O que fazer em um dia em Xangai: os principais cartões-postais da cidade

Atualizado em 13 de outubro de 2022 – 6 min de leitura

O que fazer em um dia em Xangai

Antes de qualquer coisa, claro que apenas um dia em Xangai é pouco. A cidade é a maior da China – e uma das maiores do mundo -, e conhecer o lado moderno e antigo em menos de 24 horas vai lhe exigir um bom planejamento.

Mas, como na vida de viajante nem sempre temos todo o tempo que desejamos, se prepare para um dia intenso, cheio de experiências enriquecedoras e paisagens bem legais.

Neste artigo, eu vou explicar sobre:

Entenda Xangai

Xangai – Shanghai, em inglês – é a maior cidade da China, com mais de 24 milhões de habitantes.

Originalmente, era uma vila de economia baseada na pesca e no setor têxtil, mas ganhou importância no século 19 por causa do seu porto, e por ser uma das cidades abertas ao comércio exterior pelo Tratado de Nanquim assinado, em 1842.

O acordo foi feito entre China e Grã Bretanha, para por fim às Guerras do Ópio, que basicamente foram batalhas pelo mercado internacional.

O que fazer em um dia em Xangai

A cidade floresceu como um centro comercial entre o Oriente e o Ocidente e se tornou um importante polo financeiro mundial na década de 1930.

No entanto, quando o Partido Comunista da China chegou ao poder, em 1949, a influência internacional da cidade caiu. A partir de 1990, as reformas econômicas introduzidas por Deng Xiaoping levaram a um intenso desenvolvimento da cidade e, em 2005, Xangai chegou a ter o maior porto de cargas do mundo.

Como conhecer Xangai

Uma decisão importante é escolher bem onde se hospedar, porque a localização vai lhe ajudar muito na hora de se locomover. A região do Bund – que eu explico mais para frente – é ideal, mas é mais cara, claro.

Eu fiquei no hostel Shanghai Blue Mountain, nos arredores da Rua Nanjing, onde estão concentrados os principais shoppings, as lojas mais famosas e é onde há várias estações do metrô. Veja todas as opções de hospedagem em Xangai.

O que fazer em um dia em Xangai

O que fazer em um dia em Xangai

O legal de Xangai é que a gente consegue ver os dois lados da China: o tradicional, que lembra sua história milenar e as poderosas dinastias que governaram o país até a implantação da república, em 1911, e o moderno, materializado nas gigantescas construções que simbolizam a potência econômica que o país tem se tornado nas últimas décadas.

Eu visitei todos os lugares que indico, mas é claro que existem muitos outros. De qualquer forma, a lista a seguir serve como um pontapé para que você programe o seu dia em Xangai.

Rua Nanjing

Como eu falei, essa é a principal rua do comércio não só de Xangai, mas de toda a China. Lojas de grife, shoppings grandões, restaurantes locais e redes de fast food – como KFC, McDonald’s e Pizza Hut – se espalham por mais de cinco quilômetros.

A rua começa no Bund e termina no Templo Jing’na. Para chegar aqui você pode usar as linhas 1, 2 e 8 do metrô.

O que fazer em um dia em Xangai

Um fato muito curioso é que essa rua muda completamente do dia para a noite. Em uma manhã, quando saia do hostel para passear, vi pessoas praticando tai chi chuam tranquilamente enquanto muitas lojas já abriam suas portas. À noite, o ambiente é bem mais agitado, porque o movimento de gente andando de um lado para o outro é constante.

O que fazer em um dia em Xangai

Parque do Povo

Este lugar é um must see de Xangai por um motivo muito peculiar: é que aqui acontece o Mercado de Casamento – Marriage Market, em inglês. Pode parecer engraçado, mas é que os chineses levam essa história de ficar encalhado tão a sério, que montam uma feira onde os pais oferecem seus filhos e filhas para quem tiver interessado.

O que fazer em um dia em Xangai

O mercado acontece especialmente nos finais de semana e é muito interessante ver o pessoal fazendo propaganda dos próprios filhos com fotos, cartazes e até objetos.

Além disso, claro, o Parque é lindo e uma bela caminhada aqui vai lhe fazer respirar ares diferentes nessa megalópole que é Xangai. Para chegar aqui, você pode usar as linhas 1, 2 e 8 do metrô.

Chenghuangmiao

Essa é a área mais antiga de Xangai, o Centro Histórico. Nessas ruazinhas a cidade começou e se desenvolveu até se tornar a mais importante da China.

O que fazer em um dia em Xangai

O que fazer em um dia em Xangai

Hoje, Chenghuangmiao é um centro comercial popular e muitas casas viraram lojinhas. Aqui é um ótimo lugar para experimentar alguns pratos exóticos comidas da China e, também, para comprar algumas lembrancinhas da viagem.

