Valle de la Luna: como visitar um dos lugares mais incríveis do Atacama

Atualizado em 10 de outubro de 2022 – 6 min de leitura

O Valle de la Luna é um dos lugares mais incríveis no Atacama. Mas antes, eu preciso lhe dizer algumas coisas sobre esse deserto.

Encarar o Atacama não é brincadeira. Mesmo contando com todos os artifícios que a modernidade nos proporciona, o calor do dia e o frio da noite serão desafios que você obrigatoriamente terá que vencer.

Isso, sem falar na sequidão que invariavelmente lhe acompanhará.

No deserto do Atacama tudo parece assim, sem vida, e não é pra menos. Nessa terra, onde os recordes são muito mais que números impressionantes, os extremos que fazem desse lugar um apaixonante destino, também complicam muito a história de qualquer ser vivo.

Para ter uma ideia, veja só alguns dos mais espantosos números do Atacama:

  1. Ele é considerado o deserto mais alto do mundo, sempre acima dos 2.400 metros de altitude;
  2. É, também, o deserto mais seco do planeta, com áreas onde não chove há mais de 23 milhões de anos;
  3. Seu território, que começa em Paracas, no Peru, cobre todo o norte do Chile e tem mais de mil quilômetros;
  4. Em um único dia, a temperatura pode variar de zero a 30 graus.

Nessas condições, pequenos oásis como San Pedro de Atacama se tornam o refúgio ideal para quem chega ao Atacama. O pueblo tem pouco mais de três mil moradores e condições ideais para fazer seus dias no deserto mais confortáveis e inesquecíveis.

Em San Pedro de Atacama, o passeio mais famoso e mais solicitado é o que percorre parte do que eles convencionaram chamar de Valle de la Luna, uma referência ao acidentado relevo lunar.

Montanhas arenosas, imensos paredões de sal e dunas gigantescas estão por onde os seus olhos mirarem.

Essa paisagem seca, que se transforma dia após dia, inacreditavelmente já foi coberta pelo gelo dos glaciares, que desapareceram depois que a Cordilheira dos Andes se ergueu, como resultado do atrito entre placas tectônicas.

Neste artigo, eu vou explicar sobre:

Como é o passeio ao Valle de la Luna

O passeio guiado até o Valle de la Luna sempre começa no final da tarde, por volta das 16h.

Esse horário é escolhido por duas razões: a mais óbvia é que, no fim da tarde, as temperaturas já não estão tão escaldantes, e a segunda é porque um dos grandes baratos desse passeio é ver o pôr do sol sobre o deserto. É de arrepiar!

Valle de la Luna

Saindo do Centro, a viagem dura menos de 15 minutos de carro.

A primeira parada é na portaria do Valle, onde pago CLP 3.000 pela entrada. Aqui há banheiros e uma pequena lanchonete.

O carro avança por mais cinco minutos e para. A primeira trilha vai me levar até à Cordilheira de Sal, formada a partir da movimentação do terreno onde ficava um antigo lago.

As suas formações curiosas e a sua variação de cores – já que ela tem muitos minerais de origem vulcânica – merecem um tempo de sua observação. Ah, antes que me esqueça, os pontinhos brancos que você avistar não são sal, mas gesso.

Valle de la Luna

Nessa trilha, avisto, ainda, a Duna Grande, uma imensidão de areia que escorre do alto até o tocar o chão.

Curiosamente, essa duna não se movimenta ao sabor dos ventos, como de costume. Isso se deve, segundo os estudiosos, ao fato de que ela está sentada sobre uma rocha.

Anfiteatro no Atacama

De longe vejo o Anfiteatro, uma enorme formação rochosa arredondada que lembra mesmo um estádio de futebol ou o Coliseu, em Roma.

Nele e em todas as rochas ao redor de mim as camadas funcionam como linhas do tempo, por onde os cientistas identificam também a variação de temperatura no deserto ao longo dos séculos.

Valle de la Luna

Volto para o carro e sigo por mais alguns minutos. Logo estou em frente às Três Marias, um conjunto de formações rochosas que se ergue do nada.

