O passeio de bicicleta no Atacama

6

Atualizado em 17 de abril de 2018

O passeio de bicicleta no Atacama é uma das atividades que tem se tornado cada dia mais comuns em San Pedro de Atacama, no Chile. Isso se deve a duas razões principais: a gostosa sensação de liberdade que experimentamos ao nos guiar por caminhos diferentes e alternativos e, claro, o preço alto dos passeios cobrados por aqui, que sempre são muito mais caros do que imaginamos.

Nesta região, os dois roteiros mais procurados por aqueles que querem fazer um passeio de bicicleta no Atacama são o Valle de la Luna, a nove quilômetros do centro, e as ruínas de Pukará de Quitor e a Quebrada del Diablo, a seis quilômetros.

Reserve já o seu hotel em San Pedro de Atacama e garanta os melhores preços.

Como eu já havia visitado o Valle de la Luna na tarde anterior, aluguei uma magrela para fazer o percurso que passa por Pukará de Quitor e chega até os cânions conhecidos como Quebrada del Diablo, num percurso que totalizou pouco mais de 20 quilômetros de chão. Como o sol não dá trégua, escolhi fazer esse passeio pela manhã e foi bem tranquilo, já que a trilha é fácil e cada um pode seguir seu próprio ritmo.

No mapa abaixo, é possível ver que todo o trajeto é feito margeando o leito de um rio seco. Então, a chance de você se perder não existe. Para facilitar ainda mais, você tem a possibilidade de fazer apenas o trajeto até Pukará de Quitor e retornar. Porém, eu lhe encorajo muito a fazer o roteiro completo, como proposto no mapa.

O passeio de bicicleta no Atacama

Estrada onde começa a trilha até a Quedraba del Diablo.

O passeio de bicicleta no Atacama

Algo que você pode encontrar no caminho.

Grande parte da trilha é plana e feita sob uma estrada de terra batida. Há poucas paradas com sombras, mas elas existem. De tempo em tempo, pare para se hidratar, descansar e, então, seguir em frente.

Durante o trajeto, você precisará ter atenção em alguns pontos: o primeiro é na hora de cruzar a ponte sobre o leito seco do rio. Se seguir direto, você irá para Pukará de Quitor e, virando à direita, chegará à Quebrada del Diablo. Mais à frente você cruzará outra ponte, esta sobre um riacho que, infelizmente, está poluído.

Depois desse ponto, a trilha tem três caminhos possíveis: à esquerda, você poderá subir algumas pequenas montanhas a pé, seguindo direto, você chegará a um ponto cego, sem muita coisa interessante, e, à direita, está a Quebrada del Diablo.

Aqui, há outro ponto de atenção que é justamente a entrada para a Quebrada del Diablo. A única placa que indica o caminho deve medir cerca de 20 centímetros e está presa a uma haste de madeira perto de uma árvore. Nela lemos QDA. DEL DIABLO e vemos uma seta apontando a direção. É só.

O passeio de bicicleta no Atacama

A entrada para o caminho que vai à Quebrada del Diablo.

O passeio de bicicleta no Atacama

Tenha atenção, pois a placa pode passar sem que você a perceba.

O passeio de bicicleta no Atacama

Sua única chance para acertar o caminho.

Seguindo por esse caminho, logo você verá o começo dos cânions. São imensos paredões abertos pela água de antigos rios que corriam por aqui. Em alguns pontos, é impossível passar pedalando, já que a estrada fica mais estreita. Em outros pontos, um carro passaria facilmente.

Dentro dos cânions, avanço por cerca de 40 minutos e não encontro seu fim. Pergunto a outros ciclistas que fazem o caminho de retorno e todos me dizem a mesma coisa: não há fim. Depois de considerar que já tinha visto e experimentado o suficiente do lugar, encerro meu passeio de bicicleta no Atacama e inicio meu trajeto de volta.

O passeio de bicicleta no Atacama

O riacho de águas poluídas.

O passeio de bicicleta no Atacama

O início da trilha nos cânions.

O passeio de bicicleta no Atacama

Nem sempre é possível pedalar.

O passeio de bicicleta no Atacama

Em alguns pontos a trilha fica realmente estreita.

Planeje seu passeio de bicicleta no Atacama

Quanto custa | O aluguel da bicicleta no Atacama custa CLP 3.000 para cada seis horas. A entrada nas ruínas de Pukará de Quitor custa CLP 5.000.

Quando ir | O passeio de bicicleta no Atacama está disponível durante todo o ano. Eu sugiro escolher a parte da manhã, por volta das 9h, ou da tarde, depois das 16h.

O Atacama é considerado o deserto mais seco do mundo e não recebe chuva significativa há, pelo menos, 500 anos. Por isso, é possível viajar para cá o ano inteiro. Como em todo deserto, a amplitude térmica é muito grande. Isso significa que você vai ter temperaturas altas durante o dia e baixas durante a noite. No inverno, as temperaturas são mais amenas durante a dia, mas faz muito frio à noite. No verão, os dias são muito quentes e as noites têm temperaturas agradáveis.

