Elefantes na Tailândia: como e onde visitar um santuário de verdade

Atualizado em 13 de outubro de 2022 – 5 min de leitura

elefantes na Tailândia

Antes de qualquer coisa, preciso dizer que há muita polêmica envolvendo atividades com elefantes na Tailândia. É que algumas fazendas cometem erros no trato com os animais e muitos turistas ignoram isso.

Eu, definitivamente, não queria fazer o mesmo.

Depois de ler vários relatos e de conversar com amigos que fizeram esse passeio, escolhi conhecer o Chiang Mai Elephant Sanctuary justamente porque, aqui, a prioridade são os elefantes: em momento algum, vi os animais serem maltratados ou serem obrigados a fazer o que não queriam.

Meu incrível encontro com elefantes na Tailândia

Além disso, não é permitida a montaria nos animais e nem o uso de correntes ou chicotes. E, o mais importante, os elefantes não são expostos a horas intermináveis com turistas e muito menos são estimulados a fazerem acrobacias ou algo do tipo. O que nos conquista é mesmo a fofura desses bichos.

Neste artigo, eu vou explicar sobre:

Os elefantes na Tailândia

O elefante-asiático é menor do que o elefante africano, mas pode chegar alta 3,5 metros de altura e viver até 100 anos em ambientes como esse.

Em várias partes do país, esses animais foram muito explorados como meio de transporte de cargas, de pessoas e até na construção civil. Podemos dizer, então, que o elefante ajudou a construir o país com sua força e inteligência.

Eu fiz o passeio de uma manhã. A caminhonete me pegou às 6h30 no Your Space Hotel, onde me hospedei em Chiang Mai, e seguimos em uma viagem de quase 60 quilômetros até o Chiang Mai Elephant Sanctuary.

Meu incrível encontro com elefantes na Tailândia

Na chegada, eu já vi um elefante solto no meio da vegetação e este foi o primeiro sinal positivo: eles podem caminhar por qualquer parte da propriedade sem restrição alguma.

Depois disso, vi mais alguns elefantes numa área onde a gente pode ter o primeiro contato com eles. Nesta parte, havia uma cerca limitando o nosso espaço.

Aí, os guias aproveitaram para falar um pouco dos animais e de como eles vieram parar aqui: depois de décadas trabalhando no transporte de madeira, os elefantes foram comprados dos antigos donos e trazidos para esta fazenda.

Fomos, então, trocar de roupa. Na verdade, eles oferecem apenas uma camisa no estilo tradicional dessa região da Tailândia.

Eu sugiro que você use roupas leves: short ou bermuda e chinelos. Para o banho no rio, pode usar biquíni ou sunga de praia tranquilamente.

Alimentando os elefantes

Vestido com minha túnica verde e rosa, estava pronto para me aproximar ainda mais dos elefantes e, olha, eu não poderia imaginar que viveria uma grande experiência. Em nenhum momento tive medo.

A sensação é que, mesmo sendo grandes e pesados, eles são extremamente carinhosos e cuidadosos: cada movimento parece ser pensado, sem brutalidade ou agressividade.

elefantes na Tailândia

Duas caixas grande de bananas. Elas foram o sinal para estabelecer a conexão. Nesta hora, toquei, abracei e beijei os elefantes.

Olhei nos olhos, sorri com a fome deles por bananas e me entreguei àquela experiência que, antes de conhecer, me deixava em dúvida.

Elefantes adoram água e espalhar lama sobre o corpo é um ritual que eles repetem sempre: ela funciona como protetor solar e repelente natural.

Eu realmente não entrei na lama – mas você pode fazer isso se quiser. É que preferi esperar para tomar banho com eles no rio, onde a água é corrente e mais limpa.

elefantes na Tailândia

Sim, eu tomei banho com eles

No Chiang Mai Elephant Sanctuary há um rio e uma cachoeira onde a gente pode tomar banho. No rio, os elefantes pareciam, realmente, estar em casa.

