Pedra Caída: natureza e aventura na Chapada das Mesas, no Maranhão

20

Atualizado em 16 de agosto de 2020

A 37 quilômetros do centro de Carolina, no sul do Maranhão, e a seis da entrada do Parque Nacional da Chapada das Mesas, o Pedra Caída Satuário Ecológico é um daqueles lugares que a gente precisa conhecer no Brasil.

São 12.600 hectares destinados exclusivamente ao ecoturismo e ao turismo de aventura que proporcionam várias experiências diferentes.

CLIQUE PARA SABER MAIS SOBRE A CHAPADA DAS MESAS

O Parque Nacional da Chapada das Mesas foi criado em 2005 para proteger cerca de 160 mil hectares do Cerrado Maranhense – uma área que equivale a quase 160 mil campos de futebol, administrada pelo ICMBio.

Com formações rochosas exuberantes, o Parque ganhou esse nome por causa das montanhas de cumes achatados, moldadas há milhões de anos pela chuva e pelo vento.

Neste pedaço de terra tão privilegiado, a gente encontra cavernas, rios caudalosos, cânions, cachoeiras e piscinas naturais, atrações perfeitas para quem gosta de destinos ainda pouco explorados e um contato direto com a natureza bruta.

Entre as muitas cachoeiras, a de São Romão e a do Prata, que ficam dentro da área do Parque Nacional, são as mais impressionantes pela grandeza, mas as belezas dessa região parecem incontáveis.

O Morro do Chapéu, o Portal da Chapada e as cachoeiras gêmeas do Itapecuru entram na lista de lugares para visitar em Carolina, a cidade que é base para conhecer a Chapada das Mesas.

Além de Carolina, o Parque Nacional da Chapada das Mesas se estende até as cidades de Riachão e Estreito.

Em Riachão, a aproximadamente 135 quilômetros de Carolina, fica a Reserva Natural Cachoeira do Rio Cocal, uma propriedade privada por onde passa o rio Cocal, que forma quatro cachoeiras, entre elas a de Santa Bárbara, a mais alta da região, com 70 metros de queda.

Na Reserva também fica o incrível Poço Azul, que pelo nome já dá para imaginar do que se trata: uma piscina natural com água cristalina e azulada.

Outra maravilha da natureza que encontramos em Riachão é o Encanto Azul, um lago formado por uma nascente que brota entre paredões de rocha maciça e que ganha tons azulados com os raios solares que atravessam a mata.

Por isso, ele agrada a todo mundo: quem quer passar um final de semana com a família, quem curte explorar a natureza e aqueles que gostam de esportes de aventura.

Dê uma olhada nesta lista só para você ter uma ideia:

  • Piscinas com toboágua para as crianças se divertirem;
  • Trilhas e caminhadas na natureza para todas as idades;
  • Cachoeiras e cânions que impressionam pela beleza;
  • Uma das maiores tirolesas do Brasil, com 1.400 metros;
  • Hotel e restaurante com tudo que a gente precisa;
  • Avorismo, trekking, moutain bike e muito mais.

Cachoeira do Santuário

A todo são 25 cachoeiras, mas apenas sete podem ser visitadas: as outras ficam distantes e ainda não estão acessíveis.

A grande atração do Pedra Caída é a Cachoeira do Santuário, que tem esse nome porque tem uma beleza especial, escondida por gigantes paredões de rocha.

A cachoeira tem 46 metros de altura e tudo o que a gente vê ao redor foi moldado pela água durante anos – a estimativa é que esse processo de erosão tenha começado a cerca de 60 milhões de anos.

Só isso já faz esse lugar ser especial, não é mesmo?

Como falei, a cachoeira fica escondida e para chegar a ela, é preciso caminhar cerca de 600 metros por passarelas e rampas suspensas e atravessar o Cânion do Santuário com água até a cintura.

Chega a ser emocionante caminhar pelos paredões, que chegam a 50 metros, seguindo o som da cachoeira, que é a referência que nos guia.

A piscina que se forma na base da cachoeira tem quase dois metros de profundidade e uma espeça nuvem de água se espalha pelo ar o tempo todo: por isso, não reclame se não conseguir tirar aquela foto perfeita.

No caminho de volta da Cachoeira do Santuário a gente passa por uma ponte pênsil daquelas bem clássicas, sabe como é?

Chamada de Ponte do Pedro, ela atravessa os cânions e é preciso ter uma certa coragem para atravessá-la: se você tem medo de altura, é melhor não olhar para baixo.

Cachoeiras do Pedra Caída

A gruta da Cachoeira Caverna fica a seis quilômetros da sede do Pedra Caída, mas esse trajeto é feito de carro, e a gente só preciso caminhar mais 400 metros em passarelas suspensas e outros 30 metros com água na cintura para cruzar a caverna e chegar à cachoeira.

Boa parte da caminhada é feita em passarelas ecológicas para causar o menor impacto possível na natureza.

Distante três quilômetros da Cachoeira da Caverna está a Cachoeira do Capelão.

Ela tem 22 metros de altura e a piscina de águas tingidas em tons de azul que se forma aos seus pés chega a uma profundidade de quase cinco metros.

Então, não se arrisque se não souber nadar.

Para chegar a ela é preciso fazer uma pequena caminhada por um riacho com água na canela. Bem tranquilo para quem já atravessou o Cânion do Santuário.

A cachoeira recebeu esse nome porque há um casal de macacos capelão que mora nas proximidades. O passeio pelas Cachoeiras da Caverna e do Capelão custa R$ 40.

