Templos de Ayutthaya: tudo que você precisa saber para uma visita completa

Atualizado em 13 de outubro de 2022 – 6 min de leitura

Bate-volta para Ayutthaya: guia rápido e prático

As maiores relíquias dessa região tailandesa são os templos de Ayutthaya. Eles são perfeitos para nos dar uma ideia do passado de esplendor que a cidade viveu.

Ayutthaya já foi a capital da Tailândia e essa é a principal explicação para a concentração de tantos prédios e monumentos históricos que a gente vê por aqui: são mais de 1500.

A história de Ayutthaya – a pronúncia é Aiutaiá – começou em 1350 e ela logo se tornou a segunda capital do Império Siamese – a primeira foi Sukhothai. Durante os séculos de seu apogeu, Ayutthaya foi um dos  maiores centros urbanas do mundo,  com intensas atividades comerciais e uma população de um milhão de pessoas.

→ Onde ficar em Ayutthaya

No século 18, exatamente no dia 7 de abril de 1767, Ayutthaya foi devastada pelo exército birmanês, que hoje faz parte do Myanmar, e muitos prédios e templos foram queimados e saqueados. Por isso, muito do que vemos, hoje, são apenas ruinas.

Neste artigo, eu vou explicar sobre:

Os templos de Ayutthaya

Apesar de o complexo histórico ter mais de 1500 prédios e templos, apenas 50 estão na lista de Patrimônios da Humanidade da Unesco. E, dessa lista toda, você não precisa conhecer mais do que cinco templos para já ter uma boa impressão do todo.

Como Ayutthaya fica a apenas 80 quilômetros de Bangkok, eu fiz um bate-volta: saí de manhã cedinho e retornei no final da tarde. Em um dia, eu visitei seis templos:

  • Wat Yai Chai Mongkol
  • Wat Mahathat
  • Wat Lokayasutharam
  • Wat Phu Khao Thong
  • Wat Phra Mongkhon Bophit
  • Wat Phra Si Sanphet

É importante  estar vestido adequadamente para entrar nos templos de Ayutthaya. De forma geral, homens e mulheres devem cobrir ombros e joelhos e não é permitido entrar de chinelo.

Eu estava de bermuda e camiseta regata e não fui barrado, mas, claro, tinha uma calça e uma camisa na mochila caso precisasse.

Wat Yai Chai Mongkol

O primeiro templo que visitei foi o Wat Yai Chai Mongkol e ele já me deixou com uma ótima impressão por causa das centenas de imagens de buda em diferentes posições e tamanhos. Os dois maiores – são grandes mesmo – ficam nas laterais da escada que leva até uma cúpula de 60 metros de altura.

No budismo, os restos mortais de pessoas importantes, geralmente, repousam nesses lugares.

Templos de Ayutthaya: quais visitar?

Dentro do pagode, como eles chamam essa cúpula pontiaguda, há outras várias imagens de buda e uma espécie de fosso, onde os visitantes costumam jogar uma moedinha e fazer um pedido. Eu não sei se tem efeito, mas não custa tentar.

Nesta mesma área há templos menores com imagens lindas de budas dourados. Há, também, um buda reclinado que fica numa área aberta. Ele é semelhante ao que fica no Wat Pho, em Bangkok, porém menor e pintado de branco.

Wat Mahathat

Este foi o templo que eu mais gostei e nunca poderia imaginar que sentiria o que senti nesse lugar. Eu já tinha visto várias fotos dessa cabeça de buda encravada nas raízes de uma árvore, mas eu não sabia que ela tem um simbolismo tão grande para os tailandeses.

É que, quando os templos da cidade foram saqueados e destruídos depois da guerra, as cabeças dos budas foram roubadas e vendidas, como peça de decoração, ou destruídas na tentativa de achar o anel que, supostamente, um imperador havia escondido em uma delas.

Essa cabeça, em especial, só não foi roubada porque o ladrão foi preso. Esquecida neste lugar, a árvore a protegeu para que nada nem ninguém a levasse daqui.

Depois que você entende essa história e caminha pelas outras áreas do templo fica fácil notar que todas – ou quase todas – as esculturas de buda estão sem cabeça. Por isso, comprar ou tatuar cabeças de buda é algo ofensivo para o budismo tailandês.

Além de o templo ser lindo, aprender, aqui, essa lição foi sensacional.

Templos de Ayutthaya: quais visitar?

Wat Lokayasutharam

Não restou muita coisa desse templo a não ser a imensa imagem de um buda reclinado com 37 metros de comprimento e oito de altura. Até hoje, as pessoas chegam aqui para fazer suas orações e oferendas trazendo flores de lótus e incenso.

