Como é visitar a Casa de Mandela

0

Atualizado em 24 de julho de 2018

Ele foi o maior nome da luta contra o regime de segregação racial que feriu a África do Sul por quase meio século. Sua peleja contra o apartheid lhe custou a liberdade, a vida privada, o casamento e até a boa relação com os filhos. Isso e muito mais, a gente aprende ao visitar a Casa de MandelaMandela House, em inglês.

CLIQUE E SAIBA MAIS SOBRE O APARTHEID

Este foi o regime de segregação racial que vigorou na África do Sul de 1948 a 1994. O apartheid suspendia os direitos da maioria da população negra e priorizava a minoria branca. Esse processo começou ainda no período colonial, mas virou política de Estado depois das eleições de 1948.

De forma clara, a nova legislação separava brancos, negros, pardos e asiáticos, e atribuía privilégios e obrigações a cada um desses grupos. Saúde, educação e outros serviços públicos eram limitados a alguns deles, até o direito à cidadania.

Depois de uma grande mobilização nacional com repercussão internacional, o apartheid começou a se enfraquecer. Inúmeros conflitos, protestos e mortos nos embates chamaram a atenção da mídia e das autoridades mundo afora.

Em 1990, o então presidente cedeu à pressão e começou a negociar com Nelson Mandela para a transição do regime. Em 1994, foram realizadas eleições multirraciais democráticas, e Mandela foi eleito presidente do país, dando fim ao longo período de segregação racial na África do Sul. 

A pequena residência, que hoje virou museu, fica em Soweto. O distrito foi criado para concentrar todos os bairros negros de Joanesburgo, depois que as novas regras racistas passaram a vigorar no país. Eu explico isso melhor em: Como conhecer Soweto, o reduto de Mandela.

Restaurada em 2009, hoje a casa tem pouca coisa dos tempos em que Mandela aqui se abrigou. Caminhando pelos pequenos cômodos, a gente vê fotos, documentos, objetos e móveis. A maioria é réplica, mas recontam como era a vida da família Mandela nesta casa.

Como é visitar a Casa de Mandela

Parte da sala e da cozinha da Casa de Mandela.

Como é visitar a Casa de Mandela

O quarto do casal Mandela.

Como é visitar a Casa de Mandela

A maior parte dos móveis é réplica.

História da Casa de Mandela

A casa foi construída em 1945, mas Nelson Mandela só se mudou para cá no ano seguinte, em 1946, com sua esposa e seu filho mais velho. Anos mais tarde, em 1957, Mandela se divorciou e sua nova esposa, Winnie, passou a viver aqui.

Foi depois desse período que se intensificou a luta de Mandela pela causa dos negros no país. Em 1962, ele foi detido e, mais tarde, condenado à prisão perpétua. Grande parte de sua vida na cadeia foi em uma ilha perto de Cape Town, um lugar que merece sua visita. Isso eu explico em: Não deixe de visitar Robben Island.

Como é visitar a Casa de Mandela

Placas no muro lembram momentos importantes na vida de Mandela.

Como é visitar a Casa de Mandela

Em 1990, o líder negro voltou a Soweto para sair daqui presidente do nação.

Depois de libertado, em 1990, Nelson Mandela voltou a morar, por um curto tempo, na casa que fica na esquina das ruas Vilakazi e Ngakane. Foram onze dias até que ele se mudasse para um apartamento maior, também em Soweto. De sua nova moradia, Nelson Mandela só sairia para ocupar a residência presidencial, depois de ter sido eleito, em 1994, para ser o primeiro presidente negro da história da África do Sul.

Vencedor do Prêmio Nobel da Paz de 1993, Nelson Mandela viajou o mundo espalhando sua visão humanitária e de igualdade racial. Mandela morreu, em 2013, aos 95 anos.

Planeje sua vista à Casa de Mandela

Quanto custa | A visita à casa onde morou Nelson Mandela custa ZAR 60. Crianças de até seis anos e estudantes com carteirinha pagam ZAR 20.

Quando ir | A Casa de Mandela funciona diariamente, das 9h às 17h.

Nos meses de inverno, entre maio e setembro, há pouca chuva e as temperaturas caem bastante, chegando bem perto do zero. No verão, entre outubro e abril, faz calor e chove com mais frequência, sendo que de novembro a março as chuvas são bem mais frequentes. Nessa estação, os termômetros registram temperaturas próximas aos 30 graus. Julho é o mês em que menos chove, enquanto janeiro é o mais chuvoso.

Como chegar | Talvez a sua tarefa mais difícil seja chegar a Soweto. O transporte público nessa região é extremamente precário e feito em vans. Não há metrôs ou trens ligando a parte central da cidade com os bairros habitados (ainda hoje) por maioria negra. Isso é uma herança do apartheid: lembra que os negros não podiam frequentar os ambientes destinados aos brancos? Sendo assim, avalie bem antes de decidir conhecer Soweto utilizando transporte público.

Alugar um carro é uma boa opção, mas também pode ser arriscado. Joanesburgo é uma das cidades mais desiguais do mundo e apresenta altíssimos índices de criminalidade. Portanto, ficar perdido nessa região pode ser perigoso.

Outra boa escolha para conhecer Soweto é contratar um passeio guiado – privado ou em grupo – para percorrer as ruas e os principais pontos de Soweto. Mas não se restrinja a ficar dentro do carro. Aproveite para interagir com os moradores, que são sempre simpáticos e nos tratam muito bem. Uma opção bastante interessante é o passeio de bicicleta por Soweto, oferecido pela Soweto Bicycle Tour.

Como é visitar a Casa de Mandela

O pequena casa de esquina.

Como é visitar a Casa de Mandela

Entrada da casa que virou museu.

Onde ficar | Joanesburgo é uma cidade grande, populosa e cheia de atrativos. Por isso, escolher bem onde se hospedar aqui é essencial para aproveitá-la melhor. Veja as minhas dicas de onde se hospedar na cidade.

Reserve já o seu hotel em Joanesburgo e garanta os melhores preços.

Visto e documentos | Brasileiros não precisam de visto para entrar e permanecer na África do Sul por até 90 dias. Entretanto, é necessário apresentar o passaporte com validade de, pelo menos, um mês depois da data prevista para o retorno. É muito importante ter um seguro viagem enquanto estiver no país, para ser atendido em caso de incidentes. Veja como comprar o seguro viagem e ganhar descontos exclusivos.

O Certificado Internacional de Vacinação (CIVP) contra a febre amarela é obrigatório. Sem ele, você pode ser impedido de entrar no país. Nessa região, há muitos insetos e, também, casos de malária. Veja como se proteger aqui.

Como é visitar a Casa de Mandela

Foto de Mandela quando ainda morava aqui.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um viajante apaixonado pelas coisas desse mundo. Um jornalista que adora contar boas histórias e compartilhar informações de viagem. Meu propósito de vida é ajudar outras pessoas a conhecerem lugares novos e a viverem experiências inesquecíveis.

Escreva um comentário