A Cachoeira do Garrote fica a 13 quilômetros da sede do Pedra Caída e dá para chegar a ela de carro.

A Cachoeira da Pedra Furada e a Cachoeira da Lua ficam a 1.700 metros e o percurso é feito caminhando por passarelas, como expliquei antes.

A Cachoeira do Brilho está a três quilômetros de caminhada – essa é a única que não tem passarela suspensa – e, portanto, é preciso ter mais cuidado, pois a trilha apresenta grande variação no relevo.

Atividades de aventura

Se você gosta de aventura e de sentir a adrenalina pulsando forte, não saia do Pedra Caída sem conhecer suas tirolesas.

A mais alta tem 1.400 metros de comprimento e está a 430 metros de altura.  É uma das maiores do Brasil – a maior fica na cidade de Pedra Bela, em São Paulo.

Ao se lançar do penhasco onde está instalada a estação de partida da tirolesa, você nem imagina o que lhe espera: a uma velocidade máxima de 100 km/h você vai se sentir como se estivesse voando sobre o Cerrado maranhense.

E tudo muito rápido, mas a sensação é tão boa que vai desejar fazer isso novamente.

Para chegar ao topo do morro de onde parte a tirolesa, há duas opções: a primeira é subir pela trilha que vai serpenteando as encostas do morro e, a outra, é usar o teleférico.

São 25 minutos de tranquilidade, contemplando a natureza, até chegar a 392 metros de altura.

É importante dizer que, para descer na tirolesa, você precisa ter mais que 13 anos e pesar menos que 150 quilos.

Além das tirolesas de 1.200 e 1.400 metros, você também pode fazer outros esportes de aventura, como arvorismo, moutain bike e trekking.

Como visitar o complexo da Pedra Caída

Quanto custa

A entrada no Completo da Pedra Caída custa R$ 60 e dá direito a desfrutar das piscinas naturais e artificiais, do toboágua e da área do restaurante.

Para visitar as cachoeiras e fazes esportes de aventura é preciso pagar à parte.

A trilha da Cachoeira do Santuário custa R$ 30, a das Cachoeiras Caverna e Capelão, R$ 50 e a da Cachoeira Pedra Furada, R$ 30.

Para descer na tirolesa mais alta, que tem 1.400 metros, é preciso pagar R$ 90. Se for usar o teleférico, o preço sobe para R$ 120.

Você pode ver a lista com todos os preços no site do Pedra Caída.

Quando ir

O Complexo da Pedra Caída funciona todos os dias, das 8h30 às 17h.

Se quiser curtir tudo com mais calma, uma boa opção é ficar hospedado dentro do Pedra Caída.

Como chegar

O complexo turístico da Pedra Caída fica a 37 quilômetros de Carolina, no Sul do Maranhão. A cidade é a base para os passeios da Chapada das Mesas.

Para chegar ao Pedra Caída, saindo de Carolina, é só seguir pela BR-230, a famosa Tansamazônica, em sentido a Estreito, outra cidade da região.

Todo percurso é asfaltado e a estrada está em boa condições.

Muitas áreas da Chapada das Mesas só podem ser visitadas em veículos 4×4, porque algumas estradas são de areia e outras viram um atoleiro na estação chuvosa.

Além disso, em algumas áreas, não há placas indicando o caminho. Por isso, é importante estar acompanhado de um guia local.

Eu fui muito bem atendido pela Cia do Cerrado, empresa pioneira em ecoturismo na região.

Informações Básicas
Quando ir | O melhor período para visitar a Chapada das Mesas é a estação seca, que vai de maio a setembro. Quando ir a Chapada das Mesas.
Como chegar | Você pode partir de Imperatriz, no Maranhão, ou de Araguaína, no Tocantins. Como chegar à Chapada das Mesas. 
Onde ficar | Carolina, no sul do Maranhão, é a cidade base para conhecer a Chapada das Mesas.  Onde se hospedar na Chapada das Mesas
Onde comer | A culinária da região tem aquele gostinho caseiro, perfeito para repor nossas energias. Onde comer na Chapada das Mesas.

Veja mais sobre a Chapada das Mesas

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se ainda tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo, e aproveite para ver outras dicas.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

20 Comentários

  1. Avatar

    Primeiramente, seu site é maravilhoso, parabéns!!
    Já fui a carolina, riachão e chapada das mesas… uma dica que deixo que é essencial.
    1. Leve óculos de mergulho (nem que seja o mais simples, aqueles de piscina mesmo)
    2. Se possível, uma uma máquina ou celular a prova d’água (aquelas capinhas de celular serve)
    3. Não deixe de ir do Encanto azul, posso azul(não lembro o nome) o que fica em riachão. Na minha opinião é o mais bonito. durante o dia fica cristalino e com o óculos, da pra ver anascente que tem em baixo.

    Vai deixar sua experiencia muito melhor e inesquecível.
    Boa viajem a todos!!

    • Altier Moulin

      Oi, Victor.

      Muito obrigado pelas dicas. Realmente um óculos de mergulho ajuda demais nas cachoeiras e nos lagos. Dá pra ver os peixinhos e as nascentes. Sem falar na capinha de celular, que garante aquelas fotos maneiras.

      Um abraço.

  2. Avatar

    Esse lugar e sua região, com essas Cachoeiras Maravilhosas, é a prova viva que o Maranhão tem muita natureza linda a se desfrutar. Viva o nosso Brasil!!!

Escreva um comentário