O que fazer em Curitiba e arredores

8

Atualizado em 23 de fevereiro de 2018

Curitiba é uma das mais belas cidades do Brasil. Quem diz isso não sou apenas eu. Além de ter um lugar especial no coração de quem passa por aqui, a capital paranaense conquistou, em 2015, o prêmio de melhor cidade do país. Então, para conhecer o motivo de toda essa fama, eu lhe indico o que fazer em Curitiba.

Jardins, praças, monumentos, museus, um passeio pela gastronomia e pela história dessa terra farão seus dias, por aqui, mais coloridos e inspiradores. Educado, e um pouco tímido, o povo curitibano sabe cuidar de tudo o que tem. Com você não será diferente. Eles sempre estarão prontos para demonstrar sua amabilidade e o orgulho da cidade que construíram.

O que fazer em Curitiba

Jardim Botânico | O mais tradicional espaço verde de Curitiba tem quase 250 mil metros quadrados. Seus jardins geométricos, extremamente bem cuidados, são o cartão-postal da cidade. A estufa, que abriga centenas de espécies da flora brasileira, é inspirada no Palácio de Cristal que existia em Londres, no século 19. O Jardim Botânico funciona de 6h às 20h e a entrada é gratuita.

O que fazer em Curitiba e arredores

A estufa inspirada no Palácio britânico.

O que fazer em Curitiba e arredores

O lindo Jardim Botânico de Curitiba.

Museu Oscar Niemeyer | Assinado pelo maior arquiteto brasileiro, esse museu também ficou conhecido como o Museu do Olho, devido a sua forma. São mais de 16 mil metros quadrados destinados à arte. Inclusive, as obras apreendidas durante a operação Lava-Jato estão em exibição aqui. O museu abre de terça a domingo, das 10h às 18h. A entrada custa R$ 12,00. Estudantes, professores, doadores de sangue e pessoas com necessidades especiais pagam meia.

O que fazer em Curitiba e arredores

O imenso Museu do Olho.

Centro Histórico | A parte histórica de Curitiba é vibrante. Na região onde tropeiros, garimpeiros e agricultores se encontravam, estão igrejas, como a de São Francisco, casas antigas, museus e outros monumentos. Aos domingos pela manhã, toda a área do Largo da Ordem recebe uma tradicional feira onde a gente compra de tudo um pouco: de alimentos a peças de antiguidade.

O que fazer em Curitiba e arredores

A parte histórica de Curitiba.

O que fazer em Curitiba e arredores

A feirinha do Largo da Ordem.

Ópera de Arame | Essa famosa casa de shows recebeu esse nome por ter sido construída com tubos metálicos e tem o teto transparente. Estabelecida na área de uma antiga pedreira, aqui acontecem shows de música que lotam facilmente seus 2.400 lugares.

O que fazer em Curitiba e arredores

A estrutura moderna da Ópera de Arame.

Unilivre | Desenhada pelo mesmo arquiteto da Ópera de Arame, a Universidade Livre do Meio Ambiente é um belíssimo espaço onde se compartilham informações e estudos ambientais. Como está em meio a um imenso bosque com mais de 35 mil metros quadrados, muita gente vem conhecer essa curiosa estrutura em forma de caracol e, de quebra, aproveita para desfrutar da beleza do lugar.

O que fazer em Curitiba e arredores

O verde sem fim da Unilivre.

Parques | Curitiba é uma das cidades mais verdes do Brasil: são 55 metros quadrados de área plantada por habitante, três vezes mais do que o índice recomendado pela Organização Mundial de Saúde. Então, não dá para visitar a cidade e não caminhar por um de seus 26 bem cuidados parques.

Um dos mais visitados é o Tanguá, mas eu gostei muito também do Bosque Alemão. A trilha é cheia de casinhas com placas que contam a história de João e Maria, e, no meio do parque, fica a casa da bruxa. Só que aqui, em vez de fazer maldades, ela recebe as crianças para compartilhar histórias e aventuras.

O que fazer em Curitiba e arredores

Portal do Bosque Alemão.

O que fazer em Curitiba e arredores

A história de João e Maria deixa tudo mais lúdico e encantador.

Passeio de bicicleta | Eu indico que você faça um passeio com o pessoal do KuritiBike. Eles têm várias opções de roteiros, mas o que eu escolhi foi o Bar & Bike, que percorre um circuito de bares da capital paranaense. Aqui, se você ainda não sabe, existe um conceito muito próprio: o bar de rua. Neles, os clientes consomem as bebidas e os aperitivos na calçada, muitas vezes sentados no meio-fio. No verão ou no congelante inverno curitibano, essa é uma tradição que nunca morre.

No passeio a gente fez quatro paradas, sendo que em três nós tivemos direito a degustação. O bolinho de carne do Torto, um dos primeiros bares de rua de Curitiba, criado em homenagem ao jogador garrincha, estava na lista. Mas nós ainda paramos para comer tortilhas e uma deliciosa pizza.

O que fazer em Curitiba e arredores

Parada do passeio de bicicleta pelos bares.

O que fazer em Curitiba e arredores

O delicioso bolinho de carne do famoso Torto.