O que fazer em um dia em Xangai

O que fazer em um dia em Xangai

Templo de Xangai

Esse é oficialmente o templo taoista da cidade de Xangai. Ele fica em Chenghuangmiao – por isso é chamado de Chenghuangmiao ou Templo do Deus da Cidade – e foi construído para comemorar sua emancipação – quando Xangai deixou de ser uma vila para se tornar cidade.

O que fazer em um dia em Xangai

A importância desse lugar é tão grande que os moradores de Xangai costumam dizer que quem não visitar o templo, não pode dizer que veio a Xangai. É por isso que milhares de turistas chegam aqui todos os anos. Então, você também deve colocar uma passada aqui em sua lista de coisas para fazer um dia em Xangai.

O que fazer em um dia em Xangai

O templo tem dois mil metros quadrados e nove palácios, sendo que o principal é o do deus da fortuna. Todo o complexo é, na verdade, dedicado a três deuses locais: Huo Guang, um famoso general da dinastia Han, Qin Yubo, uma celebridade da dinastia Yuan, e Chen Huacheng, sacrificado na Primeira Guerra do Ópio.

O que fazer em um dia em Xangai

Ao entrar no templo, você terá que participar de um ritual sagrado para os praticantes do taoismo: acender três incensos e depositá-los no lugar de oração. Quando a gente compra o tíquete de entrada – que custa CNY 10 – eles já nos entregam os três incensos. Logo na entrada do Portão Montanha, o principal, dá para ver as pessoas fazendo o ritual.

O que fazer em um dia em Xangai

O templo fica na Rua Fang Bangzhong, em Huangpu. Para chegar aqui, pegue a linha 10 do metrô e desça na estação Yuyuan Garden. As visitas podem ser feitas, diariamente, das 8h30 às 16h30. Em respeito à religião, não é permitido fotografar dentro dos palácios.

O que fazer em um dia em Xangai

Jardim Yuyuan

Esse é um lugar memorável, onde você pode passar horas. O parque – chamado de Yu Garden, em inglês – tem aqueles tipos de jardins tradicionais, prédios cheios de detalhes e foi concluído em 1577 – quando o Brasil ainda nem era Brasil de verdade.

Um fato muito curioso sobre o Yuyuan é o propósito para o qual ele foi construído: o imperador Pan Yunduan, da dinastia Ming, queria um lugar de paz e tranquilidade onde seus pais pudessem descansar na velhice. Assim nasceu esse parque que virou uma atração turística imperdível em Xangai.

Só que os jardins já sofreram muito com o tempo e com as guerras. Hoje, o que a gente vê é o resultado de um projeto de restauração que durou cinco anos, que terminou em 1961, quando foi reaberto ao público.

O que fazer em um dia em Xangai

A entrada custa CNY 40 e, para chegar aqui, você pode pegar a linha 10 do metrô ou os ônibus das linhas 11, 26, 64, 304, 736, 805, 920, 926 e 930. As visitas podem ser feitas das 8h30 às 16h30, sendo que às 17h15 ele é esvaziado.

O que fazer em um dia em Xangai

Bund

Também chamado de Waitan ou Zhongshan Dong Yi Lu pelos chineses, o Bund é um famoso calçadão de onde a gente pode ter uma vista sensacional do outro lado de Xangai. Aliás, eu preciso explicar mais detalhadamente que a cidade é dividida em dois distritos principais.

O que fazer em um dia em Xangai

Huangpu é o lado mais histórico e tradicional, onde ficam todas as atrações que falei até agora. O lado mais moderno é Pudong, que começou a ser construído na década de 1990 e se tornou o coração financeiro da cidade. Aqui, estão prédios e monumentos famosos e belíssimos como a Jin Mao Tower, a Oriental Pearl Tower e o Shanghai World Financial Center.

Pudong fica no lado oriental da cidade, na outra margem do Rio Huangpu, e apesar de fazer parte de Xangai, tem certa autonomia. É como se ele tivesse uma prefeitura particular, sabe?

O que fazer em um dia em Xangai

Embora pisar em Pudong seja muito interessante, a melhor vista dos prédios a gente tem a partir do lado de cá, no Bund.

Eu recomendo que você chegue antes do anoitecer para ver as luzes – milhões delas – acenderem aos poucos, até que o dia fique completamente escuro e que comece os shows dos ledes presos nas fachadas dos prédios.

Mesmo não sendo apaixonado por cidades grandes, não posso negar que foi uma experiência memorável e por isso ele é imperdível, mesmo que você tenha apenas um dia em Xangai. O Bund fica no final da Rua Nanjing e é gratuito. Daqui, você pode atravessar de barco para o outro lado pagando CNY 2.

Informações Básicas

Visto

Brasileiros precisam de visto para entrar no país. Veja como solicitar o visto para China.

Documentos

Você precisa apresentar o passaporte com, no mínimo, seis meses de validade.

