Quando ir a Auschwitz: a melhor época para visitar os campos de concentração

2

Atualizado em 18 de julho de 2022

Auschwitz é o lugar mais triste que já visitei e, ainda assim, eu recomendo muito fazer uma visita aos antigos campos de concentração. Mas, é muito importante saber quando ir a Auschwitz, porque isso vai interferir diretamente na sua experiência.

É importante saber que o horário de funcionamento dos antigos campos nazistas – que agora são museus –  varia de acordo com a estação o ano.

Além disso, eles podem fechar para atividades internas. Então, o ideal é consultar as datas e fazer sua reserva no site do Museu.

Horário de funcionamento

A visita aos antigos campos de concentração de Auschwitz acontece todos os dias do ano, exceto nos dias 1º de janeiro, 25 de dezembro e no Sábado de Aleluia, que antecede a Páscoa.

Como comentei, os horários de entrada variam um pouco durante o ano. Veja como são:

  • Dezembro: de 9h às 14h
  • Janeiro e novembro: de 9h às 15h
  • Fevereiro: de 9h às 16h
  • Março e outubro: de 9h às 17h
  • De abril a setembro: de 9h às 18h

Lembrando que estes são os horários de entrada e que a visita é encerrada 1h30 depois da última entrada.

Então, uma grande dica é evitar os horários finais, pois você corre o risco de ficar sem ver muita coisa importante.

Quando ir a Auschwitz

A cidade onde estão os antigos campos de concentração é Oświęcim, a 67 quilômetros de Cracóvia, na Polônia.

As estações do ano são bem definidas da Polônia, mas elas não duram períodos iguais.

O inverno é longo e frio, e, por isso, as visitas a Auschwitz são encerradas mais cedo. O verão, por outro lado, é curto e agradável, mas é também a estação chuvosa no país.

Quando ir a Auschwitz

VERÃO

O complexo de Auschwitz abre às 9h todos os dias. No verão – de maio a setembro – as visitas são encerradas às 19h30.

Isso porque, nesta época, os dias são mais longos e ensolarados, com temperaturas variando entre 20 e 27 graus.

Julho e agosto são os meses mais chuvosos. Em setembro o termômetro já começa a marcar a média de 15 graus.

É nesta época que o movimento de turistas é maior, mas como a área de visitação é grande e os grupos têm um número limitado de pessoas, ninguém fica tumultuado.

Quando ir a Auschwitz

INVERNO

O inverno vai de outubro a abril. O horário de abertura permanece o mesmo, às 9h, mas o fechamento muda. No mês de dezembro, por exemplo, você precisará ir a Auschwitz mais cedo, já que a entrada só é autorizada até às 14h.

Nessa época, as temperaturas chegam ao negativo facilmente e é mais difícil ficar muito tempo ao ar livre.

Um lado positivo disso é que você conseguirá ver Auschwitz coberto pela neve e sentir mais intensamente o que passaram aqueles que viveram – e morreram – aqui, durante a Segunda Guerra Mundial.

Quando ir a Auschwitz

Foto: Huffington Post

Quanto tempo dura a visita?

A visita aos campos de concentração dura cerca de quatro horas e você não paga para entrar. Mas, eu acho indispensável estar acompanhado de um guia, para que você possa compreender e absorver bem o que aconteceu aqui.

Para se planejar melhor, sugiro que leia: Como é visitar Auschwitz.

Informações Básicas
Visto | Brasileiros não precisam de visto e o período de permanência é de até 90 dias, podendo ser prorrogado para mais 90 dias.
Documentos | É necessário apresentar um passaporte com validade mínima de seis meses, após a data da saída do país, e com uma página em branco.
Dinheiro| A moeda da Polônia é o złoty, identificado pelas siglas PLN e zł. Para sua viagem, leve euros e troque nas casas de câmbio. 
Vacinas | Nenhuma vacina específica é exigida, independentemente do motivo da viagem e da idade do viajante. 
Seguro viagem| O seguro viagem é obrigatório e, sem ele, você pode ser impedido de entrar no país. Veja quanto custa o seguro viagem.
Covid-19| Nenhuma restrição se aplica em relação à covid-19, não sendo mais obrigatório apresentar o certificado de vacinação ou testes negativos.