Esguichavam água com a tromba, batiam as patas, mergulhavam o corpo todo e se sentiam à vontade para me deixar participar desse momento.

elefantes na Tailândia

Essa foi a parte que mais gostei no meu encontro com elefantes na Tailândia. Realmente um momento mágico, uma sensação de gratidão à natureza e, ao mesmo tempo, uma forma de recompensar os elefantes por tudo que já sofreram.

Os elefantes participam apenas da primeira parte no rio, e, enquanto a gente se refresca na cachoeira, voltam para comer mais: “eles precisam comer muito para manter o corpo”, brincou o guia explicando que os animais deixariam o grupo a partir daquele momento.

elefantes na Tailândia

Depois do banho de cachoeira, os guias me levaram de volta para a base da fazenda onde almocei: arroz, frango e legumes.

Ainda deu para descansar no deque do restaurante admirando os elefantes antes de voltar para o hotel.

Como visitar elefantes na Tailândia

Chiang Mai é o melhor lugar para ter uma autêntica experiência com elefantes na Tailândia. É que, aqui, os animais vivem em seu habitat natural, com clima e vegetação apropriadas.

São muitas as fazendas que abrigam esses gigantes, mas, como já comentei, acho importante escolher uma que tenha valores e condutas éticas.

Como chegar

Chiang Mai fica a 680 quilômetros de Bangkok e você pode chegar aqui de ônibus, mas os voos domésticos são sempre baratos e acabam compensando.

Quem estiver pensando em dirigir no país precisa saber que o trânsito funciona na mão inglesa, ao contrário do que temos no Brasil.

Quanto custa

Eu paguei TBH 1.400 pelo passeio de uma manhã inteira: a caminhonete me pegou às 6h30 no hotel e voltei já era 14h30. Esse preço inclui o transporte de ida e volta, a entrada no Chiang Mai Elephant Sanctuary, o guia e o almoço.

Você pode escolher passar mais tempo aqui. Há programas de um dia inteiro e de dois dias, incluindo caminhadas com os elefantes pelas matas da região.

Eu realmente acho que uma manhã ou uma tarde é suficiente.

Você pode comprar o passeio nas agências que funcionam no aeroporto de Chiang Mai ou no site da empresa, mas a melhor negociação de preço é feita no escritório que funciona no centro de Chiang Mai.

Se chegar um dia antes, você pode ir lá e comprar com desconto.

Quando ir

Em Chiang Mai faz calor o ano inteiro, mas, em abril, ele parece dobrar. É que o mês mais quente da Tailândia antecede a estação das chuvas, que começa em maio e vai até outubro, mas isso não significa que vai chover todos os dias ou o dia todo.

No inverno, quando faz frio, os termômetros marcam 15 graus. Nos meses de dezembro e janeiro o clima é bom, mas na alta estação tudo fica mais cheio. Eu prefiro evitar esse período e curtir tudo com mais tranquilidade.

Onde ficar

Eu me hospedei no Your Space Hotel – que também é um hostel – e fiquei bem satisfeito. Os quartos são espaçosos e arejados, a cama é boa, o ar condicionado funciona – item essencial na cidade – e o atendimento é precioso: talvez, a melhor coisa daqui.

O Your Space Hotel fica perto de restaurantes, lojas e a poucos metros de uma das principais avenidas da cidade. O Centro, onde a noite é mais animada, fica pertinho e dá pra ir caminhando.

Onde comer

O almoço está incluso no preço do passeio, mas, para comer bem em Chiang Mai, eu tenho algumas dicas: praticamente em frente ao hotel, há um restaurante de comida tailandesa com ótimos preços. Eu paguei THB 40 em um Pad Thai, mas há muitas opções.

Uma coisa que notei é que comida tradicional na Tailândia é barata, mas um hambúrguer ou uma pizza, por exemplo, podem ser bem mais caros: eu vi um cheese bacon por THB 200, quatro vezes o preço que paguei no almoço. Isso, para os padrões tailandeses, é caro.

À noite, eu sugiro aproveitar a região de bares onde fica o pub The Zoe, o mais animado daqui.

