Roteiro para a Croácia: o imperdível do país

6

Atualizado em 12 de fevereiro de 2019

Já faz um tempinho que este país está no radar dos brasileiros que planejam uma viagem para a Europa. Só que para curtir o melhor do país, o seu roteiro para a Croácia não pode ter menos que sete dias, mas o ideal é, no mínimo, dez.

Além de ter praias lindas e um povo que recebe bem os turistas, a Croácia está fora da zona do euro – a moeda, aqui, é o kuna (HRK) – e isso deixa tudo muito mais barato. Por outro lado, não há voos direto do Brasil para cá, então, uma escala é inevitável.

Para se locomover de uma cidade para outro, eu sugiro alugar um carro. Mas, se isso não for possível, não esquente: dá para fazer tudo de ônibus, com as empresas a Flixbus, Globotur e Arriva, ou de trem, com a HZPP.

Roteiro para a Croácia

DIA 1 – ZAGREBE

Provavelmente, você vai começar sua viagem por Zagrebe. A capital é pequena e, em um dia inteiro – no máximo um dia e meio –, você consegue ver os principais atrativos daqui. Os destaques vão para a famosa Igreja de São Marcos, com seu telhado colorido, e para o Museu dos Relacionamentos QuebradosMuseum of Broken Relationship.

Para conhecer essas e outras atrações, eu indico comprar o Zagreb Card, um cartão que dá desconto na entrada de museus e outros atrativos da cidade.

Eu me hospedei no fabuloso Hotel Academia, que fica na entrada do Centro Histórico, e no primeiro andar funciona um shopping com mercado, farmácia, bares e restaurantes. O custo-benefício vale muito a pena, principalmente, para quem vai ficar poucos dias na cidade.

Aqui, eu sugiro que você alugue um carro para seguir viagem. A Croácia é pequena, as estradas são ótimas, seguras e, de carro, você controla melhor os seus horários.

DIA 2 – LAGOS PLITVICA

Deixe a capital croata logo de manhã e siga em direção ao Parque Nacional dos Lagos Plitvica, que fica a 135 quilômetros. Esse lugar é imperdível e um dos símbolos do turismo no país.

A estrada que nos leva ao parque é linda, mas fique atento porque ela pode fechar durante as nevascas mais pesadas do inverno. Por isso, a melhor época para visitar os Lagos Plitvica é a primavera.

O Parque tem 16 lagos que parecem coisa de cinema e há vários roteiros que você pode fazer por aqui e as trilhas duram um dia inteiro. A entrada custa HRK 150 e você pode almoçar no Lička kuća, o restaurante que funciona dentro do Parque.

A ideia é curtir o dia aqui e seguir viagem. Assim, você vai chegar a Split já no final da tarde, então é bom já deixar o hotel reservado. Eu fiquei no Cornaro Hotel, que fica na entrada do Centro Histórico, perto de tudo.

DIA 3 – SPLIT

No primeiro dia em Split, eu sugiro conhecer os arredores da cidade: Solin, Klis e Trogir. Todas elas são áreas históricas medievais e você deve reservar um dia inteiro para conhecê-las, porque há muita coisa para ver e fazer por aqui.

Se você não sabe, em Klis, foram gravadas cenas de Game Of Thrones, e uma visita a esta antiga fortaleza é realmente imperdível. Em Trogir, pare para almoçar e curta a tarde sem pressa nas ruelas que dão um charme bem veneziano à cidade.

DIA 4 – SPLIT

Eu costumo dizer que alguns lugares no mundo têm alma e Split sem dúvida é um deles. Mesmo com o vai e vem de turistas – principalmente nos meses de verão – a cidade não perdeu as suas características e abraça a todos com uma vibrante energia: você vai sentir isso ao caminhar pelo Centro Histórico à noite.

São centenas de bares, restaurantes, lojas e cafés onde todo mundo vive o melhor momento da viagem: eu realmente adorei Split e quero voltar. Por isso, sugiro que separe, pelo menos, um dia inteiro só para conhecer – e curtir – essa cidade.

As praias da região são boas, mas não as melhores – eu vou explicar isso daqui a pouco –, mas a parte histórica é sensacional: começando pelo Palácio de Diocleciano, imperador romano que construiu tudo isso aqui.

No fim da tarde, vá curtir o pôr do sol no Roof 68, que reúne muita gente bonita na melhor hora do dia.

DIA 5 – HVAR E VIS

Na manhã seguinte, faça a travessia para Hvar. As balsas partem diariamente e dá para fazer um bate-volta, mas saiba que são três horas para ir e mais três horas para voltar. Sem contar o tempo que você fica na fila para entrar no barco: no verão, é aconselhável chegar uma hora antes.

Se estiver de carro, você vai poder rodar e conhecer várias partes da ilha, mas o que todos queremos são aquelas águas claras que as fotos nos mostram, né? E, isso, Hvar tem.

Mas, se quiser conhecer um lugar ainda menos explorado pelo turismo e com praias que seriam impossíveis descrever somente com palavras, vá a Vis. Nesta ilha foi filmada a continuidade do filme Mamma Mia, que lembra as inesquecíveis canções do grupo ABBA.

Mas fique esperto porque, por enquanto, não há como ir a Hvar e, depois, a Vis: é preciso voltar a Split e embarcar novamente. Então, planeje sua vida para não perder tempo à toa.

DIA 6 – RIVIERA MAKARSKA

Se você não tiver tempo ou dinheiro – sim, acaba ficando um pouco caro conhecer as ilhas -, inclua no seu roteiro para a Croácia uma parada na pouco conhecida Riviera Makarska.

Essa região fica ao sul de Split, já na direção de Dubrovnik, e tem as praias mais lindas que vi por aqui. E o melhor é que dá para chegar de carro – ou de ônibus – em poucos minutos, sem pegar barco, o que é um alívio para quem se sente enjoado em embarcações.

Duas praias me surpreenderam muito aqui: Brela e Vruja. Chegar a Brela – especificamente em Punta Rata – é mais fácil, porque o carro para a poucos metros da praia. A água é incrivelmente transparente e gelada, mas vale muito fazer uma parada aqui.

Vruja fica numa área aonde carro não chega tão facilmente, embora a praia fique perto da rodovia. Então, você tem duas opções. Descer a pé ou pegar uma lancha em Brela – ou em outras praias – e chegar aqui pelo mar.

Se não quiser se hospedar por aqui – é mais caro -, dá para chegar de manhã e seguir viagem para Dubrovnik ou voltar para Split.

DIA 7 – STON

A surpresa do meu roteiro para a Croácia se chama Ston. Cidade pequena, com menos de 2.500 habitantes, ela é cercada por uma das maiores muralhas da Europa: originalmente, sete quilômetros, mas, hoje, restam pouco mais de seis.

Protegida por causa de sua produção de Sal, Ston viveu – e ainda vive – em um mundo particular: todo mundo conhece todo mundo e receber bem parece ser algo rotineiro na vida de quem ainda mora em Ston.

É que, além da muralha, Ston é famosa pela produção de ostras e, todo ano, no mês de março, a cidade realiza um festival que lota a cidade. Sem dúvidas, este é o momento mais esperado do ano.

DIA 08 – DUBROVNIK

Dubrovnik – se fala Dubróvnik – disputa com Split o título de queridinha da Croácia. Cercada por uma muralha, a cidade se espreme contra o mar. Eu não dei tanta sorte, porque choveu muito nos dias que estive aqui e isso me atrapalhou bastante, mas, Dubrovnik é, sim, uma parada imperdível.

Não por acaso, a cidade é um dos destinos mais concorridos do Mar Adriático e nos dias mais quentes suas ruazinhas ficam lotadas. Uma dica é esquecer o carro e fazer tudo a pé ou de táxi: achar uma vaga de estacionamento é algo muito improvável e, mesmo assim, se tiver sorte, terá que pagar uma fortuna por isso.

Vale lembrar que Dubrovnik também foi cenário da série Game Of Thrones, um motivo a mais para você considerar uma parada – no mínimo dois dais – por aqui. O aeroporto da cidade é bem movimentado e é fácil seguir viagem para outros destinos europeus pagando pouco.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um viajante apaixonado pelas coisas desse mundo. Um jornalista que adora contar boas histórias e compartilhar informações de viagem. Meu propósito de vida é ajudar outras pessoas a conhecerem lugares novos e a viverem experiências inesquecíveis.

6 Comentários

  1. Avatar

    Oi Altier!
    Que beleza de país! Me surpreendi com a beleza do lugar! As fotos ficaram muito bonitas!
    É fácil se comunicar em inglês na Croácia?
    É possível fazer esse circuito de ônibus, trem ou outro transporte, caso não queira alugar um carro?
    Tuas viagens estão cada vez melhores!
    Um abraço!

  2. Avatar

    Oi, Altier! Muito boa a matéria. Vamos a Dubrovnik este ano ( uma parada de navio ) e aqui já deu para começar a ter uma ideia do que esperar do país e o que fazer por lá! Já animei para começar a “desenhar” o roteiro. Obrigada!

Escreva um comentário