Dinheiro na República Tcheca: como fazer câmbio, saques e evitar pagar taxas

Atualizado em 8 de novembro de 2022 – 2 min de leitura

Dinheiro na República Tcheca

Para planejar como gastar seu dinheiro na República Tcheca, você precisa saber que, apesar de fazer parte da União Europeia, a moeda do país é a coroa tcheca – Koruna Česká, em tcheco , identificada pela sigla CZK e pelo símbolo Kč.

As notas de papel são de 100, 200, 500, 1000, 2000 e 5000 coroas, e as moedas são de 1, 2, 5, 10, 20 e 50 coroas e de 50 hellers, os centavos. Cada coroa é divida em 100 hellers, assim como cada real se divide em 100 centavos.

Câmbio e golpes

Trocar dinheiro na República Tcheca é muito fácil, mas, infelizmente, o real não é aceito nas casas de câmbio směnárna, em tcheco. Então, você deve trazer euros ou dólares e fazer a conversão na chegada.

As casas de câmbio que funcionam no Centro de Praga são ótimas opções para conseguir algumas coroas tchecas. Especialmente as com cartazes dizendo free of charge ou 0% commision.

As lojas do aeroporto, os bancos e os hotéis sempre cobram mais caro, embora, muitas vezes, sejam mais cômodos.

Independentemente do lugar que escolher, quando for fazer a troca, não se esqueça de perguntar quantas coroas você vai receber.

Isso porque muitas casas de câmbio cobram comissão e você só fica sabendo depois de fazer o câmbio.

Se for trocar mais que EUR 1000, será preciso apresentar o passaporte.

Tenha cuidado com os golpes. Casos de pessoas que recebem notas de outros países, como Hungria e Rússia, são raros, mas acontecem. Por isso, nunca faça a troca nas ruas, porque, além disso, as chances de receber notas falsas são maiores.

Saques e taxas

Eu sempre recomendo viajar com dinheiro em espécie e com cartões. Antes de sair do Brasil, eu desbloqueio meus cartões de crédito e débito para uso no exterior, mesmo que eles não sejam minha primeira opção.

Muitas vezes, saco dinheiro diretamente do caixa automático na moeda local pagando a cotação do dia, mais o IOF de 6,38%. Mesmo com a taxa, essa pode ser uma opção prática.

O cartão de crédito fica para o último caso, já que a cotação varia de acordo com o fechamento da fatura. De qualquer forma, na hora de uma emergência, os cartões podem ser uma mão na roda e nos tirar de enrascadas.

Foto: Divulgação

Nas maiores cidades tchecas, como em Praga, é fácil encontrar bancos e caixas eletrônicos – chamados de ATM fora do Brasil.

Alguns bancos cobram uma comissão para fazer transações com cartões internacionais. Então, fique de olho nas mensagens que aparecem na tela do caixa eletrônico e só confirme a transação se estiver de acordo.

Se achar o valor muito alto, ande um pouco e tente em outro equipamento. Sempre haverá quem não cobre nada pelo serviço, e essa é uma ótima maneira de economizar seu dinheiro na República Tcheca.

Dinheiro na República Tcheca

Os preços na República Tcheca não são caros, mas também não são baratíssimos. Quem vem de países que usam o euro, é claro, percebe a diferença e isso representa um alívio para o bolso. Quando comparamos os valores com o Brasil, é mais ou menos a mesma coisa.

Informações Básicas

Visto

Brasileiros não precisam de visto para entrar no país e permanecer por até 90 dias.

Documentos

É necessário apresentar o passaporte com seis meses de validade.

Dinheiro

A moeda nacional é a coroa tcheca, identificada pela sigla CZK e pelo símbolo Kč. Veja como usar seu dinheiro na República Tcheca.

Vacinas

Nenhuma vacina específica é exigida de brasileiros embarcados no Brasil, independentemente da idade e do motivo da viagem.

Informações sobre covid-19

Desde 9 de abril de 2022, a República Tcheca suspendeu todas as exigências relativas à pandemia de covid-19 para viajantes internacionais.

RETORNO AO BRASIL

De acordo com informações da Anvisa, viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

Seguro Viagem

O seguro viagem é obrigatório para todos os países europeus que fazem parte do Tratado de Schengen:   a República Tcheca é um deles. 

Sem o seguro, você pode ser impedido de entrar no país. E tem mais: há uma cobertura mínima de EUR 30.000. Portanto, você precisa informar para qual – ou quais – país vai viajar antes de comprar o seguro.

Eu sempre indico o Seguros Promo, um site que compara os preços de várias seguradoras e nos mostra os melhores valores para cada cobertura.

Além disso, nem todos os países têm um sistema de saúde público e gratuito. Na verdade, na maioria deles, viajantes estrangeiros não têm acesso a assistência médica gratuita. Por isso, é muito importante ter o seguro internacional de saúde – também chamado de seguro viagem.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

Você já imaginou quanto custa um tratamento médico para esses casos em outros países? Dependendo da gravidade, o atendimento pode custar milhares de dólares, podendo gerar sérias dificuldades financeiras para você e seus familiares para o resto da vida.

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Veja mais dicas da República Tcheca

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se ainda tiver alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo pelo Instagram: @altiermoulin. Aproveite, também, para ler outros posts sobre a República Tcheca.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

2 Comentários

  1. Nereu Carlos Pereira

    Ótima matéria

    Responder
    • Altier Moulin

      Obrigado, Nereu.
      Um abraço!

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4