O que ver e fazer em Cáli

0

Atualizado em 13 de março de 2018

Muita gente ainda não descobriu essa cidade. Talvez, isso aconteça porque ela é considerada a mais violenta da Colômbia. Eu me aventurei por aqui e garanto que existem muitas coisas interessantes para ver e fazer em Cáli.

Quanto ao perigo, durante meus dias pela cidade, fiz o trajeto que queria pelo Centro Histórico da todo a pé, sem nenhum incidente. Eu mostro mais em: Um passeio pelo Centro Histórico de Cáli. Os cuidados que tive foram os mesmo que teria em qualquer outro lugar da América Latina.

Reserve já o seu hotel em Cáli e garanta os melhores preços.

O Centro Histórico é onde está a maioria das atrações da cidade como museus e igrejas. Além disso, esse é um ótimo lugar para caminhar e para perceber a vida da capital da província de Cauca.

Descubra o que fazer em Cáli

Museo del Oro Calima | É verdade que o museu do ouro de Cáli é muito mais simples do que o de Bogotá. Mas, já que você está aqui pertinho vale a pena incluí-lo em sua lista de coisas para fazer em Cáli. A entrada é gratuita. Em uma única sala, o museu reconta a história dos três povoados indígenas que habitavam a região antes da chegada dos espanhóis.

Aqui, admire a precisão de peças milimétricas e entenda como eram os rituais de sepultamento dos mortos. Particularmente, gostei muito do sarcófago e da múmia em posição fetal, que estão muitíssimo bem conservados. O museu funciona de terça a sexta, das 9h às 17h. Aos sábados, das 10h às 17h.

O que ver e fazer em Cáli

O Museu do Ouro em Cáli é pequeno, mas vale a visita.

Iglesia e Museo Arqueológico de La Merced | Este prédio data de antes da fundação de Cáli. Aliás, aqui foi celebrada a missa de fundação da cidade, em 1536, e essa construção antiga abriga um interessante museu com objetos da era pré-colombiana pertencentes às culturas Quimbaya, Tolima, Calima, San Agustín, Nariño e Tumaco.

As visitas podem ser feitas de segunda a sábado, das 9h às 13h, e de 14h às 18h. A entrada custa COP 4.000.

O que ver e fazer em Cáli

Fachada da Igreja La Merced.

Teatro Municipal Enrique Buenaventura | Bem pertinho do Museo del Oro, aproveite para incluir o teatro na lista do que fazer em Cáli e apreciar a bela arquitetura deste prédio.

Iglesia de San Francisco | Esta bela construção fica em frente à sede do governo local em uma praça tradicionalmente construída no estilo espanhol.

O que ver e fazer em Cáli

A Igreja de San Francisco é linda e um cartão-postal de cidade.

Orla do Rio Cáli | A famosa escultura Gato del Rio fica estrategicamente posicionada em uma das áreas mais bacanas de Cáli. Esse é o lugar que você deve escolher para relaxar, protegendo-se nas sombras dos imensos bambuzais, ou fazer uma caminhada despretensiosa para observar a vida que corre às margens do rio.

O que ver e fazer em Cáli

Essa área é um refúgio para os dias quentes de Cáli.

O que ver e fazer em Cáli

A famosa escultura O Gato do Rio.

Museo Caliwood | Se você é apaixonado por cinema, não deixe de colocar o Caliwood na sua lista do que fazer em Cáli. Dê uma passada neste pequeno museu que explica como são feitas as produções cinematográficas da região.

Ele fica pertinho do Museu la Tertulia e funciona de segunda a sexta, das 8h às 12h, e das 14 às 18h, aos sábados e feriados, das 15h ás 18h e, aos domingos, das 10h às 18h. A entrada custa COP 10.000.

Monumento a Las Tres Cruces | A uma altura de 1.480 metros acima do nível do mar, o Monumento a las Tres Cruces é uma ótima opção de passeio, porque, a partir do topo, você pode ter uma espetacular vista da cidade.

SAIBA MAIS SOBRE A HISTÓRIA DO LAS TRES CRUCES

A história desse monte começou há alguns séculos, quando dois frades decidiram expulsar Buziraco, um demônio que atormentava a cidade. Nessa época, em 1837, Cáli estava mergulhada em uma onda de mortes causadas por várias doenças, como varíola, dengue e hanseníase, e muitos incidentes, como incêndios e pragas, acometiam a cidade.

No auge do sofrimento, conta a lenda que algumas pessoas viram o tal demônio como a figura de um enorme morcego voando sobre os céus da cidade. Assim, cheios de coragem, os dois frades decidiram subir a montanha de Cáli, no dia 3 de maio daquele ano, carregando consigo três cruzes decoradas com flores e ramos de bambu para exorcizar Buziraco. A lenda conta ainda que, quando as três cruzes foram implantadas, uma aterrorizante voz soou na colina.

A tradição de subir o monte em procissão continuou durante décadas – embora com muito menos fervor do que no começo –, até o dia 7 de junho de 1925, quando um terremoto de magnitude 6,8 na escala Richter sacudiu a cidade.

Ao tremor foi atribuída à libertação de Buziraco, que derrubou as cruzes e demoliu igrejas da cidade. Assim, o antigo demônio teria voltado com forças renovadas para atormentar o lugar. Lenda ou realidade, Cáli é, atualmente, a cidade com o maior número de homicídios na Colômbia.