INFORMAÇÕES SOBRE COVID-19

Desde 28 de março de 2022, não há restrições de entrada na Polônia relativas à pandemia de covid-19, o que significa que já não é necessário apresentar o certificado de vacinação ou teste negativo.

Com a medida, todos os viajantes internacionais não estarão sujeitos a quarentena. Também não é mais obrigatório preencher o Formulário de Localização de Passageiros (eKLP) antes de chegar ao país.

RETORNO AO BRASIL

De acordo com informações da Anvisa, viajantes com o esquema vacinal completo não precisam fazer teste de antígeno (teste rápido) ou RT-PCR para retornar ao Brasil, e também não é preciso preencher a Declaração de Saúde do Viajante, que está suspensa pela Anvisa.

Viajantes não-vacinados ou vacinados parcialmente precisam apresentar resultado negativo de teste de antígeno (teste rápido), coletado até 24 horas antes do voo, ou RT-PCR, coletado até 72 horas antes do embarque.

SEGURO VIAGEM

O seguro viagem  é obrigatório para todos os países europeus  que fazem parte do Tratado de Schengen: a Polônia é um deles.

Sem o seguro, você pode ser impedido de entrar no país. E tem mais: há uma cobertura mínima de EUR 30.000. Portanto, você precisa informar para qual – ou quais – país vai viajar antes de comprar o seguro.

Eu sempre indico o Seguros Promo, um site que compara os preços de várias seguradoras e nos mostra os melhores valores para cada cobertura.

Além disso, nem todos os países têm um sistema de saúde público e gratuito. Na verdade, na maioria deles, viajantes estrangeiros não têm acesso a assistência médica gratuita. Por isso, é muito importante ter o seguro internacional de saúde – também chamado de seguro viagem.

→ Faça uma cotação do seguro viagem

O custo de um seguro viagem é menor do que se costuma pensar e ele garante que você terá atendimento em casos de emergências médicas comuns, como acidentes de trânsito, intoxicações alimentares, acidentes vasculares e infartos cardíacos, por exemplo.

Você já imaginou quanto custa um tratamento médico para esses casos em outros países? Dependendo da gravidade, o atendimento pode custar milhares de dólares, podendo gerar sérias dificuldades financeiras para você e seus familiares para o resto da vida.

Então, antes de embarcar, compre o seguro viagem, imprima o comprovante e tenho o número de emergência em local de fácil acesso.

DINHEIRO NA POLÔNIA

A moeda da Polônia é o złoty, identificado pela sigla PLN e pelo símbolo zł, e raramente você vai encontrá-la nas casas de câmbio do Brasil. Portanto, a sua melhor opção é viajar com euros e fazer a troca quando chegar à Polônia. Eu sugiro que você troque, pelo menos, um pouco de dinheiro no aeroporto para usar nas despesas imediatas, como no transporte público.

Você pode trocar facilmente o seu dinheiro na Polônia, em grandes e pequenas cidades, mesmo que seja na recepção de um hotel – só em último caso. As casas de câmbio – identificadas com a palavra Kantor – aceitam praticamente todas as principais moedas estrangeiras, menos o real. Elas geralmente funcionam das 9h às 19h, nos dias úteis, e até às 14h, aos sábados.

Você pode usar o seu cartão para fazer saques de dinheiro na Polônia. Mas, para isso, você pagará uma taxa – que varia de acordo com o banco -, além do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) de 6,38%. É importante lembrar que o seu cartão precisa estar desbloqueado para uso no exterior. Para isso, você deve solicitar a liberação em sua agência ou no aplicativo do banco.

As bandeiras de cartão de crédito e débito mais comuns – MasterCard, Visa, American Express e Diners – são aceitas amplamente no comércio polonês, mas, em cidades menores, é sempre bom perguntar antes de qualquer coisa.

Ao consumir algo em um bar ou restaurante, é recomendado dar uma gorjeta de 10% sobre o valor total da conta. O mesmo vale para táxis e outros serviços.

Ficou mas fácil planejar sua viagem? Se tiver alguma dúvida, é só deixar suas pergunta nos comentários que eu respondo.

Se preferir, pode falar comigo no Instagram: @altiermoulin. Agora, aproveite para ver outras dicas da Polônia.

Veja mais dicas da Polônia