Como chegar | O aeroporto mais próximo de San Pedro de Atacama fica na cidade de Calama, a pouco mais de 100 quilômetros. Um tíquete saindo do aeroporto de Guarulhos para cá custa, em média, USD 350, e a passagem de ônibus na Pulmann Bus, de Calama para San Pedro de Atacama, custa cerca de CLP 9.000.

Outra opção é voar até Santiago e seguir a viagem de ônibus, mas se prepare: serão mais de 1.600 quilômetros para percorrer, o que não vale nem um pouco a pena para quem está com pouco tempo. A Tur Bus tem partidas de Santiago para San Pedro de Atacama com passagens que custam entre CLP 23.800 e 45.000.

Um roteiro muito bacana e que lhe dará uma visão mais completa dessa região é conciliar San Pedro de Atacama com uma jornada de três dias pelo Salar de Uyuni, na Bolívia. Os detalhes dessa viagem eu conto em Viagem de três dias pelo Salar de Uyuni.

Onde ficar | A regra número um para economizar com hospedagem em San Pedro de Atacama é a antecedência. A cidade tem muitas opções baratas, mas, como viajantes do mundo inteiro desejam esse lugar, se você deixar para fazer a reserva em cima da hora é provável que pague caro ou que fique mais afastado do Centro.

Veja as minhas dicas em Onde se hospedar em San Pedro de Atacama.

Eu me hospedei no Hotel San Pedro de Atacama. Ele fica no Centro e é ideal para quem deseja descansar depois de se aventurar pelo deserto. Com quartos muito confortáveis, o hotel tem piscina e um farto café da manhã. Negociando, consegui baixar o custo da diária para USD 100 em um quarto triplo. Foi a melhor escolha.

O passeio de bicicleta no Atacama

Piscina do hotel San Pedro de Atacama.

O que levar | Leve água, pois é importante se hidratar. Se for permanecer na trilha por muito tempo, prefira um lanche leve, como frutas ou castanhas. Use roupas leves, óculos de sol e um boné, e não se esqueça do protetor solar.

Visto e documentos | Não é necessário visto para entrar no país, e o tempo de permanência é de até 90 dias. Brasileiros podem apresentar o passaporte ou a carteira de identidade, desde que ela esteja em bom estado de conservação. Não há exigência de vacinação para nenhuma doença, independentemente do motivo da viagem.

Veja todos os posts sobre o Atacama

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

6 Comentários

  1. Avatar
    IVONEI ANTONIO MARGRAF on

    Muito Bom!
    Caro Altier
    Somos um grupo que pretendemos pedalar no Atacamem fev de 2016.
    Pedimos a você :
    1)É necessário reservar antecipadamente o HOTEL?
    2) A QUALIDADE DAS BIKES É BOA ?
    3)Pretendemos passeios também mais longos ;sua sugestão?
    Desde já agradeço
    Ivonei

    • Altier Moulin

      Oi Ivonei, aí estão suas respostas:

      1) Sim, é necessário fazer a reserva. De dezembro a fevereiro há muitos turistas aqui e as boas opções acabam logo. Eu indico muito este hotel: http://goo.gl/5yxFon. Não há relação custo-benefício melhor na cidade.
      2) Sim, é boa. Mas são bikes para diversão, isso quer dizer que não são para ‘profissionais’.
      3) Há diversas opções nos arredores de San Pedro. Ir ao Vale de La Luna e assistir ao pôr do sol é uma ótima pedida. Veja aqui: https://www.penaestrada.blog.br/valle-de-la-luna-o-imperdivel-atacama/

      Um abraço e aproveite por mim. 🙂

  2. Avatar

    Boa tarde,
    Estou amando seu blog, mas preciso de algumas dicas!!!
    Nunca fiz nenhuma viagem para América do Sul. Você me indica por onde começar? Argentina, Colômbia, Chile??
    Vou fazer a viagem com uma amiga e queria saber uma média de quanto gastou nessa viagem a Atacama 15 dias, sem aéreo. Não procuramos luxo, algo bem em conta mesmo. Só para termos uma ideia dos gastos

    Obrigada seu blog é maravilhoso!

    • Altier Moulin

      Oi Luana,

      Que bom que gostou do blog. É complicado dar uma sugestão de onde ir sem lhe conhecer melhor, mas eu diria que Colômbia e Chile são os meus preferidos entre os três países. O Chile é mais caro e, portanto, menos interessante neste aspecto. A Colômbia é fascinante e você vai adorar Cartagena e as praias do Caribe de lá.

      Falar de valores é bem complicado pois isso depende de cada pessoa e do seu estilo de viajante. Leia os posts que fiz sobre a Colômbia aqui: https://www.penaestrada.blog.br/category/relatos/exterior/colombia/. Na maioria deles eu acrescento valores, então você pode fazer uma estimativa de custos.

      Bom, espero ter ajudado. Um abraço!

Escreva um comentário