Muralha da China

A Muralha da China serviu para proteger os reinados de invasões.

Como é visitar a Muralha da China

Alguns trechos são bem ingrimes – bem mais do que o dessa foto.

Curta esse lugar como ele merece

A Muralha da China é um gigantesco muro de pedra que corta o país de leste a oeste. Ela foi construído em partes que, de forma geral, serviam para proteger os reinados das diversas dinastias que imperavam na China. As partes mais recentes foram acrescentadas durante a dinastia Ming, entre os anos 1368-1644. Mas, há construções do ano 220 antes de Cristo.

São 573 quilômetros de história e paisagens lindas que nos fazem suspirar e agradecer por ter a oportunidade de pisar aqui. As partes mais visitadas e, também, mais fáceis de serem acessadas ficam nos arredores do Pequim.

Como é visitar a Muralha da China

Ao visitar a Muralha da China, entenda que ela é um patrimônio de todos nós.

Além disso tudo, a Muralha da China foi eleita uma das sete maravilhas do mundo moderno e, desde 1987, a Unesco reconhece o monumento como Patrimônio Mundial da Humanidade.

Então, quando você estiver por aqui, não tenha pressa. Caminhe no seu tempo, observe os detalhes das construções, e respeite esse espaço: infelizmente, há muitas partes pichadas e depredadas por turistas que fazem questão de escrever seu nome aqui. Isso é muito triste!

Como é visitar a Muralha da China

Não entendo como vândalos insistem em agredir algo tão especial.

Como visitar a Muralha da China

Quanto custa | A entrada nesta parte da Muralha da China custa CNY 40, mas crianças e idosos pagam a metade. Para subir e descer de bondinho, você terá que pagar CNY 120, mas, se quiser subir de bondinho e descer de tobogã, o preço sobe para CNY 200. O passeio guiado – que inclui o transporte de Pequim até aqui e o almoço – custa CNY 280.

Se não quiser comer a tradicional comida chinesa – que eu achei bem estranha, como mostro em: Onde e o que comer em Pequim –, você pode ir ao Subway que funciona em Mutianyu. Aproveite para ler: Dinheiro na China: câmbio, taxas e saques.

Como é visitar a Muralha da China

A bilheteria onde compramos os ingressos.

Como é visitar a Muralha da China

O tíquete para subir e descer de bondinho.

Quando ir | A melhor época para visitar a Muralha da China nos arredores de Pequim é na primavera, entre abril e maio, e no outono, de setembro a novembro. O verão é altíssima estação e é indicado somente para quem não se importa em ver tudo isso lotado de gente. O inverno – quando fui – só é indicado para quem realmente gosta de frio.

Mutianyu funciona em horários diferentes durante o ano: de março a novembro, ela abre das 7h30 às 18h, de segunda a sexta, e fecha meia-hora mais tarde nos finais de semana. De dezembro a fevereiro, o funcionamento é de 8h às 17h.

Como é visitar a Muralha da China

Eu escolhi visitar a Muralha da China no inverno e peguei bastante frio e até neve.

Como chegar | Chegar a Mutianyu é um pouco complicado, principalmente se você não fala e nem lê chinês. É que eu achei bem difícil me comunicar em inglês por aqui, já que pouquíssimas pessoas falam o idioma britânico, mesmo em lugares turísticos.

Mutianyu fica a cerca de uma hora e meia de carro do centro de Pequim e não há transporte público direto para esta parte da Muralha da China. Então, se decidir chegar aqui de forma independente, você terá que fazer baldeação e ter muita paciência. Sem falar que os ônibus que vêm para essa parte sempre estão lotados.

Primeiro, você precisa chegar à estação Dongzhimen usando as linhas de ônibus 24, 106, 107, 123, 132 e 206, ou as linhas 2, 13 e Airport Express do metrô.

Como é visitar a Muralha da China

O ideal é comprar o cartão do transporte público se quiser ir de forma independente.

Daqui, sai o ônibus 867 que vai para Mutianyu. As partidas acontecem às 7h e 8h30, somente nos finais de semana e feriados, e o retorno é às 14h e 16h. De Dongzhimen a Mutianyu você vai gastar cerca de duas horas e meia de ônibus.

A linha 916 vai de Dongzhimen para a cidadezinha de Huairou, de onde você pode pegar um micro-ônibus até Mutianyu. Essa é a opção mais rápida usando o transporte público, e dura cerca de duas horas. As partidas da linha 916 são frequentes – a cada 20 minutos.

A passagem de ônibus custa CNY 5 com o cartão do transporte público de Pequim, que você pode comprar em qualquer estação do metro. Sem o cartão, o preço sobe para CNY 16.

Visto e documentos | Brasileiros precisam de visto para entrar na China, mas solicitar o visto não é a coisa mais difícil do mundo, mas exige atenção aos detalhes – e são muitos detalhes mesmo.

Ainda que a possibilidade de ter o visto negado seja pequena, se a documentação estiver errada, você pode perder tempo, dinheiro e passar por aborrecimentos sem precisar. Para saber mais, leia: Como solicitar o visto para China.

Documentos e seguro | Você precisa apresentar o passaporte dentro do prazo de validade. Carteira d identidade ou qualquer outro documento brasileiro não é aceito. Apesar de não ser obrigatório, eu aconselho que você tenha um seguro viagem ao viajar para a China. Faça sua cotação aqui.

Veja todos os posts de Pequim

CONPARTILHE COM SEUS AMIGOS

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

Escreva um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.