Algumas senhoras que ficam por aqui nos oferecem pedacinhos de papel dourado para colar na miniatura que fica em frente ao buda maior.

Templos de Ayutthaya: quais visitar?

Uma coisa muito importante que você precisa saber é: quando estiver em qualquer templo tailandês, não tire foto imitando a posição dos budas. Os tailandeses não percebem isso de uma maneira positiva e consideram desrespeito à religião.

Então, nada de tirar foto deitado do lado do buda reclinado. Combinado?

Wat Phu Khao Thong

Essa torre monumental com 50 metros de altura foi construída por um imperador para comemorar sua vitória nas guerras que, frequentemente, eram travadas com reinos inimigos.

A construção acabou sofrendo alterações ao longo dos anos, mas nunca perdeu o seu significado e nunca deixou de ser um lugar de peregrinação.

Templos de Ayutthaya: quais visitar?

Ela fica em uma área aberta, longe de outras construções altas, então, quando a gente sobe até o topo dá para ver o horizonte da cidade e até as plantações de arroz das vilas vizinhas.

A visita é rápida e, sem dúvida, esse á um dos prédios mais bem cuidados que visitei em Ayutthaya.

Templos de Ayutthaya: quais visitar?

Wat Phra Mongkhon Bophit

O Phra Mongkhon Bophit é, na verdade uma imensa estátua de buda sentado com uma das mãos voltadas para o chão.

Na religião budista, isso tem um grande valor, pois reflete o momento em que buda foi tentado e pediu auxílio divino para não se desviar do seu caminho de evolução.

A imagem, que inicialmente, ficava ao ar livre é uma das maiores da Tailândia e foi feita de bronze, mas, na década de 1990, quanto o governo tailandês fez várias intervenções no templo, a estátua foi toda coberta de ouro.

Templos de Ayutthaya: quais visitar?

Na verdade, todo esse templo foi reconstruído depois de um incêndio que acabou, praticamente, com tudo. Na época, infelizmente, pouca coisa do estilo original pode ser mantida.

Aqui, eu aproveitei para participar de um momento de meditação e de oração: me sentei em um banco das laterais do templo e, mesmo sem entender, repeti os mantras cantados por um dos monges. Foi um momento especial.

Wat Phra Si Sanphet

Se você já procurou na internet sobre essa cidade, certamente viu as três torres do Phra Si Sanphet, o maior e mais importante templo de Ayutthaya.

Mas, muito mais do que um lugar histórico, ele é um centro sagrado para os tailandeses – é muito importante lembrar isso.

Como ele fica dentro do antigo Palácio Real, somente os imperadores e quem ele autorizava podia entrar aqui.

Neste lugar, aconteciam as cerimonias reais e isso tudo servia para dar ao imperador a imagem de deus-rei, como a gente aprendeu nas aulas de História.

Quando os templos de Ayutthaya foram destruídos, esse foi um dos que mais foi danificado e, para piorar a situação, os imperadores posteriores aproveitaram as pedras e os materiais do templo para construir outros prédios na nova capital, Bangkok.

Inclusive, a imagem de buda com 16 metros de altura que ficava aqui foi levada para o Wat Phra Chetupon. Os três pagodes que a gente ainda vê no Phra Si Sanphet guardam as cinzas de vários governantes.

Templos de Ayutthaya: quais visitar?

Planeje sua viagem a Ayutthaya

Eu achei a energia desse lugar realmente incrível, especialmente, quando soube da história das cabeças de buda no Wat Mahathat. Então, claro, eu indico muito que você tire, pelo menos, um dia para conhecer Ayutthaya.

Como chegar

Se você for fazer apenas um bate-volta, como eu fiz, vale a pena contratar uma agência. Eu falo isso não apenas pela questão do transporte, mas porque você terá o acompanhamento de um guia e fará as paradas nos locais e horários certos.

Eu contratei a Mama Tour, que funciona na Khao San Road, a rua das comidas exóticas de Bangkok.

Dá para chegar aqui de ônibus, saindo do terminal Northern Bus – chamado por eles de Mo Chit Bus. As linhas 3, 77 e 99 fazem essa rota e a passagem custa cerca de THB 60. As partidas são a cada meia-hora.

De trem, a viagem começa na estação Hua Lamphong e dura cerca de 2h. A passagem na segunda classe custa THB 300, mas se você não se importar de viajar sem ar-condicionado e em pé, o bilhete da terceira classe sai por apenas THB 20.

Quanto custa

O preço normal do passeio é THB 600, mas os tailandeses são bons de negociação e eu consegui pagar THB 520. Isso incluiu o transporte, o guia, a entrada nos templos e o almoço. Como falei, eu contratei a Mama Tour, uma agência pequena que funciona logo no começo da Khao San Road, em Bangkok.

