Onde comer em Lisboa sem gastar muito

2

Atualizado em 2 de janeiro de 2019

A capital portuguesa é uma cidade grande e tem muitas coisas para a gente ver, fazer e, principalmente, muitos bons restaurantes. Isso significa que há opções para todos os bolsos e gostos, mas, se quiser economizar, eu acho bom você saber onde comer em Lisboa.

Se você quiser saber um pouco mais dos pratos típicos de Portugal e do que você vai encontrar na mesa dos portugueses, leia: Comidas de Portugal: o que comer no país.

Onde comer em Lisboa

No restaurante Namur, que é bem simplesinho e fica perto do elevador Santa Justa, o almoço custa EUR 6. O menu do dia – eu comi frango assado – inclui prato principal, suco e sobremesa. Aqui, uma dica preciosa e escolher uma mesa do lado de dentro, porque quem senta nas mesinhas da calçada, no lado de fora, paga mais caro.

Onde comer em Lisboa sem gastar muito

A sobremesa que vem no menu do dia do Namur.

O Café à Brasileira é uma opção, assim, bem mais turística e não tão barata, mas também não é nada caro que a gente não possa pagar. O menu completo, aqui, custa EUR 7. Infelizmente, eu não consegui almoçar no Café à Brasileira, porque havia falta de funcionários. Isso é muito comum por aqui: se a cozinheira falta, por exemplo, eles não servem comida no dia.

Onde comer em Lisboa sem gastar muito

O bacalhau à brás do Farta Brutos.

O Farta Brutos é um restaurante bem pequeno, mas bem antigo e tradicional para comer em Lisboa. Eu comi o bacalhau a brás, que é super bem indicado.

A Adega dos Arcos é um lugar, também, muito famoso e muito recomendado em Lisboa. Ele serve pratos típicos de Portugal e é, exatamente, aquela tradicional tasca – como se fosse um boteco aqui no Brasil: algo simples com muito valor cultural e gastronômico. O bacalhau na telha custa ERU 22 e alimenta muito bem duas pessoas.

Onde comer em Lisboa sem gastar muito

O bacalhau na telha do Adega dos Arcos.

Se você gosta de comida oriental – ou apenas quer dar um tempo das comidas portuguesas -, quer comer muito e pagar um preço justo, vá ao WOK Oriental. Ele fica ao lado do Elevador Santa Justa – não tem erro – e funciona no esquema buffet livre.

Você pode se servir a vontade por um preço único: EUR 7,95, durante a semana, e EUR 8,95, nos finais de semana e feriados. Se comprar para levar, o preço cai para EUR 4,50. A comida é boa, há muitas opções e você pode repetir várias vezes.

Onde comer em Lisboa sem gastar muito

Pra fugir das comidas portuguesas, comer muito e gastar menos.

O Refeitório do Senhor Abel fica no bairro de Marvilla, muito indicado para quem quer fugir do roteiro básico da cidade e para quem gosta de arte de rua. O restaurante serve comida italiana – pizzas e massas – e tem um cardápio bem variado, com preços para todo mundo pagar.

Onde comer em Lisboa sem gastar muito

O conta, no Refeitório do Senhor Abel, vem dentro de um livro.

Na mesma rua, a Rua do Açúcar, o Café com Calma é um lugar para você aproveitar o fim da tarde. Gerenciado por brasileiros, é um ambiente com boa música e com gostinho de casa. Sabe como é?

Claro que, nesta lista, você não pode deixar passar a confeitaria que faz o famoso – e original – pastel de Belém. Afinal, vir a Lisboa e não comer essas iguarias é a mesma coisa que ir a Roma e não ver o Papa.

Comidas de Portugal: o que comer no país

Não deixe de comer o pastel de nata da Antiga Confeitaria de Belém.

A Antiga Confeitaria de Belém fica na freguesia de Belém, perto do Mosteiro dos Jerônimos e da Torre de Belém, lugares que certamente você vai conhecer.

Nessa região, na mesma calçada da confeitaria, você pode almoçar ou jantar no O Prado ou no Rui dos Pregos. A comida é boa e, no menu do dia, você paga menos.

Veja outras dicas em: Roteiro para Portugal: dicas para uma viagem perfeita, e aproveite, agora, para encontrar seu hotel em Lisboa.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

2 Comentários

Escreva um comentário