Apesar de serem três, uma delas já não tem a mesma altura que as demais, graças a um turista que resolveu, por conta própria e sem autorização, escalá-la.

Valle de la Luna

Detido e deportado, o infeliz não poderá retornar ao Chile enquanto viver. Entretanto, sua façanha será vergonhosamente lembrada para sempre.

Valle de la Luna

Ao lado das Três Marias, está uma pequena rocha que parece ser a cabeça de um dinossauro saindo da terra. É engraçado!

Caverna de Sal

Volto para o carro, que segue até o cânion onde está a Cueva de Sal.

Ando pelo caminho aberto por um rio há milhões de anos e vejo seu rastro deixado nos paredões. Me sinto pequeno diante de tanta grandeza.

Valle de la Luna

Depois de 20 minutos de caminhada, chego à tal caverna e caminho por ela até encontrar a luz do outro lado. A caminhada é leve, mas há momentos em que é preciso andar abaixado, quase de joelhos.

Valle de la Luna

Antes de seguir para a próxima parada, tiro os tênis. A areia fofa do leito do antigo rio toca meus pés como se os massageasse. Estou, de fato, em contato com esse mundo árido e fascinante.

O Valle de la Muerte

Sigo, então, para o Valle de la Muerte.

Esse lugar recebeu esse nome por três possíveis razões: a primeira remete ao tempo dos espanhóis, quando jogavam as cabeças dos inimigos no vale. A segunda, é atribuída à péssima pronuncia do cientista francês que queria chamar o lugar de Valle de Marte.

Valle de la Luna

Por fim, acredita-se que o nome se deve ao fato de que muitas pessoas se perdiam no deserto e acabavam morrendo neste lugar.

Por volta das 20h, chego a um dos pontos mais altos do Valle para apreciá-lo de cima.

Valle de la Luna

Apesar de tarde, ainda está claro. A imensidão é linda! As montanhas áridas avançam até onde meus olhos não alcançam mais.

Aos poucos o sol se encaminha para seu lugar de repouso. Me despeço do astro-rei, e a sensação é incrível, revigorante e deixo o Valle de la Luna com um céu lindo, o mais lindo de todos.

Planeje seu passeio no Valle de la Luna

Quanto custa

A entrada no Valle de la Luna custa CLP 3.000. Estudante com carteirinha paga CLP 1.500.

Quem leva

Há diversas empresas que fazem esse passeio.

Com saídas diárias, sempre por volta das 16h, ele não deve custar mais do que CLP 12.000.

Valle de la Luna

Eu fiz os passeios no Atacama com a Turismo Kaulles (Whatsapp: +56 9 6265 5633) e com a El Relincho e gostei bastante do serviço oferecido.

QUANDO IR

Eu sugiro ir ao Valle de la Luna no final da tarde, depois das 16h, para pegar o pôr do sol.

O Atacama é considerado o deserto mais seco do mundo e não recebe chuva significativa há, pelo menos, 500 anos.

→ Quando ir ao Atacama

Como em todo deserto, a amplitude térmica é muito grande. Isso significa que você vai ter temperaturas altas durante o dia e baixas durante a noite.

Valle de la Luna

No inverno, as temperaturas são mais amenas durante a dia, mas faz muito frio à noite. No verão, os dias são muito quentes e as noites têm temperaturas agradáveis.

Como chegar

O Valle de la Luna está a apenas 13 quilômetros do Centro de San Pedro de Atacama e é possível chegar sozinho. De carro, de bicicleta, a pé ou de excursão os cuidados e as exigências serão iguais: pagar a tarifa na entrada e nunca se desviar dos pontos demarcados.

→ Como chegar ao Atacama

O aeroporto mais próximo de San Pedro de Atacama fica na cidade de Calama, a pouco mais de 100 quilômetros. A Pulmann Bus tem ônibus de Calama para San Pedro de Atacama, custa cerca de CLP 13.000.

Outra opção é voar até Santiago e seguir a viagem de ônibus, mas se prepare: serão mais de 1.600 quilômetros para percorrer, o que não vale nem um pouco a pena para quem está com pouco tempo.

