Como visitar Machu Picchu: o destino mais imperdível do Peru – com preços

22

Atualizado em 28 de junho de 2022

Como visitar Machu Picchu

Tenho certeza de que você já ouviu muitas coisas boas sobre Machu Picchu, o destino mais famoso do Peru. Os mistérios da Cidade Perdida dos incas atraem viajantes do mundo todo e, provavelmente você é um deles, mas você sabe como visitar Machu Picchu?

Se a sua resposta é não, eu posso ajudar com  muitas informações práticas e essenciais  para você planejar uma viagem sem riscos de dar errado.

Para começar, este é o check list que você precisa para visitar Machu Picchu:

  • Reservar o transporte de Cusco para Machu Picchu;
  • Escolher qual roteiro fazer antes de comprar os ingressos;
  • Comprar os ingressos com antecedência;
  • Contratar um guia credenciado – não é permitido entrar sem guia;
  • Ter em mãos o ingresso e seu documento de identificação;
  • Obedecer às regras e restrições legais.

Antes de prosseguir com as dicas, eu acho essencial que você entenda um pouco sobre o que foi o Império Inca.

Entenda o Império Inca

Os domínios do Império Inca se estendiam à região que hoje conhecemos como Peru, Equador, Bolívia e norte da Argentina e do Chile.

Esse estado-nação era governado por um imperador que era considerado divino e reconhecido como o Filho do Sol.

Foi durante o reinado do imperador Pachacuti que os incas expandiram os seus domínios, tornando-se uma das maiores e mais importantes civilizações das Américas.

De acordo com o que contam os historiadores, o Império Inca teve início no século 7. Na época, sua capital era a cidade de Cusco –  que na língua quéchua significa Umbigo do Mundo  – a cidade mais importante do Império.

A civilização inca não desenvolveu uma escrita, e para o registro de cálculos matemáticos eles usavam um feixe de cordas com nós chamado quipi.

A arquitetura inca era voltada, principalmente, para a construção de templos religiosos. A maioria dessas edificações foi feita sem o uso de argamassa, por isso os blocos de pedras eram encaixados perfeitamente.

A agricultura inca era extremamente desenvolvida. Os degraus formados nas encostas das montanhas, chamados de terraços, eram utilizados para ampliar a área de cultivo. Além disso, canais de irrigação foram construídos para desviar os cursos dos rios.

Como visitar Machu Picchu

As pesquisas agrícolas desenvolvidas por eles chegaram a criar centenas de tipos de batata, tornando-as mais resistentes às diferentes condições climáticas da Cordilheira dos Andes.

Além disso, eles plantavam feijão e milho, esse último considerado um alimento sagrado.

A sucessão do império não raramente gerava disputas entre os próprios membros da família imperial, mas quando os espanhóis invadiram a região inca, os irmãos Atahualpa e Huascár brigavam pelo trono.

Enfraquecidos pela luta interna, eles foram surpreendidos e derrotados pela expedição militar comandada por Francisco Pizarro.

HISTÓRIA DE MACHU PICCHU

O povoado de Machu Picchu – Llaqta de Machu Picchu, na língua quéchua – é um dos maiores tesouros da arquitetura inca. Ele foi descoberto em 1911 e revelou toda a eficiente estrutura urbana dessa sociedade.

Entretanto, segundo historiadores, a cidade sagrada de  Machu Picchu não chegou a ser totalmente construída. 

A principal tese defendida é que ela teria sido alcançada e invadida pelos espanhóis antes que todos os prédios fossem erguidos. Especula-se, ainda, que nela funcionava um importante centro de treinamento dos incas, uma espécie de universidade, nos dias atuais.

Machu Picchu fica no vale do Rio Urubamba e esconde muitos mistérios ainda não revelados. Alguns deles são as ferramentas utilizadas para esculpir as pedras e como elas eram transportadas até o alto dos montes.

Muitas pessoas afirmam que a cidade inca tem uma energia especial.

A aclamada atriz Fernanda Montenegro, fazendo uma alusão a essa energia transformadora que emana das ruínas perdidas, certa vez disse que “existe um antes e um depois na vida de qualquer pessoa que visita Machu Picchu”.

Por essas características que a fazem tão especial, pelas obras e pela localização geográfica, Machu Picchu foi reconhecida como Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1987 e eleita umas das Sete Maravilhas do Mundo Moderno em 2007.

Como visitar Machu Picchu

Quando estive em Machu Picchu, percebi o tanto que este é um lugar especial. Além do fato de estar rodeada por uma imensa floresta preservada e encravada nas montanhas da Cordilheira dos Andes, a cidade inca tem algo misterioso, e para isso não existe uma explicação lógica.

É algo que a gente sente e cada pessoa sente de sua maneira diferente.

Depois que voltei da viagem – que foi incrível –, eu percebi que poderia ter feito algumas coisas diferentes para aproveitar melhor. Uma dessas coisas foi escolher a época certa para visitar Machu Picchu.

Eu viajei no mês de janeiro porque este era o meu período de férias e eu sabia que contaria com a sorte para não pegar chuva nas ruínas – e não peguei –, mas não posso dizer que o dia estava ensolarado.

Outra coisa que me fez refletir sobre a viagem a Machu Picchu é que a gente sempre vê fotos lindas e sem ninguém. Isso dá a falsa impressão de que todo o antigo povoado inca fica vazio a maior parte do tempo, mas a coisa não é bem assim.

