Punta Arenas: o passeio na Isla Magdalena

12

Atualizado em 8 de março de 2018

Pertinho de Punta Arenas está a mais importante colônia de pinguins-de-magalhães do Chile. Essas aves, que aqui chegam à soma de mais de 200 mil, vivem no extremo sul do continente americano. Podem chegar a 70 centímetros de altura, pesando até sete quilos. São eles, os pinguins, que fazem do passeio na Isla Magdalena uma atividade obrigatória para quem está planejando uma viagem para essas bandas.

Para ver de perto esse verdadeiro espetáculo criado pela natureza, você precisa navegar 35 quilômetros para o norte de Punta Arenas percorrendo o caminho que aventureiros como Francis Drake, Pedro Sarmiento de Gamboa, Fernão de Magalhães e Charles Darwin fizeram.

São, aproximadamente, 1h30 navegando pelo gelado Estreito de Magalhães, até que você possa colocar os pés na terra firme para fazer uma leve caminhada pela ilha observando o estilo de vida dessas curiosas aves.

Punta Arenas: o passeio na Isla Magdalena

Isla Magdalena vista de dentro do Stella Australis.

Punta Arenas: o passeio na Isla Magdalena

Há pinguins por todos os lados.

Punta Arenas: o passeio na Isla Magdalena

O farol e mais pinguins.

Eu estou a bordo do Stella Australis, o navio de expedições que percorre o caminho entre Punta Arenas, no Chile, e Ushuaia, na Argentina. A Isla Magdalena está entre uma das paradas da programação. Diferentemente de quem chega aqui partindo do continente, meu desembarque é feito no bote Zodiac e, mesmo antes de atracar, já consigo avistar vários pontinhos brancos sobre a terra amarelada da ilha. Fico em dúvida: será que tudo isso é pinguim? É impossível contá-los. Para onde olho vejo pinguins. Alguns em dupla, outros ainda sozinhos.

O ritual de reprodução

A história desses pequenos e bravos seres é muito interessante. Aqui, o macho é o encarregado de encontrar e arrumar o melhor ninho, já que isso vai impressionar a fêmea e pesar muito em sua escolha. Nesse jogo de conquista, vale tudo: galhos, algas, pedras e o que mais acharem pela frente enfeitam o pequeno buraco que cavam na terra. Depois de passarem seis meses nadando por águas mais quentes – inclusive na costa brasileira –, eles chegam antes para cumprir essa tarefa e trabalham pesado sob um vento cortante de tão frio. Não é fácil.

Na caminhada que dura cerca de uma hora, os pinguins são sempre prioridade. Portanto, jamais ultrapasse o limite estabelecido pelas cordas e, se algum deles decidir cruzar à sua frente, dê passagem. Caso contrário, eles podem avançar em sua direção. Se eu fosse você não experimentaria uma bicada desses bichos. Ah, e se ouvir um barulho estranho como o relinchar de um jumento, não se preocupe. Esse é o doce som emitidos pelos pinguins que vivem na região de Magalhães.

Punta Arenas: o passeio na Isla Magdalena

Durante a caminhada, mantenha-se na trilha.

Punta Arenas: o passeio na Isla Magdalena

Os machos se empenham na tarefa de fazer o melhor ninho. Como recompensa, o acasalamento.

Punta Arenas: o passeio na Isla Magdalena

Opa! Não queremos atrapalhar o romance do casal.

Planeje seu passeio na Isla Magdalena

Quando ir | Os pinguins começam a chegar à Isla Magdalena em outubro e ficam até abril. Tente fazer o passeio cedinho, porque, mais tarde, os pinguins deixam a ilha para tomar banho e se alimentar, assim a ilha pode ficar mais vazia durante a tarde.

A melhor época para visitar a cidade é no verão, de dezembro a março, quando as temperaturas chegam a 15 graus. No inverno, os termômetros sempre estão próximo a zero grau, podendo chegar a temperaturas negativas. Em Punta Arenas, os ventos são fortes o ano todo.

Quem leva | Há várias empresas que oferecem o passeio à Isla Magdalena. Veja os preços e faça suas reservas.

Como chegar | A Isla Magdalena fica a 35 quilômetros de Punta Arenas. Várias empresas de turismo oferecem o passeio pela ilha. As embarcações partem de Punta Arenas, às 7h e às 16h. Às vezes, por causa da quantidade de pessoas, abre-se um terceiro horário de saída.

