Quando ir a Salta, no norte da Argentina: a melhor época para viajar

4

Atualizado em 12 de abril de 2021

Provavelmente, você já ouviu falar desta cidade, mas para aproveitar o que ela tem de melhor, é preciso escolher bem quando ir a Salta.

Salta fica no norte da Argentina. Terra de montanhas coloridas e do mítico Trem para as Nuvens, onde a gente pode saborear ótimos vinhos e as tradicionais empanadas salteñas.

Seu clima é temperado, com bastante variação térmica durante o ano: em um único dia, a temperatura pode variar até 30 graus.

As chuvas são mais comuns no verão, embora chova mais nas regiões montanhosas da cordilheira andina.

O inverno é bastante seco e frio, principalmente nas regiões mais altas. É que Salta está a 1.152 metros acima do nível do mar, e a temperatura média é de 16 graus.

Apesar disso, a maior parte do ano tem dias ensolarados e agradáveis.

Quando ir a Salta

Os meses mais indicados para conhecer essa região são abril, maio, junho, agosto, setembro, outubro e novembro, mas é possível viajar para Salta durante todo ano, pois cada época tem seu atrativo.

Quando ir a Salta, no norte da Argentina

Estação seca

Os meses com menos chances de chover são os do meio do ano – de junho a agosto. Nesta época, o ar seco e frio invade a cidade e, então, é preciso estar bem agasalhado.

O mês mais seco é julho, quando praticamente não existe chance para chuva. Ele também é o mês mais frio, com média de dez graus e mínimas que podem ir abaixo de zero.

Apesar de não ter fama de cidade gelada, o frio é bem presente no inverno. Eu estive em Salta no mês de junho e peguei máxima de 12 graus e mínima de três graus.

Apesar do frio, por causa das boas condições meteorológicas, o mês de junho é indicado para ir a Salta.

Esta época também é ideal para fazer a viagem no Tren a las Nubes, como eu mostro em: Trem para as Nuvens: uma viagem de Salta para o céu.

Quando ir a Salta, no norte da Argentina

Estação chuvosa

Salta é uma cidade cheia de festas e a maioria delas acontece nos meses mais quentes, de dezembro a março. Nesta época, as ruas do centro ficam lotadas de gente e tudo ganha mais vida.

Mas, é no verão – quando as temperaturas estão mais altas – que chove mais, sendo que janeiro é o mês mais chuvoso, com cerca de 176 milímetros. No mês, as temperaturas chegam a agradáveis 25 graus durante o dia e caem para 17 graus à noite.

Com, historicamente, até 25 dias de chuva, janeiro não é o melhor mês para ir a Salta.

Os meses mais quentes são janeiro, fevereiro, outubro, novembro e dezembro, sendo que dezembro é o mês mais quente, com temperatura média de 21 graus e máximas que podem superar os 34 graus.

Quando ir a Salta, no norte da Argentina

Salta respira cultura

Esta cidade respira arte e é um grande exemplo do que a cultura andina produz na Argentina. É que, na verdade, ela é um centro de convergência de todo o norte do país e, por isso, a gente encontra um pouco de tudo por aqui.

Em abril, quando é celebrado o aniversário de fundação da cidade, um grande festival cultural toma conta das ruas. O Abril Cultural Saltense tem centenas de espetáculos e atividades gratuitas e imperdíveis para quem estiver na cidade.

Em qualquer época do ano, você pode ir ao La Casona del Molino, um tradicional restaurante que tem apresentações voluntárias de música tradicional: são vários ambientes e qualquer pessoa pode levar seu violão para tocar e cantar. É sensacional.

INFORMAÇÕES BÁSICAS
Visto | Brasileiros  não precisam de visto para entrar no país e o tempo de permanência é de até 90 dias. 
Documentos | Brasileiros podem apresentar o passaporte ou a carteira de identidade emitida há menos de 10 anos.
Moeda | O peso argentino (ARG) é a moeda local. Para sua viagem, leve reais ou dólares e troque nas casas de câmbio.
Vacinas | Nenhuma vacina é obrigatória, independentemente do motivo da viagem, mas é indicado ter um seguro viagem.

SEGURO VIAGEM

Nem todos os países têm um sistema de saúde público e gratuito. Na verdade, na maioria deles, viajantes estrangeiros não têm acesso a assistência médica gratuita. Por isso, é muito importante ter o seguro internacional de saúde – também chamado de seguro viagem –, mesmo que ele não seja obrigatório.

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Você já imaginou quanto custa um tratamento médico para esses casos em outros países? Dependendo da gravidade, o atendimento pode custar milhares de dólares, podendo gerar sérias dificuldades financeiras para você e seus familiares para o resto da vida.

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

Veja mais sobre a Argentina

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas da Argentina.

SOBRE O AUTOR

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

4 Comentários

    • Oi, Alison.

      O dólar é muito bem-vindo aqui, mas, dessa vez, fiz a conversão de real para peso e valeu a pena (R$ 1 = ARS 7,20).
      Tem que ficar ligado na cotação. Se já tiver os dólares, leve sem neura.

      Um abraço.

  1. Otimo, Altier.
    Eu viajo de carro para aquela região. Fiz várias vezes.
    Numa delas, fui pela Ruta 40, percorrendo 400 Km em estrada de chão, partindo das Salinas Grandes, via San Antonio de los Cobres, até Cafayate.

Escreva um comentário