A Tur Bus tem partidas de Santiago para Calama com passagens que custam entre CLP 40.000 e 60.000.

Um roteiro muito bacana e que lhe dará uma visão mais completa dessa região é conciliar San Pedro de Atacama com a viagem de três dias pelo Salar de Uyuni.

O que levar

A umidade no deserto do Atacama é quase sempre inferior a de 10%, portanto você vai precisar se hidratar muito além do normal – no Valle de la Luna não há água para comprar.

Eu lhe aconselho a não subestimar essa informação, pois você corre o risco de sentir muita sede pelo trajeto.

Valle de la Luna

Nessa situação, você pode abusar sem medo de exagerar. Protetor solar, roupas leves, um boné e óculos de sol também são indispensáveis.

Uma lanterna ou um celular poderão lhe ajudar na caverna.

Hotel Diego de Almagro

O Diego de Almagro é um dos maiores e mais tradicionais hotéis de San Pedro de Atacama e, como a maioria das opções de hospedagem da cidade é pequena e bem rústica, ele ganha muitos pontos, principalmente quando você leva em consideração os serviços oferecidos e a proximidade com o Centro.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

Eu tive a sorte de pegar uma promoção e paguei bem menos que o valor de uma diária normal. A piscina do hotel é ótima, os quartos são grandes e confortáveis. Há chuveiro quente e o café da manhã é bem farto: dá para comer muito.

 

Como fica no Centro, há vários restaurante muito bons aqui perto, mas, se puder, jante no restaurante que fica no hotel: o camarão com quinoa é muito elogiado. Sem dúvida, foi a melhor escolha que eu poderia ter feiro para me hospedar no Atacama.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

Hotel Dunas

Esse peculiar hotel fica no coração de San Pedro de Atacama e tem uma arquitetura um tanto quanto interessante: ele é formado por casinhas de sapê distribuídas em um lindo jardim e um terraço solar.

O Hotel Dunas tem preço razoável, internet boa, estacionamento e café da manhã gratuitos. A rua mais viva da cidade, a Caracoles, fica a dois quarteirões e a praça principal, onde fica a Igreja de San Pedro, a 200 metros.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

As instalações são bem rústicas, como tudo no Atacama, mas o conforto e o atendimento são garantias da casa: se não for verdade, você pode reclamar com os donos, porque eles fazem questão de atender aos hóspedes.

Hotel Kimal

Essa é a opção perfeita para quem quer ficar em São Pedro do Atacama sem abrir mão do conforto e ficar perto de tudo. É que o Hotel Kimal fica bem no Centro da cidade, onde a energia pulsa mais fortemente.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

Além disso, o hotel tem muitas atividades alternativas, como aulas de ioga e massagens relaxantes ao ar livre. Sem falar que a piscina é deliciosa e o café da manhã é bem elogiado.

Nessa região, há várias agências que vendem passeios, mas algumas excursões, como para os Gêiseres de Tatio e para o Valle de la Luna, podem ser contratadas na recepção do hotel. E por falar nisso, o pessoal manda muito bem no atendimento.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

Hotel la Casa de Don Tomás

O Hotel La Casa de Don Tomás fica uns 250 metros da Rua Caracoles, a mais movimentada da cidade e é um excelente lugar para ficar em San Pedro de Atacama, porque as instalações são magníficas e o atendimento é sempre muito elogiado.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

O hotel é grande, espaçoso, tem um restaurante muito bom e o café da manhã é delicioso. Os quartos são ótimos, muito arejados e sempre muito limpos. As camas são grandes, macias e a roupa de cama é de primeira.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

Hotel Jardin Atacama

O Hotel Jardin Atacama tem quartos básicos, mas o que encanta é a área externa no hotel: tem um quintal grande com piscina, perfeito para quem viaja com crianças. Além disso, ele fica em uma área excelente, perto de tudo, mas longe do barulho.