Sempre terá gente andando pelas ruínas, especialmente na alta temporada.  Claro que este é um fato que não podemos evitar – para minimizar isso, uma boa alternativa é ir nos primeiros horários.

→ Onde ficar em Cusco

Eu estou contando isso para você entender que pequenos detalhes mudam completamente a percepção que temos de um lugar. Esses mesmos detalhes podem fazer nossa viagem ser um sucesso ou um fracasso.

Por isso, é muito importante que você entenda como visitar Machu Picchu antes de começar a viagem.

COMO CHEGAR

O ponto de partida para visitar Machu Picchu, depois que você já estiver em solo peruano, é Cusco, cidade histórica considerada a capital do Império Inca.

A partir de Cusco, as únicas formas seguras de chegar às ruínas são de trem ou a pé. Isso porque, não há estradas em boas condições que nos levem a Machu Picchu de carro ou de ônibus.

Você pode até ter lido algo sobre ir a Machu Picchu de carro ou com vans. Só que essas opções são ilegais e não dá para viajar correndo risco, concorda?

DE TREM

Diferente do que acontecia anos atrás, chegar à Cidade Perdida está muito mais fácil: basta tomar um trem na estação São Pedro, a poucos quarteirões da Plaza de Armar, a principal dede Cusco, e descer em Águas Calientes, a estação de Machu Picchu.

As partidas são pela manhã, começando às 6h40, com a Peru Rail – única empresa que opera a roda atualmente – e as passagens custam entre USD 62 e 486. A viagem dura cerca de 3h30.

Como visitar Machu Picchu

A um quarteirão da estação de Águas Calientes fica o terminal de onde partem os ônibus para Machu Picchu. Eles saem a cada 15 minutos e você pode comprar o bilhete no mesmo lugar.

A passagem custa USD 24, ida e volta. São 30 minutos de ônibus até a entrada de Machu Picchu.

TREKKING

Para os mais aventureiros, é possível chegar à cidade inca em uma caminhada de quatro dias. Nessa modalidade, a entrada em Machu Picchu é feita pela porta do Sol, no topo da montanha.

O Caminho Inca tem 45 quilômetros e os pernoites são feitos em acampamentos.

Você também pode fazer a trilha curta de duas maneiras: em dois dias, com pernoite no alojamento próximo às ruínas de Winay Wayna, chegando à porta do sol pela manhã; ou caminhar doze quilômetros em um único dia, chegando a Machu Picchu no final da tarde.

QUANDO IR

A melhor época para visitar Machu Picchu é entre os meses de abril a outubro, quando quase não chove, mas, em compensação, as temperaturas são bem mais baixas.

Os melhores meses são, exatamente, junho e julho.

A temporada de chuva começa em outubro e os meses que mais chovem vão de dezembro a março.

Você deve separa, no mínimo, um dia inteiro para visitar Machu Picchu.

A maioria dos turistas faz um bate-volta saindo de Cusco. Isso é totalmente possível dependendo de quais os seu planos.

Para não ter problemas, é muito importante planejar os detalhes com atenção: horário de ida, de volta, horários dos passeios e tudo mais.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

Para entrar no sítio arqueológico de Machu Picchu é preciso ter em mãos o ingresso e um documento de identificação, que pode ser o passaporte ou a carteira de identidade – isso vale para viajantes de todas as idades.

Se estiver com seu passaporte, não se esqueça de pegar o carimbo com o símbolo de visita a Machu Picchu.

GUIA É OBRIGATÓRIO

Não é mais permitido entrar em Machu Picchu sem estar acompanhado de um guia de turismo credenciado.

A visita guiada é indispensável – além de ser obrigatório – por que ouvir as explicações de profissionais experientes faz toda a diferença.

Em média, a visita dura entre duas e três horas, dependendo do circuito e do grupo.

Como visitar Machu Picchu

É possível contratar o serviço com antecedência, em uma das agências de Cusco ou em Águas Calientes, ou na entrada de Machu Picchu.

Vale ressaltar que o guia é obrigatório apenas para a Llaqta de Machu Picchu.

Preços e tipo de ingressos disponíveis

Diariamente, apenas 2.500 visitantes podem subir até a Llaqta de Machu Picchu. Para o Caminho Inca são permitidos apenas 500 viajantes.

Para subir a Huayna Picchu e Huchuy Picchu, e ter aquela visão espetacular de cima de Machu Picchu, somente 200 autorizações são concedidas a cada dia. Para a Montanha de Machu Picchu o número é bem menor: apenas 50 autorizações por dia.

O horário de entrada é pré-estabelecido e aparece impresso no ingresso. Você tem até 60 minutos para entrar em Machu Picchu a partir dele. Por exemplo: se o seu ingresso é de 1h às 14h, você pode entrar em qualquer horário entre 13h e 14h.

Como visitar Machu Picchu

 Os ingressos são válidos apenas para o dia e horário selecionados  no momento da compra. Então, não é possível entrar antes nem depois.

Cada tipo de ingresso permite que você fique um tempo diferente dentro do complexo de Machu Picchu, mas raramente você será solicitado a sair se exceder este horário.

Antes de comprar o seu ingresso, você precisa escolher qual ou quais partes de Machu Picchu deseja conhecer.

Pedidos de reembolso podem ser feitos pelo e-mail callcenter@culturacusco.gob.pe.

