Carolina, no Maranhão: conheça a cidade da Chapada das Mesas

33

Atualizado em 12 de agosto de 2020

A cidade de Carolina, no Maranhão, é chamada carinhosamente de Paraíso das Águas porque já foram encontradas 89 cachoeiras e mais de 400 nascentes eu seu território.

Para você ter uma ideia, só no Complexo da Pedra Caída, que visitei quando estive na cidade, estão 25 quedas d’água. Você pode conferir isso em: Cachoeiras de Carolina, no Maranhão.

Embora as cachoeiras de Carolina já tenham fama nessa região, a cidade ganhou mais visibilidade por ser o principal ponto de apoio para os viajantes que querem conhecer a Chapada das Mesas.

Carolina, no Maranhão: conheça a cidade da Chapada das Mesas

Carolina fica a 800 quilômetros de São Luís, no sul do Maranhão, numa região de natureza e relevo exuberantes onde foi criado o Parque Nacional em 2005. Recentemente começou a se despontar como atrativo turístico no cenário nacional e internacional.

→ Onde se hospedar na Chapada das Mesas

Mas se você pensa que a história desta cidade é também recente, isso é um engano. Carolina, que cresceu às margens do Rio Tocantins, já foi uma das cidades mais movimentadas do Maranhão. A atividade econômica daqui se comparava à da capital, São Luís.

Carolina, no Maranhão: conheça a cidade da Chapada das Mesas

Um exemplo de que Carolina é uma cidade de vanguarda é que aqui, como contam seus moradores, foi construída a primeira hidrelétrica das Regiões Norte e Nordeste, ainda na década de 1950.

Carolina, no Maranhão: conheça a cidade da Chapada das Mesas

E não é só isso. Carolina esteve na rota da imperatriz Maria Leopoldina de Áustria, uma das esposas de Dom Pedro I, que inclusive ficou hospedada na cidade.

Em homenagem a tal fato, o povoado que se chamava São Pedro de Alcântara recebeu um dos nomes da arquiduquesa.

Carolina, no Maranhão: conheça a cidade da Chapada das Mesas

Dessa época, ainda resta o casarão que abrigou a imperatriz. Ele fica bem perto da Avenida Getúlio Vargas, a mais tradicional da cidade, no Centro Histórico. O centro de Carolina é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN.

Essa região tem mais de 500 construções em estilo colonial – entre elas a Igreja Matriz – e diversos monumentos que retratam a história desse povo desde a época colonial até os tempos modernos.

Como conhecer Carolina, na Chapada das Mesas

Quando ir

Esta região do Nordeste tem basicamente duas estações: inverno e verão. O inverno, que é a estação chuvosa, vai de outubro a abril. O verão, a estação seca, vai de maio a setembro.

Essa é a época ideal para visitar Carolina e conhecer os atrativos da Chapada das Mesas. O aniversário de Carolina é no dia 8 de julho e na primeira semana do mês acontecem os festejos na cidade.

Como chegar

Você tem várias opções para chegar a Carolina e eu explico todos os detalhes em: Como chegar a Chapada das Mesas.

Onde ficar

A Pousada do Lajes é uma das melhores opções de Carolina. Ela fica a apenas dois quilômetros do Centro e tem uma estrutura rústica, bem coerente com a paisagem natural que você vê ao redor.

Carolina, no Maranhão: conheça a cidade da Chapada das Mesas

As diárias aqui incluem um delicioso café da manhã com frutas e outras iguarias locais. Os quartos são equipados com ar condicionado e a piscina é ideal para nos refrescar do sol quente do Maranhão.

Veja todas as minhas sugestões em: Onde se hospedar na Chapada das Mesas.

Onde comer

Já na entrada de Carolina, a Churrascaria Estrela do Sul oferece um bom cardápio com opções para todos os bolsos.

O Restaurante Rio Lajes, que fica em frente à Pousada do Lajes, tem refeições fartas e bem saborosas – com aquele gostinho caseiro, sabe?. No almoço e no jantar eles servem peixe frito, galinha caipira e carne de sol acompanhados de arroz, feijão, salada e farofa. Hóspedes da Pousada têm desconto.

O restaurante Chega Mais fica no Rio Tocantins e tem opções como pizza, mariscos, massa e carnes grelhadas. É tudo muito simples, mas agradável. Eu comi uma picanha na chapa acompanhada de arroz, farofa, feijão tropeiro, salada e batata frita.

Uma opção para suas noites é a Pizzaria Tio Pepe, que funciona na Praça Jose Alcides de Carvalho. Aqui você pode acompanhar o movimento da cidade enquanto come pizza, lanche ou uma boa massa.

Bancos

A cidade tem agências do Bradesco, do Banco do Brasil, do Banco da Amazônia e lotéricas. Não há Banco 24Horas.

Telefone e Internet

Celulares da Tim, Vivo e Oi funcionam bem. A internet na maioria dos lugares é a rádio e nem sempre funciona.

Informações Básicas
Quando ir | O melhor período para visitar a Chapada das Mesas é a estação seca, que vai de maio a setembro. Quando ir a Chapada das Mesas.
Como chegar | Você pode partir de Imperatriz, no Maranhão, ou de Araguaína, no Tocantins. Como chegar à Chapada das Mesas. 
Onde ficar | Carolina, no sul do Maranhão, é a cidade base para conhecer a Chapada das Mesas.  Onde se hospedar na Chapada das Mesas
Onde comer | A culinária da região tem aquele gostinho caseiro, perfeito para repor nossas energias. Onde comer na Chapada das Mesas.

Veja mais sobre a Chapada das Mesas

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se ainda tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo, e aproveite para ver outras dicas.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um viajante apaixonado pelas coisas desse mundo. Um jornalista que adora contar boas histórias e compartilhar informações de viagem. Meu propósito de vida é ajudar outras pessoas a conhecerem lugares novos e a viverem experiências inesquecíveis.

33 Comentários

  1. Avatar
    fernando araujo on

    Dicas muito boas e roteiros muito parecidos com o que fiz. Para quem não foi, recomendo visitar as cachoeiras do poço azul e encanto azul, elas ficam em um hotel distante 18km de riachão, tem estrutura boa e um bom restaurante no local. Sou cearense, mas depois dessa viagem fiquei mais louco pelo Maranhão, pois não tem nada parecido com o norte do estado.

  2. Avatar
    Anderson Guttemberg on

    Parabéns pelo blog!

    Moro em Imperatriz e não conheço a Chapada das Mesas, mas vejo que vale muito a pena e visitarei em agosto.

    Abraço!

Escreva um comentário