O atendimento é muito elogiado, o café da manhã é farto, com comidinhas locais e o preço é justo. É um bom lugar para ficar em San Pedro de Atacama sem gastar muito e ter bom serviços.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

Hotel Corvatsch

A poucos minutos de caminhada do centrinho de San Pedro de Atacama, o Hotel Corvatsch é um dos melhores da cidade na minha opinião. Ele tem de tudo que a gente precisa para ter dias magníficos e noites revigorantes de sono.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

Os quartos são muito agradáveis, as camas são boas e as roupas de cama sempre estão limpinhas e cheirosas. Os banheiros são bem cuidados e o café da manhã está dentro do esperado: vale pelo preço da diária.

Hotel Poblado Kimal

O Hotel Poblado Kimal é mais uma excelente para ficar na melhor área de San Pedro de Atacama: perto de tudo e com o conforto de ter silêncio e tranquilidade. Sem falar que o hotel é super bem decorado, com a temática rústica que o Atacama pede.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

A piscina é maravilhosa e os quartos amplos, arejados, muito bem cuidados, com camas grandes e roupas de cama de primeira – garantia de uma estadia perfeita. Isso se completa com o atendimento e com o café da manhã, que são sempre muito elogiados.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

Hotel Desertica

O Hotel Desertica é um lugar com muito estilo. Decorado com muito bom gosto, desde a recepção às áreas comuns, tudo parece ter sido pensado para nos impressionar. E deu certo!

Os quartos são extremamente confortáveis, sempre muito limpos e arejados. Os banheiros são espaçosos, bem cuidados e o chuveiro é maravilhoso. Outro destaque é o atendimento super profissional da equipe que dá um show de simpatia.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

O café da manhã é fabuloso, com tudo de bom que você pode encontrar em San Pedro de Atacama. A experiência fica ainda mais completa com a área da piscina, perfeita para o fim de tarde.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

Ckoi Atacama Lodge

O Ckoi Atacama Lodge tem um estilo mais rústico, mas isso não significa que sua experiência será incompleta. Pelo contrário, o lodge oferece várias atividades como ioga, alongamento e passeios pelo Atacama, tudo sem complicação e com preços justos.

Ele fica em uma área mais sossegada do Centro e é perfeito para quem busca tranquilidade e vai ter tempo para fazer tudo com calma: aproveitar a piscina, a área verde e saborear, sem pressa, o café da manhã que é preparado com muito amor.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

Hostel Qachi & Chentura

O Hostel Qachi & Chentura é diferenciado. Tudo começa pela organização dos ambientes, com uma decoração leve e caprichada, mantendo a identidade do Atacama. Os quartos são arejados, muito bem cuidados e sempre muito organizados.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

As áreas comuns seguem o mesmo padrão, com tudo no lugar certo e com manutenção em dia. As camas são ótimas, as roupas de cama também, e o café da manhã é muito gostoso, dentro do esperado. Por isso, é um excelente lugar para ficar em San Pedro de Atacama.

Hostel Campo Base

Quem procura um hostel para ficar em San Pedro de Atacama, com certeza, já leu sobre esse lugar. Ele é o mais bem avaliado da cidade e tem um atendimento que conquista qualquer um: como os passeios são muito cedo, eles deixam um lanchinho para você levar. Por falar nisso, o café da manhã é excelente e a limpeza também é muito boa.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

Os banheiros também são super organizados e os ambientes são separados: sanitários e chuveiros. O espaço de convivência é pequeno, mas super aconchegante, com redes, mesas e cadeiras. Do lado do Hostel Campo Base tem um mercadinho que vende lanches rápidos e água, itens essenciais para sua sobrevivência no deserto. O hostel também tem cozinha.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

A localização é perfeita, a poucos metros da Rua Caracoles, e o preço é um dos melhores da cidade. Vale a pena comparar com outros hostels, porque você pode até achar hospedagem mais barata, mas o serviço, certamente, não será o mesmo.

Atacama Home

A Atacama Home é uma casa de temporada perfeita para quem está viajando em família ou com amigos. Ela fica um pouco mais afastada do Centro, mas o acesso é fácil e rápido.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

A casa é extremamente aconchegante, muito bem decorada e tem uma leveza que colabora para estadias perfeitas, sem qualquer chance de decepção.