Depois do terremoto, as cruzes foram reerguidas. Hoje, a cruz central mede 26 metros, e as laterais, 22 metros. Elas ainda são um destino tradicional para peregrinação de fiéis na Páscoa e no dia 3 de maio, mas, muito além de um marco religioso, o Monumento é um dos pontos turísticos mais importantes de Cáli.

Se tiver fôlego, coloque o Cerro de las Tres Cruces em sua lista atividades para fazer em Cáli. Ele fica em Montebello, na área rural do município. Na parte superior, estão o monumento das três cruzes, uma delegacia de polícia e várias antenas de comunicação.

A subida até o topo começa no lugar conhecido como Altos de Normandía. Caminha-se por cerca de 480 metros, em um terreno bastante inclinado. Se você se sente motivado a se exercitar, subir o monte será uma boa pedida.

Você precisa saber que existem duas maneiras para subir o Cerro de las Tres Cruces a pé. A entrada do bairro Normandía é a mais congestionada – especialmente aos domingos. Já pela entrada do bairro Juanambu, você tem que subir vários degraus de uma escada que parece não ter fim. Isso vai lhe exigir muito fisicamente.

De carro, a subida começa na estrada que vai para El Aguacatal, seguindo pelo bairro de Chocho e Montebello, até ver a sinalização do caminho para o monumento. Siga na estrada que vai para a aldeia de Golondrinas.

O que ver e fazer em Cáli

As três cruzes que espantaram o demônio de Cáli.

Cerro de Cristo Rey | Indispensável em sua lista de coisas para ver e fazer em Cáli, você pode chegar de carro a esse monte a 1.474 metros de altura. Aqui, está uma estátua do Cristo de braços abertos, com 26 metros de altura – quatro a menos que o Cristo Redentor –, que foi inaugurada para celebrar os 50 anos de paz depois da Guerra dos Mil Dias.

O projeto foi coordenado pelo padre jesuíta José María Arteaga e executado pelo escultor italiano Alideo Tazzioli, que tinha chegado por acaso à cidade de Cáli, em 1930. Depois de quatro anos de muito trabalho pesado, concluiu-se a imagem que pesa 464 toneladas. Declarado monumento nacional, o Cristo Rei está localizado no Cerro de los Cristales, no bairro los Andes.

Para chegar aqui, suba a Avenida Circunvalar. A visita pode ser feita das 8h às 23h, e a entrada é gratuita.

O que ver e fazer em Cáli

O Cristo colombiano é menor que o brasileiro.

Museo la Tertulia | O museu de arte moderna de Cali é muito bacana. São três andares com obras fascinantes de artistas colombianos, mas o meu destaque vai para a sala El Cuerpo. Já na sala de exposições temporárias, que funciona no prédio ao lado, visitei as obras do movimento arte revolucionária, produzidas por um grupo de artistas colombianos na década de 1970 que expressava o seu engajamento político por meio de cartazes e outras peças. O museu abre de terça a sábado, das 10h às 18h, e aos domingos, das 14h às 18h. A entrada custa COP 4.000, mas aos domingos a entrada gratuita.

O que ver e fazer em Cáli

O museu de arte moderna da cidade fica na margem do Rio.

Iglesia San Pedro | Considerada por muitos anos a mais importante edificação de Cáli, esta igreja tem suas bases lançadas no ano de 1608, e é considerada o maior exemplo arquitetônico dos primeiros anos da cidade.

Colina de San Antonio | Este pequeno monte, onde está a capela de Santo Antônio, proporciona uma vista muito interessante da cidade, principalmente da parte mais antiga. Atrás dele fica o Cristo Rei, um dos pontos mais visitados de Cáli. Aproveite para tirar boas fotos aqui.

O que ver e fazer em Cáli

Vista da cidade a partir da colina San Antonio.

Zoológico | Localizado em uma imensa área verde, às margens do Rio Cáli, o zoológico tem mais de 2.500 animais de 270 diferentes espécies de várias partes do mundo. Da savana africana, alguns representantes são os leões e as zebras. Da Ásia, o destaque é o tigre branco. Das Américas, encontramos antas, ursos, flamingos, veados, entre tantos outros, que formam o conjunto de animais que habitam os ambientes recriados tentativa de fazer com que eles se sintam em casa.

O Zoológico de Cáli funciona diariamente, das 9h às 16h30. Destine no mínimo três horas para fazer um passeio tranquilo, visitando todos os ambientes. A entrada para adultos custa COP 14.000, e para crianças, COP 9.000. A taxa cobrada para o estacionamento é de COP 5.000. Você pode ver mais detalhes em: O fantástico Zoológico de Cáli.

O que ver e fazer em Cáli

Os ambientes recriados no Zoo são sensacionais.

O que ver e fazer em Cáli

Eles incluem espaços como esses, onde podemos aprender mais sobre cada espécie.

Salsa | Sim, salsa é um programa turístico para fazer em Cáli. Este é um dos lugares do mundo onde a salsa é o ritmo mais popular. Você pode encontrar pessoas dançando nas ruas e sempre haverá um clube aberto – a qualquer hora do dia – para você balançar o quadril.

Na cidade você pode encontrar bairros inteiros dedicados a acolher e a mostrar ao turista o seu ritmo mais famoso. As áreas mais tradicionais e que reúnem várias casas de salsa são Menga, na região norte, e Juanchito, na porção leste da cidade. O Granada é um dos bairros mais tradicionais de Cáli e também tem vários restaurantes e casas de noturnas.

Veja todos os posts de Cáli

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

Escreva um comentário