Lembrando que, se vier sem agência, será preciso pagar para entrar na maioria dos templos. O preço varia de THB 25 a 50 e em algumas épocas do ano – especialmente nos feriados religiosos – a entrada é gratuita.

Quando ir

Março e abril são os meses mais quentes. O calor é realmente insuportável e caminhar o dia inteiro sob o sol escaldante não é uma boa ideia. De maio a outubro é a estação chuvosa, e isso pode atrapalhar os seus planos. Uma boa época para conhecer os templos de Ayutthaya é de novembro a março, porque as chances de chover são poucas. Novembro é um excelente mês para programar sua viagem.

Informações Básicas

Visto

Brasileiros não precisam de visto para entrar na Tailândia e o período de permanência é de 90 dias. Esse prazo pode ser prorrogado por até um ano.

Documentos

Além do passaporte com validade de seis meses, você precisa ter outros documentos para entrar na Tailândia.

Dinheiro

A moeda tailandesa é o baht, identificado pela sigla THB e pelo símbolo ฿. Veja como usar seu dinheiro na Tailândia. 

Vacinas

O certificado de vacinação contra a febre amarela é obrigatório. Veja como solicitar o certificado pela internet.

Informações sobre covid-19

É muito importante saber que a Tailândia trata de forma diferente passageiros vacinados e não vacinados contra covid-19. Isso é um fato!

Para embarcar para a Tailândia, você precisará ter os seguintes comprovantes em mãos:

  1. Comprovante de vacinação contra covid-19, com duas doses, exigido apenas de viajantes vacinados – veja como emitir o comprovante nacional e internacional;
  2. Resultado negativo de teste RT-PCR negativo feito em até 72 horas antes do embarque, exigido de viajantes não vacinados;
  3. Certificado Internacional de Vacinação contra febre amarela (CIVP) – veja como solicitar o CIVP pela internet.

Quem estiver com o esquema de vacinação completo – com pelo menos duas doses –, não precisa apresentar qualquer teste para a doença, nem o RT-PCR nem o de antígeno, e também não precisa fazer quarentena.

Um detalhe sobre a vacinação é que a segunda dose  deve ter sido aplicada pelo menos 14 dias antes da viagem  e, claro, você precisará comprovar isso.

Eu já expliquei como solicitar o comprovante de vacinação contra covid-19 pela internet em português e inglês. É só conferir em Certificado de Vacinação contra covid-19.

Quem ainda não está com o esquema vacinal completo – o que eu considero lamentável – também pode viajar para a Tailândia sem muitas complicações no processo de entrada. Porém, é preciso ter atenção em alguns detalhes.

Um dos pontos mais importantes é que a quarentena só não é obrigatória se o viajante apresentar um teste RT-PCR negativo feito em até 72 horas antes do embarque.

RETORNO AO BRASIL

Viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

Seguro viagem

Apesar de não ser obrigatório, não é uma boa ideia viajar sem um seguro viagem com cobertura para covid-19.

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

CABEÇA DE BUDA

Antes de viajar para a Tailândia, eu não sabia que a cabeça de buda tem um simbolismo tão grande para os tailandeses. É que, quando os templos do país foram saqueados e destruídos depois das guerras, as cabeças dos budas foram roubadas e vendidas, como peça de decoração, ou destruídas na tentativa de achar o anel que, supostamente, um imperador havia escondido em uma delas.

Depois que entendi essa história, comecei a perceber que muitas esculturas mais antigas de buda estão sem cabeça. Por isso, comprar ou tatuar cabeças de buda, por exemplo, é algo ofensivo para o budismo tailandês.

Inclusive, nos aeroportos há avisos indicando que comprar, transportar e usar qualquer símbolo de buda como mercadoria, como peça decorativa, em tatuagem ou ter posse de uma cabeça – assim como qualquer outra peça do corpo – é errado e você pode ter complicações se transgredir essa regra.

Veja mais dicas da Tailândia

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas da Tailândia.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

2 Comentários

  1. Alexssander

    Oi Altier!
    Espetacular essa viagem a Tailândia!
    Fiquei com uma dúvida: A empresa que tu contratou para fazer o tour nos templos fica em Bangkok ou Ayutthaya? Onde fica a Khao San Road?
    Continue com essas belas viagens!
    Abraços!

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Alexssander.

      Eu contratei em Bangkok mesmo.
      A Khao San Road é a rua das conidas exóticas de lá.
      Vou acrescentar essa informação ao texto.
      Obrigado!

      Um abraço.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1