TIPOS DE INGRESSOS E PREÇOS

Atualmente, quatro tipos de ingressos estão disponíveis:

TIPO DE INGRESSO PREÇO
Llaqta de Machu Picchu S/. 152
Machu Picchu (Circuito 4) e Huayna Picchu S/. 200
Machu Picchu (Circuito 3) e Montanha Machu Picchu S/. 200
Machu Picchu (Circuito 4) e Huchuy Picchu S/. 152

Cada um dos ingresso permite conhecer áreas diferences do complexo arqueológico e natural de Machu Picchu. Veja com atenção o que você poderá experimentar em cada um deles.

ONDE COMPRAR OS INGRESSOS

A maneira mais prática de comprar os ingressos com antecedência é pelo site do Ministério da Cultura.

Se já estiver em Cusco, você pode ir pessoalmente a um dos escritórios do Ministério, que ficam na Rua Maruri, 340 e na Rua Garcilaso, s/n, ou em uma agência de turismo da cidade – elas podem ajudar no caso dos ingressos terem acabado no site.

Mas, lembre-se de que comprar com antecedência é importantíssimo para conseguir o dia e horário que deseja.

1. LLAQTA DE MACHU PICCHU

Com este ingresso você poderá visitar apenas o povoado de Machu Picchu – llaqta significa povoado em quéchua.

Somente com este ingresso você poderá escolher um dos quatro circuitos dentro da Llaqta de Machu Picchu.

Você pode ver o mapa dos circuitos antes de decidir:

Lembrando que o ingresso dá direito a escolher apenas um dos circuitos por horário. Se quiser conhecer mais de um circuito, será preciso comprar outros ingressos.

Os circuitos incluem as principais partes do antigo povoado: você verá templos, terraços, casa, canais de água e muitas outras estruturas que não foram concluídas e, por isso, permanecem como mistérios.

Nos circuito 1 e 2, é possível caminhar até a Ponte Inca e até a Porta do Sol.

HORÁRIOS DE ENTRADA

Os ingressos são vendidos com horário pré-determinado e há um limite de visitantes por horário. Veja os horários disponíveis:

  • 6h-7h;
  • 8h-9h;
  • 8h-9h;
  • 9h-10h;
  • 10h-11h;
  • 11h -12h;
  • 12h-13h;
  • 13h-14h;
  • 14h-15h.

Depois de entrar no povoado, onde estão as principais ruínas, você pode permanecer por até quatro horas.

Apenas 300 viajantes podem entrar em cada horário. Por isso, eu sugiro comprar o ingresso o quanto antes e nunca deixar para fazer isso na última hora.

O ingresso Llaqta de Machu Picchu não tem restrição de idade, sendo perfeito para quem viaja com crianças.

2. MACHU PICCHU (CIRCUITO 4) E HUAYNA PICCHU

Este ingresso permite subir a mágica montanha Huayna Picchu – também conhecida como Wayna Picchu – e fazer o circuito 4 da Llaqta de Machu Picchu.

O pico de Huayna Picchu está a 2.693 metros acima do nível do mar e subir até ele é um das aventuras mais incríveis que você pode fazer dentro do sítio de Machu Picchu.

É importante saber que, para subir Huayna Picchu e ter aquela visão espetacular de cima de Machu Picchu, somente 200 autorizações são concedidas a cada dia – e elas esgotam muito rápido.

Como visitar Machu Picchu

Por isso, e extremamente aconselhável comprar o ingresso com dois meses de antecedência. Na alta temporada, de abril a outubro, será preciso fazer esse processo pelo menos três meses antes da vigem.

Então, nada de deixar para comprar o ingresso quando chegar a Cusco.

Também é bom que você saiba que só é permitido a entrada de maiores de 12 anos em Huayna Picchu.

Foto: James Evans

Este ingresso, além de permitir conhecer muitos lugares interessantes dentro do antigo povoado inca, dá direito a conhecer o Templo da Lua, o único que fica dentro de uma caverna.

Ele é uma das construções mais rica em detalhes e uma das mais bem preservadas de Machu Picchu.

Só que, para chegar ao Templo da Lua,  você deve caminhar por mais cerca de duas a partir do topo de Huayna Picchu. 

Apesar de não ser obrigatório estar com um guia para entrar em Huayna Picchu, eu não aconselho fazer o percurso sem um profissional. É possível contratar um guia nas agências de Cusco ou na entrada de Machu Picchu.

HORÁRIOS DE ENTRADA

A visita com este ingresso é feita exclusivamente em grupos. Geralmente, ela começa com o Circuito 4 do povoado de Machu Picchu e, depois, a subida a Huayna Picchu.

Neste esquema, cada visita tem duração média de uma hora – duas horas no total.

Os horários são bem reduzidos e, atualmente, somente estes estão disponíveis:

  • Machu Picchu, 6h-7h, e Huayna Picchu, 7h-8h;
  • Machu Picchu, 7h-8h, e Huayna Picchu, 8h-9h;
  • Machu Picchu, 8h-9h, e Huayna Picchu, 9h-10h;
  • Machu Picchu, 9h-10h, e Huayna Picchu, 10h-11h.

Depois da entrada, é permitido ficar no sítio por até seis horas.

3. MACHU PICCHU (CIRCUITO 3) E MONTANHA MACHU PICCHU

Este ingresso permite conhecer o Circuito 3 da Llaqta de Machu Picchu e subir a Montanha de Machu Picchu – um atrativo que foi aberto ao público não faz muito tempo.

A montanha tem seu topo a 3.082 metros acima do nível do mar e a caminhada até lá  é bastante íngreme, mais longa e mais cansativa do que a trilha de Huayna Picchu. 

Diferentemente de Huayna Picchu, não há construções incas na Montanha de Machu Picchu. O espetáculo é mesmo a paisagem que temos de toda a área de Machu Picchu.

Como visitar Machu Picchu

São apenas 50 autorizações para subir a Montanha de Machu Picchu por dia.

Isso significa, que se quiser conhecer este lugarzinho tão privilegiado, você precisará compra o ingresso com antecedência.

HORÁRIOS DISPONÍVEIS

A visita com este ingresso também é feita exclusivamente em grupos e há apenas duas opções de horário.

  • Machu Picchu (Circuito 3), 6h-7h, e Montanha Machu Picchu, 7h-8h.
  • Machu Picchu (Circuito 3), 7h-8h, e Montanha Machu Picchu, 8h-9h.

Depois de entrar na trilha, você pode permanecer por até sete horas.

Não há limite mínimo de idade para acessar a trilha e não é obrigatório estar acompanhado de guia.

4. MACHU PICCHU (CIRCUITO 4) E HUCHUY PICCHU

Este ingresso dá acesso ao Circuito 4 da Llaqta de Machu Picchu e à montanha Huchuy Picchu – este roteiro é bem novo.

Huchuy Picchu é a menor montanha dos arredores de Machu Picchu e seu topo alcança 2.497 metros acima do nível do mar.

A trilha que leva até seu ponto mais alto é curta – tem um quilômetro – e dura cerca de uma hora, porque  é intensa e exige um certo preparo físico  – como todas as outras.

Como visitar Machu Picchu

HORÁRIOS DISPONÍVEIS

A visita com este ingresso é feita exclusivamente em grupos. Geralmente, ela começa com o Circuito 4 do povoado de Machu Picchu e, depois, vem a subida a Huchuy Picchu.

  • Machu Picchu (Circuito 4), 6h-7h, Huchuy Picchu, 7h-8h;
  • Machu Picchu (Circuito 4), 7h-8h, Huchuy Picchu, 8h-9h;
  • Machu Picchu (Circuito 4), 8h-9h, Huchuy Picchu, 9h-10h;
  • Machu Picchu (Circuito 4), 9h-10h, Huchuy Picchu, 10h-11h;
  • Machu Picchu (Circuito 4), 10h-11h, Huchuy Picchu, 11h-12h;
  • Machu Picchu (Circuito 4), 11h-12h, Huchuy Picchu, 12h-13h;
  • Machu Picchu (Circuito 4), 12h-13h, Huchuy Picchu, 13h-14h;
  • Machu Picchu (Circuito 4), 13h-14h, Huchuy Picchu, 14h-15h.

Depois da entrada, é permitido ficar na trilha por até seis horas.

Apenas 200 autorizações são emitidas por dia para subir a montanha Huchuy Picchu, sendo no máximo 25 pessoas em cada grupo.

É proibido em Machu Picchu

É muito importante seguir as regras de visitação ao sítio arqueológico de Machu Picchu. Como já falei, o lugar é considerado Patrimônio da Humanidade, umas das Sete Maravilhas do Mundo Moderno e o principal destino turístico do Peru.

Além disso,  Machu Picchu é sagrado para os povos tradicionais peruanos  e, por isso, merece todo o nosso respeito.

Como visitar Machu Picchu

Como você pode imaginar, as ruínas do povoado e as montanhas ao redor são vigiadas dia e noite, inclusive por funcionário à paisana – sem uniforme. Os guardas do Ministério da Cultura e os agentes da Polícia Nacional são as autoridades que atuam dentro do monumento.

Se descumprir as regras, poderá ser impedido de entrar ou se expulso imediatamente sem direito a ressarcimento. Casos mais graves podem render multas e problemas sérios com as autoridades peruanas.

Então, veja o que é proibido em Machu Picchu:

  1. Mochilas, bolsas ou bolsas maiores que 40x35x20 cm;
  2. Comida e utensílios de cozinha;
  3. Qualquer substância ilegal ou estar sob seus efeitos;
  4. Qualquer tipo de bebida alcoólica ou estar embriaga;
  5. Bengalas, guarda-chuvas, assentos portáteis, tripés, suportes ou extensões para câmeras e celulares ou qualquer outro elemento de estabilização ou extensão para filmagem e fotografia;
  6. Animais, exceto cães-guia;
  7. Alimentar animais selvagens;
  8. Qualquer tipo de aerossol;
  9. Qualquer tipo de grafite;
  10. Qualquer tipo de instrumento musical, megafone ou alto-falantes;
  11. Barulhos altos ou irritantes como palmas, gritos, assobios ou cantos, entre outros;
  12. Sapatos de salto alto;
  13. Carrinho de bebê;
  14. Objetos cortantes e armas de qualquer tipo;
  15. Faixas, cartazes, estandartes, roupas destinadas a fins publicitários, fantasias, entre outros objetos desse tipo;
  16. Produção de filmes ou fotografias para fins publicitários;
  17. Causar tumulto, pular, deitar, correr, despir ou criar desordem;
  18. Subir ou apoiar em paredes eu estruturas;
  19. Perturbar, coletar ou extrair flora ou fauna;
  20. Distorcer o caráter sagrado da Llaqta de Machu Picchu, como desfiles de moda, bailes, compromissos sociais, atos obscenos contrários à moral e aos bons costumes ou qualquer tipo de atividade que implique a deterioração ou deterioração do monumento, seu ambiente natural e instalações;
  21. Fumar, vaporizar ou realizar qualquer tipo de incêndio;
  22. Jogar lixo de qualquer tipo;
  23. Não respeitar os circuitos e percursos estabelecidos;
  24. Comércio ambulante no monumento e espaços envolventes até a Puente Ruinas;
  25. Sobrevoos com parapentes, drones ou qualquer tipo de equipamento menor.

Onde ficar em Cusco e Machu Picchu

Como já expliquei, Cusco é a cidade base para quem quer visitar Machu Picchu.

Por isso, a maioria dos viajantes escolhe ficar hospedado na cidade, que  tem uma excelente estrutura hoteleira,  ótimos restaurante, bares e vida noturna animada, sem falar de toda a História que é pulsante por onde quer que a gente caminhe.

Antes de de fazer a reserva, eu acho importante que você entenda mais algumas coisas sobre a cidade.

A mais importante delas é que Cusco fica na Cordilheira dos Andes e, portanto, você deve imaginar que há muitas ladeiras: uma boa comparação é Ouro Preto, em Minas Gerais.

É um sobe e desce o tempo todo. Embora, eu realmente ache que, na parte do Centro Histórico, a gente sente menos isso.

Onde ficar em Cusco

Só que o grande problema é que  Cusco está a 3.399 metros acima do nível do mar  e isso nos deixa mais cansados que o normal, porque acabamos levando menos oxigênio para os pulmões cada vez que respiramos.

→ Aprenda se prevenir o mal de altitude

Além disso, é importante saber que o Centro Histórico não é grande e que as atrações acabam ficando concentradas em uma pequena parte – levando em consideração o tamanho da cidade.

Melhores bairros e hotéis de Cusco

Sem dúvida alguma, o melhor bairro para ficar em Cusco é o Centro Histórico.

É que, como falei, ele concentra várias atrações históricas e serviços que a gente sempre precisa: mercados, restaurantes, farmácias, bancos, caixas eletrônicos, agências de turismo e muito mais.

Enfim, é nas ruas do  Centro Histórico  que as coisas acontecem.

Eu realmente acho que ficar nas áreas mais afastadas do Centro é furada. Porque, além de não serem visualmente bonitas, ficando nessas áreas, você vai ter que se preocupar com deslocamentos o tempo todo.

O que você pode fazer, se tiver tempo, é  tirar um dia para conhecer as áreas mais afastadas  do Centro. Isso é perfeito para viajantes que gostam de conhecer a vida de quem mora na cidade para entender melhor o dia a dia das pessoas.

Se quiser outra opção, eu indico o San Blás. Ele é um bairro vizinho do Centro Histórico e muito conhecido pela vida boêmia e cultural. Nele, funcionam muitos bares, várias lojas de artesanato, alguns cafés e há opções de hospedagem interessantes.

Só é importante lembrar que as ruas do San Blás são bem estreitas – não passa carro em muitas delas – e há bastante escadarias. Isso pode ser um problema para quem estiver com muita bagagem.

Centro Histórico

Agora que você já entendeu onde ficar em Cusco, eu vou mostrar os hotéis e hostels que mais gosto na cidade. No final, eu mostro os apartamentos mais interessantes também.

Eles têm estilos e preços diferentes. Mas, o ponto em comum, é que têm uma localização que facilitará sua vida.

CASA ANDINA CUSCO PLAZA

O Casa Andina Classic Cusco Plaza fica no Centro Histórico, perto de tudo. O prédio colonial tem uma decoração rústica que é a cara da cidade e alguns quartos têm vista para a Plaza de Armas. Isso significa que dá para ir andando até as principais atrações de Cusco.

Onde ficar em Cusco

Os quartos são espaçosos, confortáveis e bem decorados, o café da manhã é ótimo, com muitas variedades, e o atendimento é super elogiado. É por isso, também, que o hotel tem a melhor avaliação do custo-benefício de Cusco.

NOVOTEL CUSCO

O Novotel Cusco está no coração da cidade. Ele funciona em um prédio do século 16 e tem quartos super espaçosos, restaurados e bem decorados, a apenas três quarteirões da Plaza de Armas. Isso é um ponto muito positivo.

Onde ficar em Cusco

O pátio interno do hotel é sensacional – é bom pedir um drinque, sentar e ficar admirando sua arquitetura. Tem, ainda, o restaurante La Cave, que tem um menu com especialidades locais e internacionais. É uma excelente escolha para ficar em Cusco.

LORETO BOUTIQUE

Esta é uma das melhores opções para você que ainda não decidiu onde ficar em Cusco. O Loreto Boutique Hotel fica a apenas dez metros da Plaza de Armas e tem quartos confortáveis, que nem parecem estar em um edifício construído no período dos incas.

Onde ficar em Cusco

O hotel é super bem cuidado, sempre limpo e cheiroso: isso vale para os quartos e para as áreas comuns. Há internet em todas as áreas, serviços de traslado e passeios podem ser agendados na recepção, que funciona 24 horas.