Dinheiro

A moeda nacional é o yuan renminbi, identificada pelas siglas CNY e RMB, e pelos símbolos ¥, 元  e 角, em chinês.

Vacinas

A vacinação contra febre amarela é obrigatória. Saiba como solicitar o certificado pela internet.

Informações sobre covid-19

No dia 22 de maio, a China atualizou as regras para entrada de brasileiros no país. A partir de agora, os viajantes devem cumprir os seguintes requisitos:

Apresentar dois exames RT-PCR negativos, sendo o primeiro feito, no máximo, 48 horas antes do embarque, e o segundo, dentro de 12 horas antes da partida do voo. Se ambos forem realizados na mesma instituição, deve-se garantir o intervalo de pelo menos 24 horas.

Com os resultados dos dois exames, é preciso solicitar o Código Verde à Embaixada ou ao Consulado-Geral da China. É preciso apresentar, também, uma cópia da página de dados pessoais do passaporte, roteiro completo de viagem, comprovante de reserva para dois testes RT-PCR no local de conexão, quando houver, cópia do certificado de vacinação (exceto para viajantes não vacinados) e Declaração da Condição de Saúde, disponível online.

Ainda há uma série de especificações para viajantes já infectados pelo novo corona vírus e para aqueles que testarem positivo em um dos exames. Casos assim serão tratados particularmente pelas representatividades chinesas no Brasil, e você pode ver todos os detalhes no site do Consulado da China em São Paulo.

RETORNO AO BRASIL

De acordo com informações da Anvisa, viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

Seguro viagem

Nem todos os países têm um sistema de saúde público e gratuito. Na verdade, na maioria deles, viajantes estrangeiros não têm acesso a assistência médica gratuita. Por isso, é muito importante ter o seguro internacional de saúde – também chamado de seguro viagem. No caso da Bolívia, o  seguro viagem passou a ser obrigatório  depois da pandemia de covid-19.

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

Você já imaginou quanto custa um tratamento médico para esses casos em outros países? Dependendo da gravidade, o atendimento pode custar milhares de dólares, podendo gerar sérias dificuldades financeiras para você e seus familiares para o resto da vida.

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

Eu sempre uso a plataforma da Seguros Promo para comparar valores antes de fazer a compra. Eles têm um suporte muito eficiente e preços sempre muito bons.

Veja mais dicas da China

Ficou mais fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida é só deixar sua pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas da China.

Sobre o Autor

<a href="https://www.penaestrada.blog.br/author/altier/" target="_self">Altier Moulin</a>

Altier Moulin

Sou jornalista, capixaba e apaixonado pelo universo viajante. Sempre gostei de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Quando criança, sonhava em viajar pelo mundo e, já adulto, isso virou um propósito de vida.

comentários

8 Comentários

  1. Mari

    Oiii! Gostei muito do teu blog! Tenho 2 dias em Shanghai e estarei sozinha. Acha que consigo conhecer bastante coisa?

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Mari.

      Consegue fazer o mesmo roteiro que fiz e um pouco mais, mas não posso dizer que vai ver bastante coisa. 😉
      Aproveite o tempo que tem. Isso que importa.

      Um abraço.

      Responder
  2. Marco

    Alteie, parabéns pelo trabalho. Excelentes dicas! Pretendo viajar para Thailandia, Vietina e Laos no final de fevereiro e início de março, cerca de 20 dias, entretanto, estou com ideia de pegar um voo na ida e ficar em Pequim por ate 3 dias para conhecer, em especial, a muralha, o que você acha? Um abraço!

    Responder
    • Altier Moulin

      Oi, Marco.

      Acho que vale a pena.
      Principalmente a Muralha e a Cidade Perdida.

      Um abraço.

      Responder
  3. Esmeralda

    Olá Altier, encontrei seu blog pesquisando sobre Shanghai – estou na cidade neste momento, é minha segunda passagem nesta cidade – e adorei! Parabéns pelo empenho! Sucesso e saúde sempre!

    Responder
    • Altier Moulin

      Muito obrigado, Esmeralda.
      Xangai é incrível,né?

      Um abraço.

      Responder
  4. Luiz Célio Taddone Filho

    Altier, excelente seu site.
    Estou indo para a China pela primeira vez, à trabalho, num total de 22 dias.
    Ficarei em Cangzhou / Hebei, Zhengzhou / Henan, Changsha / Hunan e Xangai.
    Pretendo desenvolver fornecedores de aço e alumínio, porém meu inglês é tupiniquim.
    O que você me aconselha.
    Obrigado

    Responder
    • Altier Moulin

      Luiz, muito obrigado!

      Se você não fala inglês, acho melhor contratar um tradutor, e seria bom que fosse alguém que falasse português.
      Mesmo falando inglês já é difícil… imagina sem falar. hahahahah
      Infelizmente, não sei te indicar um profissional.

      Um abraço.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *