Roteiro para a Croácia: o imperdível do país

6

Atualizado em 12 de fevereiro de 2019

Já faz um tempinho que este país está no radar dos brasileiros que planejam uma viagem para a Europa. Só que para curtir o melhor do país, o seu roteiro para a Croácia não pode ter menos que sete dias, mas o ideal é, no mínimo, dez.

Além de ter praias lindas e um povo que recebe bem os turistas, a Croácia está fora da zona do euro – a moeda, aqui, é o kuna (HRK) – e isso deixa tudo muito mais barato. Por outro lado, não há voos direto do Brasil para cá, então, uma escala é inevitável.

Para se locomover de uma cidade para outro, eu sugiro alugar um carro. Mas, se isso não for possível, não esquente: dá para fazer tudo de ônibus, com as empresas a Flixbus, Globotur e Arriva, ou de trem, com a HZPP.

Roteiro para a Croácia

DIA 1 – ZAGREBE

Provavelmente, você vai começar sua viagem por Zagrebe. A capital é pequena e, em um dia inteiro – no máximo um dia e meio –, você consegue ver os principais atrativos daqui. Os destaques vão para a famosa Igreja de São Marcos, com seu telhado colorido, e para o Museu dos Relacionamentos QuebradosMuseum of Broken Relationship.

Para conhecer essas e outras atrações, eu indico comprar o Zagreb Card, um cartão que dá desconto na entrada de museus e outros atrativos da cidade.

Eu me hospedei no fabuloso Hotel Academia, que fica na entrada do Centro Histórico, e no primeiro andar funciona um shopping com mercado, farmácia, bares e restaurantes. O custo-benefício vale muito a pena, principalmente, para quem vai ficar poucos dias na cidade.

Aqui, eu sugiro que você alugue um carro para seguir viagem. A Croácia é pequena, as estradas são ótimas, seguras e, de carro, você controla melhor os seus horários.

DIA 2 – LAGOS PLITVICA

Deixe a capital croata logo de manhã e siga em direção ao Parque Nacional dos Lagos Plitvica, que fica a 135 quilômetros. Esse lugar é imperdível e um dos símbolos do turismo no país.

A estrada que nos leva ao parque é linda, mas fique atento porque ela pode fechar durante as nevascas mais pesadas do inverno. Por isso, a melhor época para visitar os Lagos Plitvica é a primavera.

O Parque tem 16 lagos que parecem coisa de cinema e há vários roteiros que você pode fazer por aqui e as trilhas duram um dia inteiro. A entrada custa HRK 150 e você pode almoçar no Lička kuća, o restaurante que funciona dentro do Parque.

A ideia é curtir o dia aqui e seguir viagem. Assim, você vai chegar a Split já no final da tarde, então é bom já deixar o hotel reservado. Eu fiquei no Cornaro Hotel, que fica na entrada do Centro Histórico, perto de tudo.

DIA 3 – SPLIT

No primeiro dia em Split, eu sugiro conhecer os arredores da cidade: Solin, Klis e Trogir. Todas elas são áreas históricas medievais e você deve reservar um dia inteiro para conhecê-las, porque há muita coisa para ver e fazer por aqui.

Se você não sabe, em Klis, foram gravadas cenas de Game Of Thrones, e uma visita a esta antiga fortaleza é realmente imperdível. Em Trogir, pare para almoçar e curta a tarde sem pressa nas ruelas que dão um charme bem veneziano à cidade.

DIA 4 – SPLIT

Eu costumo dizer que alguns lugares no mundo têm alma e Split sem dúvida é um deles. Mesmo com o vai e vem de turistas – principalmente nos meses de verão – a cidade não perdeu as suas características e abraça a todos com uma vibrante energia: você vai sentir isso ao caminhar pelo Centro Histórico à noite.

São centenas de bares, restaurantes, lojas e cafés onde todo mundo vive o melhor momento da viagem: eu realmente adorei Split e quero voltar. Por isso, sugiro que separe, pelo menos, um dia inteiro só para conhecer – e curtir – essa cidade.

As praias da região são boas, mas não as melhores – eu vou explicar isso daqui a pouco –, mas a parte histórica é sensacional: começando pelo Palácio de Diocleciano, imperador romano que construiu tudo isso aqui.

No fim da tarde, vá curtir o pôr do sol no Roof 68, que reúne muita gente bonita na melhor hora do dia.

DIA 5 – HVAR E VIS

Na manhã seguinte, faça a travessia para Hvar. As balsas partem diariamente e dá para fazer um bate-volta, mas saiba que são três horas para ir e mais três horas para voltar. Sem contar o tempo que você fica na fila para entrar no barco: no verão, é aconselhável chegar uma hora antes.

Se estiver de carro, você vai poder rodar e conhecer várias partes da ilha, mas o que todos queremos são aquelas águas claras que as fotos nos mostram, né? E, isso, Hvar tem.

Mas, se quiser conhecer um lugar ainda menos explorado pelo turismo e com praias que seriam impossíveis descrever somente com palavras, vá a Vis. Nesta ilha foi filmada a continuidade do filme Mamma Mia, que lembra as inesquecíveis canções do grupo ABBA.

Mas fique esperto porque, por enquanto, não há como ir a Hvar e, depois, a Vis: é preciso voltar a Split e embarcar novamente. Então, planeje sua vida para não perder tempo à toa.

DIA 6 – RIVIERA MAKARSKA

Se você não tiver tempo ou dinheiro – sim, acaba ficando um pouco caro conhecer as ilhas -, inclua no seu roteiro para a Croácia uma parada na pouco conhecida Riviera Makarska.

Essa região fica ao sul de Split, já na direção de Dubrovnik, e tem as praias mais lindas que vi por aqui. E o melhor é que dá para chegar de carro – ou de ônibus – em poucos minutos, sem pegar barco, o que é um alívio para quem se sente enjoado em embarcações.

Duas praias me surpreenderam muito aqui: Brela e Vruja. Chegar a Brela – especificamente em Punta Rata – é mais fácil, porque o carro para a poucos metros da praia. A água é incrivelmente transparente e gelada, mas vale muito fazer uma parada aqui.

Vruja fica numa área aonde carro não chega tão facilmente, embora a praia fique perto da rodovia. Então, você tem duas opções. Descer a pé ou pegar uma lancha em Brela – ou em outras praias – e chegar aqui pelo mar.

Se não quiser se hospedar por aqui – é mais caro -, dá para chegar de manhã e seguir viagem para Dubrovnik ou voltar para Split.

DIA 7 – STON

A surpresa do meu roteiro para a Croácia se chama Ston. Cidade pequena, com menos de 2.500 habitantes, ela é cercada por uma das maiores muralhas da Europa: originalmente, sete quilômetros, mas, hoje, restam pouco mais de seis.

Protegida por causa de sua produção de Sal, Ston viveu – e ainda vive – em um mundo particular: todo mundo conhece todo mundo e receber bem parece ser algo rotineiro na vida de quem ainda mora em Ston.

É que, além da muralha, Ston é famosa pela produção de ostras e, todo ano, no mês de março, a cidade realiza um festival que lota a cidade. Sem dúvidas, este é o momento mais esperado do ano.

DIA 08 – DUBROVNIK

Dubrovnik – se fala Dubróvnik – disputa com Split o título de queridinha da Croácia. Cercada por uma muralha, a cidade se espreme contra o mar. Eu não dei tanta sorte, porque choveu muito nos dias que estive aqui e isso me atrapalhou bastante, mas, Dubrovnik é, sim, uma parada imperdível.

Não por acaso, a cidade é um dos destinos mais concorridos do Mar Adriático e nos dias mais quentes suas ruazinhas ficam lotadas. Uma dica é esquecer o carro e fazer tudo a pé ou de táxi: achar uma vaga de estacionamento é algo muito improvável e, mesmo assim, se tiver sorte, terá que pagar uma fortuna por isso.

Vale lembrar que Dubrovnik também foi cenário da série Game Of Thrones, um motivo a mais para você considerar uma parada – no mínimo dois dais – por aqui. O aeroporto da cidade é bem movimentado e é fácil seguir viagem para outros destinos europeus pagando pouco.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

6 Comentários

  1. Oi Altier!
    Que beleza de país! Me surpreendi com a beleza do lugar! As fotos ficaram muito bonitas!
    É fácil se comunicar em inglês na Croácia?
    É possível fazer esse circuito de ônibus, trem ou outro transporte, caso não queira alugar um carro?
    Tuas viagens estão cada vez melhores!
    Um abraço!

  2. Oi, Altier! Muito boa a matéria. Vamos a Dubrovnik este ano ( uma parada de navio ) e aqui já deu para começar a ter uma ideia do que esperar do país e o que fazer por lá! Já animei para começar a “desenhar” o roteiro. Obrigada!

Escreva um comentário