MAYTAQ WASIN BOUTIQUE HOTEL

O Maytaq Wasin Boutique Hotel fica a uns 250 metros da Plaza de Armas, o coração de Cusco. O hotel é super aconchegante e tem uma decoração moderna, mas que preserva traços da cultura inca.

Onde ficar em Cusco

Os quartos são espaçosos, com camas grandes e acolhedoras, e os lençóis e travesseiros são de primeira linha. A maioria dos quartos tem vista para a cidade. O atendimento é sempre muito elogiado, o que deixa tudo ainda melhor, não é verdade?

ANAHUARQUE HOTEL BOUTIQUE

O Anahuarque Hotel Boutique é um hotel pequeno, com poucos quartos e, por isso, o atendimento é super personalizado. E, ainda assim, tem um custo-benefício muito interessante.

Onde ficar em Cusco

A localização é muito boa, a poucos passos da Plaza de Armas, onde estão muitos bares, restaurantes e agências que fazem passeios na região. Se precisar de alguma informação, o pessoal da recepção sempre estará disposto a ajudar.

RAMADA BY WYNDHAM COSTA DEL SOL CUSCO

O Ramada by Wyndham Costa Del Sol Cusco funciona em um casarão do século 17 e tem um ambiente ótimo, com funcionários muito atenciosos e que fazem de tudo para nos agradar. Isso a gente percebe na hora do check-in, no café da manhã, que é delicioso e em tudo mais.

Onde ficar em Cusco

Ele também fica bem perto da Plaza de Armas e tem acesso fácil a todas as áreas da cidade. Isso significa que você vai aproveitar melhor seu tempo conhecendo o Centro Histórico. Os quartos são fantásticos, e alguns ambientes lembram o tempo colonial. É demais!

CASA MATARA BOUTIQUE

O Casa Matara Boutique tem um estilo muito acolhedor, com tudo sempre muito limpo e organizado. O café da manhã é servido na medida, com boa variedade de pães, chás e tudo mais. Esses são apenas alguns atributos que fazem ele ter uma nota de avaliação tão alta.

Onde ficar em Cusco

Os quartos são ótimos, espaçosos e as camas são muito confortáveis. Todos os funcionários são muito atenciosos e simpáticos, e isso faz toda diferença. Como fica um pouco mais afastado da Plaza de Armas, costuma ter diárias mais em conta.

CASA ANDINA PREMIUM CUSCO

O Casa Andina Premium Cusco tem tudo que um cinco estrelas precisa. Ambientes super bem decorados, profissionais qualificados e super atenciosos, limpeza criteriosa e tudo mais. É por isso que ele é tão disputado por turistas do mundo inteiro.

Onde ficar em Cusco

Os quartos são muito espaçosos, com diversas categorias, e o pátio interno é magnífico, revelando a preciosa arquitetura do prédio. Além disso, o hotel tem uma coleção de quadros cusquenhos, que por si só, já é uma atração.

EL TRUCO HOTEL BOUTIQUE

O El Truco Hotel Boutique nos proporciona uma excelente experiência em Cusco, já que ele funciona em um casarão colonial super tradicional. Os quartos e os ambientes internos foram totalmente restaurados para receber turistas do mundo inteiro e são, de verdade, muito acolhedores.

Onde ficar em Cusco

O hotel tem um restaurante que funciona em um anexo, onde é servido o café da manhã. Também há boas opções para almoço e jantar. A localização é perfeita, a apenas duas quadras da Plaza de Armas, onde Cusco é bem mais interessante.

Onde ficar em Cusco

San Blás

O San Blás é um bairro que faz parte do Centro Histórico, mas ele tem destaque por ser uma região muito cultural, com bares e restaurantes muito interessantes.

Há muitas opções de hotéis nesta parte de Cusco, mas é importante saber que à medida que a gente se afasta da Plaza de Armas, as ladeiras ficam mais íngremes. Então, é bom prestar atenção nisso antes de fazer a reserva.

No San Blás, eu indico as seguintes opções:

ANTÍGUA CASONA SAN BLÁS

O Antígua Casona San Blás é um Hotel muito charmoso, com uma equipe de funcionários super prestativa e atenciosa, sempre sorridente e com muitas dicas interessantes. São eles que prepara o café da manhã que é simplesmente fantástico.

Onde ficar em Cusco

Como a maioria dos hotéis de Cusco, ele funciona em um casarão antigo, mas os ambientes foram reformados para ter quartos espaçosos, com muito estilo e conforto. É uma excelente opção para ficar no bairro mais boêmio da cidade.

POSADA SAN BLÁS

O Posada San Blás é um hotel com instalações novas, já que tudo foi reformado recentemente. O pessoal que faz o atendimento é excelente e a equipe que trabalha por trás, na limpeza e na cozinha, dá um show. Você pode conferir!

Onde ficar em Cusco

Ele fica numa região mais alta de Cusco, mas é possível conhecer muitos lugares caminhando. É uma boa opção para quem quer um lugar para ficar em Cusco sem gastar muito.

AMARU INCA

O Amaru Inca fica no San Blás, pertinho da Plaza de Armas. Isso já faz dele uma excelente opção para ficar em Cusco para poder explorar a cidade em curtas caminhadas.

Onde ficar em Cusco

Os quartos são muito bons, compactos, bem resolvidos e práticos. Sem luxo, mas com conforto e acolhimento que a gente precisa. O café da manhã é delicioso, com produtos regionais, e, se precisar sair muito cedo, eles preparam para você levar.