Ela tem 100 metros quadrados, tem dois quartos, varanda, cozinha completa e acomoda até seis pessoas, isso faz o custo-benefício ficar muito interessante. Sem dúvida, é uma excelente escolha para ficar em San Pedro de Atacama.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

Parina Atacama Apart Hotel

O Parina Atacama Apart Hotel também fica um pouco mais afastado do Centro e seu grande ponto positivo é oferecer privacidade e aquele serviços de hotel que a gente gosta.

Os apartamentos são bem equipados, com uma cozinha completinha, camas boas e banheiros limpos e bem cuidados, e tem uma jacuzzi boa para relaxar nos fins de tarde. Isso tudo por um preços justo!

Onde ficar em San Pedro de Atacama

Cabañas Caur

O Cabañas Caur são apartamentos que ficam na área residencial de San Pedro de Atacama, a poucos minutos de caminhada do Centro. Eles são excelentes para quem quer passar um tempo maior na cidade para poder explorar tudo com calma.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

Os apartamentos têm cozinha completa, terraço, estacionamento e internet rápida, perfeito para quem precisa trabalhar durante a viagem. Eles acomodam bem até quatro pessoas e isso faz o custo-benefício ficar mais interessante.

Onde ficar em San Pedro de Atacama

Informações Básicas

Visto

Não é necessário ter  visto para entrar no país e o tempo de permanência é de até 90 dias.

Documentos

Você pode apresentar o passaporte ou a carteira de identidade emitida há menos de dez anos.

Moeda

O peso chileno, representado pela sigla CLP, é a moeda local. Você pode levar dólares e trocar ao chegar.

Vacinas

Não há exigência de vacinação para nenhuma doença não importa qual seja o motivo da viagem.

Informações sobre covid-19

As autoridades chilenas deixaram de exigir comprovantes de vacinação e testes RT-PCR de todos os viajantes, vacinados ou não. Entretanto, você precisa cumprir alguns procedimentos antes de embarcar para o país:

  1. Preencher a Declaração Juramentada C19 para validar o comprovante de vacinação e obter o Pase de Movilidad Chileno, necessário para frequentar ambientes fechados e viajar em transporte coletivo, por exemplo;
  2. Estar preparado para testes aleatórios na chegada ao país: se o resultado for positivo, você poderá ser orientado a fazer quarentena;
  3. Se você for um viajante vacinado e tomou a última dose há mais de seis meses, a dose de reforço será exigida.
Retorno ao Brasil

De acordo com informações da Anvisa, viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

Seguro viagem

Apesar de não ser obrigatório,  viajar sem um seguro viagem com cobertura para covid-19 não é uma boa ideia. 

É que nem todos os países têm um sistema de saúde público e gratuito. Na verdade, na maioria deles, viajantes estrangeiros não têm acesso a assistência médica gratuita. Por isso, é muito importante ter o seguro internacional de saúde – também chamado de seguro viagem –, mesmo que ele não seja obrigatório.

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Você já imaginou quanto custa um tratamento médico para esses casos em outros países? Dependendo da gravidade, o atendimento pode custar milhares de dólares, podendo gerar sérias dificuldades financeiras para você e seus familiares para o resto da vida.

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

MAIS COMPRIDO DO MUNDO

O Chile é o país mais comprido do mundo, com uma distância de 4.329 quilômetros entre seu ponto mais ao norte e mais ao sul. Por ter uma geografia extremamente diversa é possível conhecer regiões com climas muito distintos entre si.

Além do fato de que o país está espremido entre a Cordilheira dos Andes, ao leste, e o Oceano Pacífico, seu atual território envolve fronteiras, ainda, conquistas políticas e militares.

No norte, está o deserto do Atacama, considerado o mais seco do mundo. Ao sul, fica a Patagônia, território de temperaturas glaciais dividido entre Chile e Argentina. Com tantos contrastes, o território chileno tem paisagens realmente inesquecíveis.

A maior parte da população vive no centro do país. Uma das maiores cidades da América Latina, a capital Santiago se destaca pela gastronomia e pela agitada vida noturna. A charmosa Valparaíso, localizada no litoral, é marcada pelas construções coloridas.

Veja mais dicas do Chile

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver mais dicas do Chile.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

17 Comentários

  1. Danilo

    Altier, bom dia campeão. Sou fã do site, inclusive já postei aqui minha viagem ao Uruguai. Estou procurando algum tópico sobre ida ao chile de carro, poderia me indicar aqui ??

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Danilo.

      Infelizmente, ainda não tenho estas informações.

      Um abraço.

      Responder
  2. Oliver Drummond

    Ver esse post deu até saudade do Atacama, parabéns! Que lugar incrível!

    Responder
    • Altier Moulin

      Realmente é um lugar que dá vontade de voltar sempre, Oliver. 🙂

      Responder
  3. Douglas Dias

    Viagem inesquecível . Lugar maravilhoso. De Campos do Jordão a San Pedro. Hotel de brasileira, jantar no Adobe. Geiser del Tatio, Vale de lá Luna, paisagens lindas demais. Voltarei…

    Responder
    • Altier Moulin

      Sem dúvida esse é um lugar especial, Douglas.

      Um abraço.

      Responder
  4. Beatriz

    Lugar lindo. A vontade de conhecer está grande… parabéns pelo site!

    Responder
    • Altier Moulin

      Obrigado, Beatriz. Vá conhecer. 😉

      Responder
  5. Ludmila

    Obrigada pelas dicas Altier! Não pretendemos fazer tudo por conta não!! Apenas os passeios que forem seguros! Com certeza voltar para casa é a melhor parte!

    Responder
  6. Ludmila

    Oi Altier, você escreve bem demais! Deu ainda mais vontade de ir para o Atacama. Estamos planejando essa empreitada em janeiro 2016 de carro! Você acha que vale a pena pagar o passeio com operadora ou tudo bem fazer por conta?
    Obrigada por compartilhar!
    Ludmila

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi Ludmila,

      Primeiro obrigado pelo elogio e por acompanhar o blog. Bom, ir ao Atacama de carro é uma aventura e tanto. Poder escolher um roteiro alternativo e fazer tudo num ritmo tranquilo não tem preço. O grande – e sério – problema é que o deserto apresenta muitos desafios. Não são raros os casos de pessoas que se perdem e passam dias por lá. Há casos de morte, inclusive (veja isso: http://goo.gl/e88eVz).

      O Atacama não é brincadeira e muito menos para quem vai despreparado. Pense na situação em que o celular não tem sinal e até mesmo o GPS para de funcionar. Se quiser fazer tudo em seu carro, contrate um bom guia. Se ficar muito caro, opte pelos passeios em grupo. Voltar para casa tranquilo vale muito mais que qualquer aventura. 🙂

      Um abraço.

      Responder
  7. Eliseu Gasana

    Gostaria de algumas dicas de um passeio de carro de So paulo ao Chile, e qual a menor distancia de São Paulo ao Chile ou de São Paulo ao Peru?

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi Eliseu,

      As distâncias são bem próximas. Vai depender do seu gosto mesmo. Sugiro que faça uma busca detalhada levando em consideração quantos dais você tem para a viagem. Assim você poderá pensar em paradas estratégicas como, por exemplo, Em Campo Grande e Bonito, no Mato Grosso do Sul, e passando pela Bolívia.

      Um abraço.

      Responder
    • Altier Moulin

      É realmente incrível, Gilson.

      Responder
  8. Marcos

    Caro Altier,
    Vc chegou a se informar sobre o Sandboarding no Valle de la Muerte (no seu relato vc passa pelo Vale mas não fez sandboarding); Passeio aos Geysers del Tatio e Passeio Astronômico??
    Estou pesquisando, em outros relatos que falam dessas opções, mas as informações são poucas.

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi Marcos,

      Vamos lá. O sandboarding está suspenso temporiariamente – pelo menos foi o que algumas agências me informaram. Não fui aos geisers de Tatio porque tinha acabado de chegar dos geisers que ficam no lado boliviano, dai preferi não repetir. O tour astronômico eu não fiz, pois não é muito minha praia. E também é bastante caro. :/

      Um abraço.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16