Informações Básicas

Visto

Brasileiros não precisam de visto para entrar na Tailândia e o período de permanência é de 90 dias. Esse prazo pode ser prorrogado por até um ano.

Documentos

Além do passaporte com validade de seis meses, você precisa ter outros documentos para entrar na Tailândia.

Dinheiro

A moeda tailandesa é o baht, identificado pela sigla THB e pelo símbolo ฿. Veja como usar seu dinheiro na Tailândia. 

Vacinas

O certificado de vacinação contra a febre amarela é obrigatório. Veja como solicitar o certificado pela internet.

Informações sobre covid-19

É muito importante saber que a Tailândia trata de forma diferente passageiros vacinados e não vacinados contra covid-19. Isso é um fato!

Para embarcar para a Tailândia, você precisará ter os seguintes comprovantes em mãos:

  1. Comprovante de vacinação contra covid-19, com duas doses, exigido apenas de viajantes vacinados – veja como emitir o comprovante nacional e internacional;
  2. Resultado negativo de teste RT-PCR negativo feito em até 72 horas antes do embarque, exigido de viajantes não vacinados;
  3. Certificado Internacional de Vacinação contra febre amarela (CIVP) – veja como solicitar o CIVP pela internet.

Quem estiver com o esquema de vacinação completo – com pelo menos duas doses –, não precisa apresentar qualquer teste para a doença, nem o RT-PCR nem o de antígeno, e também não precisa fazer quarentena.

Um detalhe sobre a vacinação é que a segunda dose  deve ter sido aplicada pelo menos 14 dias antes da viagem  e, claro, você precisará comprovar isso.

Eu já expliquei como solicitar o comprovante de vacinação contra covid-19 pela internet em português e inglês. É só conferir em Certificado de Vacinação contra covid-19.

Quem ainda não está com o esquema vacinal completo – o que eu considero lamentável – também pode viajar para a Tailândia sem muitas complicações no processo de entrada. Porém, é preciso ter atenção em alguns detalhes.

Um dos pontos mais importantes é que a quarentena só não é obrigatória se o viajante apresentar um teste RT-PCR negativo feito em até 72 horas antes do embarque.

RETORNO AO BRASIL

Viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

Seguro viagem

Apesar de não ser obrigatório, não é uma boa ideia viajar sem um seguro viagem com cobertura para covid-19.

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

CABEÇA DE BUDA

Antes de viajar para a Tailândia, eu não sabia que a cabeça de buda tem um simbolismo tão grande para os tailandeses. É que, quando os templos do país foram saqueados e destruídos depois das guerras, as cabeças dos budas foram roubadas e vendidas, como peça de decoração, ou destruídas na tentativa de achar o anel que, supostamente, um imperador havia escondido em uma delas.

Depois que entendi essa história, comecei a perceber que muitas esculturas mais antigas de buda estão sem cabeça. Por isso, comprar ou tatuar cabeças de buda, por exemplo, é algo ofensivo para o budismo tailandês.

Inclusive, nos aeroportos há avisos indicando que comprar, transportar e usar qualquer símbolo de buda como mercadoria, como peça decorativa, em tatuagem ou ter posse de uma cabeça – assim como qualquer outra peça do corpo – é errado e você pode ter complicações se transgredir essa regra.

Veja mais dicas da Tailândia

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas da Tailândia.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

6 Comentários

  1. Davi

    Nò que lugar bonito uai… fiquei com vontade de conhecer tambem…. Dicas super bacanas. Abraço pro cê

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Davi.

      Essa experiência foi realmente demais mesmo.
      Se programe para conhecer.

      Um abraço.

      Responder
  2. Vero Strizinec

    Lindo demais!!! Experiencia maravilhosa!! 🙂

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Vero.

      Foi realmente sensacional.
      Indico a todos que querem conhecer a Tailâdia que façam isso.

      Um abraço.

      Responder
  3. Nikki

    DIVINO!!! MARAVILHOSO!!!

    Responder
    • Altier Moulin

      Obrigado, Nikki.

      Um abraço.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *