Dinheiro na viagem: qual a melhor opção?

4

Atualizado em 13 de junho de 2017

Chega uma hora que precisamos escolher qual a melhor maneira de levar dinheiro na viagem. Além de economizar nas transações, é muito importante saber qual modalidade nos traz mais segurança, praticidade e, principalmente, se ela funciona bem no destino para onde estamos indo.

Então, o que devemos fazer é comparar cada uma delas, entender seus custos, seus riscos e optar pela que tem mais pontos positivos. Eu sempre levo um pouco de dinheiro vivo – dólar ou euro – e o cartão de débito vinculado à minha conta corrente. Assim, eu tenho duas opções e evito passar perrengues na hora de usar meu dinheiro na viagem.

Veja as principais opções que você pode usar na hora de planejar como vai levar seu dinheiro e quais as características de cada uma delas.

Moeda estrangeira | Levar dinheiro vivo tem uma grande vantagem: o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) é 1,1%, o menor de todas as opções. Por outro lado, andar com dinheiro vivo significa que você terá que tomar muito cuidado com eventuais furtos ou roubos, pois se levarem o seu dinheiro, você não o recupera mais. De qualquer forma, nunca viaje com todo ou a com a maior parte de seu dinheiro em espécie. Leve apenas o necessário, considerando para onde você vai e quais as facilidades para sacar dinheiro.

Vale lembrar que o viajante que estiver saindo do Brasil com valores superiores a R$ 10 mil ou o equivalente em moeda estrangeira, seja em espécie, cheques ou cheques de viagem, é obrigado a apresentar a Declaração Eletrônica de Porte de Valores (e-DPV), por meio da internet, e apresentar-se à fiscalização aduaneira do local de saída do País, para fins de conferência.

Veja a cotação do dólar em: Site ajuda a encontrar a melhor cotação do dólar.

Cartão de crédito | Hoje, quase todos os cartões de crédito brasileiros são internacionais e bem aceitos no exterior. A primeira grande utilidade do cartão de crédito na sua viagem é que ele é o modo mais fácil de se financiar a passagem, alugar um carro e fazer reserva em hotéis, tudo com um mínimo de burocracia.

É sempre bom ter anotado o telefone da administradora e o número do cartão para o caso de extravio ou roubo. Não é demais recomendar que você confira tudo o que está assinando e se o cartão que estão lhe devolvendo é mesmo o seu. O cartão não dispensa a necessidade de levar dinheiro na viagem, pois nem tudo pode ser pago com ele. Alguns bancos mantêm a opção débito, e até mesmo a de crédito, bloqueada para uso no exterior. Informe-se com o seu banco ou operadora de cartão como proceder nestes casos.

Lembre-se também de que todas as transações feitas fora do Brasil terão o acréscimo de 6,38% referente ao IOF. Além disso, a maioria dos cartões têm o dólar como referência e a contação, quase sempre, é a do dia de fechamento de sua fatura. Esse pequeno detalhe pode eleva muito suas despesas.

Dinheiro na viagem: qual a melhor opção?

O cartão pode lhe ajudar na hora do imprevisto.

Cartão de débito | Se você não quiser comprar moedas ou um cartão pré-pago, uma boa opção é usar o cartão de débito de sua conta corrente. Essa opção é válida para quem tem cartão internacional e já desbloqueou o uso no exterior. Isso pode ser feito em sua agência, no aplicativo do seu banco ou pelo telefone.

Um dos pontos positivos dessa modalidade é que você vai pagar a cotação da moeda no dia da compra ou do saque. Em contrapartida, o imposto cobrado pelas transação é de 6,38%. Além disso, em alguns países, você terá que pagar uma taxa para fazer saques em caixas eletrônicos.

Cartão pré-pago | Até pouco tempo, o cartão pré-pago era a melhor forma de levar dinheiro na viagem. É que ele tinha um imposto de apenas 0,38%, mas o governo brasileiro elevou a alíquota para 6,38%, igualando às operações eitas com cartão de crédito.

De qualquer forma, o cartão acaba com aquela história de se preocupar onde esconder o dinheiro ou se você estourou o limite do cartão de crédito. Ele é aceito para compras em milhões de estabelecimentos e para saques em moeda local em mais de um milhão de caixas automáticos no exterior.

O cartão é ideal para intercâmbios e viagens a negócios, pois além de substituir dinheiro em espécie, ele oferece maior controle dos gastos, conveniência e segurança.  A versão multimoedas do cartão pré-pago permite o carregamento de diversas moedas em um único cartão. Assim, ao visitar vários países você poderá carregar mais de dez moedas e, se quiser, realizar conversões entre elas pela internet. Além disso, as compras e saques são realizados sempre na moeda do país de destino sem risco de variação cambial na moeda de carga.

E tem mais: caso você precise, um novo cartão para uso imediato poderá ser solicitado nos casos de perda ou roubo. Você ainda pode recarregá-lo à distância e a qualquer momento, acessar a Central de Atendimento 24 horas em português, consultar o saldo e extrato pela internet e escolher como utilizar o saldo do cartão no retorno da viagem: devolução em reais ou guardá-lo carregado no cartão para uma próxima viagem ou utilizar o cartão nos estabelecimentos afiliados.

Cheques de viagemApesar de estarem cada vez mais em desuso, os cheques de viagem – ou travellers checks – podem ser comprados nos principais bancos brasileiros e em alguns deles, até mesmo pela internet. Eles podem ser emitidos em dólar, em euro ou mesmo em outra moeda. A vantagem de levar ao menos uma parte de seu dinheiro em cheques de viagem é a segurança, pois a troca do cheque por moeda depende da sua assinatura e da apresentação do seu passaporte. Em caso de perda ou roubo, você poderá ser reembolsado, desde que tenha o recibo da compra.

Se você perder ou tiver o seu cheque de viagem roubado, procure a Delegacia de Polícia mais próxima, registre a ocorrência e peça uma cópia da declaração. Depois, informe à agência mais próxima da instituição que emitiu os cheques, que fornecerá novos cheques em substituição aos extraviados.

Dinheiro na viagem

Veja, abaixo, quais os principais riscos e benefícios de cada opção para levar o seu dinheiro na viagem. Lembrando que a minha dica é sempre ter mais de uma opção para momentos de necessidade, porque imprevistos acontecem com qualquer um.

MODALIDADE

IOF

RISCO BENEFÍCIO
Dinheiro

1,1%

Ter o dinheiro roubado Moedas como dólar e euro são aceitas em todo o mundo
Cartão de crédito

6,38%

Pagar a cotação da moeda no dia de fechamento da fatura Você poderá usá-lo em caso de imprevistos
Cartão de débito

6,38%

Seu cartão pode não ser aceito no destino

Ideal para quem não gosta de levar muito dinheiro
Cartão Pré-pago

6,38%

Seu cartão pode não ser aceito no destino

Você pode recarrega-lo quando quiser
Cheque de viagem

6,38

Dificuldade para trocar os cheques em alguns destinos Em caso de perda ou roubo, você não será prejudicado

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

4 Comentários

    • Altier Moulin

      Oi,

      A moeda daqui é o peso colombiano, identificada pela sigla COP. Não é necessário sair do Brasil com pesos colombianos: se você já tentou trocar, já percebeu que não é fácil encontrar COP nas casas de câmbio. Então, eu sugiro trazer dólares, já que o real pode não ser aceito por aqui.

      Um abraço.

Escreva um comentário