Apartamentos e casas de temporada

Se você pretende ficar um tempo maior na cidade ou se simplesmente prefere o conforto e a privacidade de um espaço só para você, alugar uma casa ou um apartamento de temporada vale muito a pena.

Mas, eu vou dar uma dica muito importante: tente, o máximo que puder, ficar na região do Centro Histórico, especialmente perto da Plaza de Armas.

→ Melhores casas de temporada de Cusco

É que Cusco tem muitas ladeiras, como já expliquei, e quanto mais a gente se afasta do Centro, mais cansativas e desinteressantes elas ficam.

Eu selecionei algumas opções no Centro Histórico e no San Blás, as áreas mais interessantes para você ter uma ideia do que pode encontrar.

PLAZA DE ARMAS MINI-APARTMENT

O maior ponto positivo do Plaza de Armas Mini-apartment é a localização, a menos de dez minutos de caminhada da Plaza de Armas, onde todo mundo se encontra. Mas, o incrível é que, mesmo ficando perto do burburinho, o apartamento é tranquilo e silencioso.

Onde ficar em Cusco

Ele é pequeno, tem 20 metros quadrados, mas acomoda até três pessoas: duas na cama de casal e uma na cama de solteiro. Tem uma cozinha compacta, mas bem equipada, banheiro bom e o anfitrião é super atencioso e ajuda em tudo.

CASONA LA RECOLETA

A Casona La Recoleta fica no San Blás e tem uma das melhores notas de avaliação da cidade. Só por isso você já sabe que é um excelente lugar para ficar em Cusco, mas existem outros pontos positivos.

Onde ficar em Cusco

O casarão antigo foi reformado e tem espaços arejados, bem decorados e super acolhedores. As camas são excelentes e a roupa de cama e banho também. A única observação é que ele fica em uma rua bem estreita, com difícil acesso para carros.

DEL NIÑO APARTMENT

O Del Niño Apartment não é o apartamento mais bonito e aconchegante de Cusco, mas o seu ponto forte é a localização e o preço. Dois fatores que podem ser decisivos na sua escolha de um lugar para ficar em Cusco. Certo?

Onde ficar em Cusco

Ele fica a exatos 200 da Plaza de Armas, perto de tudo o que você vai precisar. Por outro lado, não espere que seja o lugar mais tranquilo e silencioso para dormir. Por isso, tem um custo-benefício interessante. Então, é preciso avaliar e definir prioridades.

APARTAMENTOS QUEWE

O Apartamentos Quewe é o mais afastado do Centro Histórico, já em uma parte mais “moderna” de Cusco. O ponto positivo é que tudo é mais tranquilo, sem tanta agitação de turistas para todos os lados.

Onde ficar em Cusco

É exatamente isso que faz ele ser interessante, pois, se você pensa em ficar mais tempo na cidade, não vai precisar competir espaço com outros viajantes e poderá fazer tudo com calma. E, hoje em dia, é tão fácil chamar um carro de aplicativo que, no fim das contas, o custo-benefício fica vantajoso.

Melhores hostels de Cusco

Cusco é a Meca dos Mochileiros na América do Sul.

Há tanta gente que viaja de forma econômica na cidade que eles  criaram uma estrutura ótima  para atender a esse público.

→ Melhores hostels de Cusco

Muitos hostels – alguns bem baratos e bem simples – restaurantes com preços baixos, passeios gratuitos, descontos para estudantes. Enfim, há muitas formas de economizar.

Eu listei alguns hostels da cidade para você ter uma ideia do estilo e das faixas de preços deles.

NAO VICTORIA HOSTEL

O Nao Victoria Hostel é o meu favorito em Cusco. Ele é super bem organizado, com ambientes arejados, sempre limpos e bem cuidados. Isso é muito importante para mim e acredito que para você também.

Onde ficar em Cusco

O hostel fica no Centro Histórico, a 500 metros da Plaza de Armas, e tem quartos compartilhados, que acomodam até oito pessoas, e suítes privativas. Sem dúvida, é o melhor hostel para ficar em Cusco.

KOKOPELLI HOSTEL CUSCO

A energia do Kokopelli Hostel Cusco é super legal e tudo começa pelos espaços bem decorados e amplos, que trazem muito aconchego. Além disso, ele tem um jardim nos fundos que é perfeito para relaxar, trabalhar e interagir com outros viajantes.

O hostel tem quartos compartilhados e suítes privativas, todos sempre muito limpos – assim como os banheiros. Há armários individuais e tomadas próximas das camas, e o café da manhã é extraordinário. Vale a pena conferir!

Onde ficar em Cusco

SAQRAY HOSTEL

O Saqray Hostel fica um pouco mais afastado da Plaza de Armas e, por isso, tem preços mais em conta: é preciso subir uma ladeira para chegar a ele. Por outro lado, conforto e limpeza são garantias, já que esses dois itens são muito bem avaliados pelos hóspedes.

Ele também tem quartos compartilhados, que acomodam até seis pessoas em camas beliche, e suítes privativas. O café da manhã é muito bom e o atendimento é sempre elogiado. Pontos que podem ser interessantes para sua escolha.

Onde ficar em Cusco

Faixas de preço em Cusco

No mapa abaixo, você encontra todas as opções de hospedagem de Cusco – especialmente as da área mais central. Você só precisa  clicar sobre os pins azuis  para ver mais detalhes de cada uma delas.