O que fazer nos arredores de Curitiba

Cataratas do Iguaçu | Todos os adjetivos que eu usar serão insuficientes para descrever a beleza, a magnitude e a impressionante grandeza das Cataratas que se formam no Rio Iguaçu: um conjunto de 275 cachoeiras escorrem por penhascos com até 82 metros de altura, o que equivale a um prédio de aproximadamente 27 andares. Para saber mais detalhes deste passeio, leia: Cataratas do Iguaçu: preciso dizer algo?

O que fazer em Curitiba e arredores

O conjunto de quedas que formam as Cataratas.

O que fazer em Curitiba e arredores

Passarela que nos leva até à Garganta do Diabo.

Trem para Morretes | Esse é o segundo passeio mais procurado no Paraná, perdendo apenas para as Cataratas do Iguaçu, e a viagem de trem para Morretes é realmente um daqueles programas imperdíveis. O trem sai de Curitiba e, durante todo o tempo, um guia vai nos dando as informações históricas de cada lugar, e olha que são muitos os fatos interessantes que envolvem a ferrovia. Se quiser saber mais sobre a viagem, leia: Curitiba: a viagem de trem para Morretes.

O que fazer em Curitiba e arredores

O trem que desce a ferrovia e nos mostra a beleza da Serra do Mar.

O que fazer em Curitiba e arredores

A charmosa Morretes.

Arenitos de Ponta Grossa | Quem visita Curitiba tem, também, a grande oportunidade de estender a viagem um pouco mais para conhecer o Parque Estadual de Vila Velha, em Ponta Grossa. Rodeado pela bela paisagem dos Campos Gerais, o Parque é famoso pelos arenitos que se formaram nessa região há mais de 300 milhões de anos. Para ver os detalhes desse passeio, leia: Os arenitos do Parque Estadual de Vila Velha.

O que fazer em Curitiba e arredores

A trilha pelos arenitos que têm mais de 300 milhões de anos.

O que fazer em Curitiba e arredores

A taça, a mais emblemática figura em arenito.

Programe sua viagem a Curitiba

Quando ir | O clima em Curitiba varia bastante: em algumas épocas do ano, faz calor, frio e chove no mesmo dia. A temperatura média, no verão, é de 21 graus, com máximas de 34. No inverno, faz muito frio, e as temperaturas chegam próximo de zero grau. Julho é, normalmente, o mês mais frio.

Quem leva | A Special Paraná tem pacotes que cobrem todas as atividades descritas neste post. Para conhecer todos os pacotes, e para fazer sua reserva, basta acessar o site da agência.

Como chegar | O Aeroporto Internacional Afonso Pena (CWB) fica a 18 quilômetros do centro da cidade. De carro, a viagem é feita pela a BR 116, a Regis Bittencout. Depois de concedida à iniciativa privada, ela está duplicada e em boas condições. Há cobrança de pedágios e você pode consultar os valores no site da concessionária.

Dê ônibus, as principais empresas que chegam a Curitiba são a Viação Cometa e a  Itapemirim. A Estação Rodoferroviária fica na Avenida Presidente Affonso Camargo, no Jardim Botânico, uma região bem central de Curitiba. Para chegar aqui você pode usar o sistema de transporte público, chamado pelos curitibanos de biarticulado, e descer no tubo – ponto de ônibus – da Rodoferroviária.

Onde ficar | Em Curitiba, os hotéis mais baratos ficam na região do Centro, que diferente de outras partes do Brasil é movimentado de dia e à noite. Aqui, eu fiquei no Curitiba Lizon Hotel, localizado praticamente em frente à estação rodoferroviária, ideal para quem vai fazer deslocamentos de trem, de carro ou de ônibus. O hotel tem estacionamento, um variado café da manhã e o atendimento é agradável.

Daqui para o Largo da Ordem, o Centro Histórico da capital, você gasta cerca de 20 minutos caminhando. Se preferir, basta atravessar a rua para usar o transporte público. O tubo – ponto de ônibus – fica exatamente em frente ao hotel.

Se quiser ficar em uma das áreas mais nobres da cidade, sua opção deve ser o bairro Batel. Confira aqui a lista completa dos melhores hotéis de Curitiba.

Minha viagem teve o apoio da Special Paraná.

SOBRE O AUTOR

Altier Moulin

Sou um jornalista que gosta de contar histórias e de extrair do cotidiano um valor que muitos não percebem. Desde menino, meu desejo era viajar pelo mundo. Já adulto, descobri que isso não era apenas um sentimento, mas um propósito de vida.

8 Comentários

  1. Avatar

    Escreva mais, é tudo o que tenho a dizer. Literalmente, parece que você se baseou no vídeo para seu ponto de vista.
    Você claramente sabe o que você está falando. Por que reduz sua inteligência em apenas postar vídeos para seu blog, quando você poderia estar nos dando algo informativo para ler?

    • Altier Moulin

      Oi, Fabio.

      Tudo é uma questão de perspectiva, não é?
      Se uma pessoa está planejando vir a Curitiba, acho importante saber dessa opção, ainda que pareça longe.
      Eu dou várias dicas de lugares mais próximos também.

      Um abraço.

Escreva um comentário