O voo de Santiago a Punta Arenas é longo. São aproximadamente quatro horas de viagem até que a aeronave pouse no Aeroporto Carlos Ibanez Del Campo (PUQ), que fica a 20 quilômetros da cidade e atende a toda a região. O aeroporto tem uma boa infraestrutura e é melhor do que alguns aeroportos de capitais brasileiras. Aqui, você tem duas opções: tomar um táxi – que vai te cobrar cerca de CLP 10.000 – ou pegar um micro-ônibus e pagar CLP 3.000. O transfer é seguro, confortável e a viagem demora cerca de 40 minutos, tempo suficiente para um cochilo.

Onde ficar | Eu me hospedei no Hostel Keoken, que fica a apenas dez minutos de caminhada do centro e a cinco da estação de ônibus da Buses Fernandez, a principal empresa que faz a rota até Puerto Natales, porta de entrada para Torres del Paine. O hostel é muitíssimo aconchegante. Os ambientes comuns têm uma decoração rústica de bom gosto, os quartos valem o preço cobrado – eu paguei CLP 30.000 por um quarto de casal com banheiro privativo e café da manhã –, e as atendentes são simpáticas, a não ser que você insista em tocar a campainha de madrugada. Veja outras opções na cidade.

Punta Arenas: o passeio na Isla Magdalena

O charmoso Keoken.

Onde comer | Não deixe de saborear a carne de cordeiro, a centolla – aquele caranguejo enorme – e um bien completo, um tipo de cachorro quente que é bem coisa de quem mora aqui. Eu almocei no La Marmita e experimentei o bourguignon de guanaco (CLP 12.000), uma carne de caça, que vem acompanhada de batatas, um molho que lembra feijoada e verduras. Plaza Francisco Sampaio, 678; de segunda a sábado, das 12h30 às 15h e das 18h30 às 23h30. Não aceita cartão de crédito.

Punta Arenas: o passeio na Isla Magdalena

O guanaco do La Marmita.

O que levar | Se você é daquele tipo de gente que sente enjoo em embarcações, leve seus sagrados comprimidos. A viagem à Isla Magdalena é feita em embarcações semirrígidas e, às vezes, elas podem balançar bastante.

Visto e documentos | Não é necessário visto para entrar no país, e o tempo de permanência é de até 90 dias. Brasileiros podem apresentar o passaporte ou a carteira de identidade, desde que ela esteja em bom estado de conservação. Não há exigência de vacinação para nenhuma doença, independentemente do motivo da viagem.

A minha viagem à Patagônia teve o patrocínio de Cruzeiros Australis.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

12 Comentários

  1. Avatar

    Olá,
    Comprei as passagens para Punta Arenas hoje, mas já visito seu blog há algumas semanas.
    Marido e eu levaremos nossos três filhos e esse passeio à Isla Magdalena já está nos planos.
    Seguiremos acompanhando suas aventuras enquanto planejamos as nossas.

  2. Avatar

    Olá Altier,
    Parabéns pelo seu blog. É uma boa ajuda para quem pretende visitar esta ilha.
    Estou a planear uma visita a Punta Arenas e pretendia visitar a ilha Magdalena no final de novembro.
    É fácil adquirir bilhetes para visitar a ilha? Aconselha adquirir o bilhete com antecedência?
    Obrigado
    Alberto Borges

  3. Avatar
    Mariana R de Almeida on

    Eu irei para punta arena em janeiro. A minha filha terá 2 anos e 6 meses.
    Como é essa embarcação? Pq eu não sei se consigo leva-la.

  4. Avatar

    Oi Altier!
    Eu e minha família estamos indo para patagônia em dezembro, vamos fazer el calafate, puerto natales e estou incluindo punta arenas no passeio. Nossos planos são de fazer el calafate, puerto natales e punta arenas de carro, o que acha? estava pensando em reservar 1 dia e 1/2 para puerto natales e 1 dia e 1/2 para punta arenas. Você acha o suficiente?

    • Altier Moulin

      Oi, Milena.

      Eu não fiz de carro, mas recomendo sim. Quando estive por lá, vi vários comentários dessa viagem.
      Você vai a Torres del Paine, ne? Só lá será um dia inteiro pelo menos.
      Acho que tá bom um dia e meio para cada. vai ver o essencial.

      Um abraço.

Escreva um comentário