Ponte Carlos e as lendas de Praga

0

Atualizado em 14 de maio de 2018

Uma das mais interessantes atrações de Praga é a Ponte Carlos – Karlův most, em tcheco. Ela começou a ser construída no século 14, exatamente no ano de 1357. Isso faz dessa ponte, a mais antiga de toda a República Tcheca.

Claro que, com tantos anos de vida assim, a ponte já passou por muita coisa. Além disso, foi o cenário de histórias e contos que, hoje, muita gente aposta ser somente lenda. São essas histórias e as trinta estátuas que decoram a ponte que fazem sua visita aqui indispensável.

Construída sobre o Rio Moldava – Vltava, em tcheco -, seu idealizador era um rei ligado a crenças e superstições. Para você ter uma ideia, até o dia e a hora do início da obra foram escolhidos por uma questão mística.

Ponte Carlos e as lendas de Praga

O Rio Moldava e a Ponte Calos, ao centro.

Se Carlos IV tinha ou não razão, a gente não sabe, mas é fato que sua obra está imortalizada. Uma pena ele ter morrido antes da inauguração da Ponte.

É verdade que ela não é uma ponte grandiosa, que se destaca na paisagem: são apenas 516 metros e 16 arcos. Só que você já imaginou a trabalheira que dava para fazer obras como essas quando não se tinha máquinas modernas como as de hoje? Foi exatamente por isso que a construção demorou 45 anos.

Fatos surpreendentes

Se a gente parar para ouvir todas as histórias que os moradores e guias têm para contar sobre a Ponte Carlos, pode ser que uma única viagem a Praga seja pouco. Aqui, São João Nepobuceno, antigo arcebispo de Praga, foi lançado no rio. Depois de guerras e batalhas, a ponte precisou ser restaurada várias vezes. Sem falar que ela já teve vários nomes e, só mais tarde, em 1870, passou a ser uma homenagem ao seu idealizador.

Nesse emaranhado de acontecimentos, ainda tem enchentes que destruíram seus arcos e a ocupação nazista, durante a Segunda Guerra Mundial. Ah, e uma das torres da ponte foi usada até para expor as cabeças de doze líderes revolucionários durante 10 anos, a partir de 1621.

Depois que a segunda ponte foi erguida na capital tcheca, a Ponte Carlos ficou mais tranquila. Desde 1965, a ponte é exclusiva para pedestres.

Estátuas e lendas

A mais louca história dessa ponte – e olha que são muitas – diz que o arquiteto que planejou o monumento acreditava que se colocasse ovo, vinho e leite na argamassa, a ponte teria maior durabilidade.

Supersticioso que era, o rei Carlos IV mandou, então, que as vilas sob seu domínio enviassem tais ingredientes para a construção. Mito ou verdade, a crença de que a ponte seria mais resistente não pode ser negada.

Você vai notar que existem 30 estátuas de ambos os lados da ponte, mas elas nem sempre existiram aqui. A maioria foi adicionada depois do século 18 e financiada por instituições privadas ou por ricos da época.

Ponte Carlos e as lendas de Praga

A imagem do santo João Nepobuceno.

A escultura de São João Nepobuceno foi a primeira. Eu acho justo, já que ele foi o único a ser lançado daqui direto para o rio. Essa punição, dizem por aí, foi porque o ex-arcebispo havia ouvido as confissões da rainha Sophia e se negado a conta-las para o rei, Venceslau IV.

Em sua homenagem, no lugar onde foi jogado, existe um painel. As pessoas acreditam dar sorte tocar o tal painel – especialmente com cada dedo da mão sobre as estrelas. Isso garante, segundo a lenda, que um pedido especial será realizado.

Outra crença diz que você deve tocar os painéis abaixo da estátua de São João Nepobuceno. O da esquerda tem um cavaleiro com um cachorro, e quem encostar no animal, terá sorte. Já quem tocar no santo sendo lançado no rio, no painel da direita, será agraciado com um retorno a Praga, segundo a lenda.

Ponte Carlos e as lendas de Praga

Quem tocar nos painéis terá a sorte de voltar a Praga.

O que muita gente não sabe é que a maioria das estátuas da ponte não é original. Para preservar essas obras seculares, muitas foram substituídas por réplicas. As originais ficam no Museu Nacional.

Fora da ponte, no lado esquerdo, fica a estátua de Bruncvík, um cavaleiro tcheco que tem um leão aos pés. Segundo a lenda, o cavaleiro teria ajudado o leão a matar um dragão de sete cabeças e,  como agradecimento, o leão veio morar em Praga com ele.

Planeje sua visita à Ponte Carlos

Quanto custa | A visita à Ponte Carlos é gratuita.

Quando ir | Não é tão simples encontrar a ponte vazia. Para isso, você pode escolher um horário bem cedo, logo no nascer do dia, ou à noite, quanto as luzes dão um charme especial ao lugar. Nos dias mais ensolarados, da metade da manhã até o por do sol, o tumultuo é grande.

Como chegar | Não é difícil chegar aqui e, praticamente, tudo coopera pra isso. Há muitas placas – com os termos Karlův most e Charles Bridge – que indicam o caminho. Da Cidade Velha e do Malá Strana, dá pra ir andando.

As estações de metrô mais próximas são Malostranská e Staroměstská. No sistema de trens elétricos, você pode descer nas paradas Malostranské náměstí e Malostranská, ou nas Karlovy lázně e Staroměstská, que ficam na Cidade Velha.

Onde ficar | Praga tem ótimas opções de hotéis e hostels. Eu passei pela cidade duas vezes e tive experiências de hospedagem bem diferentes, mas bastante agradáveis. Na primeira vez, eu fiquei no Bohemia Apartments, um apartamento bem espaçoso perto de tudo. Eu também me hospedei no Time Traveler, um hostel excelente, com quartos novos, arejados e muito bem organizados. Você encontra outras opções de hospedagem aqui.

Visto e documentos | Brasileiros não precisam de visto para entrar e permanecer na República Tcheca por até 90 dias. Entretanto, será preciso apresentar seu passaporte com pelo menos seis meses de validade.

É muito importante saber que o seguro viagem é obrigatório, e que, sem ele, você pode ser impedido de entrar o país. Veja como comprar o seguro viagem.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

Escreva um comentário