Booking.com

Quando estive em Cusco, eu fiquei no hotel Casa Andina Classic Cusco Plaza, que tem um excelente atendimento, ótimos quartos e um custo-benefício muito bom.

Vale a pena ficar em Machu Picchu?

Quem quiser aproveitar mais de Machu Picchu, pode ficar hospedado pertinho da Cidade Sagrada dos incas.

Você já deve saber que ela é  especial para os peruanos e para o mundo  por seu valor histórico, mas há também uma questão espiritual ligada a Machu Picchu.

Muitas pessoas dizem sentir uma energia diferente, algo que toca a alma. Até a atriz Fernanda Montenegro disse que “existe um antes e um depois de Machu Picchu“. Eu tive a minha própria experiência e foi, realmente, magnífica.

Agora, veja os hotéis que eu mais indico pertinho da montanha.

SUMAQ MACHU PICCHU

O Sumaq Machu Picchu Hotel fica na margem do rio Urubamba, em Águas Calientes, a apenas 20 minutos da Cidade Sagrada. Com cinco estrelas, ele tem design andino e oferece conforto e comodidade.

Onde ficar em Cusco

Os quartos são muito bem equipados, com camas grandes e toalhas ótimas. O atendimento é excelente e tem um SPA que funciona no hotel. Perfeito para quem terá tempo para curtir o hotel.

SANCTUARY LODGE

Quem quiser um hotel com vista para as ruínas de Machu Picchu deve escolher o Sanctuary Lodge. Ele é o único que tem este privilégio e oferece, realmente, o máximo em conforto.

Onde ficar em Cusco

É um hotel para quem quer viver com intensidade a experiência de Machu Picchu, desfrutando de todos os mistérios que fazem dele um lugar sagrado para os peruanos. Então, se você precisa renovar as energias, este pode ser seu lugar.

Os quartos são maravilhosos, divididos em categorias e até mesmo a mais simples é super aconchegante. A decoração é elegante, as varandas térreas privativas são ótimas e o atendimento é perfeito. Mas, claro, nada é melhor do que a vista.

Onde ficar em Cusco

INFORMAÇÕES BÁSICAS
Visto | Brasileiros não precisam de visto para entrar no país e o prazo máximo de permanência é de 90 dias, podendo ser prorrogado por mais 90 dias.
Documentos | Você deve apresentar o passaporte, com seis meses de validade, ou a carteira de identidade, emitida há menos de dez anos.
Dinheiro| A moeda peruana é o nuevo sol, identificado pela sigla PEN e pelo símbolo S/. Para sua viagem, leve dólares e troque nas casas de câmbio.
Vacinas | A vacina contra covid-19 não é obrigatória, mas é necessário apresentar um teste RT-PCR. A vacina contra febre amarela é recomendada para quem for viajar para a região amazônica.

INFORMAÇÕES SOBRE COVID-19

Desde que reabriu suas fronteiras, o Peru adotou várias regras de prevenção e controle dos casos de covid-19. Isso significa que é preciso cumprir alguns requisitos sanitários e legais para entrar no país.

De forma geral, os documentos exigidos para a entrada de brasileiros – além dos já citados acima – são os seguintes:

  1. Comprovante de vacinação contra covid-19 com esquema vacinal completo – a terceira dose é exigida para maiores de 40 anos –, esta regra vale para viajantes maiores de 12 anos;
  2. Resultado negativo de teste RT-PCR feito há, no máximo, 48 horas antes do embarque, exigido apenas de viajantes não vacinados;
  3. Formulário Declaração de Autorização de Saúde e Geolocalização preenchido e enviado eletronicamente até 72 horas antes da partida, exigido de todos os viajante.
  4. Comprovante de hospedagem, que pode ser solicitado para que as autoridades peruanas monitorem seu estado de saúde.

É importante saber que, para viajantes vacinados, a dose final deve ter sido administrada pelo menos 14 dias antes da viagem.

Todos os viajantes – vacinados ou não – podem ser submetidos a verificação de temperatura e a testes aleatórios para detecção de covid-19 na chegada ao Peru. Se o resultado der positivo, será necessário seguir as instruções das autoridades de saúde e pode ser necessário cumprir quarentena de até 14 dias.

No caso de crianças menores de 12 anos, basta que estejam assintomáticas para embarcar, não sendo exigido comprovante de vacinação ou teste RT-PCR.

É obrigatório o uso de máscara dupla – uma máscara cirúrgica e uma máscara de pano ou apenas uma do modelo KN95 – durante os voos e nos aeroportos peruanos.

Em todo o Peru, o estado de emergência continua em vigor. Por isso, o comprovante de vacinação contra covid-19 pode ser exigido para entrar em museus, sítios arqueológicos, shoppings, supermercados, restaurantes e em outros ambientes fechados.

Você pode acompanhar os números oficiais da covid-19 no site do Governo do Peru.

SEGURO VIAGEM

Apesar de não ser obrigatório,  viajar sem o seguro viagem durante a pandemia não é uma boa ideia.  Ainda que você esteja com o esquema vacinal completo, é bom saber que terá atendimento médico e hospitalar na hora que precisar.

Além disso, o preço do seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele também garante que você estará amparado em situações como cancelamento da viagem, extravio de bagagem e muitas outras.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

Veja mais dicas do Peru

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver mais dicas do Peru.